terça-feira, 3 de abril de 2007

Pessach - "A festa da liberdade"

"A Páscoa judaica"


Este ano o dia 14 de Nissan do calendário judaico cai no dia 02 de abril. A partir da noite deste dia até o dia dez de abril , os judeus de todo o mundo comemoram a festa de Pessach, conhecida como "a Páscoa judaica". Segundo a história descrita no livro de Êxodos, Pessach é a festa da liberdade, pois é realizada para comemorar a saída do povo judeu do Egito, onde eram escravos, para a terra de Israel.

A história de Pessach

A bíblia conta que os descendentes de Abraão, Isaac e Jacó, vieram desde a terra de Israel para habitar no Egito. Após algumas gerações o povo foi escravizado, mal-tratado e, mesmo passando fome, foi forçado a construir cidades para o faraó Ramsés.

Após 210 anos de escravidão, Deus revelou a Moisés que era Sua intenção libertar o povo do Egito e guiá-los até Israel. E que era função de Moisés liderar o povo. Então, segundo a bíblia, ocorreram vários milagres: Deus lançou as 10 pragas sobre o Egito. Após cada praga Moisés rogava ao faraó que libertasse o povo, mas, como este ainda se recusava, Deus lançava uma nova praga.

Depois das pragas, o povo finalmente saiu do Egito, porém o faraó mudou de idéia e mandou perseguir o povo de Israel, até encurralá-lo frente ao Mar Vermelho. Outro milagre ocorreu: O mar se abriu para os israelitas e se fechou para os egípcios, afogando grande parte de seu exército.

A festa de Pessach comemora a saída da escravidão para a liberdade, da escuridão para a luz e tem como objetivos louvar a Deus pelos milagres que fez pelo povo de Israel e perpetuar a história para que todas as gerações futuras se lembrem de que foram, um dia, escravos no Egito. E assim, com esta lembrança, todos tenham em mente a eterna lição de saber como tratar àqueles que estão em dificuldade e entender melhor o valor da liberdade.

As tradições de Pessach

Durante os sete dias da festa, os judeus se abstêm de comer pão ou qualquer alimento fermentado. Isto porque quando os judeus saíram as pressas da escravidão no Egito, não tiveram tempo de fermentar e assar o pão que levaram consigo para o caminho. Um dos preceitos de Pessach é que todo judeu deve visualizar a si mesmo como se ele mesmo fosse um escravo no Egito e estivesse saindo da escravidão pelas mãos de Deus. Por isso, durante esses sete dias nenhum pão é ingerido, somente um pão ázimo ou "pão da pobreza", chamado em hebraico de Matzá, que lembra uma bolacha de água e sal. Assim, essa simbologia ajuda as pessoas a recordarem durante os sete dias da festa que elas foram escravas no Egito e que Deus as tirou de lá.

Na primeira noite de Pessach é realizado um jantar especial chamado Seder de Pessach. Nesse jantar se abre um fórum para que crianças e adultos façam perguntas sobre a festa e sua história. Durante o jantar é lida a Hagadá de Pessach, que conta toda a história da festa e vem para responder a muitas das perguntas colocadas antes sobre o porquê da comemoração. O costume é que a criança mais jovem da família comece fazendo as perguntas para que estas sejam respondidas uma a uma durante o jantar.

O seder de Pessach é encerrado tradicionalmente com votos de que Deus dê aos judeus uma nova liberdade, assim como aquela que deu no Egito, e que esta liberdade seja eterna.





fonte:Amai-vos
foto: Revista Manasha

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.