domingo, 15 de julho de 2012

Minha Amada Língua Portuguesa. Salve, Salve!




Há uma coisa que me aborrece muito, e eu não gostaria de parecer presunçosa pelo que vou escrever, mas o assassinato da minha, da nossa língua portuguesa é coisa que me aborrece e muito.

Tenho certeza que a quantidade de erros que vejo diariamente tem a ver (e não haver) com o fato das pessoas, atualmente, terem acesso à internet, coisa que não acontecia há (e não "a", porque neste caso significa "tempo", portanto usa-se o verbo "haver") alguns anos atrás e acredito que por isso eu não me apercebia de como as pessoas escrevem mal (e não "mau" que é o oposto de "bom", e não o oposto de "bem" como é o caso de "mal").

Ao mesmo tempo, o fato das pessoas terem acesso a uma infinidade de informações que a internet proporciona deveria levar as pessoas a cometerem menos erros, mas tal não acontece, e o que me assombra são os erros grosseiros...

Agente = a gente (coloquial de "nós)
Vim em mim = Vir a mim
Ensistir = Insistir
Saldade = Saudade
Voçê = Você
Esqueçer = Esquecer
Felismente = Felizmente
Abraça me ou abraçame = Abraça-me (o hífem existe, é fácil verificar por outro caminho: me abrace... ninguém escreve meabrace)

De todos estes erros, me choca, profundamente, o uso de "ç" em "você" por ser uma palavra que aparece usualmente em qualquer texto.

Clarice Lispector já virou Clarise... e eu acredito que a criatura nunca tenha lido um único livro dela.

Uma vez, caí na asneira de fazer o comentário que antes de "e" e "i" não havia "ç", só apenas antes de "a", "o" ou "u" e um homenzinho veio retrucar que era contra o "Acordo Ortográfico". O que se responde depois disso? Ele não lê nem os comentários sobre futebol.


Uma amiga que ficou assombrada com o "saldade" - que eu já conhecia - diz que é preguiça, porque não relêem o que escrevem. Aliada a uma dose de burrice.


Não me aconteceu, mas se meu "mais que tudo" cometesse tal tipo de assassinato, ele deixaria de ser meu "mais que tudo". Gosto de homens inteligentes e gosto não se discute.


Eu não sou nenhuma espécie de purista, acho normal as pessoas se enrolarem quanto ao uso da crase, o uso das vírgulas, mas errarem no básico tendo acesso a jornais e sites de fofocas na internet? É muito descaso.


Aliás, não sei nada... só sei que me incomoda, muito mesmo, sem pretensão de ser uma bam-bam-bam em português, nem uma mestre em gramática ou linguística. É só porque eu gosto (muito) da minha língua materna. É sonora, linda demais e merecia um bocado mais de atenção por todos que fazem uso dela.


3 comentários:

Maria disse...

Subscrevo.
E digo ainda que sou CONTRA o acordo ortográfico.
A língua que falamos é a mesma, mas é tão diferente em cada um dos países, Cris!

Beijinho.

Cris Caetano disse...

Aqui o Acordo não fez nenhuma diferença pra nós apesar das mudanças. Ao longo de anos (muitos) perdemos hífens, "c", "h", tremas, acentos. Estamos acostumados às mudanças na escrita.

Mas não é por isso que precisam assassiná-la. ;)

Beijinhos, Maria

Luis Eme disse...

como eu te compreendo. Cris.

algumas pessoas acham que deixou de haver regras, que cada um de nós pode escrever como lhe apetece.

o novo acordo também contribui para isso, pois quem está contra escreve da forma antiga, ao contrário dos que já se modernizaram...

beijos

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.