segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Amigos



Todo mundo em algum momento da vida se questiona sobre a amizade. Se tem realmente amigos e quantos são, não é assim?

E vai se comparando com aquele amigo que quando dá uma festa enche a sala, e você quando dá uma festa sobra espaço. Só que o que você não sabe é que você convida pra sua casa os amigos de verdade, deixando pra lá o resto da galera e ele convida todos os que conhece e posa pra cima de você como O cara.

A amizade funciona da seguinte maneira: há os amigos íntimos, aqueles pra quem você mostra o pior de si próprio e ainda assim continuam do teu lado. Oferecem abrigo, ombro, e tudo o mais que você precisar, se dispõe, se oferecem, se doam em troca de nada... bem, nada não... em troca de você, da sua amizade. Esses cabem numa das mãos e ainda sobram dedos, e há os outros tão amigos quanto os íntimos que vão estar felizes por você estar feliz e vão oferecer um ombro quando você se disser triste sem perguntar nada pelo mesmo motivo: a sua amizade, esses também são poucos e raros.

E o restante? É o amigo do copo, o amigo da balada, o amigo do trabalho, o amigo da academia, o amigo do colégio, o amigo do futebol, o amigo da praia, conhecidos que você chama de amigo. Aqueles que você se lembra - sem contar o Natal e o fim de ano porque é de praxe -, umas seis vezes por ano em procurá-lo para dizer que se lembrou dele e sentiu falta e ele acredita porque faz o mesmo com você. Só que passado esse tempo você e ele já mudaram de casa ou de emprego ou de namorada, e nenhum dos dois dá conta que a vida do outro mudou. Mas tem quem teime em chamar uma pessoa assim de amigo.

Amigo é aquele que está presente sempre, independente da distância, que não te procura com segunda intenção de nada, ele apenas é teu amigo. Apenas?

Mas você é quem sabe se continua reclamando por achar que tem poucos amigos ou se prefere agradecer por ter esses poucos sempre do teu lado. A escolha é sempre nossa, ou se quer a sala cheia ou o coração.


Cris Caetano

9 comentários:

Maria disse...

Há momentos em que a sala cheia enche tamb ém ocoração. Mas eu percebo-te. Eu tenho Amigos, de há mais de 45 anos (!!!!!!!!!!!) e outros bem mais recentes. E depois tenho... conhecidos...
Já fiz amigos aqui na net. Porque estou solidária e 'sinto-os'. Um dia destes, em Janeiro, duas dessas Amigas que eram só virtuais passaram a ser reais. E gosto delas. E gostlo de as abraçar. Porque são genuínas!!!!

Beijinho, Cris!

Cris Caetano disse...

Eu sei que me entendeste. :)

Sinto-me também bastante próxima a alguns amigos que fiz na net e gosto demais dessas duas amigas que de virtuais passaram a reais. E engraçado que eu não tinha dúvida nenhuma que ia adorar estar com elas. Saudades... e vontade de estar junto novamente. :)

Beijinhos, Maria. Gosto de ti pra xuxu!

Ana disse...

Hoje faço os meus dois primeiros comentários depois da última paulada que a vida entendeu aplicar-me.
E vão exactamente para os blogues das duas amigas que, de virtuais, passaram a reais.

Para elas, o meu abraço mais forte.
E um beijinho.

Cris Caetano disse...

Ô! Vem de lá, querida! Ia te mandar um email hoje. Aliás, ainda te enviarei hoje um.

Parece que a vida tem prazer em nos dar pauladas, caramba! Força e tempo, Ana... só o tempo e com muita força pra superar.

Um abraço apertado e dois beijos.

Unknown disse...

Com certeza Cris. Também escrevi sobre amizade num post que está programado para entrar estes dias.

Bjao

Cris Caetano disse...

Tô de olho, Ge.

Beijão

Natália disse...

Olha eu estou nesse momento de me questionar sobre minhas amizades e tristemente descpbri que n tenho amigos, a n ser por aqui, no meio virtual...tem uma amiga que é minha vizinha, mas que eu só troco idéia por msn e eu spo falo da minha vida, ela nunca se abre pra mim....tem uma amiga que dp que casou, nem sms manda mais e tem os colegas da facu, que achei que eram meus amigos, mas descobri que eles só querem me sugar, pq eu passo cola e talz....sei lá, tô tão desiludida....

Cris Caetano disse...

E é por isso que quando falamos em amigos eles são poucos, há pessoas que dão sorte e conseguem ter muitos (mas isso é raríssimo), mas existe porque a Maria deu o exemplo e eu acredito nela.

Mas o normal é nos desiludirmos enquanto não somos capazes de distinguir o amigo verdadeiro do outro (o tal conhecido), mas quando encontramos unzinho, mesmo que ele seja único cultivamos com carinho e cuidado essa amizade e ele faz o mesmo.

Vá devagarinho se você não percebe do outro a mesma entrega, porque aí qualquer desilusão passa a ser menos dolorosa, mas nunca deixe de dar chance a uma nova amizade. Eu acho que enxergar um novo amigo é um feeling que vamos adquirindo a medida que vamos envelhecendo. Ok, tô falando como uma tia, mas é mesmo assim, a experiência de vida dá mais valias, não são só rugas o que acumulamos com o passar do tempo e mesmo assim, ainda damos espaços pra umas tantas desilusões. C'est la vie...

Beijão

Juliana disse...

Cris
Depois de um tempo vim te visitar. Esses dias pensei em vc. Hoje termino o curso de editoração, um desejo que compartilhei com vc lá trás. Li esse post vi a minha foto como link e senti saudades de vc, das nossas conversas e risos.

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.