quarta-feira, 11 de julho de 2007

Ratos "sem-teto"

Ratos desabrigados espalham pânico na China



Mais de dois bilhões de ratos invadiram 20 distritos da província de Hunan, na China, destruindo plantações numa área de 1,6 milhão de hectares - mais de dez vezes o tamanho da cidade de São Paulo. Os roedores estão fugindo da água desde o mês passado, quando a cheia no rio Yangtze elevou o nível do lago Dongting, alagando as tocas dos roedores que habitavam as redondezas.

Os animais tiveram de deixar seus ninhos em busca de terra seca e agora espalham terror por onde passam. Apenas no distrito de Dahu, 2,3 milhões de roedores foram exterminados, o que equivale a 90 toneladas de ratos mortos.

“É como tropas inimigas que saqueiam em uma guerra. Não nos restou nada”, disse Yin Xinjin, de 65 anos, sobre o ataque dos roedores à sua colheita. A invasão se concentra próximo às cidades de Yueyang e Yiyang, regiões conhecidas pela prosperidade agrícola.

Camponeses lamentam a destruição das plantações. As áreas afetadas são famosas por cheirar a “perfume de arroz e melão doce” na época da colheita, dois alimentos considerados nobres na culinária chinesa.

Para o jornal South China Daily, além das cheias, o desequilíbrio do ecossistema ao redor do lago de Dongting também pode ser uma razão do problema. "As cobras, consideradas uma iguaria na culinária da região, têm sido caçadas para atender a demanda dos restaurantes. Sem um predador natural, os ratos de Hunan procriaram descontroladamente", diz uma reportagem do jornal chinês.

As autoridades alertam para o alto risco de contágio de doenças como a leptospirose, mas até agora nenhum caso foi registrado. O governo está distribuindo veneno de rato e enviou equipes para exterminar os roedores e também promove uma campanha de conscientização.

“O foco está na educação dos moradores, para que eles se protejam enquanto matam os ratos e supervisionem as condições de saúde local”, disse à imprensa oficial Peng Zaizhi, diretor da divisão de contenção de emergências do Centro de Controle e Prevenção de Doenças da província de Hunan.

As autoridades aconselham os moradores a queimar e enterrar os animais em áreas remotas e ainda oferecem uma "recompensa" de 50 centavos de Yuan por rato morto (R$ 0,12).

Mas quem quiser receber o dinheiro deve mostrar o rabinho do rato como prova.


fonte:BBC Brasil

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.