domingo, 31 de janeiro de 2010

Let's dance!



Eu sei que é Domingo, mas e daí? Bora dançar?


fonte:YouTube

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Carnaval - Blocos



Ainda não é, mas começa amanhã, ao meio-dia, na General Glicério esquina das Ruas das Laranjeiras, em Laranjeiras, no Rio.



GB Bloco


Se joga!

porque hoje é sexta-feira...




Dance, sambe, sambe muito, libere a endorfina e sinta-se bem...


fonte:YouTube

Tudo diferente

Gosto demais de Maria Gadu...



Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, né
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta

Você passa, eu paro
Você faz, eu falo
Mas a gente no quarto sente o gosto bom que o oposto tem
Não sei, mas sinto, uma força que embala tudo
Falo por ouvir o mundo, tudo diferente de um jeito bate

Todos caminhos trilham pra a gente se ver
Todas as trilhas caminham pra gente se achar, viu
Eu ligo no sentido de meia verdade
Metade inteira chora de felicidade

A qualquer distância o outro te alcança
Erudito som de batidão
Dia e noite céu de pé no chão
O detalhe que o coração atenta


fonte:YouTube

O príncipe



Ao olhar essa foto pensei: tadinho do príncipe... caiu do cavalo...

Não é minha culpa pensar isso, a culpa é de tanto ouvir dizer que ele vem montado num cavalo branco.


fonte:CacaoCocoa


A lua impiedosa
ou a tua língua, lavando-me
inteira e brilhante,
despiu-nos.
O teu corpo, espelho interminável,
sabia que a maldade
estava ocupada noutro sítio.
E possuíste-me inteira
no descuido exacto da vida.


Lourdes Espínola
foto: Andreas Heumann

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Tatoo

Foi adiada para depois do Carnaval.






fonte:Google

Amor?




deito-me sobre tantas coisas inúteis
e me pergunto o que valerá
todo o esforço?

este poema banal
- qualquer deles -
trata-se de traduzir o intraduzível?

a avalanche de microacontecimentos

despencando pelo nosso dorso,
a pele respondendo elétrica;
entre os dedos a escapar-nos;
sob os olhos,
através dos nossos sexos,
e do cataclismo do gozo,
dos corpos,
ou dos pensamentos, que correm
à busca de significado.

o que valerá a minha presença sem sentido
neste mar de sentidos a entrechocarem-se,
neste caos, sem linguagem que o signifique
a não ser o amor que vivi,
vivo,
viverei?


Silvia Chueire
foto: Anke Merzbach

Quando a chuva passar



Pra que falar?
Se você não quer me ouvir
Fugir agora não resolve nada...

Mas não vou chorar
Se você quiser partir
Às vezes a distância ajuda
E essa tempestade
Um dia vai acabar...

Só quero te lembrar
De quando a gente
Andava nas estrelas
Nas horas lindas
Que passamos juntos...

A gente só queria amar e amar
E hoje eu tenho certeza
A nossa história não
Termina agora
Pois essa tempestade
Um dia vai acabar...

Quando a chuva passar
Quando o tempo abrir
Abra a janela
E veja: Eu sou o Sol...
Eu sou céu e mar
Eu sou seu e fim
E o meu amor é imensidão...

Só quero te lembrar
De quando a gente
Andava nas estrelas
Nas horas lindas
Que passamos juntos...

A gente só queria amar e amar
E hoje eu tenho certeza
A nossa história
Não termina agora
Pois essa tempestade
Um dia vai acabar...


fonte:YouTube

Hey!




Todo mundo sabe que o arco-íris surge quando o sol brilha sobre gotas de chuva, quase simbólico pode significar coisas melhores depois que algo triste acontece. Depois de uma tempestade sempre vem a calmaria e a chuva, que é água, limpa tudo. Talvez por isso seja tão bom ver um arco-íris, ele dá um não-sei-quê de esperança.

fonte:i can read

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Fresquinha - Alice

Avril Lavigne está na trilha sonora do novo filme de Tim Burton, Alice in Wonderland. E a música é a cara dos filmes dele, psico!




fonte:Mirella

Um pouco de Vitché




A arte não tem o compromisso de ser linda. (Vitché)


fonte:UOL

Anjo



Acredita em anjo
Pois é, sou o seu
Soube que anda triste
Que sente falta de alguém
Que não quer amar ninguém.

