terça-feira, 23 de maio de 2006

E tudo acaba como ?

Em samba ou pizza ... siriguidum, squidum-dum-dum

E em Weggis, na distante Suíça: samba e mulatas inauguravam o campo de treino do Brasil. Neguinho da Beija-Flor e bateristas suíços inauguraram nesta terça-feira o Estádio Thermoplan, arena que abrigará parte dos treinamentos da seleção brasileira antes da Copa do Mundo.

Senhoras suíças acompanham o desfile de inauguração Estádio Thermoplan, em Weggis.
"felicíssimas e impressionadíssimas ao descobrir que sambar, esquenta!"

O complexo, um velho campo de futebol da liga amadora, foi substituído por um estádio para cinco mil pessoas, com grama importada da Holanda. O custo da obra: US$ 1,5 milhão.

Desfile marcou a inauguração do campo onde o Brasil treinará em Weggis
"Aposto meu passaporte que esta porta-bandeira é do Grupo Brasiléia. A roupa que a porta-bandeira de uma escola de samba usa na "Avenida" é realmente majestosa; seria algo que valeria a pena mostrar aos suíços. Que pena!"

A CBF (Confederação Brasileira de Futebol) optou por Weggis em troca de US$ 2 milhões, pagos pela Attaro, uma empresa de marketing esportivo que, em troca, tem o direito de explorar comercialmente os treinos e amistosos da equipe.

A festa começou às 19h com discurso dos organizadores e danças típicas da Suíça. Poucos torcedores compareceram ao evento, que foi atrapalhado por uma fina garoa. Na seqüência, muita música brasileira.

Principal intérprete da tradicional escola Beija-Flor, do Rio de Janeiro, Neguinho cantou um samba em homenagem à seleção brasileira e fez das dependências do estádio uma avenida improvisada.

Os brasileiros que moram e trabalham na cidade se entusiasmaram com a presença do cantor, que distribuiu acenos e risos, além do bordão: "olha a Beija-Flor ai, gente!", às vezes adaptado: "olha a seleção aí, gente!".

Impressionados e ligeiramente assustados com a fartura de mulatas - todas muito à vontade - e o som da bateria, os suíços apenas observavam. Alguns arriscavam passos, mas desistiam ao conferir o molejo das brasileiras. "Foi uma maravilha, um orgulho para mim", disse Neguinho. "A bateria, formada apenas por suíços, é nota 11", continuou empolgado.

Um dos músicos, que não se identificou, disse em inglês que, apesar de não ser carioca, se esforça para tocar como um brasileiro. "Ainda vou para o Rio", projetou. Neguinho deu um beijo no companheiro de samba. Cerca de quarenta ritimistas do Grêmio Recreativo e Escola de Samba Sambrasiléa, composto por suíços e brasileiros, completaram a festa.

Fã de futebol, o cantor aposta no hexacampeonato e acredita que o Brasil irá derrotar a anfitriã Alemanha na grande decisão. "Seria lindo ganhar o título na casa deles. Jamais esqueceríamos essa".

Sambistas beijam réplica da taça da Copa do Mundo

O Brasil começa a treinar no Estádio Thermoplan nesta quarta-feira. Todos os ingressos já foram vendidos, e o técnico Carlos Alberto Parreira conta com o apoio do público para embalar a seleção. "O carinho do povo suíço, até agora, tem sido muito positivo. Esperamos que continue assim".

n.r.: as descrições das fotos na cor laranja, são de inteira responsabilidade do site referido como fonte. Eu não tenho nada a ver com o assunto. Que fique bem claro!


fonte: UOL

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.