domingo, 30 de abril de 2006

Meditação, Compaixão e Consciência

Já disse uma vez, mas não me importo nadinha de repetir que sou espiritualista independente. Que quer dizer, entre outras coisas que não sou seguidora de nenhuma igreja. Embora a minha formação religiosa tenha se iniciado na igreja católica.

Dalai Lama esteve em São Paulo nessa semana e falou sobre compaixão, ciência e espiritualidade a um público de 4.000 pessoas, no Palácio de Convenções do Anhembi. Tinha vontade de ouví-lo, mas o Rio fica um bocado longe de São Paulo.

Após suas apresentações, ele foi questionado por médicos e professores da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) sobre vários assuntos ligados à saúde, ciência e espiritualidade. Segundo ele, ciência e religião podem caminhar juntas - "pessoalmente, concordo. Só não confundam com a nova seita de Tom Cruise e John Travolta, a Cientologia". E, diante de um novo conhecimento científico, o budismo tibetano costuma mudar antigos conceitos. "Temos que ter a mente aberta." "Concordo totalmente".

O Dalai Lama defendeu mais pesquisas sobre o uso da meditação na saúde e também, que os médicos exercitem mais a compaixão no atendimento aos pacientes. Abaixo, alguns tópicos de sua apresentação:

CURA - "Se vocês vieram aqui com alguma curiosidade, não há problema. Mas aqueles que vieram com uma expectativa de algo sobre-humano, sobretudo em busca de cura, é mais perigoso. É uma bobagem imaginar ou esperar isso. Quero que me vejam como um monge budista, com o compromisso de promover os valores humanos e a harmonia entre as religiões. As pessoas perseguem o ideal buscando no mundo externo. Recursos materiais são importantes, mas, se a nossa vida é feliz ou não, depende da atitude mental. Se alguém busca a felicidade, mas negligencia os valores internos, não será bem-sucedido".

COMPAIXÃO - "Compaixão e altruísmo não são valores exclusivamente do seres humanos. Vemos que muitos animais têm vida social em que a cooperação é fundamental. As formigas, por exemplo, não têm um Estado de Direito, leis, polícia, mas funcionam até melhores que os seres humanos. Costumamos manifestar compaixão, mas com uma atitude manchada pelo apego, pelo preconceito. Quem se mantém muito autocentrado, fecha a porta interior. Sente-se só na vida, com medo, inseguro. A saúde também é afetada. O caminho [da compaixão] é o treinamento constante. Ainda não inventaram uma injeção milagrosa que leve a pessoa a desenvolver compaixão".

PAZ - "A humanidade está caminhando lentamente em direção à paz. Não fomos feitos para agredir. Nossa conformação física é mais para coelho do que para tigre. Não temos garras. Nossas mãos, nossos braços foram feitos para acolher, e não para ferir. Até 50, 60 anos atrás, as pessoas tinham uma aceitação em relação à guerra, como se ela fosse algo inevitável. Mas agora os conflitos são acompanhados de desaprovação".

PROFISSIONAIS DA SAÚDE - "O contato com a dor, com o sofrimento, pode fazer com que o senso de vida seja amortecido e a pessoa passe a lidar como se estivesse lidando com uma máquina que precisa de conserto. Assim, a medicação tende a não fazer efeito mesmo sendo indicada por um médico muito estudado, mas que tem o coração fechado. A eficácia está ligada aos valores que vêm do coração. Nas vezes que fui a hospitais fazer exames, tinha algo de mecânico na atitude dos profissionais. Não foi confortável".

Aproveitei os pensamentos do Dalai Lama para pensar sobre um tema que no diz respeito: a cidadania e/ou a consciência política. Essas palavras, nos áureos tempos da ditadura, só serviam para fazer, nos tempos da escola, uma confusão danada e poderiam inclusive - se quisessem - significar que: "fulano era contra o governo". Toda a -pouca - informação era muito confusa.