Por isso estou aqui
Vim cuidar de você
Te proteger, te fazer sorrir
Te entender, te ouvir
E quando tiver cansada
Cantar pra você dormir.

Te colocar sobre as minhas asas
Te apresentar as estrelas do meu céu
Passar em Saturno e roubar o seu mais lindo anel.

Vou secar qualquer lágrima
Que ousar cair
Vou desviar todo mal do seu pensamento
Vou estar contigo a todo momento
Sem que você me veja
Vou fazer tudo que você deseja.

Mas, de repente você me beija
O coração dispara
E a consciência sente dor
E eu descubro que além de anjo
Eu posso ser seu amor.

Vou secar qualquer lágrima
Que ousar cair
Vou desviar todo mal do seu pensamento
Estar contigo a todo momento
Sem que você me veja
Farei tudo, tudo, tudo que deseja.

Mas, de repente você me beija
O coração dispara
E a consciência sente dor
E eu descubro que além de anjo
Eu posso ser seu amor.


fonte:YouTube

Os cabelos



Os cabelos
embora o vento passe
Já não se agitam leves. O seu sangue,
Gelando, já não tinge a sua face.
Os olhos param sob a fonte aflita.
Já nada nela vive nem se agita,
Os seus pés já não podem formar passos,
Lentamente as entranhas endurecem
E até os gestos gelam nos seus braços.
Mas os olhos de pedra não esquecem.
Subindo do seu corpo arrefecido,
Lágrimas lentas rolam pela face,
Lentas rolam, embora o tempo passe.


Sophia de Melo Breyner Andresen
foto: Anke Merzbach

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Só porque vale a pena...

Copiei do blog da Georgia, o Saia Justa.



É muito bom ser brasileira e principalmente carioca!


fonte:Georgia in blog Saia Justa

I wanna dance



E no meio de tanta gente eu encontrei você
Entre tanta gente chata sem nenhuma graça, você veio
E eu que pensava que não ia me apaixonar
Nunca mais na vida

Eu podia ficar feio só perdido
Mas com você eu fico muito mais bonito
Mais esperto
E podia estar tudo agora dando errado pra mim
Mas com você dá certo

Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais

Eu podia estar sofrendo caído por aí
Mas com você eu fico muito mais feliz
Mais desperto
Eu podia estar agora sem você
Mas eu não quero, não quero

Por isso não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais
Por isso não vá, não vá embora
Por isso não me deixe nunca nunca mais


fonte:YouTube

Feliz



A felicidade existe, mas é feita de momentos, alguns bem pequenos. Quem duvida disso? Quem acredita que existe no mundo algum ser humano 100% feliz levanta a mão.

A felicidade pode ser o sol que sai depois de vários dias de chuva, pode ser um encontro com uma amiga quando se estava doida pra contar uma novidade, pode ser a comida preparada com carinho que saiu comme il faut. É lembrar o nome da música que se estava a fim de escutar e mal se lembrava a melodia. É o momento em que aquele emprego, com um salário excelente se concretiza. É um presente inesperado. É o início de uma viagem de férias planejada há anos, o nascimento de um filho... e tantos outros momentos.

Já tive vários momentos felizes, então acredito que posso dizer que sou feliz. E você?


fonte:iLove

Música de hoje



There's a song that's inside of my soul
It's the one that I've tried to write over and over again
I´m wake in the infinite cold
But you sing to me over and over and over again

(Chorus)
So I lay my head back down
And I lift my hands and pray to be only yours
I pray to be only yours
I know now you're my only hope

Sing to me the song of the stars
Of your galaxy dancing and laughing and laughing again
When it feels like my dreams are so far
Sing to me of the plans that you have for me over again

So I lay my head back down
And I lift my hands and pray to be only yours
I pray to be only yours
I know now you're my only hope

I give you my destiny
I'm giving you all of me
I want your symphony
Singing in all that I am
At the top of my lungs
I'm giving him all I have

So I lay my head back down
And I lift my hands and pray to be only yours
I pray to be only yours
I pray to be only yours
I know now you're my only hope




fonte:Euzinha

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Nostalgia...

Quem se lembra dessa música?



