sexta-feira, 30 de abril de 2010

Se joga que hoje é sexta II



Porque nem todo mundo gosta do Sepultura.





I gotta take a little time,
A little time to think things over
I better read between the lines,
In case I need it when I'm older
Aaaah woah-ah-aah

Now this mountain I must climb,
Feels like the world upon my shoulders
Through the clouds I see love shine,
It keeps me warm as life grows colder

In my life
There's been heartache and pain
I don't know
If I can face it again
Can't stop now,
I've travelled so far,
To change this lonely life

I wanna know what love is,
I want you to show me
I wanna feel what love is,
I know you can show me
Aaaah woah-oh-ooh

I'm gonna take a little time,
A little time to look around me
I've got nowhere left to hide,
It looks like love
Has finally found me

In my life
There's been heartache and pain
I don't know
If I can face it again
Can't stop now,
I've travelled so far,
To change this lonely life

I wanna to know what love is,
I want you to show me
I wanna feel what love is,
I know you can show me
I wanna know what love is,
I want you to show me
(And I wanna feel)
I wanna feel what love is
(And I know)
I know you can show me

Let's talk about love
(I wanna know what love is) the love that you feel inside
(I want you to show me) I'm feeling so much love
(I wanna feel what love is) no, you just cannot hide
(I know you can show me) yeah, woah-oh-ooh
I wanna know what love is, let's talk about love
(I want you to show me) I wanna feel it too
(I wanna feel what love is) I wanna feel it too
And I know, and I know, I know you can show me

Show me what is real, woah (woah), yeah I know
(I wanna know what love is) hey I wanna know what love
(I want you to show me), I wanna know, I wanna know, want know
(I wanna feel what love is), hey I wanna feel, love
I know you can show me, yeah




Se joga que hoje é sexta!



Essa de hoje é especial. For you!





A pescadora







E sem essa de crescei e multiplicai-vos... nada de clones.


fonte:i can read

De novo






E de novo a armadilha dos abraços.
E de novo o enredo das delícias.
O rouco da garganta, os pés descalços
a pele alucinada de carícias.
As preces, os segredos, as risadas
no altar esplendoroso das ofertas.
De novo beijo a beijo as madrugadas
de novo seio a seio as descobertas.
Alcandorada no teu corpo imenso
teço um colar de gritos e silêncios
a ecoar no som dos precipícios.
E tudo o que me dás eu te devolvo.
E fazemos de novo, sempre novo
o amor total dos deuses e dos bichos.




Rosa Lobato de Faria
foto:Cig Harvey

quinta-feira, 29 de abril de 2010

One



Estou num turbilhão. Estou bem, bem mesmo, mas como vem acontecendo várias coisas ao mesmo tempo na minha vida acabo por ficar meio descompensada e como sei que estou devendo visitas, fica aqui o meu pedido de desculpas pela ausência em alguns blogs.

E como a música me enche a alma assim como a poesia, partilho essa aí abaixo com vocês. E os posts de amanhã já estão prontos para sair no horário habitual.








Verdade








Não é sexta, mas se joga na mesma

Yeah, Yeah!!!




Ai!!




Se tem alguma coisa que me causa dor aos ouvidos e dor nos olhos são os assassinatos da Língua Portuguesa e nem é a primeira vez que escrevo sobre isso.

E decidi selecionar algumas pérolas, usadas no Brasil e em Portugal. As mais difíceis de identificação "traduzirei":

* mais (mas) - esse assassinato é usual e ainda tem quem encha a boca ou prepare um texto cheio de blá, blá, blá, crentes que estão abafando. Para mim, o mais irritante porque encontro muitos textos recheados de "mais".

* Ele hadem morrer todos.

