segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Bom Carnaval!




Volto depois do Carnaval... Bom Carnaval a todos!


Olhar






Tu não estavas me vendo como aquilo que sou, mas como aquilo que querias que eu fosse.



Caio Fernando Abreu

Bom djia, djia!

Boa semana!





Procuro a solidão
Como o ar procura o chão
Como a chuva só desmancha
Pensamento sem razão
Procuro esconderijo
Encontro um novo abrigo
Como a arte do seu jeito
E tudo faz sentido
Calma pra contar nos dedos
Beijo pra ficar aqui
Teto para desabar
Você para construir

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Se joga que hoje é sexta II



Exagere, ame muito e espalhe ao mundo porque amar é lindo.


Se joga que hoje é sexta!





Não importa onde você parou... em que momento da vida você cansou...
o que importa é que sempre é possível e necessário "Recomeçar"
Recomeçar é dar uma nova chance a si mesmo... é renovar as esperanças na vida
e o mais importante... acreditar em você de novo.
Sofreu muito nesse período? foi aprendizado...
Chorou muito? foi limpeza da alma...
Ficou com raiva das pessoas? foi para perdoá-las um dia...
Sentiu-se só por diversas vezes? é porque fechaste a porta até para os anjos...
Acreditou que tudo estava perdido? era o início da tua melhora...
Pois é...agora é hora de reiniciar... de pensar na luz... de encontrar prazer nas coisas simples de novo.
Que tal Um corte de cabelo arrojado...diferente?
Um novo curso...ou aquele velho desejo de aprender a pintar...desenhar...
dominar o computador... ou qualquer outra coisa...
Olha quanto desafio... quanta coisa nova nesse mundão de meu Deus te esperando.
Tá se sentindo sozinho? besteira...tem tanta gente que você afastou com o seu "período de isolamento"...
tem tanta gente esperando apenas um sorriso teu para "chegar" perto de você.
Quando nos trancamos na tristeza... nem nós mesmos nos suportamos... ficamos horríveis...
o mal humor vai comendo nosso fígado... até a boca ficar amarga.
Recomeçar... hoje é um bom dia para começar novos desafios.
Onde você quer chegar? ir alto...sonhe alto...queira o melhor do melhor...
queira coisas boas para a vida... pensando assim trazemos prá nós aquilo que desejamos...
se pensamos pequeno... coisas pequenas teremos...
Já se desejarmos fortemente o melhor e principalmente lutarmos pelo melhor...
o melhor vai se instalar na nossa vida.
E é hoje o dia da faxina mental... joga fora tudo que te prende ao passado...
ao mundinho de coisas tristes... fotos...peças de roupa, papel de bala...
ingressos de cinema, bilhetes de viagens...
e toda aquela tranqueira que guardamos quando nos julgamos apaixonados...
jogue tudo fora...mas principalmente... esvazie seu coração...
fique pronto para a vida... para um novo amor...
Lembre-se somos apaixonáveis... somos sempre capazes de amar muitas e muitas vezes...
afinal de contas... Nós somos o "Amor"...

(Carlos Drummond de Andrade)


n.r.: tanto a música como o texto fizeram mais sentido ontem já que eu decidi que não quero mais olhar pro meu passado inteiro onde chove, quero que minha mente e corpo virem sol já no presente e como recomeçar é algo tão positivo, o sol já começa a brilhar pela minha vontade.

Bom fim de semana! E não esqueçam de se jogar, hoje é sexta!





quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O Discurso do Rei








Em primeiro lugar palmas para o Cinema Inglês, que conseguiu juntar num filme excelente um elenco de primeira qualidade.

Bertie ou George ficou gago a partir dos 5 anos, em função de alguns traumas que eu não vou contar porque alguém que não viu o filme pode passar por aqui, é obrigado a fazer um discurso em nome do pai, o Rei George V e a partir daí a sua angústia cresce perante a impotência de discursar sem gaguejar.

Depois de várias tentativas frustadas com terapeutas arranjados pela corte inglesa, sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter), encontra Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta de fala que utiliza um método pouco convencional, mas que é reconhecido na Inglaterra.

A partir daí a estória de superação de George com a ajuda de Lionel, que além de terapeuta da fala age como psicólogo e amigo, discorre.

