sexta-feira, 2 de novembro de 2012

Por aqui também há coisas bonitas








Às vezes, em sonho triste
Nos meus desejos existe
Longinquamente um país
Onde ser feliz consiste
Apenas em ser feliz.
Vive-se como se nasce
Sem o querer nem saber.
Nessa ilusão de viver
O tempo morre e renasce
Sem que o sintamos correr.
O sentir e o desejar
São banidos dessa terra.
O amor não é amor
Nesse país por onde erra
Meu longínquo divagar.
Nem se sonha nem se vive:
É uma infância sem fim.
Parece que se revive
Tão suave é viver assim
Nesse impossível jardim.


Fernando Pessoa


n.r.: A foto eu bifei da minha querida Andréia Cristina.

2 comentários:

Luis Eme disse...

tão actual este Pessoa...

Beijos Cris e bom fim de semana

Cris Caetano disse...

pois...

brigada, Luis, pra ti também.

Beijos

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.