* fostes

* elPod (Ipod)

* voçê

* hoge

* ciética (ciática)

* por causa que

* Houveram pessoas

* Eu estou sendo muito sincéria (uma mistura de sincera com séria)

* sou afetiva (afetuosa)

* a gente compramos e fizemos

* grossura (grosseria)

E a lista é imensa, mas esses são os mais usuais. E o pior... é uma indelicadeza corrigir uma pessoa.



fonte:ouvindo e lendo por aí

Meet Me Halfway






Hey!







fonte:i can read

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Binho Ribeiro em S.Paulo

Organismos Vivos




"Organismos Vivos" (São Paulo): a Matilha Cultural apresenta exposição do artista plástico e grafiteiro Binho Ribeiro. Um dos pioneiros da arte de rua no Brasil, Binho exibirá na mostra cerca de 15 obras, todas inéditas - entre paineis de rua e telas -, depois de três anos sem fazer individuais. "Estou produzindo esses trabalhos há quatro anos e eles são uma mescla de todo o meu conteúdo histórico e conceitual", diz Binho.





Onde: r. Rego Freitas, 542, São Paulo-SP
Quando: de terça-feira a sábado, das 12h às 20h. Até 1º de maio de 2010. Grátis.
Inf.: 0/xx/11/3256-2636 e site www.matilhacultural.com.br




fonte:Folha Online

Porque gosto demais do Oswaldo






Eu amava
Como amava algum cantor
De qualquer clichê
De cabaré, de lua e flor...

E sonhava como a feia
Na vitrine
Como carta
Que se assina em vão...

Eu amava
Como amava um sonhador
Sem saber porquê
E amava ter no coração
A certeza ventilada de poesia
De que o dia, amanhece não...

Eu amava
Como amava um pescador
Que se encanta mais
Com a rede que com o mar
Eu amava, como jamais poderia
Se soubesse como te encontrar...

Eu amava
Como amava algum cantor
De qualquer clichê
De cabaré, de lua e flor...

Eu sonhava como a feia
Na vitrine
Como carta
Que se assina em vão...

Eu amava
Como amava um pescador
Que se encanta mais
Com a rede que com o mar
Eu amava como jamais poderia
Se soubesse como te encontrar...





Happy pills




Vai uma balinha?












fonte:FFFOUND!

terça-feira, 27 de abril de 2010

Sempre!





E também não sou a única. Mas mesmo que fosse. Enquanto houver vida sonharei...



fonte:iLOVE

Romântica



No dia em que eu deixar de ser romântica, me acudam...





Palavra






Se você fosse uma palavra qual gostaria de ser? Eu gosto de várias, mas hoje escolho a "verdade". E você?


segunda-feira, 26 de abril de 2010

Desconhecidos




Podíamos encontrar, conhecer pessoas maravilhosas, que nos amariam e compreenderiam até ao mais ínfimo detalhe. Às vezes bastava que passássemos para o outro lado do passeio para que isso acontecesse, ou que perdessemos o comboio. É triste quando a vida passa e nós não nos cruzamos com quem nós deveríamos ou podíamos ter cruzado.


. . .



Achei tão bonito esse devaneio de uma amiga escritora que resolvi partilhar.


Ana Grichetchkine

Let's dance!



It's a hot one!



Trilha sonora





fonte:restart my heart

Hey!




fonte:i can read

Boa semana!






Cima is ta dzê n'inglês
I love you, I need you
Quero dizer também em Português
Te amo, eu te preciso

E não há nada que levar a mal
Ma nôs ê, tud igual
I know you can understand me
Eu gosto muito, muito, muito de ti...

You know I love you, I love you, I love you, I really love you, I love you
You know I need you, I can't live without you, não há ninguém como tu

Ca tem ninguem cima bo (4x)

Alo bonjour comment ça va
Mana Sara do lado de lá
Mim m'ta bom e bo manê q'bo ta
Sara Mana do lado de cá

Maybe together you and me
Mi ku bo, bo ku mim
Mi ma bo
Eu e tu, tu e eu


I know you can understand me
Maybe juntos together, forever happy

You know I love you, I love you, I love you, I really love you, I love you
You know I need you, I can't live without you, não há ninguém como tu

Ca tem ninguem cima bo (4x)

Um só povo
Um só coração
One love

Branco ku preto
Burmedjo ku marelo
Ka tem diferença não
Ama na fé
Ama bué
Amor grande no coração


domingo, 25 de abril de 2010

Alice



Fui na pré-estréia de Alice in The Wonderland de Tim Burton. Sou fã de Tim Burton.



