quinta-feira, 7 de abril de 2011

Tragédia no Rio de Janeiro

Ex-aluno invadiu prédio na manhã desta quinta-feira.
Ataque deixou mais de 22 feridos e atirador morreu.


Hoje passarei o dia deprimida. Já chorei, tremi muito por conta de uma tragédia planejada por um covarde que no final suicidou-se.

Não compreendo a falta de humanização do ser humano, não entendo em que ponto chegamos e afirmo que estamos vivendo num mundo selvagem onde os princípios estão deturpados. Cada vez mais as pessoas valorizam o material, se importam pouco ou nada (com raríssimas exceções) com o sentimento alheio. A compaixão é prática praticamente inexistente na nossa sociedade.

O que importa, nos dias de hoje, é o "eu", o egoímo galopa em asas de aviões potentes e as pessoas viraram peças descartáveis que devem ser jogadas fora quando não servem mais, ou mortas quando não correspondem ao egoísticamente esperado.

A região onde a tragédia aconteceu é tranquila, a escola nunca apresentou problemas de violência. Hoje é um dia muito triste no Rio de Janeiro e estou arrasada.

Segue a notícia e me desculpem se não ilustro o post, mas seria demais pra mim.

. . .


"O secretário de Saúde do Rio, Sérgio Côrtes, confirmou que 13 pessoas morreram no ataque a Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, na Zona Oeste do Rio, nesta quinta-feira. Segundo a polícia, o atirador está incluído no total de mortos. Ao todo, já são 22 pessoas feridas.

O atirador foi identificado pela polícia como Wellington Menezes de Oliveira, de 23 anos. Segundo a Polícia Militar, ele era ex-aluno da escola.

Atirador deixou carta

De acordo com o coronel da polícia Djalma Beltrami, Wellington deixou uma carta, segundo ele, com inscrições complicadas, no local. “Ele tinha a determinação de se suicidar depois da tragédia”, contou Beltrami. A carta foi entregue a agentes da Divisão de Homicídios.

Conhecido na escola por ser ex-aluno, ele teria entrado sob alegação de que iria fazer uma palestra. Segundo a polícia ele usou dois revólveres, que chegou a recarregar várias vezes.

Segundo a polícia, uma equipe da Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRV) passava próximo ao local e foi à escola depois de ver crianças correndo pela rua.

Funcionária viu crianças feridas

“O cara entrou, foi para o terceiro andar e começou a atirar. As crianças disseram que foi pai de aluno. Vimos muitas crianças carregadas, desacordadas, baleadas”, disse uma funcionária da escola, que preferiu não se identificar.

“Começamos a ouvir tiros. Com o eco, parecia que uma coisa estava desabando. Todo mundo correu. Depois, a professora chegou dizendo que o cara chegou atirando em uma sala. Foi um desespero”, afirmou ela.

Secretária de educação volta dos EUA

A subsecretária municipal de Educação do Rio, Helena Bomeny, está a caminho do local. No Twitter, a secretária municipal da Educação do Rio de Janeiro, Claudia Costin, afirmou: “Estou pegando o primeiro avião de volta. Desmarquei a palestra de hoje e não vou ver minha neta.” Segundo o twitter da secretaria, ela está em Washington, nos Estados Unidos.


fonte:G1

5 comentários:

Anya disse...

OMG
so so sad news :(
Poor children :( :(

You made me a sad mood !!!!

Cris Caetano disse...

Sorry, Anya... I'm sad too!

Today is a sad day!

Hugs

Beth/Lilás disse...

Olha, Cris, é memso um fato arrepiante! Crianças mortas, tão tenra idade, nem tiveram a chance de conhecerem o mundo, dá muita tristeza!
Acho que tem muita gente louca convivendo em sociedade e a gente não saca, mas vemos no dia a dia estressante das grandes cidades fatos isolados que são próprios de pessoas que estão com sérios problemas emocionais e ainda mistura-se a isso o fanatismo religioso. Meu Deus quanta loucura!
Agora, nada mais podemos fazer a não ser respirar e continuar vivendo, portanto o melhor é desligar a televisão e não ficar revendo tais imagens. faz muito mal ao nosso espírito.
um abraço grande, carioca

Beth/Lilás disse...

Ahhhh, gostaria de convidá-la para um encontro nacional de blogueiras que ocorrerá aqui em Niterói no Mac.
Eu e a amiga Glorinha Leão estamos organizando, então se estiver a fim, deixe um comentário lá no blog dela ou do meu, ok.
bjs cariocas

Cris Caetano disse...

Verdade, Beth... horrível, mas a vida continua realmente. Eu sofro por tabela imaginando a dor desses pais e das crianças que sobreviveram e terão de trabalhar esse trauma.

Encontramos tantos "loucos" pelo caminho e nem damos importância, mas esse fato me fez encarar a vida de outro modo, observar, porque também temos responsabilidade na sociedade que vivemos.

Qual o gatilho que levou esse psicótico a ter essa atitude ainda é uma incógnita, e confesso a minha curiosidade porque tudo relacionado à psique e ao comportamento do ser humano me interessa, claro que apenas como uma simples observadora e não como uma profissional de saúde.

Aliás, profissionais de psiquiatria dizem que devemos esgotar o assunto quando surge um trauma, falar e falar muito até cair a ficha - e concordo, por experiência própria -, só por isso vou continuar seguindo as notícias mais tarde. Embora pareça macabro é a minha forma de superar tamanha violência.

Agradeço, Beth... qual seria o dia do encontro? Daqui há pouco passo lá para ter mais informações.

Beijão

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.