terça-feira, 8 de novembro de 2011

Baderna na USP

Alunos retirados da USP precisam de 'aula de democracia', diz Alckmin


Eu acho que eles deveriam ter algumas aulas de Direito Constitucional. Ocupar e destruir o patrimônio público com coquetel molotov e pichações pelo direito de fumar maconha no Campus não tem nada a ver com liberdade. No meu tempo de faculdade reinvindica-se pelo fim da Ditadura. Esses filhinhos-de-papai que usam GAP e Ray-Ban, deviam ser expulsos da Universidade, há vários estudantes interessados em estudar numa Universidade como a USP.

Reinvindicando Democracia, só cometeram atos de vandalismo. Há maneiras mais inteligentes de reinvindicar a descriminalização da maconha. Eu acho, sinceramente, o motivo de ocupação da USP extremamente fútil. Após vários assaltos e a morte de um estudante, na USP, a Reitoria resolver policiar o Campus, mas alguns estudantes olharam para a segurança como um ato político. Ando meio cansada dessa maneira arcaica de pensar que a polícia de hoje se manifesta como no tempo da Ditadura. Isso causa-me profundos bocejos.

Paralelo a isso, a educação é Direito de todos e é por isso que existem as Universidades públicas, mas... eu questiono esse Direito, já que a grande maioria das pessoas que necessitam de ensino gratuito ficam fora dela, a maioria que passa, estudou em bons colégios particulares ou cursinhos pagos pelos pais. Já na minha época, no estacionamento da UFRJ, a quantidade de carros do ano era impressionante.




"O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, afirmou na tarde desta terça-feira (8) que os estudantes retirados do prédio da reitoria da USP após ocupação precisam de uma “aula de democracia”. Alckmin criticou a depredação do patrimônio da universidade realizado durante a invasão. Na madrugada desta terça, a Polícia Militar cumpriu a determinação judicial de reintegração de posse do prédio da reitoria da USP.

"Alguns estudantes precisam ter aula de democracia, de respeito à decisão judicial, de respeito ao patrimônio público porque a população que paga impostos, população que é mais pobre, que mantém a USP, que é todinha dinheiro público... Não é possível depredar móveis, pichação, depredar prédio público feito com sacrifício da população desta que é a melhor universidade da América Latina", disse Alckmin.

Durante a reintegração, 73 estudantes foram detidos. Eles serão indiciados por dano ao patrimônio público e desobediência à ordem da Justiça. Eles também serão responsabilizados por dano ambiental devido às pichações feitas nas paredes do prédio. Todos deverão passar por exame de corpo de delito.

Alckmin afirmou que a atitude dos estudantes não é tolerável. "A lei é para todos. Não é possível estabelecer que alguém esteja à margem da legislação. Não é tolerável, não é razoável esse tipo de procedimento de invadir prédio público, depredar prédio público, não cumprir ordem judicial. No passado, na época do período militar, a PM não ficava na universidade porque tinha aspecto político da repressão ao pensamento, da manifestação política. Hoje é totalmente diferente, já passou o período militar. Nós estamos no processo democrático. A presença da polícia é para garantir a integridade física e patrimonial de professores e funcionários, evitar assalto, latrocínio, roubo", completou o governador.

Ainda segundo Alckmin, desde que a PM começou a patrulhar a Cidade Universitária, os índices de criminalidade caíram. "Se formos pegar todos os indicadores, roubo caiu 80%, roubo de automóveis caiu 95%, lesão corporal, 80%".




fonte:G1

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.