terça-feira, 30 de setembro de 2008

Há dias assim...

Desde ontem ando assim... à procura de inspiração...




Não sei o que é, me esqueci de Machado de Assis, leio as notícias e acho tudo meio sem graça. Espero que passe...


fonte:euzinha

A culpa é do Fantástico

Eventos em homenagem ao centenário de morte de Machado de Assis


Eu sou distraída, mas tem alturas em que fico pior, e quando isso acontece, eu escuto a notícia de leve, é como se o cérebro não processasse a informação. Há uma semana venho escutando sobre o centenário de morte de Machado de Assis; no domingo passado, no Fantástico, alguns escritores brasileiros leram trechos de obras de Machado e eu assisti a tudo num autêntico estado de torpor.

Ontem abri a internet e não me lembro de ter lido nada sobre Machado, também não tive tempo de ler meu jornal diário e nem sei o que se passou na TV. Hoje, bastante mais tranqüila, li parte do meu jornalzinho no café da manhã e agora resolvi abrir a net para encontrar notícias para colocar no blog. Estou morta de vergonha comigo mesma. Para reparar meu descaso com o "bruxo do Cosme Velho", segue abaixo a notícia que deveria ter sido colocada aqui ontem.

. . .


Nesta segunda-feira, 29 de setembro, completou 100 anos da morte do escritor Machado de Assis. Nascido no Rio de Janeiro em 1839, o autor de obras como "Dom Casmurro" e "Memórias Póstumas de Brás Cubas" é considerado o maior escritor brasileiro de todos os tempos.

Machado de Assis publicou seus primeiros poemas na década de 1850. Na década de 1860, tornou-se colaborador do jornal "Diário do Rio de Janeiro". Suas obras mais conhecidas - e que caracterizaram o estilo realista pelo qual ficou famoso - começaram a ser realizadas a partir de 1880, quando publicou "Memórias Póstumas de Brás Cubas" (1881), "Quincas Borba" (1891), "Várias Histórias" (1896) e "Dom Casmurro" (1899).

O escritor foi um dos fundadores da Academia Brasileira de Letras, a qual foi eleito presidente em 1897.

Morto no dia 29 de setembro de 1908 em sua casa na rua Cosme Velho, no Rio de Janeiro, Machado de Assis foi homenageado na Festa Literária de Paraty (Flip), no último mês de julho, com uma mesa que debateu sua obra formada por Ana Maria Machado, Luiz Fernando Carvalho e Sergio Paulo Rouanet.

Exposição
Até o próximo dia 26 de outubro o Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo, recebe exposição que homenageia o autor por meio de obras gráficas, projeções multimídia e cenografias recriando ambiente e época nos quais o escritor viveu.

Algumas unidades do Sesc na capital paulista também têm programação voltada ao centenário de Machado. No Sesc Vila Mariana, por exemplo, o ciclo "À Moda de Machado" realiza nesta terça-feira (30) leitura do conto "Pai Contra Mãe", seguida de debate sobre a obra e o autor.

No Sesc Itaquera (av. Fernando Espírito Santo Alves de Mattos, 1000), nos dias 12 e 19 de outubro, há navegação orientada por sites sobre o autor. As inscrições para participar do evento podem ser feitas pelo telefone (11) 2523-9326.

Na unidade de Ribeirão Preto (r. Tibiriça, 50. Tel.: (16) 3977-4477), interior de São Paulo, na terça-feira (30) às 20h ocorre leitura dramática de "Dom Casmurro".

Já no Rio de Janeiro, a Biblioteca Nacional (r. México, s/n. Tel.: (21) 3095-3862) exibe, até 8 de novembro, cerca de 200 documentos de Machado de Assis, entre fotos, manuscritos, cartas, jornais e as primeiras edições de seis livros do autor.

Na sede da Academia Brasileira de Letras (av. Presidente Wilson, 203. Tel.: (21) 3974-2500), a exposição "Machado Vive!" reúne, até 30 de outubro, 68 dedicatórias de romancistas e poetas ao escritor.


fonte:UOL

segunda-feira, 29 de setembro de 2008

Tá quase acabando




Hoje eu estou assim... há dias que o melhor é ficar no quentinho da caminha.


fonte:euzinha

Mulher bate mais em briga de casal, indica pesquisa

As mulheres reagem mais em brigas de casal. A diferença é que as agressões delas contra os companheiros, mais constantes, são leves, como empurrões e tapas, e as deles, mais graves e violentas. A revelação consta do 1º Levantamento Nacional sobre Padrões de Consumo de Álcool no Brasil, feito pelo médico Marcos Zaleski, a partir de entrevistas com 1.445 pessoas em todo o Brasil.

O estudo, feito com apoio da Unidade de Estudos de Álcool e Outras Drogas (Uniad) da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) e da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), revelou que 5,7% das entrevistadas admitiram ter batido pelo menos uma vez em seu parceiro nos 12 meses anteriores à entrevista. No caso dos homens, o índice foi de 3,9%. "Foi uma surpresa. Todos imaginavam que o número de homens agressores seria maior que o de mulheres", diz Zaleski.

No total das agressões - que inclui episódios em que a pessoa bateu, apanhou ou houve violência mútua -, a mulher também aparece como mais impetuosa. Elas se envolveram em 14,6% dos casos de Violência entre Parceiros Íntimos (VPI) e eles, em 10,7%.

A questão da bebida é controversa. Mulheres assumiram estar embriagadas em 9,2% das brigas com violência - homens disseram que suas parceiras haviam bebido em 30,8% dos casos. Eles admitiram ter bebido em 38,1% dos episódios de VPI, mas elas rebateram que o parceiro estava embriagado em 44,6% dos casos. Vale destacar que apenas um dos parceiros foi entrevistado por domicílio, ou seja, os números não retratam os dois lados da mesma moeda. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

n.r.: É deprimente que um casal chegue à violência, não importa quem agride, é a total falta de respeito pelo companheiro ou companheira.


fonte:Agência Estado

sábado, 27 de setembro de 2008


Deixa-me amar-te


Deixa-me amar-te em meus silêncios
Na calmaria do teu coração que me acolhe
E de onde se desprendem meus sonhos
Em vôos etéreos de plena liberdade

Deixa-me amar-te em minha solidão
Ainda que meus labirintos te confundam
E que teus fios generosos de compreensão
Emaranhem-se no tapete dos meus enigmas

Deixa-me amar-te sem qualquer explicação
Na ternura das tuas mãos que me sorriem
Escrevendo desejos em versos despidos
Na minha alva tez que te cobre e descobre

Deixa-me amar-te em meus segredos
Para que desvendes o que também desconheço
A alma dos meus abismos onde anoiteço
E meus olhos adormecem embalados pelo mistério

Deixa-me amar-te em tuas demoras, longas horas
Em que meu corpo se veste de céu à tua espera
E minhas mãos em frenesi acendem estrelas
Para alumiar-te, ainda que ausente estejas…


Fernanda Guimarães
foto: Andreas Heumann

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

... eu vou ali e já volto...




Preciso amar-te por isso digo fica
esta noite...
... Fica esta noite, ainda
outra, o tempo que demorar a cumprir
a decisão de amar-te...
... apenas vou precisar amar-te, depressa.


Helder Moura Pereira
foto: Tommy Edwards

terça-feira, 23 de setembro de 2008

Lembrando e ouvindo Maysa Matarazzo

Ontem através dos comentários, a Ana (Pedras no Sapato) se lembrou de Maysa Matarazzo e eu lhe prometi que se encontrasse o vídeo, colocaria aqui. Não é realmente do meu tempo, mas conheci-a através dos meus pais, e a música de que tenho memória da voz de Maysa na minha vida é "Meu Mundo Caiu", que é de sua própria autoria.

Achei um vídeo e depois de um minuto e pouco de blá-blá-blá entre Maysa e dois senhores da TV japonesa, pode-se ouvir essa linda música na sua belíssima voz.



Ana, um beijinho pra ti.



fonte:YouTube

Minimizando o erro cometido

Júri vai 'repetir últimos passos' de Jean Charles


Os jurados que acompanham o inquérito público sobre o caso de Jean Charles de Menezes, morto por policiais britânicos em julho de 2005, irão visitar, nesta terça-feira, locais ligados ao trajeto feito pelo brasileiro no dia em que foi morto.

Neste segundo dia de inquérito, os jurados visitarão a estação de metrô de Stockwell, onde Jean Charles foi morto, e o apartamento onde o brasileiro morava, no bairro de Tulse Hill, no sul de Londres.