Hoje, mais crescidinhos e democráticos, sabemos que não é nada disso e também descobrimos que se o exército existe, aqui e por esse mundo afora, é apenas para defender o seu país. Pois é! Sabiam que até a França que teve de mudar uma lei já promulgada, porque o povo se manifestou - não cabe aqui se certo ou errado - possui forças armadas? Coisinha interessante, não?! Só menciono, porque não tenho mais paciência quando acontece qualquer coisa que envolva a presença do exército nas ruas ouça que "deve ser uma "intenção" de voltarmos à ditadura". Tenha dó! Juro que perco a paciência com essa mentalidade provinciana.

Mas voltando ao Dalai Lama: como ele falou em "ter a mente aberta", acho que podemos aplicar a dica do monge para tudo. Também sei que a meditação a que ele se referiu não é a mesma que tenho em mente, mas permitam-me aproveitar o "gancho": Pensei que poderíamos começar um novo mês nos habituando a meditar. Neste caso, o objetivo será o mesmo, como no pedido do monge: nosso futuro benefício pessoal.

Além de melhorar a nossa saúde (menos stress), calculo que a médio e longo prazo, a prática da meditação poderá nos proporcionar uma melhor qualidade de vida. Então convido a todos a meditar um pouco sobre algumas frases ditas nestas duas últimas semanas:

"Eu acho que não está longe de a gente atingir a perfeição no tratamento de saúde neste país"
LULA - Com relação ao atendimento e tratamentos na rede de saúde pública. (O GLOBO 21/04/2006)

"Uma ação de trâmite normal dentro um processo em uma democracia"
LULA - Quando o ex-ministro Palocci foi indiciado por formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e peculato devido a supostas irregularidades no período em que foi prefeito de Ribeirão Preto. (O GLOBO 28/04/2006)

"Queria comparar o nosso governo com o mundo todo, para ver se em algum momento da História mundial houve um governo com tanta participação dos trabalhadores"
LULA - Em discurso no Encontro Nacional do PT (O GLOBO 29/04/2006)

"Se eu disser que sou candidato...Não posso fazer isso. Quero ter liberdade para poder fazer as coisas"
LULA - Com o propósito de comandar o maior número possíveis de inaugurações. (O GLOBO 30 /04/2006)

"Os políticos do Rio são os piores do Brasil"
Chico Buarque - (O GLOBO 30/04/2006)


fonte: Jornal O GLOBO

sábado, 29 de abril de 2006

Copy and Paste

Da notícia soube através de um blog amigo, o O Farol das Artes. Chama-se:



Casa Viva - Programa Liberdades

Uma sugestão diferente para quem vive no Porto.


sexta-feira, 28 de abril de 2006

Royal Opera House dedica livro à Plácido Domingo


A equipe artística da Royal Opera House apresentou hoje a Plácido Domingo um livro de homenagem dedicado à relação musical do tenor espanhol com essa instituição, que tem 35 anos.

Ao aceitar um exemplar do livro, ilustrado com fotografias de suas atuações, Domingo lembrou algumas anedotas de sua vinculação com a ópera de Londres desde sua estréia em "Tosca", de Puccini, junto com Gwyneth Jones, em janeiro de 1971.

Ele explicou como tinham lhe advertido antes de sua primeira atuação que não devia se desanimar se não fosse aplaudido no final da "Recôndita harmonia", porque não era costume em Londres, e o quanto se alegrou com os inesperados aplausos com os quais o público recebeu sua interpretação da famosa ária.

Na Royal Opera House, Plácido Domingo fez vinte e dois papéis, e em maio fará mais um, o Cyrano de Bergerac. Ele atuou em trinta e uma das últimas trinta e quatro temporadas.

Entre os artistas com os quais colaborou estão diretores de orquestra do prestígio de Carlos Kleiber, George Solti e sir Colin Davis, cantores como Montserrat Caballé, Kiri Te Kanawa e Thomas Allen e diretores como John Schlesinger e Franco Zeffirelli.

O atual diretor musical da Royal Opera House, Antonio Pappano, expressou a EFE sua admiração pelo fato de que um cantor "tão maravilhosamente e naturalmente dotado" como Domingo "trate de se aperfeiçoar continuamente e ampliar seus horizontes musicais".

