terça-feira, 28 de abril de 2009



"... Estás bonita, bebe um copo comigo, agora reparo que estás bonita,
merda, não era isto que queria dizer-te, mas estás bonita, está dito...
Foi bonita aquela manhã em que adormeci no teu corpo,... cheiras bem...
durante muito tempo andei com o teu cheiro no corpo,... Muitas noites...
tinha um desejo louco de beijar-te, mas..., os dias breves do nosso encontro,
esgotaram-se em ternura e solidão..."

E acabámos depois entre lençóis de linho,...
Não nos deixámos durante uma semana. Ele derramava sobre mim uma inesgotável
sede, carícias de funda e irreprimível ternura...
Era como se ambos tivéssemos estabelecido um pacto: que fosse perfeito e
infinito dia-a-dia.
E foi.
Depois ele partiu.

"... mulheres como tu assustam. Não pedem nada e querem tudo... tenho na pele
o teu perfume, quero-te na cama comigo,... Quero dizer-te meu amor..."

Em rápidos flashes reconstitui os passos da minha paixão... A forma firme, e
suave com que conduzia o meu corpo, no seu, amansando-o perto da explosão
estendendo o êxtase da vibração. A língua sábia a tocar-me no corpo trémulo...



Maria Aurora Carvalho Homem
foto: Andreas Heumann



0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.