Jean Charles de Menezes, de 27 anos, foi baleado sete vezes depois de ter sido confundido com um suposto homem-bomba, Hussain Osman, em 22 de julho, um dia depois de uma série de tentativas fracassadas de atentados suicidas no sistema de transporte de Londres.

O legista Michael Wright irá acompanhar os jurados para ajudar a esclarecer dúvidas sobre cada local.

As seis mulheres e cinco homens que compõem o júri serão levados, primeiro, para a estação de Stockwell, mais especificamente para a plataforma 2, onde Jean Charles entrou em um vagão de trem da Northern Line do metrô antes de ser morto.

Acredita-se que os trens de metrô continuarão funcionando normalmente durante a visita, mas os jurados só deverão permanecer no local por alguns minutos.

Depois, eles irão visitar o prédio de apartamentos onde o brasileiro morava, na rua Scotia.

Policiais que investigavam Hussain Osman haviam montado uma operação no local no dia 22 de julho depois das tentativas de atentados do dia anterior.

Os jurados também visitarão a New Scotland Yard e estações de polícia em Leman Street, no leste de Londres, e em Nightngale Lane, no sudoeste da capital.

'Convencidos'

Na segunda-feira, primeiro dia do inquérito que deve durar 12 semanas, os jurados ficaram sabendo que os policiais que atiraram em Jean Charles tomaram a decisão de matá-lo em questão de segundos.

O legista Michael Wright disse que os dois policiais estavam "convencidos" de que Jean Charles iria detonar uma bomba no metrô.

Falando aos jurados sobre os eventos que culminaram com a morte do brasileiro, Wright enumerou uma série de ocasiões nas quais os policiais não estavam certos se estavam ou não perseguindo um homem-bomba.

Ele falou sobre as diferenças entre as instruções sendo passadas por rádio - e registradas na sala de controle da Scotland Yard - e a interpretação dessas informações feita pelos policiais.

Wright também disse aos jurados que quando Jean Charles entrou na estação de metrô, nenhum integrante da equipe de vigilância o havia identificado positivamente como Hussain Osman.

Falando sobre a decisão dos policiais de atirar, o legista disse que os dois atiradores juntos haviam disparado nove balas, sete das quais atingiram a cabeça do brasileiro.

Os dois policiais - identificados apenas como Charlie 2 e Charlie 12 - irão prestar depoimento pela primeira vez ao longo do inquérito.

O júri irá decidir se Jean Charles foi ou não morto ilegalmente.

Ao falar aos jurados no início do inquérito, Wright disse que a procedimento é um exercício para descobrir o que aconteceu exatamente no dia e "não um fórum para determinar culpa ou compensação e muito menos para punir alguém."

n.r.: a incompetência da polícia não é privilégio do Brasil, mas é muito triste perceber que em todos os casos onde isso acontece, procura-se meios para minimizar um erro. A vida desse rapaz está perdida, nada pode aliviar a dor de seus familiares, mas o importante é punir o erro e começarem a usar meios de inteligência mais eficazes e não de "achismos" para ir à caça de simples bandidos ou terroristas.


fonte:BBC Brasil

As vantagens dos machistas

Homens 'machistas' têm salário maior, indica estudo


Homens que foram criados com a idéia de que mulheres devem ficar em casa tendem a ganhar salários mais altos, de acordo com um novo estudo realizado por pesquisadores da Universidade da Flórida, nos Estados Unidos.

O estudo, publicado na revista especializada Journal of Applied Psychology, sugere que, de forma sistemática, esses homens têm salários maiores do que funcionários com "pensamentos modernos".

Em média, segundo os cientistas, a diferença salarial é equivalente a US$ 8,5 mil (cerca de R$ 15,5 mil) a mais por ano.

A pesquisa foi conduzida em larga escala com entrevistas de 12.686 homens e mulheres em 1979, quando tinham entre 14 e 22 anos, e outras três entrevistas nas duas décadas seguintes - a última em 2005.

"Pessoas mais tradicionais podem estar tentando preservar a separação histórica de papéis no trabalho e em casa", diz Timothy Judge, um dos pesquisadores. "Nossos resultados provam que este é o caso."

Entrevistas

Nas entrevistas realizadas desde 1979, os pesquisadores perguntaram se homens e mulheres acreditavam que o lugar da mulher era em casa ou se ter mulheres trabalhando poderia levar a aumentos nas taxas de delinqüência juvenil.

De forma previsível, mais homens concordavam com isso do que mulheres, apesar de a diferença entre os gêneros ter diminuído de forma significativa com o passar do tempo.

Mas, quando os homens eram perguntados sobre seus salários, outra diferença surgiu. Os homens com opiniões mais "tradicionais" ganhavam mais.

Inversamente, as mulheres que tinham uma opinião contrária ganhavam um pouco mais – uma média de US$ 1,5 mil (cerca de R$ 2,7 mil) – do que mulheres de opiniões mais "tradicionais".

Magdalena Zawisza, psicóloga da Universidade de Wincheter, na Grã-Bretanha, afirma que existem várias teorias que podem explicar a diferença.

"Pode ser que homens mais tradicionais sejam mais interessados em poder, em termos de acesso a recursos – no caso, dinheiro – e também em termos de uma mulher mais submissa", afirmou.

"Outra teoria sugere que os empregadores tendem a promover homens que são os únicos provedores da casa – eles reconhecem que estes homens precisam de mais apoio para suas famílias", acrescentou.

n.r.: mas quando eu falo que as coisas não mudaram tanto assim, e que aquilo que se diz nem sempre é o que se faz, ninguém concorda comigo.


fonte:BBC Brasil

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

Adoro essa música



fonte:YouTube

Cientistas datam construção de Stonehenge de 2300 a.C.

Arqueólogos dataram a construção de Stonehenge, o conhecido conjunto pré-histórico de círculos de pedras na planície de Salisbury, no sul da Inglaterra, para o período em torno de 2300 a.C. - um passo importante para descobrir como e porque o misterioso monumento foi criado.

A data, definida pelo método de datação por radiocarbono, é considerada a mais precisa já realizada e significa que as pedras foram colocadas no local 300 anos depois do que se imaginava antes.

A determinação da data foi o principal resultado de uma grande escavação no local por pesquisadores britânicos.

Por séculos, arqueólogos se maravilham com o monumento, já que análises minerais indicam que o círculo original de pedras gigantes foi transportado à planície de um local a 240 km de distância, no sul do País de Gales.

Essa façanha fez com que muitos acreditassem que as pedras tivessem 'poderes'.

Até agora, acreditava-se que a construção do primeiro círculo datava do período entre 2600 a.C. a 2400 a.C.

Para definir a data exata, o professor Tim Darvill, da Universidade de Bournemouth, e o arqueólogo Geoff Wainwright, receberam permissão das autoridades para escavar um pedaço de terra de apenas 2,5 m x 3,5 m entre dois círculos das pedras gigantes.



A escavação produziu cerca de 100 peças de material orgânico das bases das pedras, agora enterradas. Dessas peças, 14 foram enviadas para a Universidade de Oxford para uma análise com radiocarbono.

O resultado indicou a construção para o período "entre 2400 a.C. a 2200 a.C" - o ano de 2300 a.C. foi tirado como uma média.

Uma data ainda mais precisa será revelada nos próximos meses.

"É uma sensação incrível, um sonho se tornando realidade", disse Wainwright, ex-arqueólogo-chefe da English Heritage.

Centro de curas
Darvill e Wainwright acreditam que Stonehenge era um centro de curas - "uma Lourdes neolítica" para a qual os enfermos viajavam para serem curados pelos poderes do arenito cinzento, conhecido como "pedras azuis."

Eles apontam para o fato de que "um grande número" de cadáveres encontrados em túmulos perto do local mostra sinais de doenças e ferimentos físicos sérios e uma análise dos dentes mostra que "cerca de metade" dos corpos era de pessoas que "não eram nativas da região de Stonehenge."

Mas sem uma data precisa para a construção de Stonehenge tem sido difícil provar essa ou qualquer outra teoria.

Curiosamente, o período estabelecido pelo método de radiocarbono bate com a data do enterro do chamado "Arqueiro de Amesbury", cujo túmulo foi descoberto a cerca de 4,8 km de Stonehenge.

Alguns arqueólogos acreditam que ele seja a chave para entender a razão pela qual Stonehenge foi construído. Os restos mortais dele foram datados para o período entre 2500 a.C. e 2300 a.C.

