domingo, 9 de novembro de 2008



Que ânsia é esta? Que medo?
Em que me atolo. trepa por mim. me arrepia.
Que me faz tremer com este frio dentro de mim
E gelar-me as vísceras.
Que ânsia é esta? que medo?
Que me faz perder neste breu que sou eu
nestes becos de mim.
Que ânsia é esta? Que medo?
Qual poço em que caio. caio. caio.
Culpado de ser eu.
Que ânsia é esta? Que medo?
Que vertigem? Que sono inquieto?
Porque me flagelo com os próprios pensamentos?
Porque me dói pensar?
Que ânsia é esta? Que medo?
Que me faz penar agarrado a cadeias que não são as minhas.
Preso a pensamentos que não o sendo
são os meus.
Que ânsia é esta? Que medo?
Que me faz varar as noites
e ter sempre este vento nos ouvidos
e esta dor de cabeça
e esta dor
esta dor
dor
dor.
Que ânsia é esta? Que medo?
Que me faz ser eu
querendo ser outro.


David Teles Ferreira
foto: Monica Antonelli

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.