sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Por aqui também há coisas bonitas








Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz.
Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber.
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr.
O sentir e o desejar
São banidos dessa terra.
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar.
Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave é viver assim
Nesse impossível jardim.


Fernando Pessoa


n.r.: A foto eu bifei da minha querida Andréia Cristina.

2 comentários:

Luis Eme disse...

tão actual este Pessoa...

Beijos Cris e bom fim de semana

Cris Caetano disse...

pois...

brigada, Luis, pra ti também.

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.