quinta-feira, 18 de setembro de 2008

Onde os limites
Ao poder dum amor cego
Sob a venda negra da paixão

Onde os limites
Se
A pele é seda
A dor é prazer
O obsceno aguilhão
A exaustão prado ameno

Retirada a venda à paixão
Resta a calma no olhar
Ao mais fundo da alma
Com limites


Daniel Sant'Iago
foto: Theo Berends

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.