Análises do cadáver do arqueiro e de artefatos encontrados no túmulo dele indicam que ele seria um homem rico e poderoso, com conhecimento de trabalho com metais, e que tinha viajado da região dos Alpes europeus para Salisbury por razões desconhecidas.

Análises também indicaram que ele sofria de um ferimento no joelho e de um problema dentário potencialmente fatal, o que fez com que Wainwright e Darvill acreditassem que o arqueiro tenha ido para Stonehenge em busca de cura.

Debate
Mas outros pesquisadores acreditam que não se pode descartar outras teorias para a construção do monumento.

"A teoria de que foi um centro de curas é plausível, mas eu não acredito que possamos descartar outras - que o templo era um ponto de encontro entre a terra dos vivos e a dos mortos, por exemplo", disse Andrew Fitzpatrick, da Wessex Archaeology.

"Eu não estou convencido de que o 'Arqueiro de Amesbury' tenha vindo para Stonehenge para ser curado. Eu acredito mais que ele era um metalúrgico que viajou para o local para vender seus conhecimentos", afirmou.

"De qualquer forma, ainda não está claro se o enterro dele aconteceu mesmo antes de Stonehenge", concluiu.


fonte:BBC Brasil

sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Bom fim de semana... shiuuuuuuuu....



Sou feita de uma carne perecível
futuro de outra carne, sem nenhuma
eternidade. A rocha é uma invencível
parte da terra; que ela me resuma
no seu mesmo destino mineral.
A solidez ausente que tortura
nossa matéria frágil, no final
se renderá: serei de pedra dura.

Nunca mais chorarei nessa passagem
de poesia. Com nítida certeza,
recorto nas montanhas minha imagem
mais que raiz, expressa na beleza.
Pela terra em que não me desfiguro,
hei de surgir um dia em cristal puro.


Lupe Cotrim
foto: Alin Ciortea

Democracia?!?!

Venezuela expulsa chefe de ONG de direitos humanos


Quem anda aqui nesse Nuvens há um tempo já percebeu que eu evito falar em política, não porque eu não goste ou não me importe, muito pelo contrário. Mas há tempos ando lendo por aí comentários de alguns países da América Latina e que estes são democráticos e eu questiono muito essa visão de democracia. Democracia pra mim, não é apenas o povo ter o direito de eleger um governante, é principalmente como esse governante eleito dirige o país no qual é o líder político.

. . .


A Venezuela expulsou o diretor da organização de defesa de direitos humanos Human Rights Watch no país, José Miguel Vivanco, após a divulgação de um relatório que critica as instituições e o governo.

O relatório da Human Rights Watch (HRW), divulgado na quinta-feira, apresenta um balanço dos 10 anos de gestão de Hugo Chávez no qual afirma que o governo "debilitou as instituições democráticas e as garantias de direitos humanos" neste período.

O Ministro das Relações Exteriores da Venezuela, Nicolas Maduro, disse que Vivanco violou a Constituição do país. O documento foi divulgado uma semana após a expulsão do embaixador dos Estados Unidos na Venezuela.

"Intolerância política"

Em nota, o ministério das Relações Exteriores da Venezuela disse que o chileno José Miguel Vivanco violou a Constituição do país ao "interferir ilegalmente nos assuntos internos" do país.

"Com base nos valores constitucionais de defesa da soberania nacional e da dignidade do povo venezuelano, (o governo) decidiu expulsar do território venezuelano o referido cidadão", diz a nota. O assistente de Vicanco e co-autor do relatório, o americano Daniel Wilkinson, também foi expulso.

No documento, intitulado "Intolerância política e oportunidades perdidas para o progresso dos direitos humanos na Venezuela", a organização, que tem sede em Nova York, afirma que depois do fracassado golpe de Estado contra o presidente venezuelano, em 2002, Chávez teria "tomado" as instituições do Estado.

Entre as principais áreas criticadas aparecem "o controle" do governo sobre o poder judiciário, "discriminação política aos opositores", "limitações à liberdade de expressão e ao sindicalismo".

Uma das principais críticas apresentadas no documento afirma que na Venezuela "não há separação de poderes" e utiliza como exemplo a ampliação do número de cadeiras no Tribunal Supremo de Justiça, de 20 para 32, em uma reforma realizada em 2004.

Na avaliação da HRW, esse sistema teria sido implementado para que os magistrados favoráveis ao governo alcançassem maioria. Essa mudança foi qualificada pela HRW "como a mais grave violação do estado de direito", desde o golpe de 2002.

"Existe uma ausência de controle judicial, o que tem sido aproveitado por Chávez para aplicar políticas discriminatórias que limitam o exercício da liberdade de expressão dos jornalistas, da liberdade sindical dos trabalhadores e da capacidade da sociedade civil de promover os direitos humanos", afirmou José Miguel Vivanco, diretor da HRW, durante a apresentação do informe, nesta quinta-feira em Caracas.

Representantes do governo ouvidos pela BBC Brasil rejeitaram o informe da HRW e negaram que no país os direitos humanos e a democracia estejam em perigo.

Informe "incorreto"

Para German Sálton, representante do Estado venezuelano na Comissão Interamericana de Direitos Humanos, o informe é "incorreto" e não contempla aspectos que, a seu ver, são "conquistas" dos 10 anos de governo.

"A realidade venezuelana mostra números diferentes deste informe: o governo erradicou o analfabetismo, levou saúde à população mais pobre, garante acesso ao trabalho, isso é respeito aos direitos humanos, não violação", afirmou Sálton.

"Quando houve o golpe de Estado e o canal estatal foi tirado do ar, esta organização não emitiu nenhuma frase condenando esta violação à liberdade de expressão, nem tampouco contra o golpe", acrescentou.

Crise diplomática

Para Saul Ortega, deputado da Comissão de Relações Exteriores da Assembléia Nacional, a divulgação do informe está relacionada com a mais recente crise diplomática entre Venezuela e EUA.

Na semana passada Chávez ordenou a expulsão do embaixador norte-americano de Caracas "em apoio à Bolívia" e recebeu uma idêntica resposta por parte da Casa Branca.

"Não é por acaso que depois da expulsão do embaixador norte-americano os EUA começaram a nos atacar com os dois temas centrais para desqualificar um governo: narcotráfico e direitos humanos", afirmou Ortega à BBC Brasil.

Há dois dias, o governo dos EUA incluíram a Venezuela e Bolívia na lista de países que fracassaram na luta contra o tráfico de drogas no último ano.

"Discriminação"

No seu balanço sobre a gestão de Chávez, a HRW afirma que "a discriminação política" tem sido uma das características da atual presidência.

De acordo com o documento, houve "demissão de opositores políticos em algumas instituições estatais" e a criação de "sindicatos paralelos" aliados às políticas governamentais.

O deputado Saúl Ortega nega a existência de perseguição de trabalhadores opositores ao governo e disse que o Parlamento criou uma lei para coibir esta prática.

"Há uma lei vigente que proíbe as demissões injustificadas, para, entre outras coisas, impedir este tipo de abuso de poder por motivações políticas", afirmou.

Entre outras considerações, Human Rights Watch "recomenda" ao governo o "reestabelecimento da credibilidade" do Tribunal Supremo de Justiça e a criação de um organismo autônomo que administre a freqüência de rádio e televisão.


fonte:BBC Brasil

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

A culpada por esta música estar aqui é a Maria. Eu andava quieta ouvindo Madame Piaf no meu canto, sozinha com meus botões. Passei ontem no Cheiro da Ilha e dou de cara com Monsieur Brel cantando Amsterdam. De Amsterdam para as minhas lembranças de Ne Me Quitte Pas, foi um pulo. Ainda pensei se continuava escutando sozinha ou dividia. Está aqui o resultado dessa dúvida.



A letra diz o seguinte:

Não me deixes,
É preciso esquecer,
Tudo se pode esquecer
Que já para trás ficou.
Esquecer o tempo dos mal-entendidos
E o tempo perdido a querer saber como
Esquecer essas horas,
Que de tantos porquês,
Por vezes matavam a última felicidade.

Não me deixes.
Te oferecerei
Pérolas de chuva
Vindas de países
Onde nunca chove;
Escavarei a terra
Até depois da morte,
Para cobrir teu corpo
Com ouro, com luzes.
Criarei um país
Onde o amor será rei,
Onde o amor será lei
E você a rainha.

Não me deixes.
Te Inventarei
Palavras absurdas
Que você compreenderá;
Te falarei
Daqueles amantes
Que viram de novo
Seus corações ateados;
Te contarei
A história daquele rei,
Que morreu por não ter
Podido te conhecer.