"Ele se sente igualmente à vontade no repertório italiano como no alemão, o francês e o russo, e é admirável que, a esta altura de sua carreira, tenha decidido fazer um novo papel, tão difícil" como o protagonista de "Cyrano de Bergerac".

"Não só é sua voz, mas o que está por trás - sua inteligência, sua capacidade de expressão e sua experiência", acrescentou Pappano.


fonte: Agência EFE

Nervos à flor da pele

Crocodilo "devora" serra elétrica na Austrália

Um crocodilo "devorou" uma serra elétrica, no norte da Austrália, aparentemente irritado com o barulho do equipamento.

O animal de cerca de 4,4 metros de comprimento, batizado de Brutus, perseguiu um funcionário do Corroboree Park Tavern, a reserva natural onde vive.

O homem, Freddy Buckland, estava cortando uma árvore derrubada pela passagem recente de um ciclone tropital quando foi atacado por Brutus. Nenhum dos dois saiu ferido, mas o crocodilo destruiu a serra elétrica, após mastigá-la por 90 minutos.

Segundo o dono da reserva natural, Peter Shappert, o animal pulou para fora da água e correu para a árvore.

"Deve ter sido o barulho", explicou. "Não acho que o crocodilo queria simplesmente agarrar o Freddy. Mas também não tenho certeza. Acho que ele agarrou a primeira coisa que podia, e, neste caso, foi a serra elétrica."

Outra proprietária do parque, Linda Francis, disse que o funcionário praticamente atirou o equipamento no animal. "A serra ainda estava ligada, mas o Brutus a pegou do chão e começou a esmagá-la até ela parar", contou. "Ele não se machucou. Só quebrou alguns dentes."

Brutus é um dos cerca de 100 mil crocodilos marinhos que vivem no norte da Austrália. Geralmente, esses animais atacam barcos pequenos, aparentemente perturbados pelo som dos motores.


Restos de antigo templo budista

Uma equipe de operários que trabalhava numa estrada em Vienciana, a capital do Laos, descobriu por acaso os restos de um antigo templo do século XIV, além de diversas esculturas e utensílios de cerca de 4 mil anos, informou hoje a imprensa local.

Segundo os arqueólogos, o templo é o de Vat Vokeo, construído durante o reinado de Sei Setthathirat e destruído pelos tailandeses quando saquearam e invadiram Vienciana, em 1828. O diretor do departamento de pesquisa arqueológica, Viengkeo Souksavatdy, explicou à imprensa que em seu interior foram encontradas esculturas de Buda e várias peças de cerâmica.

Além dos restos do templo, perto da estrada que vai da capital ao aeroporto foram achados 10 mil utensílios esculpidos, alguns deles com mais de 4 mil anos.

Depois de saqueada pelos tailandeses, Vienciana foi abandonada. A vegetação cobriu a cidade até a chegada dos franceses, no fim do século XIX.


fonte: Agencia EFE

quinta-feira, 27 de abril de 2006


Sob o Signo da Inquietação


O susto em nós foi avançar
muito para dentro do proibido.
Muito para perto de uma zona perigosa
A boca da noite... o desconhecido...
Vagos caminhos de uma via nebulosa.

Vários conceitos para falar da mesma coisa
O susto em nós foi descobrir porteiras
de territórios nunca antes percorridos
No fundo de todos nós um visitante
No fundo, a falta de sentido...

Visitantes de nós mesmos cometíamos
a imprudência de quase enlouquecer
Para chegar à compreensão.
E uma coisa afiada nos conduzia
através da trilha da poesia
e do difícil trajeto da paixão...


Bruna Lombardi
Alfred Gockel - "Endless Love"

Primavera em Paris

Paris é linda, a cidade fica bonita mesmo debaixo de chuva. Cada arrondissement vale muitos suspiros, na companhia ou não de um amor. Por isso, na primavera, "tudo são flores" - conforme a expressão. Todos os seus jardinse avenidas ganham novas mudas de flores: o Champs Elysees, o Jardim de Tuileries e o Jardim de Luxemburgo. Paris, floresce.

