domingo, 21 de março de 2010

Que me saiba perder... pra me encontrar...



Eu quero amar, amar perdidamente!
Amar só por amar: aqui... além...
Mais Este e Aquele, o Outro e toda a gente...
Amar! Amar! E não amar ninguém!

Recordar? Esquecer? Indiferente!...
Prender ou desprender? É mal? É bem?
Quem disser que se pode amar alguém
Durante a vida inteira é porque mente!

Há uma primavera em cada vida:
É preciso cantá-la assim florida,
Pois se Deus nos deu voz, foi pra cantar!

E se um dia hei-de ser pó, cinza e nada
Que seja a minha noite uma alvorada,
Que me saiba perder... pra me encontrar...


Florbela Espanca

4 comentários:

Maria disse...

Que dizer de Florbela Espanca?
Lê-la, declamá-la, cantá-la...
Obrigada por este poema, neste dia!

Beijinho, Cris.

Luis Eme disse...

um dia com Poesia, Sol e o perfume da Primavera, para ti, Cris.

bjs

Cris Caetano disse...

Me identifico com os poemas de Florbela Espanca, Maria. E gosto de tantos, mas caio sempre nesse, que é o meu preferido.

Beijinhos

Cris Caetano disse...

Muito obrigada, Luis. :)

Um beijão daqui com as nuances das cores do Outono.

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.