segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Berlim lembra 20 anos da queda do muro

Uma cerimônia na igreja de Gethsemane, em Berlim Oriental, marcou o início das comemorações pelos 20 anos da queda do Muro de Berlim, nesta segunda-feira, na Alemanha. A igreja foi um dos centros de protesto nos meses que antecederam à queda.

Ainda nesta segunda-feira, líderes mundiais farão uma caminhada simbólica pela primeira fronteira da Alemanha Oriental a ser aberta em 1989. A queda do muro levou ao colapso do poder comunista no Leste Europeu, à reunificação alemã e ao fim da Guerra Fria.

A Alemanha Oriental comunista ergueu o muro de concreto com 155 quilômetros de extensão em torno de Berlim Ocidental em 1961 para evitar que moradores do lado comunista fugissem para o reduto capitalista. Acredita-se que mais de cem pessoas tenham morrido tentando escapar pelo muro.

Crianças conferem fotos históricas no aniversário de 20 anos da queda do Muro de Berlim no memorial de Bernauer Strasse, na capital alemã


A chanceler alemã Angela Merkel, que cresceu na Alemanha Oriental, está à frente das comemorações desta segunda-feira.

Entre os convidados internacionais, está o ex-líder soviético Mikhail Gorbachev, que vai acompanhá-la na caminhada sobre a ponte Bornholmer, que foi inesperadamente aberta depois de semanas de manifestações a favor da democracia.

Dominós
O presidente francês, Nicolas Sarkozy, o primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, e a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, também participam das comemorações, junto ao ex-presidente polonês Lech Walesa - que liderou o sindicato Solidariedade contra o regime comunista - e o ex-premiê húngaro Miklos Nemeth, que com a decisão de abrir as fronteiras do país, foi o primeiro a permitir que alemães orientais fugissem para o Ocidente.

Pessoas se reúnem junto a trecho do muro interno de um segmento preservado do Muro de Berlim. O local era um ponto da fronteira de Berlim Oriental. A capital alemã comemora nesta segunda-feira (dia 9) os 20 anos da queda do muro


Os principais eventos do dia vão ocorrer no portão de Brandemburgo - o símbolo da reunificação alemã em 1990.

Centenas de dominós gigantes feitos de espuma, pintados por jovens com mensagens de liberdade, foram alinhados na linha onde ficava o muro e serão derrubados às 20h (hora local, 17h em Brasília), representando como os governos comunistas da Europa do Leste foram caindo, um após o outro.

As festividades serão encerradas com um show de fogos de artifício e um show com músicos de vários países.

Falta de comunicação
Recentemente, o ex-funcionário do governo comunista da Alemanha Oriental Guenter Schabowski, cujo comentário casual de acabar com as restrições de viagem para a Alemanha Ocidental teria detonado a queda do muro, admitiu que houve uma falha de comunicação com o chefe do partido, Egon Krenz.

Schabowski anunciou o plano durante uma entrevista coletiva transmitida ao vivo pela TV, acrescentando que a medida entraria em vigor "imediatamente". Ele explicou à BBC que não sabia exatamente quando o muro seria aberto, mas que não fazia sentido anunciar a abertura e não abri-lo.

A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, posa para foto junto a uma peça de dominó pintada especialmente para as comemorações dos 20 anos da queda do Muro de Berlim


Schabowski disse que não se arrepende do comentário, porque ele levou à reunificação pacífica da Alemanha.

Na véspera das comemorações, Hillary Clinton pediu novo impulso para liberar os que ainda estão oprimidos. "Nossa história não terminou na noite em que o muro caiu", disse ela.

Jovem passa por peças de dominó pintadas especialmente para o aniversário de 20 anos da queda do Muro de Berlim. Na foto, peças estão dispostas sobre o traçado original do muro, em frente ao prédio do Reichstag


"Para expandir a liberdade de mais gente não podemos aceitar que a liberdade não pertença a todas as pessoas."


fonte:BBC Brasil e UOL

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.