Detalhe de flores exibidas no Magisserie.


É comum chover por lá na primavera, mas é também comum passar a ver os parisienses pelas ruas carregando cestinhas com flores que vão enfeitar suas casas. O "ar" de Paris modifica, a variedade de materiais e flores nas lojinhas de floristas parisienses faz com que surjam variadíssimos arranjos, além de objetos ligados ao tema da estação. Hoje e aqui, sinta-se mais feliz olhando para a mistura colorida de muitas variedades de flores.



Cores que são puro escândalo no Marché aux Fleurs Madeleine.


Velas coloridas em forma de flor

















Detalhe de uma das tradicionais bancas de flores parisienses, uma das poucas que ainda restam.

quarta-feira, 26 de abril de 2006

Conversa com Danuza

O Que Nós Queremos Deles


Mas, afinal, o que querem as mulheres de um homem? O que nós queremos? Em primeiro lugar, que ele nos ame muito; muito, mas não exageradamente. Que nos entenda, que nos ouça sempre com muita atenção, mesmo que não esteja muito interessado no que estamos falando (mas fingindo estar).

Não, ele não precisa nos trazer flores; mas deve estar sempre nos procurando, fazendo um carinho no nosso ombro, pousando (apenas pousando) a mão na nossa coxa por debaixo da mesa ou quando estiver dirigindo o carro, coisa de quem se sabe dono absoluto do nosso coração (e do nosso corpo); só faz isso um homem seguro, que é o que todas queremos. Por outro lado, é preciso que ele nos solicite muito, pergunte que gravata deve usar, se gostamos da água de colônia nova, que carro deve comprar, mesmo que acabe fazendo o que quer, sem dar a mínima para nossa opinião. Mas também é preciso que às vezes fique quieto, calado, para nos deixar bem inquietas, imaginando no que será que ele está pensando. Mulher não pode nunca se sentir nem muito segura nem muito insegura: tem que ser no ponto certo.

O ponto certo, essa é a questão. Para isso é preciso sensibilidade, coisa fundamental no homem que se ama. Sensibilidade para sentir quando estamos precisando de um carinho, de um amasso ou de ficar em silêncio. E ser capaz de, na hora de uma briga, dizer "vem cá, sua boba", e a gente se aninhar nos braços dele esquecendo de tudo que estava falando. Ah, como é bom um homem assim. Não é preciso que ajude a lavar pratos, nem a arrumar a cozinha, essas bobagens a gente faz com o maior prazer quando ama. Mas a cada cinco minutos pode perguntar, enquanto assiste o futebol (sem tirar os olhos da TV), se ainda vai demorar muito essa arrumação, pedir para você levar uma cerveja e dizer "vem sentar do meu lado para ver o jogo". Esse jogo não nos interessa nem um pouco, mas saber que ele precisa de nós num momento tão crucial é tudo de que precisamos para ser felizes. E quando o time dele fizer um gol e ele comemorar te abraçando e beijando muito, seja solidária e mostre-se tão feliz como se tivesse acabado de ganhar o mais lindo vestido da última coleção de Valentino.

Não basta ser mulher: tem que participar. A hora de ir para a cama é muito importante: mesmo que ele esteja estudando um processo ou lendo uma revista em quadrinhos, é fundamental que ponha a perna em cima da sua, para que você sinta que, aconteça o que acontecer; ele estará sempre ligado em você. E um homem que quer ser amado sobre todas as coisas não pode jamais, mas jamais, depois de apagar a luZ do abajur, se virar de costas para dormir; isso é crime que nenhuma mulher perdoa. E quando, já no escuro, ele faz um carinho na sua cabeça e se encaixa - não há mulher que resista a um homem que sabe se encaixar bem -, aí é que você sente a felicidade total e pensa que é aquele homem, aquele e nenhum outro, que pode fazê-la feliz. É só isso que queremos dos homens. Não é pedir muito, é?