A interpretação da dupla Firth-Rush tira risos e causa emoção a quem está na poltrona.

Eu adoraria que Colin Firth levasse o Oscar como ator e Geoffrey Rush como ator coadjuvante. Estou na torcida.

Só uma curiosidade, Winston Churchill é interpretado pelo ator que fez a personagem do ratinho-bruxo de Harry Potter.



Populismo cruel






Grande vantagem oferecer ao utente remédios para a pressão e diabetes com custo zero enquanto triplicam, provavelmente para compensar a perda do lucro, os demais remédios.

O remédio Sinvastatina, que antes custava mais ou menos 11 reais, no Programa Farmácia Popular (do Governo Federal), agora custa mais ou menos 41 reais. Felizes daqueles que só têm problemas de pressão ou diabetes, coitados de todos os outros.

Façam as contas: o salário mínimo aumentou para 545 reais, um remédio custa 41 reais e o governo está pensando no povo? Não me parece.



quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Musiquinha da hora




Cinema



A festa do Oscar batendo à porta e existe pelo menos mais um filme que pretendo ver antes que a Academia anuncie os vencedores: "O Discurso do Rei", que baseado numa história verídica, trata da importância da auto-estima. Mas o que me atrai mesmo são dois atores: Helen Bonham Carter e Colin Firth. Prometo falar pouco depois de assistir ao filme. Tá, Luis? rsrs



E o outro é "127 horas", baseado em fatos reais, conta a saga de um alpinista depois que ele prende seu braço numa fenda durante a escalada numa montanha. O que me atrai no filme é o ator, James Franco e o fato da história ser verídica e o que não me atrai é tratar-se praticamente de um monólogo. Tenho algum pé atrás com monólogos, então não me decidi (ainda) se o verei na telona ou não. Mas ouvi dizer que é um bom filme.




terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Cansaço






Eu queria tanto que existisse justiça social em todos os países, queria tanto que pessoas não precisassem morrer covardemente enquanto lutam por seus direitos. Queria tanto que não houvesse prepotência e arrogância. Queria tanto que a nível profissional as pessoas tivessem ética e apenas cuidassem de fazer os trabalhos de sua responsabilidade bem feitos.

Queria tanto que as pessoas tivessem cuidado com os sentimentos do próximo e se preocupassem em não ferir. Queria tanto que pais tomassem a responsabilidade de filhos que contribuem para colocar no mundo. Queria tanto que mães não abandonassem bebês recém-nascidos. Queria tanto que não abandonassem animais e idosos como se fossem uma roupa velha que não serve mais. Queria tanto que não precissasse haver justiça já que todos seriam justos.

Eu sei que é utopia, eu não sou assim tão naïf, mas por vezes cansa, é um cansaço que dá no coração, um desânimo que murcha a boca, que faz pensar: "o que é que estou fazendo aqui?", "por quê tenho que viver num mundo assim?". Como será o futuro de tantas crianças que nesse momento estão nascendo? Será que vale a pena povoar o mundo com mais pessoas que inevitavelmente sofrerão?

E as palavras? Ah, as palavras... são sempre tão bonitas nas bocas das pessoas, mas tão poucas fazem delas seus atos no dia-a-dia e se assustam, revoltadas perante uma reação, como se fossem vítimas. Por quê a auto-crítica é tão difícil de ser praticada? Por quê um pedido de desculpas é considerado uma fraqueza pra tantos? Por quê é tão difícil perceber que a dois não se erra sozinho? Por quê é tão importante parecer esperto? Pra quê? Pra quê tanta arrogância, tanta prepotência, tanto capricho? Pra quê tanta inveja se o outro nunca sabe realmente como é a vida daquele que ele inveja?

Não me aconteceu nada em particular, mas abrir o jornal diário começa a ser um fardo pesado, tantas injustiças, tanta violência, tanta estupidez humana. Ouvir desabafos me levam à certeza da minha impotência para alterar a vida daquele que se sente triste. E não posso enfiar a cabeça na areia e cancelar a assinatura do jornal ou me recusar a ver as notícias pela TV, não posso deixar de ouvir e abandonar quem precisa de afeto.

