quarta-feira, 18 de julho de 2007

Tragédia no aeroporto de Congonhas

"Quem puder evitar viajar, deve evitar", diz relator da CPI do Apagão Aéreo

O local do acidente nesta manhã


Em 29 de setembro de 2006, um Boeing da Gol se chocou no ar com um jato Legacy e caiu em Mato Grosso. Todos as 154 pessoas (informações iniciais eram de que haveria 155) a bordo do avião morreram; os ocupantes do jatinho nada sofreram. O acidente, junto da greve branca dos controladores de vôo que gerou o apagão aéreo original, foram só dois dos estopins de um colapso que já estava anunciado.

Parentes das vítimas buscam informações no Aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre


Segunda-feira passada(dia 16) um avião da companhia aérea Pantanal, vindo de Araçatuba (interior de São Paulo), derrapou, por volta das 12h45, no Aeroporto de Congonhas, na capital paulista. O incidente ocorreu logo após o pouso e deixou a pista principal fechada durante cerca de 15 minutos.

Bombeiros resgatam corpos no local na manhã desta quarta


Ontem, a tragédia anunciada se confirmou. Um airbus A320, que vinha da cidade de Porto Alegre com destino a São Paulo, o vôo JJ 3054 da TAM, com 175 passageiros a bordo mais tripulação, não conseguiu realizar a manobra de aterrisagem na pista e derrapou no fim da tarde de ontem, terça-feira (dia 17), quando pousava no aeroporto de Congonhas (zona sul de São Paulo) e depois de ter ultrapassado as pistas da Av. Wahington Luís, bateu contra um depósito da empresa que fica do lado oposto da avenida. O choque provocou um incêndio de grandes proporções.

Em RS, familiares dos passageiros tomaram conhecimento da lista por uma rádio local


As equipes do Corpo de Bombeiros retiraram, até as 12h30 desta quarta-feira (18), 157 corpos de vítimas do acidente do vôo JJ 3054 da TAM, com isso, sobe para 160 o número de mortos confirmados no desastre. Deste total, três pessoas morreram em hospitais, segundo o coronel Manoel Antonio da Silva Araújo, do Corpo de Bombeiros.

Parentes das vítimas choram após escutar nomes das pessoas que estavam a bordo


Nove vítimas já foram identificadas pelo Instituto Médico-Legal até o início da tarde. O Instituto Médico-Legal (IML) orientou parentes de vítimas a procurarem a equipe que está no salão de autoridades do Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul de São Paulo. A recomendação é que eles levem o maior número possível de documentos e informações que possam facilitar a identificação das vítimas.



O coronel Manuel Antonio da Silva Araújo, comandante da operação e comandante-geral do Corpo de Bombeiros, aponta duas dificuldades principais ao resgate: o desgaste físico dos bombeiros e a situação do local do acidente. "A retirada dos corpos é a parte mais difícil. Os bombeiros são seres humanos, que já estão ficando exauridos. Estamos substituindo-os aos poucos. Além disso, é um trabalho muito desgastante. Os corpos estão muito presos às ferragens", disse Araújo.



...


O deputado Marco Maia (PT-RS), relator da CPI do Apagão Aéreo na Câmara, afirmou em entrevista ao UOL News que "quem puder evitar viajar, deve evitar". Ele pede "calma e paciência" à sociedade brasileira, pois "temos uma situação de caos eminente no sistema em decorrência do acidente, da crise e dos reflexos que isso tem". Nesse momento delicado, o deputado afirma que é importante "ter todo cuidado para garantir a segurança dos vôos brasileiros". Ele admite ainda que existem falhas na gestão do sistema aéreo nacional e afirma que o Executivo precisa tomar ações mais concretas para resolver a crise, que já dura de 10 meses.

...


n.r.: Ao mesmo tempo em que a sociedade brasileira está chocada e em luto pela tragédia, era a hora de sermos menos passivos com relação aos nossos direitos e exigirmos que definitivamente o governo se responsabilize totalmente pela crise instalada a quase um ano no setor aéreo e que de uma vez por todas tome medidas claras e definitivas para solucionar um problema que se arrasta sem soluções. Além disso, coragem por parte das autoridades para avaliarem a construção de um novo aeroporto em São Paulo, visto que as obras de remodelação no aeroporto de Congonhas não foram suficientes, devido ao tipo de aeronaves que costumam transitar neste aeroporto.


fonte:G1, Folha Online, UOL

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.