"Danuza"


Danuza Leão é cronista, autora de vários livros, entre os quais NA SALA COM DANUZA-2 (ARX) e QUASE TUDO (Cia das Letras)

Um minuto de silêncio por Chernobyl

Cidade de Pripyat, hoje é uma cidade antasmaUma série de eventos estão sendo realizados hoje na Ucrânia para lembrar os 20 anos do acidente nuclear na usina de Chernobyl, o pior acidente nuclear do mundo.

Sinos marcaram a hora em que o alarme disparou na usina no dia 26 de abril de 1986 (01h23, hora local; 19h23, hora de Brasília) e foi feito um minuto de silêncio. A explosão do reator número quatro destruiu sua cobertura, espalhando nuvens de radiação por vastas áreas da então União Soviética e da Europa.

O presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, compareceu a uma missa em uma pequena igreja na capital Kiev, construída em homenagem às vítimas do acidente. Kiev fica localizada 110 quilômetros à norte de Chernobyl.

As estimativas sobre o número de pessoas que morreram ou ainda vão morrer em conseqüência do acidente variam muito. As Nações Unidas prevêem que até 9 mil mortes por câncer estejam ligadas a Chernobyl. Mas um relatório do Greenpeace da semana passada estima que esse número chegue a 93 mil, e que outras doenças também decorrentes do acidente podem elevar esse número para 200 mil.

Mais de 250 mil pessoas foram retiradas permanentemente da área próxima ao reator destruído, que foi envolvido em uma estrutura de concreto. A área em um raio de 30 quilômetros em torno do reator tem acesso restrito.

Pripyat, a cidade fantasma de Chernobyl

A explosão foi acobertada pelas autoridades soviéticas na época. Só duas semanas depois da explosão, quando começaram a haver sinais da emissão de radiação, uma autoridade soviética acabou admitindo a "possibilidade de uma catástrofe".

Estudo confirma que a Europa ainda está contaminada por Chernobyl


40% do solo da União Européia ainda sofre um alto nível de contaminação radiativa vinte anos depois do acidente da usina nuclear. A conclusão é de um estudo realizado pelos cientistas britânicos Ian Fairlie e David Sumner, a pedido do Partido Verde europeu.

Apresentado ao Parlamento Europeu, o estudo de 90 páginas se baseia em dados compilados pela Comissão Européia, órgão executivo da UE, e nas imagens de satélite tomadas nos dias posteriores ao desastre.

As fotos mostram o deslocamento da nuvem tóxica desprendida pelo acidente, composta por elementos como o Césio 137, Estrôncio 90 e Iodo 131, com radioatividade equivalente a 200 vezes a das bombas de Hiroshima e Nagasaki combinadas.

Até 2005 cerca de 5.000 casos de câncer de tiróide foram registrados entre moradores da Belarus, Rússia e Ucrânia que tinham menos de 18 anos na época do desastre.

Os cientistas britânicos estimam que nos próximos dez anos "Chernobyl causará de 30.000 a 60.000 mortes por câncer, entre 7 e 15 vezes mais que o estimado pela da Organização Mundial da Saúde (OMS)", que limita esse número a 9.000.


fonte: BBC Brasil

terça-feira, 25 de abril de 2006

"Foi bonita a festa, pá!"

Há 32 anos atrás, acontecia em Portugal, a revolução militar mais pacífica de que a história do mundo já teve notícia.

No dia 25 de abril de 1974, eclode a Revolução dos Cravos: oficiais de média patente se rebelam e derrubam o governo de Marcello Caetano, que se asila no Brasil; o general António de Spínola assume a Presidência do país. A população festeja o fim da ditadura distribuindo cravos - a flor nacional - aos soldados rebeldes. Os partidos políticos, inclusive o Comunista, são legalizados e é extinta a Pide, polícia política do salazarismo.