E amanhã é outro dia e depois outro e outro e haverá diversas pessoas infelizes: as vítimas dos algozes e os próprios algozes que não saciam a sua fome perante a infelicidade alheia.


Comentários






Agora mesmo, procurando por uma música aqui no Nuvens, lembrei-me que ao recusar-me a pagar por ter meus comentários administrados pelo Haloscan (que anteriormente era gratuito), fez com que os mesmos desaparecessem deste blog. Comentários desde 2005. Me deu uma tristeza... nunca descobri como recuperá-los para o Blogspot.


O que sobrou do céu







Faltou luz mas era dia, o sol invadiu a sala
Fez da TV um espelho refletindo o que a gente esquecia

Faltou luz mas era dia... di-ia
Faltou luz mas era dia, dia, dia

O som das crianças brincando nas ruas
Como se fosse um quintal
A cerveja gelada na esquina
Como se espantasse o mal

O chá pra curar esta azia
Um bom chá pra curar esta azia
Todas as ciências de baixa tecnologia
Todas as cores escondidas nas nuvens da rotina

Pra gente ver... por entre prédios e nós...
Pra gente ver... o que sobrou do céu...

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Micareta Católica




Aguardo a Micareta dos Espíritas Kardecistas, Umbandistas, Budistas, Evangélicos etc etc. Acho que estou ficando velha porque eu juro que não entendi. Mas... Viva a Festa Pagã!




É impressão minha ou uma idéia assim só poderia surgir mesmo no Brasil e no Rio de Janeiro?

fonte:G1

Bom djia, djia!





Desperto entre sorrisos largos, torta de amora e aroma de café.




fonte:Restart My Heart

domingo, 20 de fevereiro de 2011

sábado, 19 de fevereiro de 2011

Então a parada é a seguinte...

... vai virar Carnaval!


Já é! Pelo menos aqui no Errejota. Os blocos já estão bombando e meu Carnaval começa hoje! Dia do Bloco "GB" (Gente Bonita).

Bom fim de semana!





A minha alegria atravessou o mar
e ancorou na passarela
Fez um desembarque fascinante
No maior show da terra
Será que eu serei o dono dessa festa
Um rei
No meio de uma gente tão modesta
Eu vim descendo a serra
Cheio de euforia para desfilar
O mundo inteiro espera
Hoje é dia do riso chorar
Levei o meu samba pra mãe de santo rezar
Contra o mal olhado eu carrego meu patuá
Eu levei !
Acredito
Acredito ser o mais valente nessa luta do rochedo com o mar
E com o ar!
É hoje o dia da alegria
É a tristeza, nem pode pensar em chegar
Diga espelho meu!
Diga espelho meu
Se há na avenida alguém mais feliz que eu


sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Se joga que hoje é sexta!




Voltei! E amanhã já é Carnaval pra mim. O Bloco GB, como sempre, antecipa a festa para quem adora a maratona dos blocos pelas ruas do Rio. Bom fim de semana!





Cisne Negro





Cisne Negro é um thriller psicológico. Prepare-se para alguns sustos enquanto mergulha no universo de Nina, interpretada por Natalie Portman, em uma interpretação sublime (não consigo encontrar palavra que a exprima melhor).

Nina é uma bailarina profissional que tem a grande chance de sua carreira quando Thomas (Vicent Cassel) resolve que a companhia de ballet precisa de uma nova primeira bailarina, forçando a aposentadoria de Beth (Winona Rider).

Nina me lembrou uma antiga colega de ballet pela dedicação quase doentia quanto à perfeição e essa dedicação me fez declinar quanto ao desejo de minha professora para que eu prestasse prova para o Theatro Municipal. A minha amiguinha prestou prova e passou e para tristeza de minha professora eu nem me dei a chance de tentar.

Sinceramente não me arrependo, mas a lembrança desse fato gerou em mim uma certa curiosidade quanto à certeza de minha professora que eu era boa o suficiente para prestar prova e entrar para o corpo de baile do Municipal e por uns minutos pensei em como seria a minha vida hoje se eu tivesse decidido diferentemente do que eu decidi. Mas foi só por alguns minutos...