Quando você chega na classe
Nem sabe
Quanta diferença que faz
E às vezes
Faço que não vejo e nem ligo
E finjo, ser distraída demais

Quantas vezes te desenhei
Mas não consigo
Ver o teu sorriso no fim
Te sigo
Caminhando pelo recreio
Quem sabe
Você tropeça em mim

Se enamora
Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar

Quando toca o despertador
De manhãzinha
Me levanto e vou me arrumar
E vejo
A felicidade no espelho
Sorrindo
Claro que vou te encontrar

Fico só pensando em você
E juro
Que vou te tirar pra dançar
Um dia
Mas uma canção é tão pouco
Nem cabe
Tudo que eu quero falar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantas cores
E vê você passar perto das flores
Parece que elas querem te roubar

Se enamora
Quem vê você chegar com tantos sonhos
E os olhos tão ligados nesses sonhos
Tesouros de um amor que vai chegar

Se enamora
E fica tão difícil
De ir embora
E às vezes escondido
A gente chora
E chora mesmo sem saber porque
Se enamora
A gente de repente
Se enamora
E sente que o amor
Chegou na hora
E agora gosto muito de você


fonte:Euzinha

Aos poucos...

...mas meus amadíssimos amigos





... aos reais e aos virtuais...



fonte: i can read



Cow Parade em S.Paulo

Adoro essas vaquinhas. A arte ao alcance de todos, e a interação da arte com o público é fantástica. E nesse ano, a novidade é uma vaca que se conecta a celulares e redes sociais.

Essa vaca está na calçada da alameda dos Maracatins, esquina com a avenida dos Bandeirantes, em Moema, coberta de QR-Codes (códigos que, quando lidos por um celular com acesso à internet, permitem a interação online) e qualquer um poderá acessar um site com conteúdo exclusivo e interagir com questões ligadas à cidade.



Clique aqui para ver o making-of das vaquinhas.


fonte:UOL

Vamos começar bem a semana?



Depois da onda pesada, a onda zen...


fonte:YouTube

sábado, 23 de janeiro de 2010

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Se joga! Dose dupla!





Isso sinceramente me arrepia! Swingão!!!


fonte:Euzinha

anos 50

Eu gostaria de ter sido trintona ou quarentona nos anos 50, em Paris.









fonte:FFFOUND


todos os dias há uma hora tardia
que tomba
para o dia seguinte;

faz arder os olhos
e o peito,
e no entanto o sono não vem.

é o intervalo em que parece
que todos dormem

e não é possível
arrumá-lo em lado nenhum.

quando se perdeu
a ilusão comum
de que algo ou alguém
poderia preencher

essa fissura

indefinível ferida
cujos lados se vão afastando
como falésias vermelhas

lugar sagrado erguido
no centro de um deserto

onde fulguram, e queimam,
concentrados,
todos os clarões da juventude.

onde se cruzam,
estonteados,
todos os traços invisíveis
dos caminhos percorridos,
dos passos já dados,

dos sítios já cantados.


Vitor Oliveira Jorge
foto: Elena Retfalvi

Este blog sempre terá poesias, sempre falará de sentimentos, sempre terá espaço para o amor, independente de críticas ou julgamentos. A interpretação é da cabeça de cada indivíduo e a liberdade de pensamento é constante neste espaço e também na minha vida.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Música pra quinta-feira




fonte:YouTube

Jeito de ser

por Marta Medeiros




Existe uma coisa difícil de ser ensinada e que, talvez por isso, esteja
cada vez mais rara: a elegância do comportamento.

É um dom que vai muito além do uso correto dos talheres e que
abrange bem mais do que dizer um simples obrigado diante de uma gentileza.

É a elegância que nos acompanha da primeira hora da manhã até a
hora de dormir e que se manifesta nas situações mais prosaicas, quando
não há festa alguma nem fotógrafos por perto.

É uma elegância desobrigada.
É possível detectá-la nas pessoas que elogiam mais do que criticam.
Nas pessoas que escutam mais do que falam. E quando falam, passam
longe da fofoca, das pequenas maldades ampliadas no boca a boca.
É possível detectá-la nas pessoas que não usam um tom superior de voz
ao se dirigir a frentistas.
Nas pessoas que evitam assuntos constrangedores porque não sentem
prazer em humilhar os outros.
É possível detectá-la em pessoas pontuais.