Alice não é mais a menininha indefesa conhecida através da personagem de Walt Disney do livro de Lewis Carrol, é uma guerreira de armadura e arma em punho.



Tim Burton escreve sua própria história de Alice na fusão dos livros "Através do Espelho" (1871) e "Aventuras de Alice no País das Maravilhas" (1865) e cria uma explosão de cores que salta aos olhos pelo 3D, que me levou a rir sozinha no momento em que tirei os olhos da tela para observar a platéia estática que me deu a impressão de que eu assistia a outro filme, com personagens tão bizarros quanto os de Alice.



Não posso dar muitos detalhes sobre o filme porque seria uma maldade para quem não o viu, mas é um filme que deslumbra, que faz rir e emociona. Johnny Depp, como sempre esplêndido, cria um Chapeleiro Maluco encantador, triste, que no contato com Alice se percebe inadequado e solitário.



Vale a pena!


Cliquem nas imagens para aumentá-las.
fotos:UOL

À tua procura







"Veio-me hoje uma vontade enorme de te amar. E então pensei: vou-te escrever." Nunca esqueci esta frase de Vergílio Ferreira, que abre o livro, "Em nome da Terra". Agora percebo-a. E escrevo-te. Escrever é também renascer.
Hoje é mais um dia em que pensei em ti. Acho que penso em ti em todas as alvoradas e todas as noites em que apago a luz do candeeiro marroquino, azul turquesa, que tenho junto à cama. Um pensamento, que dia após dia, não perde força. Uma imagem desmedida, ilimitada, excessiva. Faz hoje 6 meses que nos conhecemos. Estavas de branco. Vestias um fato de linho branco. Às vezes as luzes demasiadamente ofuscantes tornavam-no bege. Numa atmosfera de sons inquietos, de cores intermitentes, olhavas-me apertadamente como se já me percorresses há muito tempo. E eu renascia cada vez que tu o fazias. E tu renascias cada vez que eu fugia. Era o nosso renascimento para um qualquer começo que estava a acontecer. Lembravas-me intensidade. Explosão. Imaginação. Soavas a amor novo, fluente e incerto.
Hoje é mais um dia em que pensei em ti. Acho que penso em ti cada vez que vou procurar-te nas pastas criadas para colocar os antigos e-mails, nas frases já lidas e gastas, que limpo do pó. "Queria muito estar contigo agora... há coisas sobre mim que precisas saber... e há coisas sobre ti que eu queria saber. Não te quero assustar. Estou, nem sei bem, um tanto surpreso. Talvez, afinal, seja bom eu viajar. Mas, sim, queria muito ver-te antes." Depois, viajaste e escreveste: "Estavas tão incrivelmente linda no aeroporto - sinto-me um menino ao pé de ti, fico sem jeito. Sinto-me vago e vazio, nem sei bem. Algo me falta. Alguém. Como vou dormir sem o teu abraço?" Essa era a pergunta que também eu fazia enquanto te esperava. E ainda não conhecia o teu abraço, o teu toque, o teu cheiro, o teu beijo. Já renascia. Era a força do sim.
Hoje é mais um dia em que pensei em ti. Acho que penso em ti cada vez que tomo banho, no gota a gota. Cada vez que deixo que as recordações caiam, me lavem e me limpem. Cada vez que a espuma do erotismo me devora. No infinito. O verbo amar alterna num quente e frio com o verbo renascer. Saudades de outrora. Sempre. Saudades rítmicas de te ouvir dizer: "Nada morre ao pé de ti, tudo é flor. Longe de ti, porém, acho que anoiteço um pouco." Noite abraçada na felicidade. Nos esses(S) molhados que pronuncias, carregas e arrastas quando falas. Gosto quando o vento me traz o teu rosto num frio gélido e a tua mão morena, morna me aperta e toca como uma nuvem. Gosto quanto te afundas nos meus olhos. Depois salvo-te desassossegadamente e renasço.
Hoje é mais um dia em que pensei em ti. Acho que penso em ti cada vez que deambulo pelas ruas desalinhadas de Lisboa. Pelos becos do Bairro Alto, que percorremos a pé, pisando poças, como dois turistas. Sem mapas, nem mochilas. De mãos dadas. Dedos enlaçados. Livres, na névoa da cidade. Depois apanho conchas, enfraquecidas de pérolas, na praia onde uma vez almoçámos e nos enchemos de areia. Escrevo o teu nome. Acho que me vais ler. Adiante, gasto o resto das conchas rosadas e escrevo o meu. E parto. Olho uma última vez para aqueles nomes curtos que ficam humidamente desenhados. Volto a passar diante de casas desmaiadas, de prédios outonais com vasos sem plantas, de ruas mais ou menos habitadas. A tua casa amareladamente escurecida e avelhada. Passo quase por ti. A vontade que o teu sorriso me abra a porta. Viro as costas. O pouco sol renascido, que brilha, conforta-me na insuficiência de não estares.
Hoje é mais um dia em que pensei em ti. Hoje é mais um dia em que partimos. Amanhã é mais um dia em que voltamos porque os dias que marcam a nossa história, vão prolongar-se no tempo efémero. Sinto e não esqueço. Nitidamente vejo-te. Endireito-me no sofá domingueiro. Gozo-o. Lá fora, numa montra mais afastada vendem-se viagens. Todos os dias, mesmo ao Domingo, cada vez que olho para a vitrina compro uma viagem. Depois viajo contigo. Pela multidão alheia, pela planície, pelos poetas, pelos teus quadros, por culturas onde não há flautas nem pastores. Não sobra tempo nem silêncio.
Os gregos não escreviam obituários. Quando um homem morria, faziam a pergunta:

