domingo, 2 de março de 2008

Timor Loro Sa'e

Neste fim de semana assisti em minha casa a um filme que uma amiga me emprestou. O filme, cujo nome em português é "Resposta à bala", falava da independência de Timor-Leste - hoje, Timor Loro Sa'e - e do papel da ONU durante todo o processo eleitoral. É chocante.

E acho que ainda é mais chocante para quem soube da história desse pequeno país que foi invadido em 1975 pela Indonésia e que desde então teve grande parte de seu povo dizimado pela resistência que fazia ao governo da Indonésia. Eles finalmente conseguiram ir às urnas em 1999 a favor da sua independência. Portanto, uma coisa é ouvir histórias a respeito do papel da ONU durante todo o processo eleitoral, e outro é ver um filme que se esforça para não ser narrativo e tenta contar o acontecido pelo ponto de vista de dois países que trabalharam em Timor através da ONU, no caso, o Canadá e a Austrália.

Ainda hoje, torço pelo povo timorense (há pouco tempo houve um atentado por lá) e me entristece pensar que há outras populações espalhadas pelo mundo, que podem estar passando pelo mesmo que o povo de Timor passou. É mesmo preocupante.



Sinopse:

Mark Waldman (David Wenham - 300) é um policial australiano que se voluntária para uma missão das Nações Unidas no Timor Leste. Lá ele encontra Julie Fortin (Isabelle Blais - Tráfico Humano), uma novata da polícia canadense e Ismenio Soares (Alex Tilman), um tradutor de Timor Leste designado para ajudá-los. A missão é assegurar o registro dos cidadãos para um referendum que vai decidir se Timor Leste passa a ser uma província da Indonésia ou se vira independente. O que eles não sabiam era que iriam encontrar uma disputa sangrenta entre o regime ditatorial da Indonésia e suas milícias e um povo decidido a ser livre, não importando as conseqüências.


fonte:Mega Filmes

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.