Elegante é quem demonstra interesse por assuntos que desconhece,
é quem presenteia fora das datas festivas, é quem cumpre o que promete
e, ao receber uma ligação, não recomenda à secretária que pergunte
antes quem está falando e só depois manda dizer se está ou não está.

Oferecer flores é sempre elegante.
É elegante não ficar espaçoso demais.
É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao de outro.
É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.
É elegante retribuir carinho e solidariedade.

Sobrenome, jóias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto.
Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo,
a estar nele de uma forma não arrogante.
Pode-se tentar capturar esta delicadeza natural através da observação,
mas tentar imitá-la é improdutivo.
A saída é desenvolver em si mesmo a arte de conviver, que independe
de status social: é só pedir licencinha para o nosso lado brucutu, que
acha que com amigo não tem que ter estas frescuras.
Se os amigos não merecem uma certa cordialidade, os inimigos é que
não irão desfrutá-la.
Educação enferruja por falta de uso. E, detalhe: não é frescura.


fonte: textos de Marta Medeiros

Metade


Que a força do medo que eu tenho,
não me impeça de ver o que anseio.

Que a morte de tudo o que acredito
não me tape os ouvidos e a boca.

Porque metade de mim é o que eu grito,
mas a outra metade é silêncio...

Que a música que eu ouço ao longe,
seja linda, ainda que triste...

Que a mulher que eu amo
seja para sempre amada
mesmo que distante.

Porque metade de mim é partida,
mas a outra metade é saudade.

Que as palavras que eu falo
não sejam ouvidas como prece
e nem repetidas com fervor,
apenas respeitadas,
como a única coisa que resta
a um homem inundado de sentimentos.

Porque metade de mim é o que ouço,
mas a outra metade é o que calo.

Que essa minha vontade de ir embora
se transforme na calma e na paz
que eu mereço.

E que essa tensão
que me corrói por dentro
seja um dia recompensada.

Porque metade de mim é o que eu penso,
mas a outra metade é um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
e que o convívio comigo mesmo
se torne ao menos suportável.

Que o espelho reflita em meu rosto,
um doce sorriso,
que me lembro ter dado na infância.

Porque metade de mim
é a lembrança do que fui,
a outra metade eu não sei.

Que não seja preciso
mais do que uma simples alegria
para me fazer aquietar o espírito.

E que o teu silêncio
me fale cada vez mais.

Porque metade de mim
é abrigo, mas a outra metade é cansaço.

Que a arte nos aponte uma resposta,
mesmo que ela não saiba.

E que ninguém a tente complicar
porque é preciso simplicidade
para fazê-la florescer.

Porque metade de mim é platéia
e a outra metade é canção.

E que a minha loucura seja perdoada.

Porque metade de mim é amor,
e a outra metade...
também


Oswaldo Montenegro

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Mágico

Freezeligth Magic Forest





fonte:CacaoCocoa

Diferente



Não pensem que caio, flutuo. É apenas um modo diferente de encarar as coisas.


fonte:CacaoCocoa

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Música

É antiga, é linda e foi um momento de inspiração magnífico que Paulo Gonzo teve na escolha das palavras e da melodia. Qualquer português a conhece, mas acho que os brasileiros, não. E vale ouví-la sempre pela linda poesia.



Quando amanheces, logo no ar,
Se agita a luz sem querer,
E mesmo o dia, vem devagar,
Para te ver.

E já rendido, vê-te chegar,
Desse outro mundo só teu,
Onde eu queria, entrar um dia,
P'ra me perder.

P'ra me perder, nesses recantos
Onde tu andas, sozinha sem mim,
Ardo em ciúme, desse jardim,
Onde só vai quem tu quiseres,
Onde és senhora do tempo sem fim,
Por minha cruz, jóia de luz,
Entre as mulheres.

Quebra-se o tempo, em teu olhar,
Nesse gesto sem pudor,
Rasga-se o céu, e lá vou eu,
P'ra me perder.

