quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

O Discurso do Rei








Em primeiro lugar palmas para o Cinema Inglês, que conseguiu juntar num filme excelente um elenco de primeira qualidade.

Bertie ou George ficou gago a partir dos 5 anos, em função de alguns traumas que eu não vou contar porque alguém que não viu o filme pode passar por aqui, é obrigado a fazer um discurso em nome do pai, o Rei George V e a partir daí a sua angústia cresce perante a impotência de discursar sem gaguejar.

Depois de várias tentativas frustadas com terapeutas arranjados pela corte inglesa, sua esposa, Elizabeth (Helena Bonham Carter), encontra Lionel Logue (Geoffrey Rush), um terapeuta de fala que utiliza um método pouco convencional, mas que é reconhecido na Inglaterra.

A partir daí a estória de superação de George com a ajuda de Lionel, que além de terapeuta da fala age como psicólogo e amigo, discorre.

A interpretação da dupla Firth-Rush tira risos e causa emoção a quem está na poltrona.

Eu adoraria que Colin Firth levasse o Oscar como ator e Geoffrey Rush como ator coadjuvante. Estou na torcida.

Só uma curiosidade, Winston Churchill é interpretado pelo ator que fez a personagem do ratinho-bruxo de Harry Potter.



4 comentários:

Beth/Lilás disse...

Não vi ainda, mas estou louquinha pra ver. Acho que será um forte concorrente.
bjs cariocas

Cris Caetano disse...

Sinceramente? Fiquei numa dúvida cruel sobre qual filme eu gostaria que levasse o Oscar, e olha que eu estava torcendo pra Cisne Negro levar o prêmio, agora eu não sei.... rsrsrs

Beijão

Mi disse...

ahh Cris acho q o Discurso merecia mais..dá pra sentir a agonia do Bertie na sua tentativa de vencer a gagueira, e o respeito e admiração de Logue pela coragem desse homem!!!!
e vamos combinar HBCarter está um primor como a esposa dele, bem metida, apesar das tentativa de ser simpática, tal qual a original!!!!
e a direção é ótima, nao te deixa cansado, nem entediado, pelo contrario, o filme te prende até o final...e a gente ainda fica com gostinho de quero mais!!!!

Cris Caetano disse...

Verdade, Mi... por isso me bateu a maior dúvida, senti o mesmo em Cisne Negro, mas são abordagens diferentes, claro. Qualquer um dos dois ganhando, pra mim, tá na boa! Dois filmões imperdíveis nessa temporada.

Beijos

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.