Nina tem que lidar com a inveja (extremamente comum) das outras bailarinas, com a rigidez de Thomas e com a mãe opressora e superprotetora que insistentemente a chama de "meu docinho" e "menina meiga". Nina tem uma dificuldade imensa em ser ela própria e durante todo o filme fica muito claro que a mãe tem um papel fundamental quanto a esse problema.

Não posso contar mais, seria uma maldade com quem ainda não viu o filme. E recomendo, pela brilante (sublime) interpretação de Portman, pela fotografia, pela ótima direção de Darren Aronofsky e falar mais sobre o Cisne Negro fará com que perca o suspense de que ele necessita.

O final é surpreendente, realmente inesperado. É um filme que nos deixa com o dois olhinhos grudados na tela do início ao fim.

E senti saudade das minhas aulas de ballet, confesso (sinto sempre), do estresse das apresentações, de esmagar as pedrinhas de breu com a sapatilha de ponta antes de começar a dançar. Foi maravilhoso.



terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Feliz Dia de São Valentim!

Marcas





A esperança no engano caiu por terra, espatifou na lama, sujou a alma marcada pra sempre.



fonte:CacaoCocoa

Bruma






Percorro no tato caminhos tão bem conhecidos. Não há bruma que me atrapalhe, nem escuridão que me cegue.


fonte:CacacoCocoa

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Olhares





No encontro dos meus olhos nos teus, desnudas a minha alma. Frágil, me fortaleço na tua docilidade.


foto:Olgun Yürekler

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Poeminho do Contra






Todos esses que aí estão
Atravancando meu caminho,
Eles passarão...
Eu passarinho!




Mario Quintana
foto:Olgun Yürekler

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Cisne Negro, de Darren Aronofsky







Ele é o escolhido desta semana. Depois eu conto...


Leveza





Em busca de alguma leveza quando as nuvens se tornam cinzentas...



fonte:CacaoCocoa

domingo, 6 de fevereiro de 2011

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Sobre decepção






Faz-me uma imensa confusão pessoas que usam discursos prontos como sua filosofia de vida. Acho que a vida não é apenas preto e branco, tem diversas cores misturadas que acabam por transformar essas verdades absolutas em pura ilusão.

Canso de ouvir que só se decepciona quem cria expectativas, até concordo que há quem fantasie por muito pouco, ou melhor, que seja tão ingênuo que muito provavelmente irá colher uma quantidade imensa de decepções ao longo da vida por ser assim. Mas este discurso decepção/expectativa não faz o menor sentido pra mim, a decepção só acontece diante de um fato inesperado, é aquela surpresa que nos assusta, que nos leva a nos perguntarmos onde erramos ou se estávamos desatentos embora na maioria das vezes não tenhamos a menor responsabilidade perante uma decepção.

Eu tinha um amigo de anos, daqueles que tratamos por irmão, "tinha" porque não tenho mais embora ele esteja vivinho da Silva. E numa certa altura da minha vida, sem que nada tivesse acontecido esse amigo sumiu, deixou de querer contactar comigo. Passei alguns meses mandando mensagens onde não recebia qualquer resposta, eu sabia que ele estava bem porque viajava e saía com uma conhecida em comum. Um outro amigo nosso, em comum, também não obteve resposta dele nem por telefone (o fato triste não aconteceu apenas comigo).

Que expectativa criei dele, a dele ser meu amigo? Ora, bolas, não criei, ele era e ponto final, deu provas disso em diversas situações e nunca me peguei pensando se ficaríamos velhinhos e ainda amigos, cada um amparando a bengala alheia, nada... era um amigo muito próximo e muito querido como outros que tenho.

Fiquei triste, e obviamente decepcionada... que outra palavra além de "decepção" eu usaria para exemplificar como me senti? Além da tristeza por não fazer a menor idéia do que o levou a se afastar, me decepcionei com uma atitude inesperada, e não havia a menor hipótese de ser considerada.

Sem contar de outro caso que conheço, de um amigo de meus pais, que depois de mais de 50 anos de amizade, descobriu que o amigo de infância o havia roubado durante anos (muitos anos), aí eu digo o quê? "Cara, sinto muito, você se decepcionou porque confiou no seu amigo e você não deveria confiar nem na sua própria sombra".

