sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Adeus!



Há quem pense que se diz "adeus" de ânimo leve, muito pelo contrário. É extremamente sofrido dizer adeus, aceitar a derrota e virar a página.

Na maioria das vezes só dizemos adeus porque cansamos de lutar, por não querermos sofrer mais e não é desamor.








Estou devendo visitas aos amigos, mas essa violência no Rio mudou minha rotina. Mas o fim de semana, como será passado em casa (por motivos óbvios), será para fazer as visitas que tanto gosto.

8 comentários:

Joaquim disse...

O adeus eh sempre uma morte e como toda morte, deixa marcas.

Maria disse...

Só digo adeus quando é para sempre. Aí as pessoas deixam de existir. Os outros 'adeus' são apenas momentos...

Tenho acompanhado, chocada, esses acontecimentos. Fica em casa, ficas bem.

Beijinho, Cris.

Cris Caetano disse...

Não sei se é morte, mas é fim e só por ser fim é ruim demais.

Beijos, Pet

Cris Caetano disse...

Concordo, Maria. Mas no Porto, nos anos 90, as pessoas diziam "tchau" dizendo "adeus" e eu sempre arregalava um olhão até me acostumar com a palavra. :)

Ontem todos esperávamos o pior, mas acho que a polícia conduziu bem a invasão se preocupando com o fato de pessoas inocentes viverem na favela. Só que eles terão de prender os que fugiram, caso contrário os ataques nas vias públicas continuarão.
Eu não estou em casa, mas daqui há pouco tô chegando lá, avisaram-me que os ônibus irão pras garagens às 17.

Beijos e obrigada.

salvoconduto disse...

Olha que agora no Porto também já não se diz adeus, foi substituido por: "a gente se vê, tá?".

Não é nada mas já cá vivem 10.000 compatriotas teus.

Se cuida e bom fim de semana.

Cris Caetano disse...

Ah, é? Bom saber. :)

Xá comigo, obrigada, tô me cuidando. :)

Abreijos e bom fim de semana

Luis Eme disse...

deve ser uma confusão tremenda e assustadora, o Rio nestes tempos...

força, Cris.

beijos

Cris Caetano disse...

Nem dá pra descrever, Luis.

Aqui onde moro é tranquilo, mas a insegurança do que pode acontecer pelo caminho é avassaladora. Pensei (eu e muitos) que hoje, finalmente, sairíamos do impasse que vivemos, mas o confronto foi adiado. São momentos angustiantes, mas ainda assim tentamos fazer piada com a desgraça para que momentos tensos não pesem tanto sobre nós.
Sou uma mulher de fé, como sabes, e acredito que o Rio vencerá esse problema.

Obrigada pelo carinho.

Beijos e bom domingo.

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.