Não me deixes.
Quantas vezes não se reacendeu o fogo
Do antigo vulcão
Que julgávamos velho?
Até há quem fale
De terras queimadas
A produzir mais trigo;
Que a melhor primavera
É quando a tarde cai,
Vê como o vermelho e o negro
Se casam
Para que o céu se inflame.

Não me deixes.
Não vou chorar mais,
Não vou falar mais,
Escondo-me aqui
Para te ver
Dançar e sorrir,
Para te ouvir
Cantar e rir.
Deixa-me ser a sombra da tua sombra,
A sombra da tua mão,
A sombra do teu cão.

Não me deixes,
Não me deixes.


fonte:YouTube

Sasha de capa e capuz

Prometido é devido




Lambidinhas do Sasha para a Ana.


fonte:euzinha
Onde os limites
Ao poder dum amor cego
Sob a venda negra da paixão

Onde os limites
Se
A pele é seda
A dor é prazer
O obsceno aguilhão
A exaustão prado ameno

Retirada a venda à paixão
Resta a calma no olhar
Ao mais fundo da alma
Com limites


Daniel Sant'Iago
foto: Theo Berends

quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Ladrão "família" devolve carro com criança dentro

Um ladrão chamou a polícia ao perceber que, no banco de trás do veículo que havia furtado, dormia um menino de cinco anos, durante a madrugada de hoje, em Passo Fundo, Rio Grande do Sul. Segundo informações do portal Zero Hora, ele ligou para a Brigada Militar informando onde abandonaria o carro.

O veículo pertencia a um casal que, segundo o Zero Hora, estava em um bar na hora do furto. O policial que atendeu à ocorrência chegou a afirmar que o ladrão teria reclamado da irresponsabilidade do casal. "Ele ligou com um tom de indignação pelo absurdo da criança estar sozinha dentro do carro àquela hora", afirmou Cláudia Crusius, delegada do 2º DP, onde o boletim de ocorrência foi registrado.

O ladrão furtou o veículo, um Monza azul 1983, por volta das 2h, no centro de Passo Fundo. Ao perceber a presença do menino, ele ligou para o 190 e informou que deixaria o carro na Rua 7 de Agosto, 488, no bairro Operário. No boletim de ocorrência não consta que o ladrão tenha levado algum objeto de dentro do veículo.

Quando a Brigada Militar encontrou o Monza, o garoto ainda estava dormindo. O carro estava com documentos vencidos e acabou guinchado. O menino foi levado para Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento e a mãe foi chamada a se apresentar às 10h no Conselho Tutelar.

A polícia ainda não encontrou o ladrão. "A princípio, vamos ter que apurar a situação. Mas, pelo insólito da situação, eu já adianto que não vou pedir a prisão", disse a delegada.


fonte:UOL

terça-feira, 16 de setembro de 2008

Essa chuva que não pára...

E essa chuva que não pára... sinto-me em São Paulo ou no Porto, menos no Rio. Desde Domingo, a chuva não pára e faz frio, isso deprime uma pessoa. Sasha só vai à rua de capa e capuz e quando volta pra casa, vem num mau humor, como se eu tivesse culpa dele não poder patinhar a rua toda, estar vestido daquele jeito e ter de secar as patas. É um problemão pro meu orelhudo.



Não tenho foto de Sasha com capa por motivos óbvios, mas tenho de arranjar um jeito de tirar uma foto porque ele fica muito engraçado.


fonte:euzinha

O que esperar de um casamento

Artista cria vestido de noiva com 1,5 mil luvas de cozinha


Um vestido de noiva feito de luvas de cozinha e assinado pela artista plástica britânica Susie MacMurray é o destaque de uma exposição que abre neste mês em Nova York.

Intitulada "A Mixture of Frailties" ("Uma mistura de fragilidades"), a peça demorou vários meses para ser montada e é feita de cerca de 1,5 mil luvas de cozinha viradas do avesso.

Depois de uma temporada em exposição no museu Tuille House, em Carlisle, no noroeste da Inglaterra, a obra será um dos destaques da mostra "Second Lives: Remixing the Ordinary", que será inaugurada no dia 27 no Museu de Arte e Design de Nova York.

Em entrevista à BBC Brasil, a artista afirmou que a produção da obra faz parte de seu interesse pela "natureza visceral dos contos de fadas".

"Os contos de fadas geralmente funcionam como contos de alerta e precaução. Esse vestido, enquanto belo e extravagante, pode provavelmente ser visto como uma armadilha - cuidado com o que você deseja", disse MacMurray.

Segundo a curadora da Tuille House, Fiona Venables, a obra faz referência "tanto ao sonho da menina de um vestido de casamento branco quando à realidade das tarefas domésticas".

Materiais
Além de "A Mixture of Frailties", a artista criou ainda outra peça similar, feita de balões metálicos.

A obra, intitulada "Gladrags", é um casaco composto de 10 mil balões metálicos cor-de-rosa e contou com ajuda de três assistentes para ser produzida.

Assim como no vestido de noiva, "Gladrags" - atualmente em exposição na galeria Pallant House, em Chischester, na Inglaterra - também revela o interesse da artista pelo material e sua associação com o conteúdo da obra.


fonte:BBC Brasil

segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Sem palavras

Eu já fui católica - batizada, crismada e tudo o mais -, hoje prefiro dizer que sou espiritualista independente porque não me encaixo em religião nenhuma ao mesmo tempo que não quero, nem acho necessário me afastar de Deus.

Mas porque cargas d'água estou eu aqui escrevendo sob a minha opção espiritual?

Uma amiga, um dia desses me disse que se não pararmos de fumar - já parei, voltei, mas ando sem pachoorra para ficar me policiando -, iremos pro Umbral porque somos uma espécie de suicidas. Não acho, sou uma pessoa em alguns momentos bem boazinha e creio sinceramente que vou fazer uns desvios quando chegar lá em cima. Bem, era o que pensava. Um belo dia, vi o padre Fábio de Melo na TV e o dito canta e tem uma voz lindíssima. Não é o meu gosto musical preferido, mas até dá pra escutar - e a voz dele "falada" é ainda mais bonita - e mais não digo porque ainda conto com os tais desvios.




fonte:YouTube

Terrorismo cultural

Grupo reivindica furto de Goya em Bogotá


Um grupo que diz lutar contra a "burocracia da arte" reivindicou o furto da gravura do pintor espanhol Goya que desapareceu na quinta-feira em Bogotá, segundo comunicado revelado neste domingo.

O grupo, que se apresenta como Comando Arte Livre S-11 (em referência ao dia 11 de setembro), assumiu ter furtado a obra em uma mensagem enviada para a Fundação Gilberto Alzate Avendaño, onde a gravura "Tristes Presentimientos de Lo que Va a Acontecer" estava exposta.

A nota é entitulada "Goya, tua gravura volta à luta" e defende o furto da obra - que era exibida junto com outras 79 gravuras -- como uma ação da arte livre contra a burocracia.

"Sua gravura rompe as teias-de-aranha do museu e se lança aos combates do presente. Passa para nossas mãos, para as mãos da arte livre de políticos, e aponta agora contra a imagem de todos esses burocratas exploradores do povo", diz a mensagem.

"Goya não está com eles, os oportunistas, mas sim com os oportunos. Por isso sua gravura passa para nossas mãos. Para as mãos do público que não vai a coquetéis, que não paga a entrada (de 2,4 dólares) cobrada pela Fundação Gilberto Alzate Avendaño para ver a exposição".

O coronel Yesid Vásquez, comandante operacional da Polícia de Bogotá, declarou estar analisando o texto, mas que "até agora não há indícios de que esse grupo exista. Pode ser para desviar as investigações, há inconsistências".

Carolina Potes, da empresa Old Masters Art Brokers, que organizou a exposição, estimou que os ladrões estão tentando disfarçar o crime com uma "ideologia política", pois perceberam o tamanho do que fizeram e constataram que "não vão enriquecer, porque não é uma obra de valor comercial". Além disso, "Goya era um burguês e não um combatente das idéias. Tudo isso é falso", argumentou.

