terça-feira, 30 de setembro de 2008

A culpa é do Fantástico

Eventos em homenagem ao centenário de morte de Machado de Assis


Eu sou distraída, mas tem alturas em que fico pior, e quando isso acontece, eu escuto a notícia de leve, é como se o cérebro não processasse a informação. Há uma semana venho escutando sobre o centenário de morte de Machado de Assis; no domingo passado, no Fantástico, alguns escritores brasileiros leram trechos de obras de Machado e eu assisti a tudo num autêntico estado de torpor.

Ontem abri a internet e não me lembro de ter lido nada sobre Machado, também não tive tempo de ler meu jornal diário e nem sei o que se passou na TV. Hoje, bastante mais tranqüila, li parte do meu jornalzinho no café da manhã e agora resolvi abrir a net para encontrar notícias para colocar no blog. Estou morta de vergonha comigo mesma. Para reparar meu descaso com o "bruxo do Cosme Velho", segue abaixo a notícia que deveria ter sido colocada aqui ontem.

. . .


Nesta segunda-feira, 29 de setembro, completou 100 anos da morte do escritor Machado de Assis. Nascido no Rio de Janeiro em 1839, o autor de obras como "Dom Casmurro" e "Memórias Póstumas de Brás Cubas" é considerado o maior escritor brasileiro de todos os tempos.

Machado de Assis publicou seus primeiros poemas na década de 1850. Na década de 1860, tornou-se colaborador do jornal "Diário do Rio de Janeiro". Suas obras mais conhecidas - e que caracterizaram o estilo realista pelo qual ficou famoso - começaram a ser realizadas a partir de 1880, quando publicou "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881), "Quincas Borba" (1891), "Várias Histórias" (1896) e "Dom Casmurro" (1899).

O escritor foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, a qual foi eleito presidente em 1897.

Morto no dia 29 de setembro de 1908 em sua casa na rua Cosme Velho, no Rio de Janeiro, Machado de Assis foi homenageado na Festa Literária de Paraty (Flip), no último mês de julho, com uma mesa que debateu sua obra formada por Ana Maria Machado, Luiz Fernando Carvalho e Sergio Paulo Rouanet.

Exposição
Até o próximo dia 26 de outubro o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, recebe exposição que homenageia o autor por meio de obras gráficas, projeções multimídia e cenografias recriando ambiente e época nos quais o escritor viveu.

Algumas unidades do Sesc na capital paulista também têm programação voltada ao centenário de Machado. No Sesc Vila Mariana, por exemplo, o ciclo "À Moda de Machado" realiza nesta terça-feira (30) leitura do conto "Pai Contra Mãe", seguida de debate sobre a obra e o autor.

No Sesc Itaquera (av. Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000), nos dias 12 e 19 de outubro, há navegação orientada por sites sobre o autor. As inscrições para participar do evento podem ser feitas pelo telefone (11) 2523-9326.

Na unidade de Ribeirão Preto (r. Tibiriça, 50. Tel.: (16) 3977-4477), interior de São Paulo, na terça-feira (30) às 20h ocorre leitura dramática de "Dom Casmurro".

Já no Rio de Janeiro, a Biblioteca Nacional (r. México, s/n. Tel.: (21) 3095-3862) exibe, até 8 de novembro, cerca de 200 documentos de Machado de Assis, entre fotos, manuscritos, cartas, jornais e as primeiras edições de seis livros do autor.

Na sede da Academia Brasileira de Letras (av. Presidente Wilson, 203. Tel.: (21) 3974-2500), a exposição "Machado Vive!" reúne, até 30 de outubro, 68 dedicatórias de romancistas e poetas ao escritor.


fonte:UOL

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.