Aloooooou!!! Ah, tenha dó... a decepção faz parte da nossa vida. Não sei que lição tiro da atitude desse amigo mas não deixarei de ser menos amiga dos outros que tenho porque ele demonstrou que a amizade que tinha por mim era baseada em algum interesse que deixou de existir, embora eu não saiba, ainda, qual.



foto:Google

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Bom fim de semana



Já sei que todo mundo conhece esta versão, menos eu e hoje já ri muito por ser a única pessoa "all around the world" que desconhecia. É linda!








fonte:Ana Paula

Se joga que hoje é sexta!



quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

O Turista, de Florian Henckel von Donnersmarck





O filme gira em torno de Elise Clifton-Ward (Angelina Jolie), cujos passos são acompanhados pela equipe chefiada pelo inspetor John Acheson (Paul Bettany - O Código Da Vinci) porque ela mantém um relacionamento com Alexander Pearse, que é procurado pela polícia.

O filme é insípido, vale apenas para ver a belíssima Jolie desfilar em modelos lindos elegantes com a maquiagem sempre perfeita. Johnny Depp (Frank Tupelo, o turista) faz o pior papel de sua carreira, já que o roteiro não ajuda, mas talvez por eu ser fã de carteirinha de Depp, acho que é possível enxergar o grande ator que ele é em algumas poucas cenas.



O cenário é lindo: Paris e Veneza, mas acho que nem isso salva o filme já que a atenção é propositadamente direcionada, ao logo do filme, aos personagens de Jolie e Depp, onde fica claro perceber que a química entre os dois é inexistente.


Aquarelar






Hoje estava fazendo um sketch a senti uma imensa vontade de voltar a desenhar, ou melhor, aquarelar (ou aguarelar, aqui no Brasil usamos mais a palavra "aquarela" diferentemente de Portugal).

Já me arrisquei a reproduzir "Starry Nigth", de Van Gogh na aquarela... é, sou boa em reproduções, um perigo se eu tivesse um desvio moral e ético qualquer, já que poderia ter enveredado para a falsificação. Seria só uma questão de prática, já que tenho uma imensa facilidade em reproduzir a arte alheia.

E toco no asunto porque sempre analisei os caminhos que decidi escolher ao longo da vida. Eu acho que não é a "oportunidade não faz o ladrão", como diz o ditado e sim, a vontade.


foto:FFFOUND!

Bom djia, djia!



quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Odó Iyá Yemanjá!

Salve, Salve, Rainha do Mar!









Cats






Eu já disse que gosto muito de gatos de olhos verdes? Pois é...



terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Pretensão




Pretensão= Presunção, vaidade e afetação.

Dá um certo cansaço topar com pessoas assim, mas é também tão usual. Viver é tão simples, ou deveria ser. Mas é mesmo muito comum ver pessoas que são vaidosas e afetadas criticarem outras por serem assim como se elas próprias fossem diferentes.

O mais angustiante no contato com o ser humano é se dar conta que aquilo que ele realmente é, é muito diferente do que aquilo que ele diz ser porque é muito mais fácil falar do que ser, é a chamada "zona de conforto". Ser implica esforço, logo aqueles que fingem ser só são mesmo identificados pelos outros que realmente são.

Mas nos "nove fora nada", nós balançamos perante um vazio desanimador e logo depois avançamos sabendo que muitos mais deles virão e isso nos levará a questionarmos sobre a forma em que nos posicionamos perante a vida e perante o próximo. É respirar fundo e seguir em frente porque realmente "amanhã é outro dia".



Big Brother Brasil

por Luiz Fernando Veríssimo





Que me perdoem os ávidos telespectadores do Big Brother Brasil (BBB), produzido e organizado pela nossa distinta Rede Globo, mas conseguimos chegar ao fundo do poço...A décima primeira (está indo longe!) edição do BBB é uma síntese do que há de pior na TV brasileira. Chega a ser difícil,... encontrar as palavras adequadas para qualificar tamanho atentado à nossa modesta inteligência.