A gravura, de 17,8 x 22 cm, corresponde à primeira impressão da série "Os Desastres da Guerra" - realizada entre 1810 e 1814 - e integra o patrimônio cultural espanhol. Segundo os organizadores, a obra está segurada em 4 mil euros.


n.r.: é, pode ser. Mas que há maluco pra tudo, há.


fonte:AFP

domingo, 14 de setembro de 2008

Laranjeiras sob o olhar de um angolano

Laranjeiras de mim...

por *Ondjaki

...talvez as pessoas gostem de lembrar e celebrar a cidade do Rio de Janeiro com as praias e as copacabanas e as ipanemas e as mulatas e as cervejas num futebol de Maracanã enlouquecido pela multidão, passando pelos carnavais e as favelas, tudo bem, pode ser, para mim, a cidade do Rio é e vai sendo o pacato bairro das Laranjeiras, com as árvores bonitas de poemas silenciosos e o cocô dos cães nos passeios,

em Luanda, quando pisamos em cocô de cão dizemos "ativei uma mina", e o meu olhar está sempre permanentemente alerta, é raro eu ativar uma dessas incômodas minas, Laranjeiras é o lugar da minha calma e da minha quase distância de mim, aqui conheci antigos amigos que me faltava colecionar, o mundo mágico e palavroso do meu amigo Lino (dono de uma infância fabulosa com laivos concretos de realidade), aqui sei das vozes das crianças ao fim da tarde e o silêncio bonito, mudo, dos miúdos que saem alegres da escola de surdos, muitas vezes aprecio, em Laranjeiras o intervalo dos meninos na escola para surdos, quanta alegria silenciosa!, quanta beleza nos gestos que inventam dizer sorrisos,

mais adiante, a Rua Alice, a comida agradável na Adega do Serafim, alguns metros depois, é raro não estar lá o Edgar na sua tasca, ou está de pé junto ao balcão ou fica mais ao fundo, como que saboreando a tarde, talvez pensando na vastidão do tempo que já atravessou, ali perto gritam os taxistas, buzinam, passam velozes os entregadores nas suas bicicletas gordas de rápida frequência, o hospital das pessoas com problemas de coração, e também crianças - ali dentro se joga o futuro dos corpos e o destino das vidas, o coração, órgão que afinal cataliza a vida, ou a interrompe, frágil no seu tamanho e responsável - dizem - por emoções associadas à poesia, à coragem, às decisões, aos rumos,

ao fim da tarde, no início da General Glicério, um senhor de idade avançadíssima abre as janelas como quem fosse voar ou convidar pássaros para a sua tarde, deixa que a sua música clássica invada a rua e contagie os passantes, sorrio para ele, ao que me corresponde com uma mirada que é misto de loucura e vôo, se ele não faz adeus com a mão, faz com o olhar,

ali existe um ruído de árvores ao fim da tarde, que Luandino Vieira, escritor angolano, chama de "xaxualhar" (um belo termo, penso), o maximbombo (ônibus) 184 vai levar o seu condutor à Central, ele que queria ficar ali a conversar com os outros, a beber o seu café,

mais longe os bicheiros fazem o seu trabalho com maior ou menor simpatia, gatafunham rabiscos, poderosos códigos, permanecem atentos aos celulares, passa um homem gordo com um cinto frágil na cintura, todas as tardes aposta (terá ganho?, continua a ganhar?), o arrumador de carros sorri mesmo quando não lhe dão a prometida moeda, do supermercado saem as empregadas com as compras, as velhotas de roupa mal escolhida e de varizes desprotegidas, as babás escuras com os meninos claros,

dentro do supermercado sou invadido pela timidez do meu sotaque, procuro os artigos antes de fazer perguntas em voz alta, se as faço obrigam-me a falar mais alto e as pessoas olham para mim, "você é português?", eu só queria encontrar uma caixa com seis ovos em vez de 24, "sou angolano", digo, mas as caixas de seis ovos são raras, o alho francês aqui tem ouro nome, o sal grosso é demasiado grosso, as stella artois são baratas, o vinho português é caro, o sabão líquido de lavar a louça é demasiado diluído, mas ali onde a General Glicério encontra a Rua das Laranjeiras, no cantinho, está a Nossa Sorveteria e Confeitaria, com a simpatia do senhor Adriano (e as respectivas filhas),

lá o suco de melancia misturado com melão é uma maravilha, ou então uma cerveja bem gelada, porque junto das cinco, infalivelmente, a bela criatura - senhor Barone? - a quem chamam de Vovô vai chegar, na sua inclinação cronológica, vai sorrir, cumprimentar e beber religiosamente o seu copo de cerveja, enquanto ninguém mais fala, só o arvoredo, como que inventando segredos longínquos, no que o Luandino diz ser o "xaxualhar" das árvores, aqui, na cidade do Rio de Janeiro, no quieto bairro das Laranjeiras, perto de um dos terraços mais simpáticos do mundo...


*Ondjaki é escritor angolano e está passando uma temporada no Rio, onde vai ministrar um curso no POP - Pólo de Pensamento Contemporâneo.


n.r.: é, minha Laranjeiras é mesmo assim, e me impressionou o olhar dele sobre as crianças surdas, esse sempre foi o meu olhar. E a minha GG, é um caso de amor à parte...


fonte:Revista O Globo

Madonna em Portugal

Uma pergunta que não quer calar: vocês foram ao show da Madonna?




fonte:YouTube


Não sei adormecer: a madrugada
respira num silêncio que é o teu
silêncio, nesta febre
a arder na minha alma tão antiga.

Lá fora os astros não respondem:
as montanhas diluem o tempo e o espaço
e todo o céu começa a dilatar-se
no êntase mais negro enquanto bebo
o cego sofrimento de não estares aqui.

A tua ausência fala-me às escuras
e o olhar devora estas paredes,
o meu quarto vazio onde se oculta
o lume de uma estrela
pronta a morrer. A noite
chama ainda por ti dentro de mim
- sombra feita de luz,
à espera de outro sonho ou do teu próximo
sorriso.


Fernando Pinto do Amaral
foto: Frederic Gaillard

sexta-feira, 12 de setembro de 2008

Procriação na Rússia

Província russa tem feriado para casais procriarem


Em um esforço para reverter as baixas taxas de natalidade, o governador da província russa de Ulyanovsk, Sergei Morozov, decretou a data de hoje "Dia da Concepção". A idéia é incentivar os casais dessa região da Rússia Ocidental a tirarem o dia livre para fazer sexo.

A data foi instituída em 2005 e escolhida por preceder em exatos nove meses o dia nacional da Rússia, 12 de junho. Sob o slogan "Dê à luz um patriota", a campanha agracia casais que tiverem filhos exatamente no 12 de junho com brindes como televisores, máquinas de lavar, geladeiras e - o grande prêmio da última competição - o jipe UAZ-Patriot, de fabricação russa, que é oferecido a um casal eleito por uma comissão.

Esse tipo de iniciativa inusitada evidencia a situação demográfica alarmante da Rússia contemporânea. Desde o colapso da União Soviética, em 1991, a Rússia vê sua população diminuir drasticamente, com um declínio médio de 700 mil habitantes por ano. Uma projeção feita pela ONU em 2006 colocou o país na quinta posição entre os países industrializados que mais devem perder população no intervalo de 2007 a 2050, devendo chegar a pouco mais de 100 milhões de habitantes dentro dos próximos 40 anos.

Para o cientista político Christian Lohbauer, há dois principais motivos para essa queda, diretamente relacionados à adoção no país do sistema capitalista. Com o fim da União Soviética, os russos - inclusive as mulheres - entraram em um regime de competição de mercado, onde não há espaço para criar muitos filhos. O capitalismo também veio acompanhado de uma cultura de consumo, que encarece o custo de vida.

Com uma taxa de natalidade de 11,03 nascidos vivos por mil habitantes, menor que a taxa de mortalidade de 16,06 mortes por mil habitantes, a Rússia registra crescimento populacional negativo de -0.47% (estimativa para 2008 do CIA World Factbook, publicação da agência de inteligência do governo norte-americano). A taxa de fecundidade (número de bebês nascidos pelo número de mulheres em idade fértil) é de apenas 1,4 - quando o mínimo para garantir a estabilidade da população é 2,1."O que ocorre na Rússia é o mesmo que se passou na Itália, França, Espanha, quando se modernizaram", avalia Lohbauer.

O resultado da baixa taxa de fecundidade, aliado ao aumento da expectativa de vida, é o envelhecimento da população, com duas conseqüências econômicas diretas: a diminuição da força de trabalho (representada pela população jovem) e o aumento dos custos da previdência, devido ao desequilíbrio entre a população economicamente ativa e a aposentada.


fonte:UOL

quinta-feira, 11 de setembro de 2008

Cão é ouvido como 'testemunha' em caso de morte na França

Um cão foi 'ouvido' como testemunha na investigação de uma misteriosa morte ocorrida há dois anos e meio em um subúrbio de Paris.

