terça-feira, 18 de maio de 2010

Os dias do verbo amar





Sei dos caminhos enviezados da vida
que lentamente se desfazem no mar
dos dias sim da alegria vivida
dos dias não que teimam em não cessar
Mas já não sei dos dias do verbo amar

Sei dos escolhos que a vida nos oferece
que lentamente se desfazem no mar
das ausências que a solidão tece
e das certezas que nos fazem sonhar
Mas já não sei dos dias do verbo amar

Sei das noites amargas sem o toque da pele
que lentamente se desfazem no mar
dos corpos cansados do amor e do mel
e das lágrimas que saltam do meu olhar
Porque já não sei dos dias do verbo amar.


fonte:Maria in O Cheiro da Ilha
foto: Ricardo da Costa

10 comentários:

Anya disse...

We cannot without love ........
LOL

:)
:)

Mauri Boffil disse...

Ai... to amando o seu blog! Tem transpirado amor e sensibilidade!

Maria disse...

Um dia voltaremos a saber dos dis do verbo amar...

Beijinho, Cris.
:)

Cris Caetano disse...

Love is all, my friend. :))

Hugs

Cris Caetano disse...

Que booooom. :))

Beijão

Cris Caetano disse...

Sim, querida...

Beijinhos, Maria :))

Ana disse...

Deste poema poderei gostar com toda a certeza.
Tocou-me muito.

Beijinho, Cris.

Luis Eme disse...

beijinhos para ti e para a Maria.

Cris Caetano disse...

A mim também, Ana.

Beijinhos

Cris Caetano disse...

Beijinhos, Luis.

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.