segunda-feira, 25 de fevereiro de 2013

Epitáfio Para Uma Borboleta






Tanto girou, girou, em derredor da chama,

Que, nela, enfim, se abrasa,

Ferida em pleno coração,- na asa.

Morta como quem ama,

Renasce agora, viva

De eterna mocidade,

Coisinha heróica e fútil, que seduz

Não viver livre, mas morrer cativa

Dum destino maior que a liberdade:

A vocação da luz.


José Régio



fonte:bifei da Maria

2 comentários:

Maria disse...

E eu acho que bifaste muito bem!
Beijinho, Cris.

Cris Caetano disse...

:D

beijinhos, Maria

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.