sexta-feira, 12 de maio de 2006

A fotografia de Abelardo Morell - MAM, S.Paulo

Tudo na fotografia de Abelardo Morell tem a ver com o tempo. É claro que o tempo é um elemento inerente a esta arte, mas na obra do cubano radicado em Nova York ele é o carro-chefe, não só no aspecto técnico, mas também no poético.

A começar pelas fotos feitas com a técnica de câmera escura, ponto alto de seu trabalho, em que capta imagens de paisagens externas projetadas em paredes de quartos cujas janelas são vedadas com plástico negro. Um buraco de um centímetro de diâmetro é suficiente para a passagem da luz. Depois, é só disparar a câmera e esperar um tempo. Oito horas, para precisar.

"Na primeira vez em que fiz a experiência, minha mulher, meu filho e eu vimos as pessoas que passavam na rua caminhando de ponta cabeça em nossa parede", lembra, emocionado. Confirmadas as expectativas do experimento - "senti que tinha descoberto a fotografia" -, vedou algumas salas em Boston e passou a ensinar a técnica a seus alunos. Depois, avançou para grandes cartões postais do mundo.

No Museu de Arte Moderna (MAM), em São Paulo, estão pendurados de ponta-cabeça a Torre Eiffel, a London Bridge, o Times Square, o Empire State Building e a Giraldilla de Havana, sobrepostos aos móveis dos quartos que serviram de câmera. É um olhar curioso, especialmente na era das digitais que fazem quase uma dezena de fotos por segundo.

"Não gosto da cultura da rapidez", explica. "Hoje em dia, trabalho sem trabalhar, disparo a câmera e vou ao cinema, vou tomar um café. Volto depois de oito horas", sorri. As imagens começam a ser captadas pela manhã e dependem da luminosidade do dia para ficaram boas. "Curto o processo anterior ao resultado. Leva dias para eu conseguir a imagem que procuro", conta o fotógrafo.

O Rio deve ganhar seu retrato de ponta-cabeça (trad.: de cabeça para baixo) no ano que vem: "Sobrevoei a cidade ontem e fiquei encantado. Chocado, também, ao ver um hotel luxuoso pegado à favela", confessa o cidadão novaiorquino. "No ano que vem, me hospedo lá e faço a foto", promete ao público que o acompanhou num tour informal pela mostra, exposta no MAM até 25/6.

Visão Revelada: Seleções da obra de Abelardo Morell
»Onde: Museu de Arte Moderna (MAM) - São Paulo
Parque do Ibirapuera, portão 3.
»Quando: De 11/5 a 25/6
Diariamente, das 10h às 18h
»Quanto: entrada franca
»Informações: (11) 5549-9688 e 5085-1300


fonte: UOL

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.