"Ele viveu com paixão?"
Que vais responder?


Inês Almeida in blog Sentir Sentido
foto: Susan Burnstein

Foi bonita a festa, pá!

VIVA O 25 DE ABRIL









Sei que está em festa, pá
Fico contente
E enquanto estou ausente
Guarda um cravo para mim
Eu queria estar na festa, pá
Com a tua gente
E colher pessoalmente
Uma flor no teu jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, que é preciso, pá
Navegar, navegar
Lá faz primavera, pá
Cá estou doente
Manda urgentemente
Algum cheirinho de alecrim

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente
Um velho cravo para mim
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
Nalgum canto de jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
Algum cheirinho de alecrim





este post foi programado

sábado, 24 de abril de 2010

Gooooorgeous




Tudo novo de novo...

Se joga que hoje é sábado!


Tudo na vida tem fim e recomeço.





Só não conto o quê... é segredo.




sexta-feira, 23 de abril de 2010

Salve Jorge!

ê Ogum ê






Eu andarei vestido e armado com as armas de São Jorge para que meus inimigos, tendo pés não me alcancem, tendo mãos não me peguem, tendo olhos não me vejam, e nem em pensamentos eles possam me fazer mal. Armas de fogo o meu corpo não alcançarão, facas e lanças se quebrem sem o meu corpo tocar, cordas e correntes se arrebentem sem o meu corpo amarrar. Salve Jorge!





quinta-feira, 22 de abril de 2010

Me, myself and I






É tão bom quando a vida mostra que em função dos atos que praticamos tomamos a melhor resolução para as nossas vidas.


fonte:i can read

Michael Bublé




A editora desse Nuvens apresenta o gato, Bublé, e convida quem quiser pra dançar.

I'm feeling good, really.







Leve




Levar a vida com leveza é uma arte que se aprende praticando.







. . .


