segunda-feira, 14 de abril de 2008

Como é ruim sentir dor

Acessórios corretos ajudam a prevenir lesões por esforços repetitivos


Sou viciada em tecnologia e por esse motivo, vira e mexe estou grudada frente à tela do meu computador. Não sofro de nenhum tipo de lesão por movimentos repetitivos - ainda - mas sofro com os meus biquinhos de papagaio, que vez por outra "gritam". Uma amiga, mázinha, diz que é culpa da PDV, meu médico confirma, mas com outras palavras.

Segundo meu ortopedista, o ideal seria nos levantarmos a cada meia hora que ficamos a frente do computador para fazermos exercícios básicos de alongamento, porque muito tempo sentado sobrecarrega a coluna lombar.

E logo eu fui ler essa notícia, pronto! Caí entao no inevitável assim que li a notícia: publicá-la aqui. Vamos a isso!

. . .


A história é quase sempre a mesma: as dores começam no punho, caminham pelos braços, atingem o cotovelo, os ombros, as costas e, só então, a pessoa que fica o dia todo em frente ao computador começa a prestar atenção no seu ambiente de trabalho. É nesse momento — às vezes tarde demais — que começa a corrida na busca de produtos ergonômicos, como teclados, mouses e monitores, que ajudam o corpo a trabalhar fazendo o mínimo de esforço o possível.


Para ajudar na escolha de produtos corretos antes que as dores comecem a aparecer, o UOL Tecnologia ouviu cinco especialistas em ergonomia. Eles que deram lições valiosas sobre acessórios que podem ajudar a evitar Lesões por Esforços Repetitivos (LER) ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (DORT). Também levantamos exercícios simples, para serem feitos no dia-a-dia, que evitam (ou amenizam) as dores.

Posição e equipamentos ideais
Uma dos princípios mais básicos explicados pelos ergonomistas é que não existe posição correta na frente do computador. "A postura mais adequada ao trabalhador é aquela que ele escolhe livremente e que pode ser variada ao longo do tempo", resume uma nota técnica da Comissão Nacional de Ergonomia, ligada a Ministério do Trabalho e Emprego.

Outra regra fundamental é que também não há equipamento que se encaixe bem em qualquer um. Da mesma forma que o tamanho e o formato dos corpos variam de pessoa para pessoa, os acessórios utilizados com o computador — teclado, mouse, monitor, cadeira, apoios, etc — também devem ser diferentes dependendo de quem usa.

Por causa disso, escolher esse tipo de produto pela Internet pode não ser um bom negócio. "Quando você compra um carro, faz um test-drive. Quando vai comprar esses produtos, tem que testar também.", explica a fisioterapeuta e consultora em ergonomia Kamilla Sartore.

Mas, mesmo sem haver regras específicas sobre como se posicionar corretamente, sabemos que aquele "jeito esparramado" na cadeira traz complicações para as costas e, até mesmo, membros inferiores. Estar atento para a posição correta ao sentar, como movimentamos o mouse e o teclado podem ser os primeiros passos para evitar as doenças causadas por esforços repetitivos e problemas na coluna.

Luvas ortopédicas
Um erro muito comum de quem começa a sentir dores é utilizar por conta própria acessórios ortopédicos, como talas para os punhos, cintas para os ombros ou faixas abdominais. Esses produtos podem imobilizar os músculos e tendões lesados, fazendo com que fiquem mais fracos.

"Se o indivíduo tem dor, o ideal é não mascarar a dor, mas entender a fonte dela. O uso de uma faixa, por exemplo, pode fazer a pessoa estabilizar a dor sem que o motivo seja eliminado.", ensina a médica Ada Ávila, que é professora da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Fatores externos
Apesar da utilização de acessórios adequados ajudar muito na prevenção de lesões, todos os especialistas concordam que só isso não é suficiente. Bons hábitos de vida, como alimentação saudável e tempo livre para lazer e descanso são fundamentais.

"Só a mudança de equipamento não adianta. É necessário mudar o modo de trabalho e o cotidiano. Não adianta a pessoa fumar, ser sedentária e ficar horas na frente do computador sem uma pausa.", afirma Maria Santos, terapeuta ocupacional e professora do Centro Universitário São Camilo.

Exercícios


Alongar o pescoço: inclinar a cabeça, segurá-la com a mão e contar lentamente até 10. Repetir para o outro lado


Alongar pernas: apóie-se na parede ou numa cadeira, flexione a perna para trás e segure com a mão mantendo-a alinhada a outra perna. Conte até 10, repita para a outra perna


Alongar punhos: de frente para a mesa, mãos apoiadas, vire-as em sua direção contando até 10


Alongar ombros: estique o braço direito e segure-o com a mão esquerda contando até 10. Repetir para o outro braço.



fonte:UOL

0 comentários:

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.