terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Eu amo-te tanto...






Eu amo-te tanto que nem sei se é
racional ou possível
amar assim
quase perdidamente
quase a dar a vida
quase a extinguir-me
se for preciso
Eu amo-te tanto
que o medo de te
perder me assalta
dia e noite em
sonhos que não quero
que não percebo
e que são quase reais
às vezes
Eu amo-te tanto
que acordo quando me
chamas e dizes
não teve importância
O que importa é este
amor que nos agarra
e aperta e machuca
e que não vai acabar nunca.


fonte: Maria in O Cheiro da Ilha
foto: Alvin Booth

2 comentários:

Maria disse...

Oh.......
É isto mesmo, Cris.
Beijinho.

Cris Caetano disse...

:)

Beijinhos, Maria

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.