quinta-feira, 25 de março de 2010

...



Ver-te é como ter á minha frente todo o tempo
é tudo serem para mim estradas largas
estradas onde passa o sol poente
é o tempo parar e eu próprio duvidar mas sem pensar
se o tempo existe se existiu alguma vez
e nem mesmo meço a devastação do meu passado



Ruy Belo
foto:Anke Merzbac

4 comentários:

Maria disse...

Uma passagem rápida só para dizer um olá. Voltei e tenho muitas palavras para ler, em todo o lado...
Passo mais tarde, Cris.

Beijinho
-------

é claro que gosto de Ruy Belo!!!!!

Cris Caetano disse...

:) Saudades de ti.

Beijinhos, Maria

Fabi Mauricio disse...

aaah, que delícia. quanto tempo não ouvia Céu. obrigada.
beijinhos, rsrs
;]

Cris Caetano disse...

:) Eu é que agradeço, pela visita. Adoro a Céu!

E gostei do seu blog.

Beijinhos, Fabi.

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.