domingo, 7 de agosto de 2011

Seres perfeitos




Eu não sei se é um bocado de maturidade ou se é um bocado de desilusão, mas ando meio cansada de vários discursos "religiosos" que mais me parecem enfiar a cabeça na areia e fingir que vivemos num mundo onde podemos transformar a vida ao poder de nossa mente. Ninguém pode, ou melhor, pode, vivendo numa bolha, sem contato com o que acontece pelo mundo. Porque me incomoda o que acontece no mundo, meu mundo é mais vasto que meus amigos e minha família.

Acredito que devemos viver um dia de cada vez, nos exigindo pouco com relativo a mudanças de nossos comportamentos (os não bons, obviamente) e aceitando que podemos mudar o que encontramos de errado em nós, com muita perseverança, mas nos dando um tempo, que não podemos quantificar quanto seja.

Mas acho que viver, o aqui e agora, sem nos preocuparmos com o dia de amanhã é lindo como discurso. Explico: viva o aqui e agora sem se preocupar que um dia você envelhecerá e não poderá trabalhar pelo seu sustento e aguarde para ver que velhice "maravilhosa" será a sua, só para dar um exemplo. Obviamente ninguém pode prever se estará vivo no dia de amanhã, mas viva sem se preocupar com seu futuro e daqui há uns 30 anos me conte como você está.

Acho uma viagem perigosa não planejar minimamente o próprio futuro e este planejamento é um indício de preocupação. Mesmo sabendo que lá na frente muita coisa pode acontecer e não sabemos nunca o que poderá acontecer, prefiro ser pega com as mãos no bolsos do que com as calças na mão.

Perdoe incansavelmente quem lhe fez mal um dia e continue perdoando e ajudando e depois me conte como está sua conta bancária ou seu estado psicológico. Bom, você pode ser um espírito muito evoluído, é verdade. Mas eu questiono o que um espírito com tal grau de evolução está fazendo num plano conturbado como no qual todos vivemos. Bem, devo deixar bem claro que acredito que existam (e também existiram) pessoas boníssimas, só não acredito que elas nunca se revoltem perante uma injustiça quando estão a sós com seus botões.

Espere pouco ou nada dos outros para não se decepcionar, ou seja: doe-se, dê, doe-se e dê sem receber nada em troca, ou até recebendo um bocadinho de ingratidão e mantenha o sorriso nos lábios. Desculpem-me mas não acredito em nada disso. Acho que é discurso para aqueles momentos quando tudo está bem.

Pra não pensarem que estou amarga, continuo achando que devemos ter compaixão pelo outro, fazer o bem sempre, mesmo sabendo que a maioria não age da mesma forma, porque aprendi assim, porque acredito que é o caminho correto e com isto também posso dormir em paz todas as noites quando coloco a cabeça no travesseiro, mas só não sou capaz de dar a cara a tapa pra próxima bofetada. Aí já é exigir muito de mim. Sou um ser extremamente imperfeito, sem orgulho nenhum nisso, mas apenas tenho consciência de que algumas coisas eu não conseguirei mudar em mim mesma.

Acho muito bacana tentar melhorar-se como pessoa, mas não dá pra "viajar" e acreditar que nos tornaremos um Deus do perdão e compreensão através da crença em frases de efeito.

Desculpem o desabafo, é que ando um bocado cansada de tantos seres perfeitos que andam espalhados por aí, ou então, (mea culpa) a vida deles sempre foi "cor-de-rosa", diferentemente da minha. Pode ser...

2 comentários:

Luis Eme disse...

concordo contigo.

beijos Cris

Cris Caetano disse...

Beijos, Luis. E boa semana!

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.