terça-feira, 23 de março de 2010

Vampiros modernos

por Bárbara Carneiro Cocev




Vampiro de energia é a famosa pessoa que consegue descarregar a bateria de outra pessoa, suga todas suas energias e deixam suas vítimas em péssimo estado de espírito e ainda mais, saem da sua casa ótimas como se nada tivesse acontecido levando consigo sua energia.

Os vampiros estão presentes no seu dia a dia. Eles ficam em casa, nas ruas e no seu local de trabalho. Basta você dar um cochilo ou se distrair para eles sugarem sua energia.

Conheça nove importantes tipos de comportamentos vampirescos e saiba como identificá-los e afastá-los de sua vida.

Saiba também os antídotos para se proteger deles. Vale lembrar que, em muitas ocasiões, cada um de nós pode se encaixar perfeitamente em algumas categorias.

1. VAMPIRO CRÍTICO - Critica negativamente a tudo e a todos. Seu lema é: maldizer sempre, elogiar sinceramente nunca. Transmitir para a vítima uma visão feia e negativa das coisas, das pessoas e do mundo é outra técnica de desestabilização utilizada por vampiros. A crítica impiedosa e a maledicência tendem a criar no ouvinte um estado de alma escuro e pesado, e isso é outro jeito fácil de abrir uma jugular energética e se banquetear com os fluidos da vítima.
ANTÍDOTO: Dizer claramente ao vampiro que ele está exagerando, que você não concorda com essas colocações e que ele deve estar muito infeliz para se concentrar tanto apenas nos aspectos negativos das pessoas, das coisas e do mundo. Adeuzinho rápido, e cair fora.

2. VAMPIRO FALANTE -
A porta de entrada que ele quer arrombar é o seu ouvido. Obriga suas vítimas a ouvi-lo horas seguidas. Dessa forma, mantém a atenção da vítima ocupada, enquanto suga sua energia vital. Em seu livro O Destino Criativo do Homem, a médica e clarividente turca Shafika Karagulla descreve uma cena horripilante dessa modalidade de vampirismo que teve chance de testemunhar, numa reunião social em Londres.
Cheio de charme e inteligência, o vampiro, sentado diante de sua vítima, falava sem parar. A vítima o escutava embevecida, numa atitude completamente passiva diante daquela torrente de palavras sedutoras que chegavam a seus ouvidos. Abrindo sua clarividência, a doutora Karagulla pôde ver o que realmente ocorria: como um tentáculo, um canal energético saíra da região do plexo solar do vampiro e se instalara diretamente no centro do mesmo chakra da vítima. Por esse canal, o vampiro sugava com avidez Pouco a pouco, segundo a clarividente, o corpo sutil da vítima perdeu brilho e intensidade, ao mesmo tempo em que ela começou a empalidecer e a bocejar.Portanto, cuidado com os grilos falantes. Debaixo da inocência de um falador aparentemente descontrolado pode se esconder um vampiro voraz.
ANTÍDOTO: Diga que você está com uma tremenda dor de cabeça, levante-se e vá embora. Deixe o vampiro falando sozinho.

3. VAMPIRO LAMENTOSO - Para sugar a energia vital da vítima, ataca pelo lado emocional e afetivo. Faz tudo para despertar comiseração. Apresenta sua vida como um mar de lágrimas, gemidos e prantos. Cheio de mágoas, coloca-se sempre na posição de vítima sofredora diante do mundo carrasco.
ANTÍDOTO: Diga claramente a esse vampiro que você detesta lamentos porque queixumes não resolvem nenhum problema. Se ele insistir, faça menção a alguma solução radical como a eutanásia ou o suicídio (vampiro morre de medo de morrer). E caia fora.

4. VAMPIRO PEGAJOSO - Investe contra as portas da sensualidade e da sexualidade da vítima. Aproxima-se como se quisesse lambê-la com os olhos, com as mãos, com a língua. Parece um polvo querendo envolver a presa com seus tentáculos. Se você não escapar rápido, ele irá sugar sua energia em qualquer uma das duas possibilidades:seja conseguindo seduzi-lo com seu jogo, seja provocando em você repulsa e náusea. Em ambos os casos, você estará desestabilizado e ele beberá à vontade no seu reservatório de energia vital.
ANTÍDOTO: Sem hesitação, corte logo a dele dizendo que você está com uma tremenda dor de barriga. Corra para o banheiro e fique trancado lá até o vampiro desaparecer.

