quarta-feira, 16 de agosto de 2006

Agosto ainda é um mês estranho para mim

Meu blog comemorou ou comemora 1 ano este mês. Minha dúvida quanto ao fato de ter ou não passado a data comemorativa, é porque não sinto curiosidade em verificar qual foi o dia em que meu queridíssimo "Nuvens sobre o Atlântico" nasceu.

O mês de agosto está sendo bastante estranho para mim. Me sinto mais aluada do que o meu normal, mas não estou nada deprimida.

Há um ano, meu tio, irmão da minha mãe, morreu muito de repente, foi cancêr. A notícia me foi dada por uma de minhas primas (a mais maluca) que teve a sensibilidade de um hipopótamo. Eu ainda estava sonada quando recebi a notícia de sopetão: "Cristina, o tio... morreu!" Foi exatamente asssim, e minha mãe, logo ali, sentada na minha cama esperava o que de tão importante essa minha prima tinha para falar comigo tão cedo. É o jeito dessa minha prima ser, nada a fazer. Mas ela é ótima pessoa.

Só que o acontecimento foi como se meu "avô" morresse pela segunda vez, essa foi a parte difícil de absorver. E é muito extenso explicar o porquê, mas tem muito a ver com afinidade e afeto, a história dessa grande família que começou com um "Caetano" no Brasil.

Eu tinha 9 anos quando meu avô (muito mais meu pai que meu próprio pai) faleceu de cancêr, e eu muito criança, não entendia aquele sofrimento imenso, foi dificílimo. Minha família é imensa, mas a afinidade dos meus Caetanos com os Caetanos do meu tio é afinidade de alma e sofri muito com o sofrimento deles.

Ainda estou longe de um ser um ser humano com a espiritualidade madura, falta-me ainda muito conhecimento. Ainda estou aprendendo e tenho que aprender muito mais sobre mim e a minha ligação com Deus e com todo o plano astral.

Mas como nada acontece por acaso, o fato deste blog existir, tem tudo a ver com o falecimento desse meu tio. Talvez por defesa, passei muito mais do meu tempo livre, grudada na internet. Achava blog uma bobagem, até porque aqui no Brasil, os blogs sempre me pareceram pessoais demais, na maioria, muito infantis. Não me lembro como aconteceu, mas caí em blogs da weblog e do blogspot e todos, mas todos, eram de portugueses.

Gostei do que li e passei a visitar blogs, links desses blogs e sempre achava irressistível fazer comentários em blogs alheios. Vi muito preconceito, fiquei muito "brava" com muitos comentários que lia nos blogs, dava palpite. Adorava outros blogs e comentava também. Até sentir a necessidade de criar o meu blog.

O nome foi muito fácil. Sou distraída, então eu e nuvens, que tem algo de etéreo, um bocado diáfano, temos afinidades, muita empatia. E depois de viver tantos anos do outro lado do Atlântico, não conseguia me situar em lado nenhum. Sem dúvida, eu me sentia em qualquer lugar no meio desse oceano. Bem mais segura, a meio do caminho, podia me sentir cá (Brasil) e lá (Portugal) ao mesmo tempo.

E foi assim, com essa história de perda, que através do "Nuvens" conheci pessoas fantásticas, que fiz amigas e amigos e que me tornei uma pessoa mais rica por isso mesmo, ganhei muito, aprendi muito mais. Porque a vida é assim: nada acontece por acaso.


0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.