P'ra me perder, nesses recantos
Onde tu andas, sozinha sem mim,
Ardo em ciúme, desse jardim,
Onde só vai quem tu quiseres,
Onde és senhora do tempo sem fim,
Por minha cruz, jóia de luz

P'ra me perder, nesses recantos
Onde tu andas, sozinha sem mim,
Ardo em ciúme, desse jardim,
Onde só vai quem tu quiseres,
Onde és senhora do tempo sem fim,
Por minha cruz, jóia de luz
Entre as mulheres







fonte:Euzinha

sábado, 16 de janeiro de 2010

Sobre minha viagem

E já que comentei que iria viajar, falo mais um pouco dessa viagem. Infelizmente, porque logo depois de ter pisado em Portugal, meu Sasha, meu cãozinho, companheirão de 13 anos teve uma crise de insuficiência renal, um problema que tinha já há alguns anos mas que nunca havia se apresentado grave.

Estranho ainda a imensa intuição que tenho e que na maioria das vezes teimo em não escutar, em algumas situações serve pra livrar-me de situações menos felizes - quando a teimosia não bate à minha porta - e em outras me serve de pouco, como no caso do meu Sasha. Perguntei inúmeras vezes pelo meu queijinho em telefonemas à minha mãe porque tinha um pressentimento ruim que não me largava. E tal se confirmou. Sasha morreu sábado pela manhã e minha mãe optou por não me contar em função de uma longa viagem de 10 horas que eu faria. Viagem essa que foi antecipada - eu nem tinha data para voltar, aliás, nem pretendia - embora minha passagem estivesse marcada para 24 de janeiro. Adiantou pouco, a tal intuição me fez chorar a viagem inteira.

Minha mãe aguentou o sofrimento dele sozinha e sofreu sozinha e me ressinto de não ter estado aqui, no Rio, com ela. Consegui remarcar o retorno ao Brasil para domingo e a TAP me cobrou uma multa de 180 euros por isso e infelizmente, apesar da intuição de que ele estaria morto já, tal se confirmou assim que cheguei ao Rio.

Não aproveitei tudo o que Portugal tinha pra me oferecer, não estive com todas as pessoas com que gostaria de estar, desmarquei encontros e pedi desculpas e por aqui peço novamente. Perdi manhãs inteiras e parte da tarde em bancos e até agora não entendo como um banco como a CGD, trabalha com um único caixa - pelo menos, na Av. da República e na Av. dos Aliados é assim - em seu atendimento e porque as senhas dos seus guichês não levam menos de meia hora no atendimento aos clientes que mofam sentados com uma senha na mão. Teria mais tempo pra passeios e rever os amigos do Porto e não tive, desmarquei almoços e peço que me desculpem porque posteriormente não tive mais como remarcar devido à minha volta repentina. Além disso, se abateu sobre mim um desânimo e tenho certeza disso pela minha própria imagem na maioria das fotos.

Mas tive alguns momentos extremamente felizes, que consegui encaixar nesse turbilhão que vivi em Portugal: o reencontro com minha família, onde pude finalmente conhecer a filha do meu primo, Nuno, a Catarina Maria, que hoje tem 4 anos e é uma princesa linda, pela qual me apaixonei e nos grudamos numa tarde inteira muito bem passada.



O reencontro com pessoas que não via há muito tempo. E finalmente ver ao vivo duas amigas virtuais, que só confirmaram as pessoas especiais, hiper bem-humoradas, inteligentes que sempre se mostraram ser, a Ana Maria - do blog Pedras no Sapato - e a Maria - do blog Cheiro da Ilha -, que viraram as melhores amigas de sempre num almoço delicioso e prá lá de divertido, em Lisboa.

Com quem furei, peço imensas desculpas novamente, como a minha amiga, O'Sanji e outras, e com quem estive, muito rapidamente, o muitíssimo obrigado por eu ter passado momentos imensamente felizes e agradáveis.


Cris Caetano

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Comentários



E já tenho comentários novamente...

Mas só volto em Fevereiro, tá? Preciso ficar quieta no meu canto...



terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Felicidade

E houve um tempo em que eu só queria ser feliz... hoje não sei o sinônimo de felicidade, e também me pergunto se querer ser feliz não é uma atitude ignóbia perante tanta desgraça no mundo.

E o que é realmente essa felicidade que todo mundo fala quando diz que quer ser feliz? Vira e mexe, principalmente quando me sinto magoada ou triste me faço essa pergunta.