5. VAMPIRO ENCRENQUEIRO - Para ele, o mundo é um campo de batalha onde as coisas só são resolvidas na base do tapa. Ao contrário do que pode parecer à primeira vista, esse vampiro não pretende intimidar sua vítima e abrir suas defesas instilando nela os sentimentos do medo e da insegurança. Ele quer provocar nela um estado raivoso, irado e agressivo. Provoca para que a vítima compre a briga, para que ela reaja. Esse é um dos métodos mais eficientes para desestabilizar a vítima e sugar dela toda a sua energia vital.
ANTÍDOTO: Faça-se de doido e conte para o vampiro uma piada de papagaio. Se insistir na provocação, diga-lhe para deixar de ser tonto. Se insistir ainda, diga-lhe para ir socar a parede. Se não parar de insistir, ponha um Lexotan na bebida dele.

6. VAMPIRO HIPOCONDRÍACO - Cada dia aparece com uma doença nova. É o seu jeito de chamar a atenção dos outros, despertando neles preocupação e cuidados. Se tiver êxito em seu intento, deleita-se em descrever nos mínimos detalhes os sintomas dos seus males e todo o penar que está sofrendo. Quando termina o relatório, em geral está ótimo. E quem lhe deu ouvidos está péssimo.
ANTÍDOTO: Dê a ele o telefone do seu médico e vá embora.

7. VAMPIRO ADULADOR
- Adula o ego da vítima, cobrindo-o de lisonjas e elogios falsos. Exatamente a técnica que o genial La Fontaine retrata na fábula O Corvo e a Raposa. O corvo, no alto de uma árvore, carrega no bico um pedaço de queijo. A esperta raposa diz ao corvo que sua voz é magnífica e pede a ele que cante. Seduzido pela adulação, o corvo abre o bico, emite um triste grasnido e deixa cair o queijo. A raposa o abocanha e, antes de comê-lo, ainda passa uma lição ao estúpido corvo: "Aprenda que todo adulador vive à custa de quem o escuta." Cuidado, portanto, com os puxa-sacos. Dentro de cada um deles está um vampiro à espreita, pronto para sugar.
ANTÍDOTO: Simplesmente não dê ouvidos ao adulador. Se ele insistir, conte-lhe a fábula de La Fontaine. E caia fora.

8. VAMPIRO RECLAMADOR
- Cada fala ou gesto desse vampiro contém uma reclamação explícita ou implícita. Opõe-se a tudo, exige, reivindica, protesta sem parar. Mas, como suas reclamações têm pouco ou nenhum fundamento, esse vampiro raramente dispõe de argumentos sólidos e válidos para defender e justificar os seus protestos.
ANTÍDOTO: - Mande esse vampiro parar de encher o saco. E caia fora.

9. VAMPIRO INQUIRIDOR - Dispara perguntas sobre tudo como quem atira com metralhadora. Se você tentar responder, ele contará sua resposta antes do fim fazendo uma outra pergunta, talvez de um assunto completamente diverso. Esse vampiro não tem nenhum interesse em obter respostas. Sua técnica visa apenas desestabilizar o equilíbrio da mente da vítima, perturbando o fluxo normal dos pensamentos desta.
ANTÍDOTO: - Não ocupe sua mente à procura de respostas para as perguntas do vampiro.Para cortar sua investida, reaja fazendo-lhe uma pergunta bem pessoal e contundente.Por exemplo: "Meu amigo, quando foi a última vez que você fez sexo bem feito com alguém?" E não espere a resposta. Caia fora.

Achei interessantíssimo, mas eu acrescentaria o VAMPIRO POSSESSIVO, aquele que insiste em manter algum vínculo com você, seja lá qual for esse vínculo (p.e: até ele manter seu telefone no celular é um vínculo), mesmo estando à distância, e sem que vocês troquem uma única palavra, ele está "ali", ele não quer ser esquecido. Como nesse caso não existe antídoto, porque você já se afastou dele, a solução é rezar muito para que o anjo da guarda da criatura o faça enxergar alguma luz e essa luz seria ele não manter nenhum tipo de vínculo com você. Seguir seu próprio caminho e deixar você respirar em paz.


fonte:Universus - Jornal do Amanhã

2 comentários:

Luis Eme disse...

estou fora de onda, dessa de vampiros, Cris.

(no largo tenho lá um grafitte)

bjs

Cris Caetano disse...

:)

Vou lá dar uma olhadinha. :)))

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.