Dizem que em Roma, um dos maiores impérios que o mundo conheceu, teve seu fim marcado pela depravação dos valores morais do seu povo, principalmente pela banalização do sexo. O BBB é a pura e suprema banalização do sexo. Impossível assistir, ver este programa ao lado dos filhos. Gays, lésbicas, heteros... todos, na mesma casa, a casa dos "heróis", como são chamados por Pedro Bial.
Não tenho nada contra gays, acho que cada um faz da vida o que quer, mas sou contra safadeza ao vivo na TV, seja entre homossexuais ou heterosexuais. O BBB é a realidade em busca do IBOPE...

Veja como Pedro Bial tratou os participantes do BBB. Ele prometeu um "zoológico humano divertido" .Não sei se será divertido, mas parece bem variado na sua mistura de clichês e figuras típicas.

Pergunto-me, por exemplo, como um jornalista, documentarista e escritor como Pedro Bial que, faça-se justiça, cobriu a Queda do Muro de Berlim, se submete a ser apresentador de um programa desse nível. Em um e-mail que recebi há pouco tempo, Bial escreve maravilhosamente bem sobre a perda do humorista Bussunda referindo-se à pena de se morrer tão cedo.

Eu gostaria de perguntar, se ele não pensa que esse programa é a morte da cultura, de valores e princípios, da moral, da ética e da dignidade.

Outro dia, durante o intervalo de uma programação da Globo, um outro repórter acéfalo do BBB disse que, para ganhar o prêmio de um milhão e meio de reais, um Big Brother tem um caminho árduo pela frente, chamando-os de heróis. Caminho árduo? Heróis?

São esses nossos exemplos de heróis?

Caminho árduo para mim é aquele percorrido por milhões de brasileiros: profissionais da saúde, professores da rede pública (aliás, todos os professores), carteiros, lixeiros e tantos outros trabalhadores incansáveis que, diariamente, passam horas exercendo suas funções com dedicação, competência e amor, quase sempre mal remunerados...

Heróis, são milhares de brasileiros que sequer têm um prato de comida por dia e um colchão decente para dormir e conseguem sobreviver a isso, todo santo dia.

Heróis, são crianças e adultos que lutam contra doenças complicadíssimas porque não tiveram chance de ter uma vida mais saudável e digna.

Heróis, são aqueles que, apesar de ganharem um salário mínimo, pagam suas contas, restando apenas dezesseis reais para alimentação, como mostrado em outra reportagem apresentada, meses atrás pela própria Rede Globo.

O Big Brother Brasil não é um programa cultural, nem educativo, não acrescenta informações e conhecimentos intelectuais aos telespectadores, nem aos participantes, e não há qualquer outro estímulo como, por exemplo, o incentivo ao esporte, à música, à criatividade ou ao ensino de conceitos como valor, ética, trabalho e moral.

E ai vem algum psicólogo de vanguarda e me diz que o BBB ajuda a "entender o comportamento humano". Ah, tenha dó!!!

Veja o que está por de tra$$$$$$$$$$$$$$$$ do BBB: José Neumani da Rádio Jovem Pan, fez um cálculo de que se vinte e nove milhões de pessoas ligarem a cada paredão, com o custo da ligação a trinta centavos, a Rede Globo e a Telefônica arrecadam oito milhões e setecentos mil reais. Eu vou repetir: oito milhões e setecentos mil reais a cada paredão.


Já imaginaram quanto poderia ser feito com essa quantia se fosse dedicada a programas de inclusão social: moradia, alimentação, ensino e saúde de muitos brasileiros?


(Poderiam ser feitas mais de 520 casas populares; ou comprar mais de 5.000 computadores!)

Essas palavras não são de revolta ou protesto, mas de vergonha e indignação, por ver tamanha aberração ter milhões de telespectadores.

Em vez de assistir ao BBB, que tal ler um livro, um poema de Mário Quintana ou de Neruda ou qualquer outra coisa..., ir ao cinema..., estudar... , ouvir boa música..., cuidar das flores e jardins... , telefonar para um amigo... , visitar os avós... , pescar..., brincar com as crianças... , namorar... ou simplesmente dormir.

Assistir ao BBB é ajudar a Globo a ganhar rios de dinheiro e destruir o que ainda resta dos valores sobre os quais foi construída nossa sociedade.


imagem:Google

Come with me...




Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.