Pode parecer piegas, aliás vai parecer mesmo, mas já senti uma imensa felicidade em olhar pra um céu azul, com nuvens num dia de sol quando a temperatura era a mais agradável possível andando por Petrópolis, passando por uma paisagem estonteante num passeio no Norte de Portugal e ganhando beijos e abraçando pessoas de quem gosto e brincando com o meu cachorro.

Talvez felicidade não se explique (e continuo divagando sem respostas concretas), talvez seja uma sensação que pode durar segundos ou poucos minutos, mas é algo tão prazeroso que deixa na gente um sorriso largo de contentamento e faz com que nos recordemos desses instantes mesmo passados muitos anos.

Estou em busca novamente dessa felicidade - ou outro nome que isso tenha-, desse prazer rápido que enche a alma, que preenche o corpo todo e que se quer que dure pra sempre, mas não dura, mas não importa, quero de novo encontrá-la.

. . .


E eu achava também que só ia escrever aqui em fevereiro, mas senti necessidade de escrever novamente.



Relax

Como uma pessoa muda... há muito pouco tempo atrás estaria xingando até a quinta geração do Haloscan por ainda não ter resolvido o problema dos meus comentários, mas hoje, não! Estou relax.

Descobri que não posso excluir o site Haloscan do meu layout porque não fui eu a introduzir o código, na altura em que modifiquei pela última vez o layout do Nuvens optei pela maneira mais rápida e mais simples, a inclusão automática do Haloscan. O que foi simples na altura, hoje me impede de retirar o tal código.

Depois de emails pro Haloscan, espero placidamente que eles resolvam esse meu problema. Enquanto isso, o tempo passa e a muita tristeza pela morte do meu cãozinho vai tomando outra forma. Neste momento não me sinto capaz mesmo de procurar notícias ou coisas bonitas para colocar no Nuvens, ainda estou insuportavelmente triste.

A vida infelizmente é assim, nenhum ser vivo dura pra sempre, mas eu ainda não sou capaz de me acostumar com a morte, ela ainda me afeta profundamente.

Mas eu voltarei, os comentários voltarão também. Meu retorno ao blog estava previsto apenas para o fim do mês, portanto, vou aproveitar esse tempo pra descansar a cabeça de algumas coisas ruins que me aconteceram no início deste ano. Então até fevereiro se Deus quiser, e Ele há de querer!



terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Comentários

Hoje dei conta que meus comentários sumiram... o Haloscan bem me avisou que se agora eu não pagasse pelo serviço deixaria de ter o Haloscan no Nuvens. Pois bem, recuso-me a pagar por este tipo de serviço, só que os comentários do blogger não assumiram o seu lugar e não sei como dar a volta a isso, por enquanto. Se alguém souber como, me diga, estou em férias, no computador alheio e confesso que sem nenhuma pachorra pra procurar uma forma de resolver esse problema. Portanto, ajudem-me!!! E obviamente terá de ser através de meu email - cristina.olcaetano@gmail.com. Por favor.

E fica uma musiquinha que veio na cabeça... não consigo daqui ouví-la, sabe-se lá porquê a caixa de som não quer colaborar e falta-me, mais uma vez, pachorra pra resolver isso.





Saudades do Brasil

Como o ser humano pode ser tão insatisfeito? Falo de mim, obviamente...



No Brasil sinto saudades de Portugal, e em Portugal sinto saudades do Brasil. Mas num segundo de reflexão - enquanto escrevo este texto - percebo que a saudade está relacionada a gente, a calor humano, não propriamente a um país em si. Tanto no Brasil como em Portugal tenho amigas e amigos que fazem bem ao meu coração, que me fazem feliz e é sempre deles que sinto saudades, não tem outra explicação mais lógica. Sou facilmente adaptável às piores circunstâncias, ouso dizer que tenho um estômago de avestruz, capaz de engolir a seco o pior da vida e sair da situação em pé. Segundo um grande amigo meu, alfacinha, eu vergo mas não quebro. E vergo muito, pra ser sincera.

Mas não estou dizendo novidade nenhuma, todo brasileiro fora do Brasil sente saudades, independentemente de quanto feliz se sinta.

Estou com saudades... da "minha" praia, do chopp gelado e da conversa jogada fora lá no outro lado do Atlântico, nada a fazer com esse meu coração.





fotos: eu na Ribeira de Gaia, por Ayrton
Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.