sábado, 25 de abril de 2009

Me dêem licença pra uma homenagem

Meu pai também gostava de Frank Sinatra, adorava música e dançar, e dançava bem prá caramba (e tinha orgulho disso, e eu achava o máximo), e nas grandes festas, eu era a sua parceira.

Quando tocava New York, New York, eu sentia que ele vibrava:¨Vamos dançar!¨, ele dizia - também sou assim quando a música mexe comigo - e na parte animada da música, ele era daqueles que dá uns rodopios pelo salão, sabe? Dançava muito, o pápí! E como a gente brigava, nossa, mas nunca enquanto dançávamos! haha.

Saudades do meu parceiro!



Hoje vou dançar, preciso, em homenagem a ele, minha mãe não entende isso, pra ela é quase um sacrilégio, mas não faz mal, meu sentimento de tristeza é meio estranho mesmo, choro muito e danço, mas nem ligo quando não o entendem.

No dia que eu encontrar um homem que dance como ele, cometo um desatino e aí, eu caso. Ah, caso!



0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.