Estou em ritmo de feriadão... mais tarde apareço de novo.


fonte:CacaoCocoa

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Começar de novo




Por hoje é só... feriado, sexta também.








terça-feira, 20 de abril de 2010

Maravilhosa







Vamos lá, meninas. Todas olhando pra ele e repetindo:

I'm goooooooooooorgeous!!!


fonte:Google

Fofura do dia





De uns dias pra cá, à noite, entre um programa de TV e outro aparece um mini documentário sobre o tamanduá bebezinho e estou completamente apaixonada pelo bichinho. Eu sei que cresce (muito), que não é um bichinho de estimação. Mesmo pelado ele tem o olhar mais meigo do mundo. Mas como dizem por aí: "amor não se escolhe, acontece".








fonte:Google

Sexy Thing




Let's dance...







Gostam?

New Obama





segunda-feira, 19 de abril de 2010

Playing to change

Stand by me





fonte:Luas de Mim

A atrapalhada







Prontinha pra sair logo de manhã - óculos e bolsa em cima da mesa enquanto via se não tinha me esquecido de nada - e mamãe me chama aflita porque havia percebido que a mangueira da máquina de lavar roupa estava pingando. Fui dar uma olhadinha e percebo que o registro também tinha ido pro beleléu porque não fechava água nenhuma.

Uns segundinhos depois percebi que se posicionasse a mangueira mais pra cima acabaria com os pingos, e lá fui eu, linda e loira, apanhar uma cordinha pra colocar a mangueira na posição certa até chamar alguém para trocá-la.

Só que além de atrapalhada (eu sei que sou), eu desconhecia a força que tinha, ou me esqueci dela, pois no último exame de força para a carta de condução alcancei o nível máximo e foi por causa dela que aconteceu o desastre. Puxei tanto a tal corda que amarrei à mangueira, que tanto a dita como o registro saltaram fora, e daí pra frente foi a desgraça. Tomamos um banho (eu, mais um): eu, a máquina e o chão da área de serviço. Foi a hora do stress.

Enquanto mamãe dava um jeitinho de recolocar o registro que tinha fugido corri para fechar os registros d'água da casa e foi aí que percebi que nenhum fechava a água que corria pelo buraco da saída de água da máquina. Não preciso dizer que xinguei até a quinta geração de quem fez a reforma no apartamento enquanto mamãe pedia pra eu xingar baixo para os vizinhos não ouvirem.

Liguei o interfone para falar com o porteiro com a intenção de pedir pra ele fechar o registro daquela zona dos apartamentos. E quem disse que nessa hora se encontra o porteiro na portaria? E quem disse que ele carrega o fone (sem fio) quando se desloca pra outra parte do prédio? Claro que não. E fui eu trocar de roupa e descer para encontrá-lo enquanto mamãe ligava para um bombeiro.

Mas quem disse que às 9 horas da manhã se encontra algum bombeiro? Claro que não. E lá vou eu pela rua abaixo até o prédio da minha tia para pedir a um santo (um porteiro) para consertar a desgraça. Porque esse serviço de trocar um registro, nenhum dos 3 porteiros do meu prédio sabem fazer.

Acabou? Nada. Chego ao prédio da minha tia e encontro Reginaldo (um dos porteiros que ri ao me ver) e diz antes que eu consiga dizer "Bom dia": Dona Cristina, o Brito já está trocando de roupa e já vai na casa da senhora.

Eu, esbaforrida, depois de ter descido a rua correndo, não sabia se ria ou se ligava pra minha mãe agradecendo por não ter me avisado que já tinha se comunicado com o batalhão de operações e resolvido o problema.

Agradeço ao Reginaldo, dou meia volta rumo à casa e quando meto a chave na portaria para abrir a porta, escuto uma voz atrás de mim que diz: Oi, Dona Cristina. Era o Brito, o salvador!

E foi assim a minha manhã de hoje.



Tocando em frente




É preciso amor pra poder pulsar.





É preciso paz pra poder sorrir.






É preciso a chuva para florir





fonte:CacaoCocoa

Terapia do joelhaço

por Martha Medeiros


Sentado em sua poltrona de couro marrom, ele me ouviu com a mão apoiada no queixo por 10 minutos, talvez 12 minutos, até que me interrompeu e disse: “Tu estás enlouquecendo”.

