terça-feira, 26 de junho de 2007

Desacelera Austrália

Campanha na Austrália liga alta velocidade a pênis pequeno


A nova arma das autoridades australianas para combater o excesso de velocidade entre os jovens é sugerir que os motoristas que ultrapassam os limites fazem isso porque têm o pênis pequeno.
Uma campanha publicitária da agência de Trânsito do Estado de Nova Gales do Sul, que estreou nesta semana, mostra mulheres e colegas mostrando a motoristas que se excedem na velocidade seu dedo mínimo dobrado, num gesto que tem a conotação de “pênis pequeno” na cultura jovem local.


Segundo os responsáveis pela campanha, a idéia nasceu após a constatação de que os anúncios tradicionais mostrando as conseqüências do excesso de velocidade, como cenas de acidentes e feridos, estavam se tornando menos efetivos entre os jovens.

Segundo John Whelan, diretor da agência de trânsito, “jovens expostos a jogos de computador, à mídia moderna e a filmes de terror” não se impressionam mais com as imagens das campanhas tradicionais.

"Ninguém te acha grande"

A campanha, que custou 1,9 milhões de dólares australianos (cerca de R$ 3,15 milhões), tem como público-alvo jovens do sexo masculino com idades entre 17 e 25 anos.

Além das propagandas na TV e no cinema com o slogan “Alta velocidade. Ninguém te acha grande”, a campanha também terá cartazes em pontos de ônibus e um anúncio na internet oferecendo preservativos “extra extra pequenos” aos que se excedem na velocidade.

Para Whelan, a campanha pretende transformar o hábito de acelerar além do limite em algo “socialmente inaceitável”. “Faremos o que for preciso para passar a mensagem”, disse ele ao jornal The Sydney Morning Herald.

Segundo a agência de trânsito de Nova Gales do Sul, o excesso de velocidade é responsável por 220 mortes em acidentes por ano no Estado, cerca de 40% do total.

n.r.:percebo um certo preconceito machista.


fonte:BBC Brasil

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.