quarta-feira, 11 de março de 2009


Porque te mentes?


Porque te mentes?
Porque dizes que de nada te lembras
quando eu sei que nada esqueces?
Porque não sais desse marasmo, dessa paz podre
e voltas à vida, aos sorrisos das manhãs claras
ou dos fins de tarde à beira mar?
Porque te mentes?
Porque insistes em negar tudo o que vivemos
se ainda te sinto em lágrimas nas minhas mãos?
Porque não apagas todas as palavras azuis
de sofrer e de dor e de angústia e desamor
e fazes renascer em ti o verbo amar?



fonte:Maria in O Cheiro da Ilha
foto: Anke Merzbach

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.