Não é exatamente isso que se sonha ouvir de um psiquiatra. Se você vem de uma família conservadora que acredita que terapia é pra gente maluca, pode acabar levando o diagnóstico a sério. Mas eu não venho de uma família conservadora, ao menos não tanto.

. . .


Comecei a gargalhar e em segundos estava chorando. “Como assim, enlouquecendo??”

Ele riu. Deixou a cabeça pender para um lado e me deu o olhar mais afetuoso do mundo, antes de dizer: “Querida, só existe duas coisas no mundo: o que a gente quer e o que a gente não quer”.


. . .


Quase levantei da minha poltrona de couro marrom (também tinha uma) para esbravejar: “Então é simples desse jeito? O que a gente quer e o que a gente não quer? Olhe aqui, dr. Freud (um pseudônimo para preservar sua identidade), tem gente que faz análise durante 14 anos, às vezes mais ainda, 20 anos, e você me diz nos meus primeiros quinze minutos de consulta que a vida se resume ao nossos desejos e nada mais? Não vou lhe pagar um tostão!”


. . .


Ele jogou a cabeça pra trás e sorriu de um jeito ainda mais doce. Eu joguei a cabeça pra frente, escondi os olhos com as mãos e chorei um pouquinho mais. Não é fácil ouvir uma verdade à queima-roupa.

“Tem gente que precisa de muitos anos para entender isso, minha cara”. Suspirei e entendi a homenagem: ele me julgava capaz daquela verdade sem precisar frequentar seu consultório até ficar velhinha. Além disso, fiz as contas e percebi que ele estava me poupando de gastar uma grana preta.

. . .


Tá, e agora, o que eu faço com essa batata quente nas mãos, com essa revelação perturbadora?

Passo adiante, ora. Extra, extra, só existe o seu desejo. É o desejo que manda. Esse troço que você tem aí dentro da cachola, essa massa cinzenta, parecendo um quebra-cabeças, ela só lhe distrai daquilo que realmente interessa: o seu desejo. O rei, o soberano, o infalível, é ele, o desejo. Você pode silenciá-lo à força, pode até matá-lo, caso não tenha forças para enfrentá-lo, mas vai sobrar o quê de você? Vai restar sua carcaça, seu zumbi, seu avatar caminhando pelas ruas desertas de uma cidade qualquer. Você tem coragem de desprezar a essência do que faz você existir de fato?

. . .


É tão simples que nem seria preciso terapia. Ou nem seria preciso mais do que meia-dúzia de consultas. Mas quem disse que, sendo complicados como somos, o simples nos contenta? Por essas e outras, estamos todos enlouquecendo.


fonte:Revista O Globo

Boooom dia!






Felicidade é um dom de viver
Cantando a vida
É no pagode, no bar, na avenida
Aonde for

Levo mensagem de fé
De amor e liberdade
E agradeço o destino
Que Deus abençoou


Sou cantor e sei
Quem gosta de mim
Quem gosta de mim
Gosta do meu samba assim
Eu sei

Quem gosta de mim
Quem gosta
Do meu samba assim

Já fui milico,
Bancário de horário
Terno e gravata


Já fui passista
Já fui ritmista
E versador

E da herança dos bambas
eu fiz a minha escola
Salve Antônio Candeia
Que foi meu professor
Sei compor e sei


Quem gosta de mim
Quem gosta de mim
Gosta do meu samba assim

Bola de gude, pião joguei
Por um cavaco eu me apaixonei
Adolescente e um violão
Hoje é um banjo que toca
Samba no meu coração

E eu sei

Quem Gosta de mim
Quem gosta de mim
Gosta do meu samba sim


fonte:Beth

sábado, 17 de abril de 2010

News






Estou me amando, de novo e dessa vez é definitivo. Descobri isso hoje quando acordei. Me vi ao espelho com a cara amassada, que eu costumo ter ao acordar, e me achei linda. E me achei linda por algumas decisões que tive de tomar nessa semana e percebi que o mal que eu passei, superei, só que ainda não tinha me dado conta. Me descobri me amando novamente e estou achando isso fantástico. É um reencontro comigo mesma.


fonte:FFFOUND!

sexta-feira, 16 de abril de 2010

E bom fim de semana a todos...