O animal foi trazido ao caso para reforçar a tese de que sua dona, uma mulher de 59 anos encontrada enforcada em seu apartamento em Nanterre, nas proximidades da capital francesa, foi vítima de um assassinato.

A tese, defendida pela família, contraria a posição da polícia, que não lançou uma investigação completa de assassinato por falta de evidências.

Para aportar elementos às investigações, o juiz Thomas Cassuto decidiu confrontar um possível suspeito com o cachorro, que se acredita ter sido a única 'testemunha ocular' do crime.

A 'acareação' foi realizada em julho passado com a ajuda de dois psicólogos veterinários, segundo informação veiculada na rádio France Info e reconfirmada pela mídia local.

Notas

Um funcionário do tribunal ficou responsável por tomar notas cuidadosas sobre o comportamento do cachorro ao longo de todo o período. Segundo a France Info e o canal de notícias LCI, o cão foi apresentado a dois suspeitos.

Entretanto, de acordo com o periódico satírico Le Canard Enchainé, o animal não teria demonstrado "reação significativa" senão em um determinado momento – quando se agitou próximo de um policial que cuidava do animal.

"Esse latido, certamente um tanto banal, não pode ser desconsiderado", afirmou um advogado à rádio Franco Info, em declarações reproduzidas no diário Le Figaro.

"Ele aporta (evidências) a uma linha de investigação longa e complexa, à qual várias outras evidências já foram recolhidas."

"Não seria portanto o determinante para condenar qualquer pessoa com base nessa confrontação", ele acrescentou.

A história mais diverte que convence magistrados escutados pela mídia francesa. "Quando nos damos conta da fragilidade de um testemunho humano, que pensar do testemunho canino?", questionou um à rádio France Info.

Já o presidente do sindicato dos magistrados disse ao canal de notícias LCI disse que um cão "não pode ser testemunha" em um processo. Ele qualificou a história de "inédita".

Outras fontes escutadas pela imprensa francesa lembraram que os dois anos e meio decorridos entre o incidente e os dias atuais correspondem a 17 anos na vida de um cachorro, o que fragilizaria ainda mais as possíveis memórias do cão sobre o evento.

O caso continua.


fonte:BBC Brasil

quarta-feira, 10 de setembro de 2008


Sento-me


O meu regresso é uma promessa.
Mesmo que escrito na areia da praia.
Levado pela rebentação do mar.
Soprado apenas ao vento como um segredo.
Mesmo que me cale por dias.
Nem fechados os meus olhos se omitem.
Nem ausentes se esquecem de ti.
Prometo que volto.
Aliás, prometo que não partirei.


Luísa
foto: Cig Harvey

Obras de Jeff Koons no Palácio de Versailles

Jeff Koons, americano, 53 anos, enfant terrible da arte contemporânea, papa do neo-pop, vai expor suas obras nos aposentos de Versailles, castelo considerado como o chef d’oeuvre da arte barroca.



Desde agora grandes discussões em torno desta exposição. Aqueles que são contra consideram que a presença deste artista contemporâneo no centro de um conjunto arquitetônico e artístico de grande homogeneidade será um erro. A turma a favor considera que a barroca Versailles e as obras de Koons tem alguns ponto em comum como o gigantismo, o exagero, o lado brilhante, a importância dada ao aspecto visual. Louis XIV, o roi soleil, gostava de festas divertidas, de bailes a fantasia, das exageradas decorações barrocas. Talvez ele fosse adorar Jeff Koons.



. . .


Eu acho que deve ser um escândalo, e por isso mesmo deve causar uma baita curiosidade ir ver as obras de Koons penduradas em Versailles, acho inclusive que o famoso "Cachorro" tem tudo a ver com as perucas do Luis XIV, reparem só. O curador da exposição arriscou bem.



Mais fotos da exposição, aqui.


fonte:UOL e blog Conexão Paris

segunda-feira, 8 de setembro de 2008

Tempo, tempo...



Eu ainda não regularizei a minha nova vida doméstica, tenho muitas tarefas que ainda me desnoteiam o tempo e é por isso que quem passa por aqui vê menos notícias do que o habitual.

Publicar uma notícia exige mais empenho de minha parte: olhar vários jornais, sites, avaliar se vale a pena, se eu acho interessante, se vocês vão achar interessante...

Vocês sabiam que há uma tremenda desvantagem em não ser idoso quando se vai a um banco? As filas, além de imensas, parecem que não andam. Estou com saudades do tempo que mamy fazia esse serviço aqui em casa.

E nas Paraolimpíadas em Pequim, o Brasil levou um ouro na natação e bronze no judô, mas amanhã eu falo sobre isso.

Me desculpem então. Mais um pouquinho e acredito que volto à normalidade nesse blog. Beijos à todas e todos.


fonte:Euzinha mesmo

domingo, 7 de setembro de 2008



Quem - estando ausente - entra no quarto
Quem deita ao lado meu, quem passa
No meu coração seus lábios quentes, quem
Desperta em mim as feras todas
Quem me rasga e cura
Quem me atrai?

Quem murmura na treva e acende estrelas,
quem me leva em marés de sono e riso
quem invade meu dia após a noite,
quem vem - estando ausente -
e nunca vai?


Lya Luft
foto:Lilya Corneli

Pra começar bem a semana



You saw me standing by the wall,
Corner of a main street
And the lights are flashing on your window sill
All alone ain't much fun,
So you're looking for the thrill
And you know just what it takes and where to go

Don't save a prayer for me now,
Save it 'til the morning after
No, don't say a prayer for me now,
Save it 'til the morning after

Feel the breeze deep on the inside,
Look you down into the well
If you can, you'll see the world in all his fire
Take a chance
(Like all dreamers can't find another way)
You don't have to dream it all, just live a day

Don't say a prayer for me now,
Save it 'til the morning after
No, don't say a prayer for me now,
Save it 'til the morning after
Save it 'til the morning after,
Save it till the morning after

Pretty looking road,
try to hold the rising floods that fill my skin
Don't ask me why I'll keep my promise,
I'll melt the ice
And you wanted to dance so I asked you to dance
But fear is in your soul
Some people call it a one night stand
But we can call it paradise

Don't say a prayer for me now,
Save it 'til the morning after
No, don't say a prayer for me now,
Save it 'til the morning after


fonte:YouTube

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Bom fim de semana



Deitou-se a meu lado
Disse que vinha de longe e tinha sede.
Bebemos pela mesma taça.


Albano Martins
foto: Andreas Heumann



Eu sei quando te amo:
é quando com teu corpo eu me confundo,
não apenas nesta mistura de massa e forma,
mas quando na tua alma eu me introduzo
e sinto que meu sangue corre em ti,
e tudo que é teu corpo
não é que um corpo meu
que se alongou de mim.

Eu sei quando te amo:
é quando eu te apalpo e não te sinto,
e sinto que a mim mesmo então me abraço,
a mim
que amo e sou um duplo,
eu mesmo
e o corpo teu pulsando em mim.


Affonso Romano de Sant'Anna
foto: Andreas Heumann

Justiça condena igreja de BH por casamento "malfeito"

A Justiça de Minas Gerais condenou a Mitra Arquidiocesana de Belo Horizonte a pagar R$ 2.000 de indenização a dois comerciantes porque o casamento do casal foi celebrado com "descaso e pressa" por um padre.

A cerimônia foi realizada em 14 de outubro de 2005, na igreja Santa Luzia, região do Barreiro. Na ação, o noivo disse que o casamento estava marcado para as 20h30. Ao chegar ao local, afirmou que o padre estava exaltado -dizia que a cerimônia estava prevista para as 20h.

Ainda segundo ele, a noiva teve de sair às pressas do salão de beleza, pois o padre ameaçou não celebrar o casamento. Ela afirmou que, ao tentar argumentar que havia ocorrido erro na secretaria da igreja, o padre a chamou de irresponsável e cara-de-pau. O padre, segundo o casal, realizou o casamento em 15 minutos, não deu a bênção final e tirou a batina no altar.

Pediram indenização por danos materiais, afirmando que os serviços de fotografia e música ficaram comprometidos. Também reivindicaram compensação por danos morais, porque tiveram que cancelar a festa por conta do abalo emocional.

O desembargador Luciano Pinto apontou que faltaram duas partes essenciais ao rito: a homilia e a bênção final. "A falta da bênção final comprometeu as expectativas dos noivos, causando-lhes forte frustração."

