segunda-feira, 17 de março de 2008

Novo ingrediente diminui as calorias do chocolate

Prazer de um lado, quilos a mais do outro. Muita gente se sente extremamente bem ao devorar enormes quantidades de chocolate para garantir a dose extra de serotonina - substância que dá sensação de bem-estar – para o cérebro.

Mas a eterna briga com a balança ganhou um aliado importante: a alfarroba, uma vagem comestível, semelhante ao feijão, que substitui o cacau na hora de fazer chocolate.

A grande vantagem: o sabor parecido e metade das calorias. Cada 100g de alfarroba têm 222 calorias, contra 580 do chocolate tradicional.

"Outra vantagem da alfarroba é que ela não contém cafeína e teobromina, dois estimulantes fortes do sistema nervoso e do ritmo cardíaco, causadores de diversos efeitos colaterais", explica a médica nutróloga Valéria Goulart, que prescreve barrinhas de alfarroba para os pacientes viciados em chocolate que precisam emagrecer. Ela lembra que em certas pessoas, a teobromina desencadeia reações alérgicas visíveis. O cacau contém também feniletilamina, um composto que pode provocar enxaquecas e reações alérgicas. "As pessoas podem continuar comendo chocolate à vontade, só que feito de vagem e não de cacau", detalha.

Onde encontrar?
Fruto da alfarrobeira, árvore nativa da Costa do Mediterrâneo, a alfarroba é uma vagem cuja polpa, quando torrada e moída, torna-se um excelente substituto ao cacau.

No mercado brasileiro já existem opções de chocolate de alfarroba à venda. Uma barrinha de 50 g nos empórios perto do Mercado Municipal de São Paulo custa R$ 3,35. Já 200 g de "chocolate em pó" de alfarroba para adicionar ao leite ou receitas custa R$ 8,00. Até gotas de chocolate são vendidas por R$ 4,50 (pacote de 80 g). "O sabor é muito parecido ao chocolate tradicional sem os altos índices de gordura e açúcar do cacau", explica a nutróloga. Enquanto o cacau possui até 23% de gordura e 5% de açúcar, a alfarroba possui 0,7% de gordura e um alto teor de açúcares naturais (sucrose, glucose e frutose), em torno de 38 a 45%.

Embora apresente um alto teor de açúcares, a alfarroba possui um baixo teor calórico devido à quantidade quase imperceptível de lipídios e alta quantidade de fibras. A "vagem adocicada" ainda possui vitamina B1 e alto teor de vitamina B2. Por não conter glúten, a alfarroba pode ser consumida por celíacos, pessoas que tem restrições ao glúten. Reduz efetivamente, também, a assimilação da ingestão diária do excesso de colesterol. Seu poder hipocolesterol é o dobro de outras fibras.

n.r.: mas não deve ser a mesma coisa...


fonte:Corpo e Dieta

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.