quarta-feira, 3 de março de 2010

Esta noite



Esta noite
no silêncio destas paredes sombrias
cheias de palavras consumidas
a lua dança com gestos de encantamento
e as estrelas sorriem de prazer

Esta noite
invento-te nesta distância magoada
onde as palavras repousam
nos lábios ausentes que riem e se alimentam
de sabores sonhados

Esta noite
arde uma fogueira de nostalgia
e o mistério absorvente da tua luz
entra em mim mansamente

Aqui
longe de ti e de tudo
sinto-me bem dentro de ti
e deixo-me ficar


António Sem
foto: Philippe Pache

2 comentários:

Maria disse...

Que poema mais bonito, Cris! Como eu me sinto bem com estas palavras...
Obrigada!

Um beijinho.

Cris Caetano disse...

:)

Beijão, Maria

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.