A igreja afirmou ontem que ainda não foi intimada. O padre não foi localizado para comentar a decisão.


fonte:Folha Online

quinta-feira, 4 de setembro de 2008

Eu vou estar



Eu não vou pro inferno
Eu não iria tão longe por você
Mas vai ser impossível não lembrar
Vou estar em tudo que você vê
Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar
Eu vou estar

Eu não vou pro céu também
Eu não sou tão bom assim
E mesmo quando encontrar alguém
Você ainda vai ver a mim
Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar

Embaixo da cama
Nos carros passando
No verde da grama
Na chuva chegando
Eu vou voltar

Nos seus livros, nos seus discos
Vou entrar na sua roupa
E onde você menos esperar
Eu vou estar



fonte:YouTube


Não te chamo para te conhecer
Eu quero abrir os braços e sentir-te
Como a vela de um barco sente o vento

Não te chamo para te conhecer
Conheço tudo à força de não ser

Peço-te que venhas e me dês
Um pouco de ti mesmo onde eu habite



Sophia de Mello Breyner Andresen
foto: Jarek Kubicki

Cidade na Sicília oferece casas por um euro

Uma pequena cidade no oeste da Sicília achou uma solução revolucionária para resolver seus problemas de habitação.

Salemi, que fica entre dois rios, está oferecendo casas por apenas um euro (o equivalente a R$ 2,40).



A maior parte delas foi danificada por um terremoto há 40 anos e, desde então, boa parte da população deixou a cidade. A idéia é do prefeito Vittorio Sgarbi. Ele acredita que esta é a única forma de revitalizar o centro histórico da cidade.

"Há 3,7 mil casas de propriedade do conselho (municipal), quase todas estão na parte velha (da cidade), e têm risco de desabar", explicou Sgarbi. As casas são extraordinariamente baratas, mas quem decidir comprar uma será obrigado a reformar sem alterar o estilo original do imóvel, num prazo de dois anos, a um custo elevado.

Interesse
Inicialmente Sgarbi havia oferecido as casas de graça a moradores de Salemi que concordassem em reformá-las.

E para promover sua causa, ele deu a primeira moradia ao presidente do clube de futebol Inter de Milão, Massimo Moratti.

"Nós estamos pensando em pessoas que têm sensibilidade e recursos econômicos para embarcar nesta aventura", disse Sgarbi.

O prefeito já foi crítico de arte e no passado já se definiu como um anarquista. Ele já ocupou um cargo elevado no Ministério da Cultura em uma administração anterior do atual premiê Silvio Berlusconi.

Entre os pretendentes a casas em Salemi estaria o ex-integrante da banda Genesis, Peter Gabriel.

Sgarbi se disse bastante satisfeito com o interesse que a sua proposta vem despertando. Segundo ele, há várias pessoas programando visitas à cidade.

n.r.: Visitar? Pode ser, mas habitar? Não sei, não...


fonte:BBC Brasil

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Prêmio Portugal Telecom anuncia os dez livros finalistas de 2008

Foram escolhidos e anunciados na noite desta terça-feira (dia 2), os dez livros finalistas do Prêmio Portugal Telecom de Literatura 2008, que elege os melhores títulos em língua portuguesa lançados no Brasil durante o ano de 2007.

Os dez autores selecionados concorrem agora a um prêmio de R$ 100 mil reais, maior quantia oferecida em concursos do gênero no país, além de prêmios de R$ 35 mil e R$ 15 mil para o segundo e terceiro lugar, respectivamente. Os três primeiros também receberão um um troféu criado pelo artista plástico Paulo Von Poser.

Os dez finalistas de 2008 são:

* "20 Poemas para o Seu Walkman", de Marília Garcia, poesia (Cosac Naif / 7 letras, Brasil)

* "Antonio", de Beatriz Bracher, romance (Editora 34, Brasil)

* "Eu Hei-de Amar uma Pedra", de António Lobo Antunes, romance (Objetiva, Portugal)

* "Histórias de Literatura e Cegueira", de Julián Fuks, contos (Record, Brasil)

* "Laranja Seleta", de Nicolas Behr, poesia (Língua Geral, Brasil)

* "O Amor Não Tem Bons Sentimentos", de Raimundo Carreiro, romance (Iluminuras, Brasil)

* "O Filho Eterno", de Cristovão Tezza, romance (Record, Brasil)

* "O Sol Se Põe em São Paulo", de Bernardo Carvalho, romance (Companhia das Letras, Brasil)

* "Os da Minha Rua", de Ondjaki, contos (Língua Geral, Angola)

* "Tarde", de Paulo Henriques Britto, poesia (Companhia das Letras, Brasil)

Seleção
Os finalistas foram votados a partir de uma pré-lista de 51 títulos, selecionada por um júri inicial de professores, escritores e críticos literários das cinco regiões do Brasil. Dentre estes, um júri intermediário de 15 membros foi eleito para votar em quais seriam os dez finalistas.

Também na noite desta terça, o júri intermediário elegeu seis de seus representantes para, juntamente com os quatro curadores do Prêmio (Jorge Fernandes da Silveira, Tania Celestino de Macêdo, Samuel Titan Jr. e Selma Caetano), formar o júri final, que decidirá os vencedores em cerimônia no dia 29 de outubro.

Os seis nomes que completarão o júri final são os críticos Benjamin Abdala Júnior, Carmen Lúcia Tindó Secco, Flora Sussekind, José Castello, Maria Lúcia Dal Farra e Rita Chaves.


fonte:UOL

Mostra em Londres revela a representação do amor na arte

Uma exposição recém-inaugurada em Londres reúne obras de artistas internacionais inspiradas na temática do amor.

Na foto, a obra de David Hockney inspirada em poema de Walt Whitman


A mostra Love (Amor, em tradução literal), na National Gallery, revela como artistas do século XV até os mais contemporâneos representaram o amor em suas obras e revela as diferenças entre as representações através do tempo.

Na foto, a escultura Kiss, do artista Marc Quinn. As modelos que pousaram para Quinn tinham alguns membros amputados


Com obras de artistas como Marc Chagal, Rafael, Tracey Emin e Marc Quinn, o amor é representado de diversas formas e em várias manifestações como o amor familiar, entre casais e até o amor pelos ídolos.

O quadro acima faz parte da mesma série das irmãs Singh. Este, de Rabindra, mostra o amor de um fã pelo seu ídolo - neste caso, Marilyn Monroe


Em uma série intitulada A arte de amar, das irmãs Singh, por exemplo, as artistas indianas mostram as diferenças entre o amor platônico de um fã por seu ídolo e o amor recíproco entre um casal.

Já na escultura Kiss, Marc Quinn leva em consideração a percepção da sociedade sobre os casais. Em uma outra escultura, God Please Keep my Children Safe ('Deus, por favor mantenha meus filhos seguros', em tradução livre), Grayson Perry tenta expressar o amor de um pai por um filho e a crença religiosa sobre proteção da família.

A foto acima mostra a obra da artista plástica britânica Tracey Emin, que traz duas cartas de amor. A primeira, à direita, escrita à mão e a da esquerda, bordada


A mostra Love, na National Gallery, em Londres, fica em cartaz até o dia 5 de outubro.


fonte:BBC Brasil

Outro estudo científico

Mulheres preferem parceiros parecidos com seus pais


Um estudo realizado por pesquisadores húngaros sugere que as mulheres têm tendência a escolher parceiros parecidos com seus pais fisicamente.

A pesquisa, publicada na revista especializada Proceedings of the Royal Society Biological Sciences, diz que também os homens preferem mulheres que se assemelham às suas mães.

O estudo realizado por especialistas da Universidade de Pécs pretende dar novas evidências de um fenômeno conhecido como "impressões sexuais".

Nos testes, os pesquisadores húngaros mediram as feições de 312 pessoas de 52 famílias e compararam com os de seus parceiros.

Eles encontraram semelhanças significativas entre os traços faciais de genros e sogros, especialmente na região central do rosto, que compreende nariz e olhos.

As noras também tinham feições parecidas com as de suas sogras, principalmente na área dos lábios e maxilar.

Modelo

"Nossa pesquisa sustenta a hipótese das impressões sexuais, segundo a qual as crianças moldam um modelo de seus pais e buscam um parceiro que se encaixe nele", disse o coordenador da pesquisa Tamas Bereczkei.

Estudos anteriores haviam sugerido que mulheres podem usar seus pais como padrão para escolha de seus parceiros mesmo quando elas são adotadas, o que sugere que a influência é determinada pela convivência e não pelos genes.

