domingo, 15 de julho de 2007

Comentários sobre um post deste Nuvens

Sempre que há um comentário mais acalorado em algum post deste blog, e como consequência, existe resposta desta editora que vos escreve, gosto de colocar a discussão ao alcance de todos os que visitam o blog. E por isso segue, abaixo, o comentário que foi feito pela Hana - sempre bem vinda ao Nuvens - com relação ao post: "Surto megalomaníaco". E o comentário subsequente da editora.
Vamos à eles:


Hana

É sempre mais fácil "comprar" o que já vem mastigado no jornal nacional do que entrar no site oficial do Vaticano, por exemplo, ou procurar um pároco para se informar sobre o que de fato está acontecendo.

Aqui vai um trecho de documento oficial, redigido por Joseph Ratzinger (Papa Bento XVI):

"Os cristãos devem se considerar irmãos de todos os homens, e se comportar de acordo com isso. No que diz respeito às religiões não cristãs, a Igreja Católica não rejeita nada daquilo que nelas seja verdadeiro e sagrado. Desse modo, no que diz respeito às outras religiões, os católicos tentam dar valor aos elementos de verdade, não importando onde sejam encontrados, e ao mesmo tempo prestar testemunho da novidade da Revelação de Cristo, preservada em sua integridade pela Igreja. Coerentes com essa atitude, rejeitam como alheio ao Espírito de Cristo qualquer discriminação contra pessoas baseada em religião. As diferenças entre as religiões nunca deveriam ser causa de violência. Em vez disso, as pessoas de credos diferentes devem se sentir motivadas, justamente por causa dessas crenças, a trabalharem pela paz e pela justiça."

Não devemos acreditar prontamente em tudo que diz a mídia. Ela está atualmente dominada por um tipo de intelectualismo marxista que detesta o catolicismo, e ainda mais o atual Papa, por ele ser conservador. O que eles queriam e esperavam do novo pontífice era que fosse um revolucionário, uma espécie de "Che Guevara de batina", lutando pelos direitos dos sem terra e dos sem teto, dos excluídos, pela reforma política, etc, etc, etc... O que o mundo secular mais queria era ver o novo papa liberalizando usos e costumes modernos, como abortos, casamentos homossexuais e pesquisas com células-tronco (um eufemismo para assassinato de fetos que só uma ciência anticristã poderia levar adiante), além da liberação total das novas ”teologias” que mais e mais se afastam do cerne doutrinário original. Mas Bento XVI preferiu iniciar um movimento de volta às origens. Tem muita gente importante decepcionadíssima, e não vão sossegar enquanto durar este papado. Até lá, tudo que ele disser será usado contra ele mesmo.

Há pouco tempo, você com certeza se lembra, a mídia divulgou maçiçamente que o Papa teria afirmado que os divorciados são uma praga, e também que ele tinha decretado que as missas voltassem a ser rezadas em latim, com o sacerdote de costas para os fiéis, excluindo o povo da celebração, entre outras coisas...

A grande maioria, lógico, não se importou em ir buscar os fatos, exatamente como está acontecendo agora. Eu mesmo fiquei surpreso com a notícia. Mas bastou uma lidinha no documento oficial do Vaticano para ver que a tradução que a mídia brasileira divulgou (com críticas pesadíssimas ao Papa) estava completamente errada! A palavra "piaga" do original italiano, significa "chaga", e nunca "praga", como muita gente até hoje acha que ele disse. Quem ler o documento vai ver que ele se refere ao crescente número de divór

Editora do Nuvens

Hana,

Sinto muito, mas não concordo. Acho que o jornalismo mundial em países democráticos, incluindo o Brasil, tem sido uma mais valia sempre, e nunca uma imposição semelhante ao marxismo, e também a intelectualidade não vem só da esquerda, e existem reacionários e ultra conservadores em ambos os lados. A imparcialidade na mídia existe, mesmo quando não gostamos da notícia. Mas a imprensa livre, sem censura desde o fim da ditadura brasileira nos ajuda a pensar e em consequência, passamos a ter nossa própria opinião e nos permite conduzir uma discussão saudável sobre qualquer assunto.

Independentemente de piaga significar chaga e não, praga, acho que dá tudo no mesmo. Segundo o dicionário Houaiss, como substantivo feminino significa: ferida aberta, supurada; úlcera. Na derivação por metonímia, significa: marca provocada por essa ferida; cicatriz. E na derivação em sentido figurado: o que penaliza, aflige; tribulação. Hana, como você bem pode perceber, não é sinônimo de nada positivo e o amor, seja qual for a forma que ele tenha, para Deus e para Jesus Cristo - leia-se em qualquer Bíblia, católica ou protestante - é sempre SEU (DELES) o ideal de SUA doutrina.

Também não creio que se esperava uma posição tão profundamente idealista deste Papa, até porque o seu passado conservador era muito bem conhecido.

E deixando de lado a discussão sobre a despenalização do aborto no Brasil - porque é já é efetiva em alguns países europeus - e sobre o casamento civil entre os homossexuais, onde não me afeta em nada, e sou totalmente a favor - mesmo sendo heterossexual -, você está um pouco enganada quanto a morte de fetos no estudo de células tronco. As células são retiradas do cordão umbilical do recém-nascido e ainda há muito o que se pesquisar para que efetivamente seja um recurso eficaz.

Além disso tudo e particularmente em relação ao texto do post, a afirmativa do Papa Bento XVI, não foi uma invenção da mídia, está assinada pela Congregação para a Doutrina da Fé, responsável por promover e tutelar a doutrina da fé e a moral no mundo católico, e foi inicialmente publicada no documento Iumem Gentium ("A luz das nações"), do Concílio Vaticano 2º (1962-1965).

Obrigada e seja bem vinda



fonte: Post do Nuvens, "Surto megalomaníaco"

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.