Se joga que hoje é sexta







fonte:Luas de Mim

Algodão doce






Alguns acontecimentos me fazem lembrar a minha infância, algumas imagens também. Essa me fez recordar o homenzinho que passava no portão do sítio dos meus avós e eu corria feito louca para pedir à ele que esperasse enquanto ia chamar meus pais. Queria sempre um rosa, um amarelo e outro azul e como é óbvio - porque tive pais normais - ganhava apenas UM algodão doce.

Eu tive uma infância feliz. E com você acontece o mesmo? Há coisas que lembram a infância?



fonte:CacaoCocoa

Música de hoje






Cê sabe que as canções são todas feitas pra você
E vivo porque acredito nesse nosso doido amor
Não vê que tá errado, tá errado me querer quando convém
E se eu não tô enganado acho que você me ama também

O dia amanheceu chovendo e a saudade me contêm
O céu já tá estrelado e tá cansado de zelar pelo meu bem
Vem logo que esse trem já tá na hora, tá na hora de partir
E eu já tô molhado, tô molhado de esperar você aqui

Amor eu gosto tanto, eu amo, amo tanto o seu olhar
Andei por esse mundo louco, doido, solto com sede de amar
Igual a um beija-flor, que beija-flor,
De flor em flor eu quis beijar
Por isso não demora que a história passa e pode me levar

E eu não quero ir, não posso ir pra lado algum
Enquanto não voltar
Não quero que isso aqui dentro de mim
Vá embora e tome outro lugar
Talvez a vida mude e nossa estrada pode se cruzar
Amor, meu grande amor, estou sentindo
Que está chegando a hora de dormir.



quinta-feira, 15 de abril de 2010

Ditado popular







Quem quis se casar sempre se casou, se não foi com quem quis foi com quem topou.


fonte:CacaoCocoa

Toma-me







Toma-me.
A tua boca de linho sobre a minha boca Austera.
Toma-me AGORA, ANTES
Antes que a carnadura se desfaça em sangue, antes
Da morte, amor, da minha morte, toma-me
Crava a tua mão, respira meu sopro, deglute
Em cadência minha escura agonia.
Tempo do corpo este tempo. Da fome
Do de dentro. Corpo se conhecendo, lento,
Um sol de diamante alimentando o ventre,
O leite da tua carne, a minha
Fugidia.
E sobre nós este tempo futuro urdindo
Urdindo a grande teia. Sobre nós a vida
A vida se derramando. Cíclica. Escorrendo.
Te descobres vivo sob um jogo novo.
Te ordenas. E eu delinqüescida: amor, amor,
Antes do muro, antes da terra, devo
Devo gritar a minha palavra, uma encantada
Ilharga
Na cálida textura de um rochedo. Devo gritar
Digo para mim mesma. Mas ao teu lado me estendo
Imensa
De púrpura. De prata. De delicadeza.



Hilda Hilst
foto:Jan Saudek

Moon







fonte:Luas de Mim

...








Mess







I'm the fish lost in the air...


fonte:FFFOUND!

quarta-feira, 14 de abril de 2010

Hey!







Twice... think three times and breathe again.




fonte:i can read

Ups...








fonte:iLOVE

There Must Be An Angel








terça-feira, 13 de abril de 2010

Lembranças




Bons tempos, outro tempo, outra de mim... não sei bem se outra, mas diferente.






E vários anos depois mudamos, por dentro e por fora, eu, Mark Owen e Robbie Williams com seu british accent que adoro.






The memories of TT lives on.



Rente ao coração




Rente ao coração entardeço-me
embalada pelas tuas palavras
que não oiço, mas sei que dizes
No teu peito explodo-me
de pele desfeita todas as noites
com a certeza de que havemos
de nos amar outra vez, um dia...


