segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Exaustão



A exaustão
das cinco da manhã
e a noite em claro

Gravo o poema,
que o peso da caneta
e eu nem Atlas

Os olhos a fecharem-se
mais fortes
que o desejo
(vontade de rimar
nestes espaços)

(Se agora tu viesses
Dar-me um beijo
Com certeza adormecia
Nos teus braços)


Ana Luísa Amaral
foto: Markus Arns

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.