Esta conclusão levou a uma outra pesquisa, que indicou que "as impressões sexuais" se perdem quando mulheres não têm bom relacionamento com seus pais.


fonte:BBC Brasil

terça-feira, 2 de setembro de 2008

Music is everything

Eu sei que o blog é meu, mas mesmo assim me dêem licença. Essa aqui é pro Nuno.

Eu estava ouvindo e me lembrei de ti, devem ser saudades.





fonte:YouTube

Gene do bom marido é o mesmo de roedor fiel

Pesquisadores relacionam genética de hormônio a sucesso no casamento


Se as mulheres prestes a casar levarem ao pé da letra as conclusões de estudo publicado hoje pela revista "PNAS" - o que geneticistas e psicólogos não recomendam - vão pedir um seqüenciamento genético dos noivos.

Um grupo de pesquisadores norte-americanos e suecos analisou o genoma e o comportamento conjugal de 2.186 adultos, que participam de um projeto que acompanha centenas de gêmeos do mesmo sexo, casados oficialmente ou em uniões estáveis.

Os pesquisadores examinaram nessas pessoas o gene que produz o hormônio vasopressina. "A vasopressina regula o equilíbrio da água no corpo e atua em áreas do cérebro relacionadas ao comportamento reprodutivo", explica o etólogo César Ades, da Universidade de São Paulo. "Ela afeta a capacidade de formar laços afetivos." O corpo produz vasopressina, por exemplo, durante uma relação sexual. A sensação de prazer provocada pela vasopressina fica associada ao convívio com o parceiro e aumenta as chances do casal dar certo.

Estudos anteriores com roedores norte-americanos chamados arganases mostraram que a sensibilidade à vasopressina determinava se o macho da espécie acasala com várias fêmeas ou se forma um casal com um delas para o resto da vida. Manipulando o mecanismo regulatório da vasopressina nesses roedores, os pesquisadores conseguiam mudar o comportamento do animal.



Um mecanismo semelhante foi descoberto agora por Wallum e seus colaboradores. Eles analisaram o mesmo gene dos arganases, que existe em seres humanos e que também produzem a vasopressina. "Existem seqüências regulatórias em torno dos genes que regulam quando, como e onde esses genes serão ativados", explica o geneticista brasileiro Marcelo Nóbrega, da Universidade de Chicago, que não participou do estudo.

Os pesquisadores verificaram variações nessas seqüências entre as pessoas do estudo. Em seguida, procuraram por alguma relação entre essas variações e os resultados de um conjunto de testes psicológicos para medir a intensidade da ligação de um casal.

Assim como no caso dos arganases, os pesquisadores acharam relações entre as variações dos genes e o comportamento apenas em indivíduos do sexo masculino.
Os resultados foram que os homens portadores de uma dessas variações, chamada de "alelo 334", tiveram notas mais baixas em um questionário que avaliou a ligação afetiva entre os casais.

E mais: os homens com duas cópias do alelo 334 tinham mais chance de não oficializar suas uniões estáveis na forma de casamento. Além disso, o portador de dois 334 tinha duas vezes mais chance que um portador de um único 334 de ter tido uma crise conjugal no ano passado.



Insatisfação conjugal
Confirmando a tendência, as mulheres dos homens com maior número de cópias do 334 tendiam a dizer que estavam insatisfeitas com a relação.

Mais do que fornecer munição extra à guerra dos sexos, a conclusão da pesquisa pode ajudar a entender porque alguns homens são mais sociáveis que outros ou completamente insensíveis socialmente, como é o caso dos autistas.

Pesquisas anteriores já haviam mostrado uma associação entre o grande número de cópias desse gene e a manifestação de autismo.

O fato de os pesquisadores terem descoberto que homens com mais desses genes têm mais dificuldade de se relacionar reforça essa idéia. Nóbrega, no entanto, alerta que os resultados precisarão ainda serem replicados, para serem confirmados. "Há uma lista sem fim de experimentos que são refeitos em outras populações e não dão os mesmo resultados", diz o pesquisador.

"A capacidade do indivíduo ao apego não é determinada só pelos genes, existem mil fatores", explica Ades. Um portador do 334 pode dar um bom marido. Ou não.


fonte:Folha de S.Paulo


Solta-me as mãos
E deixa livre o meu coração!
Deixa que os meus dedos percorram
Os caminhos do teu corpo.
A paixão – sangue, fogo, beijos –
Incendeia-me em labaredas trémulas.
Ai, tu não sabes o que é isto!
É a tempestade dos meus sentidos
Dobrando a selva sensível dos meus nervos.
É a carne que grita, com suas línguas ardentes!
É o incêndio!
E está aqui, mulher, como um tronco intacto.
Agora que a minha vida feita de cinzas voa
Até ao teu corpo cheio, como a noite, de astros!
Deixa-me livres as mãos
E deixa livre o meu coração!
Só te desejo a ti, a ti só desejo!
Não é amor, é um desejo que se esgota e que se extingue,
É a precipitação de fúrias, aproximação do impossível.
Mas tu estás aí.
Estás para me dares tudo,
E para me dares o que tens, à terra vieste –
Como eu, para te ter
E te desejar,
E te receber!


Pablo Neruda
trad.: O'Sanji
foto Giuseppe Sarcinella

segunda-feira, 1 de setembro de 2008


Escultura


Eu já te amava pelas fotografias
Pelo teu ar triste e decadente dos vencidos.
Pelo teu olhar vago e incerto
Como o dos que não pararam no riso e na alegria.
Te amava por todos os teus complexos de derrota,
Pelo teu jeito contrastando com a glória dos atletas
E até pela indecisão dos teus gestos sem pressa.
Te falei um dia fora da fotografia
Te amei com a mesma ternura
Que há num carinho rodeado de silêncio
E não sentiste quantas vezes
Minhas mãos usaram meu pensamento,
Afagando teus cabelos num êxtase imenso.
E assim te amo, vendo em tua forma e teu olhar
Toda uma existência trabalhada pela força e pela angústia
Que a verdade da vida sempre pede
E que interminavelmente tens que dar!...


Adalgisa Nery
foto: Andi Ionita

Sonho de consumo

IFA 2008 - Eletrodomésticos high-tech


Se Rosie, a simpática empregada-robô do desenho Os Jetsons, existisse de verdade e visitasse a feira berlinense IFA, não conseguiria disfarçar o receio de perder o emprego. No pavilhão Home Appliances, totalmente dedicado aos eletrodomésticos inteligentes, novidade da 48ª edição do maior evento do setor de eletrônicos de consumo na Europa, o que não faltam são auxiliares para as tarefas mais enfadonhas do dia-a-dia doméstico.

Secadora de roupas Electrolux com tecnologia que usa vapor para passar camisas


Geladeiras que se conectam à Web e podem ser comandadas pelo iPod, máquinas de lavar que passam peças de roupa, lavadoras de louça que auxiliam na economia de até 400 euros ao ano e robôs que aspiram todos os cantos da casa são alguns dos itens expostos no espaçoso pavilhão —ao lado de milhares de cafeteiras ultra sofisticadas (algumas, custando mais de mil euros; uma tendência entre os europeus, segundo um executivo ouvido pelo UOL Tecnologia).

Entre os equipamentos dos sonhos de qualquer dona de casa (ou solteiro preguiçoso), estão o Roomba, robô que aspira a casa enquanto o dono pode ir ler o jornal, passear no parque ou realizar uma tarefa profissional, e o Scooba, que lava o piso de áreas externas.

Feitos pela empresa norte-americana iRobot (que também fabrica robôs destinados a uso militar, como desarmamento de bombas e espionagem de território inimigo), ambos chegam à Europa em versões renovadas.

O primeiro, o Roomba, tem bateria com duração de 100 minutos, o que, segundo o diretor da iRobot na Europa, Milan Vajs, permite que ele limpe quatro cômodos. Possui função que limita em quais áreas da casa pode entrar e programação para os dias em que deve entrar em ação. Ao fim do trabalho, volta sozinho para a base que recarrega sua bateria. Na Europa, custará 299 euros quando for lançado, em novembro.

Já o Scooba é o robô da empresa que cuida da área externa da casa. Com compartimento para um litro d'água, lava pisos e coleta a água que usa, armazenada em um tanque interno do equipamento. Também a ser lançado na Europa, em novembro, por 399 euros.

O executivo Vajs festeja o sucesso do equipamento na feira (onde o estande da iRobot é bastante procurado) e nos mercados norte-americano e europeu. "Desde o lançamento do conceito de robô-aspirador, no início da década, já vendemos mais de 2,5 milhões de equipamentos", explica.


fonte:UOL
Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.