Maria in O Cheiro da Ilha
foto: Sistermoon

Ney






Dizem que sou louco por pensar assim
Se eu sou muito louco por eu ser feliz
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Se eles são bonitos, sou Alain Delon
Se eles são famosos, sou Napoleão
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz
Eu juro que é melhor
Não ser o normal
Se eu posso pensar que Deus sou eu
Se eles têm três carros, eu posso voar
Se eles rezam muito, eu já estou no céu
Mas louco é quem me diz
E não é feliz, não é feliz

Sim sou muito louco, não vou me curar
Já não sou o único que encontrou a paz
Mais louco é quem me diz
E não é feliz
Eu sou feliz



segunda-feira, 12 de abril de 2010

Vazio



E não era tristeza, era um vazio que inchava por dentro.


fonte:CacaoCocoa

Shall we dance?




Take That, e o vocalista franjudinho é meu queridíssimo, Robbie Williams.

E quem diria que na época do Take That, eu gostava do loirinho porque dançava muito. O gosto muda com o tempo.







Espanto



Da boca que de amor tanto e tanto me falara, brotaram
as mais duras e interditas palavras. E em mim restou,
além do espanto, toda a tristeza que emana de um jardim
destruído por um lamaçal em enxurrada.


Marcia Maia
foto:Jean Jacques André

Hey!




fonte:FFFOUND!

Boa semana






Mente ao meu coração
Que cansado de sofrer
Só deseja adormecer
Na palma da tua mão
Conta ao meu coração
Estória das crianças
Para que ele reviva
As velhas esperanças
Mente ao meu coração
Que cansado de sofrer
Só deseja adormecer
Na palma da tua mão
Conta ao meu coração
Estória das crianças
Para que ele reviva
As velhas esperanças
Mente ao meu coração
Mentiras cor-de-rosa
Que as mentiras de amor
Não deixam cicatrizes
E tu és a mentira mais gostosa
De todas as mentiras que tu dizes
Conta ao meu coração
Estória das crianças
Para que ele reviva
As velhas esperanças
Mente ao meu coração
Mentiras cor-de-rosa
Que as mentiras de amor
Não deixam cicatrizes
E tu és a mentira mais gostosa
De todas as mentiras que tu dizes



fonte:

domingo, 11 de abril de 2010

Música pra domingo




I'm loving angels instead...






sábado, 10 de abril de 2010

Ressaca



E depois da chuva, veio a ressaca. E como no Rio as ondas habitualmente não passam de metro e meio, a galera do surf não perdeu a oportunidade.

Doidos, totalmente doidos, mas que surfista em qualquer lugar do mundo não faria o mesmo?


Surfistas aproveitam a ressaca da maré para surfar na enseada de Botafogo, onde não costuma ter ondas.


Enseada de Botafogo



Surfista aproveita ressaca da maré para surfar em Copacabana, onde as ondas não passam normalmente de meio metro. A ondulação de quatro a cinco metros de altura interditou uma das vias da avenida Atlântica, em Copacabana, que foi tomada pela areia e pela água do mar. A ressaca também provocou a interdição do Aterro do Flamengo, outra via expressa que faz a ligação entre a zona sul e o centro da cidade.

Copacabana



fonte:UOL

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Comunique-se



Bonitinha a criação de Martí Guixé, que recebeu o nome de Communicator. Você coloca o que quiser nos utensílios e escreve na seta e nos balõezinhos.



fonte:designerblog

Bom fim de semana




Hoje eu não me jogo porque ainda chove. Acho que a cidade está um perigo pra sair por aí em ritmo de festa, aliás, depois de tudo o que aconteceu não é tempo de festa para a minha cabeça, por enquanto. Mas como a vida continua, uma música pra animar o coração porque apesar dos pesares, a vida continua.


BOM FIM DE SEMANA!







Saída







Tantos caminhos a tomar, sem saber pra onde ir.


fonte:CacaoCocoa

Noel Rosa








quinta-feira, 8 de abril de 2010

Viagem





O que eu mais queria hoje era me abandonar de mim.


fonte:CacaoCocoa

Alter ego









Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.