Este levante militar do dia 25 de Abril de 1974 derrubou, num só dia, o regime político que vigorava em Portugal desde 1926, sem grande resistência das forças leais ao governo, que cederam perante o movimento popular que rapidamente apoiou os militares. Este levante é conhecido por 25 de Abril ou Revolução dos Cravos, e foi conduzido pelos oficiais intermédios da hierarquia militar (o MFA), na sua maior parte capitães que tinham participado na Guerra Colonial. Esta revolução deu a liberdade ao povo português (denominando-se "Dia da Liberdade" o feriado instituído em Portugal para comemorar a revolução), através da Democracia.


"Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente.
Ainda guardo renitente
um velho cravo para mim.
Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
nalgum canto do jardim.
Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, quanto é preciso, pá
Navegar, navegar
Canta a primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
algum cheirinho de alecrim."

Esta é a letra da música de Chico Buarque "Tanto Mar" numa homenagem ao 25 de abril.

Sou luso-descendente e luso-brasileira por opção.
Acredito na democracia e é sempre muito bom comemorar a sua existência! Deve ter sido bonita a festa, pá!


fonte: Wikipédia

Cow Parade - Elas estão em Paris

A idéia da "Cow Parade" foi lançada em Zurique; e as várias e coloridas vacas dessa exposição urbana que já estiveram em cidades como São Paulo, Chicago, Nova York, Mônaco, Bruxelas, Londres, Barcelona, Tóquio e Buenos Aires, darão o ar de sua graça nas ruas de Paris. As "meninas" estão com tudo!

E para o Rio de Janeiro?! Tudo?! Nada! Então como é que é? É pink! É pink! É pink! Mas "Deus é pai, não é padastro" - como diziam os mais antigos - e deixaremos de ser tão pinks, tenhamos fé! Amém.

Já na próxima quinta-feira, parisienses e turistas que visitem a Cidade-Luz poderão apreciar esculturas das famosas vaquinhas em tamanho natural e pintadas por artistas célebres como Christian Lacroix, Ben e Chantal Thomas e outros jovens talentos.

No total, 110 vacas ficarão "pastando" até 16 de junho nos lugares mais conhecidos de Paris. Cada artista recebeu uma escultura de tamanho real feita de fibra de vidro e a transformou segundo sua imaginação.

A ação intitulada "Vach'Art" permitirá coletar fundos em benefício do Programa de Alimentação Mundial (PAM) da ONU e da associação humanitária Africa Alive, já que as obras serão leiloadas em 30 de junho.


fonte: UOL

segunda-feira, 24 de abril de 2006

Além do cavalete

As obras de um pintor vão muito além de exposições de suas pinturas, vão além do cavalete. E é assim que o livro DI CAVALCANTE - UM MESTRE ALÉM DO CAVALETE de Piedade Epstein Grinberg pela Editora Metalivros (R$75,20) investiga os diferentes percursos explorados pelo artista modernista em sua obra.
Ilustração de Di Cavalcanti para o poema "Boca", de Carlos Drummond de Andrade


fonte: UOL e Fnac

domingo, 23 de abril de 2006

Carta de Fernanda Young


Prezada Mulherzinha,


Se existe alguém que pode falar o que vou falar para você, sou eu. Então, por favor, tenha a humildade de admitir que sei o que estou falando. Pois o que eu te direi é duro, mas poderá te fazer um bem enorme.

Chega. Chega de se comportar assim. Como se estivesse lutando pelo posto de rainha da bateria. De Miss Maravilha do Mundo. Basta de ataques, dessa competividade suburbana - eu sou a melhor, eu sou a mais alta, eu sou a mais gostosa do pedaço. Ninguém tá ligando a mínima se você corre 10 quilômetros ou se aplicou Botox nessa sua testa sem expressão. Ou se você é assim porque ainda não passa de uma menininha que quer ser mais perfeita do que a mãe, conquistar o amor do pai e ser a primeira da classe. Esse teu afã psicopata de vencer todas as paradas só te deixa ridícula. E me faz querer usar um termo que odeio: coisa de mulherzinha. Mulherzinha é que tem essa mania de estar sempre desconfiada das amigas, porque todas teriam inveja do seu corpão e do seu cabelão estilo falso-loiro-natural-cinco-tons. Lamento informar, querida, que ninguém sente inveja de você. Por isso, chega de dizer por aí que, para não atrair olho grande, é bom ficar de bico fechado sobre a tal possível promoção que você terá no trabalho. Relaxa, ninguém está a fim de ser você. Tente, portanto, ser você com mais leveza. E lembre-se: esse negócio de dizer que não se pode confiar em mulheres só comprova que você é uma pessoa maliciosa. Sendo que isso está longe de ser porque você é fêmea.

Quando vejo você tagarelando sobre seus feitos sexuais, sinto-me num filme ruim sobre ginasianas americanas. Todas fanhas e excitadas. Chega, tá? De azucrinar os outros com essa sua boca-genital lambuzada de gloss, cuspindo baixos-clichês, simulando uma modernidade que você não tem. Nunca mais caia no ridículo de fazer "sexo casual" com nenhum tipo de homem, mais velho ou mais novo, casado ou solteiro, porque todo mundo já sabe que você finge tudo. Que goza, que não se sente fácil, que não liga quando os caras não telefonam no dia seguinte. Seja honesta uma vez na vida: confesse. Que você não é tão wild quanto se vende. Que não sabe falar tão bem inglês assim. Que fez escova progressiva. Que tem dermatite. E enfim você terá alguma paz, pois se reconhece humana, e não a barbie boba que você procura ser. Acredite: idiotice só te faz charmosa para os cafajestes. Se continuar assim, nunca vai aparecer aquele cara bacana que você gostaria que aparecesse; para lutar por você, até te conquistar, e destruir essa tua linda silhueta com uma gestação de 15 quilos.

É triste, amiga Mulherzinha, mas você terá que abrir mão da máscara de rímel que cobre a sua verdade.

"Fernanda"


Fernanda Young é co-roteirista de OS NORMAIS e autora de vários livros, entre eles AS DORES DO AMOR ROMÂNTICO (Ediouro)

fonte: REVISTA CLAUDIA, abril 2006

Novidades no meu pedaço

A partir de hoje, este blog abre espaço para grandes profissionais femininas brasileiras que andam escrevendo em jornais e revistas do Brasil. A primeira a ser publicada é Fernanda Young, que esse ano tem um novo programa televisivo e que através do Canal GNT ficou bastante conhecida na minha outra terrinha, Portugal.



sexta-feira, 21 de abril de 2006

Não imagino o que esteja acontecendo

Hoje só sinto vontade de chorar. Muito provavelmente amanhã e nos dias seguintes vou me arrepender. Não de chorar, mas de dizer que chorei.

Se não tenho o hábito de comentar esse tipo de esquisitice, imaginem escrever sobre o assunto. E depois, vou acabar pensando:"quanta demonstração de fragilidade, que coisa mais irritante". Sou naturalmente emotiva, mas ocorre uma situação completamente diferente. Sinto-me péssima!

E me percebo me importanto com opiniões alheias. Sendo que as tais opiniões seriam sei lá de quem. Normalmente não me importo nada com o que pensem a respeito de nada também. Mas me lembrei que me importava com o fato de ser vista chorando ou que percebessem que eu havia chorado.

Não para a vontade incontrolável de chorar. Ela diminui, mas volta. Se estou sentada, sem pensar em nada, lágrimas e mais lágrimas vão rolando pelo meu rosto abaixo. Não tem lógica.

Ainda bem que esta "tragédia" começou em casa. Mas este fato raro - e ainda bem que é - já deu para acontecer em locais públicos, mas não me lembro aonde, faz tempo.

Costumo ficar com o nariz vermelho igual ao nariz de palhaço. E se calhar de ser vista por alguém conhecido, vou repetindo essa descrição já que soa um pouco engraçada e sempre dá resultado. Arranjo uma muleta para que não percebam que fui fraca e chorei, evita também que perguntem o que aconteceu e tal. Como iria explicar?! Sempre querem explicação.

Não sei o que fazer, nem sei o que me está acontecendo. Há poucos dias, tenho sido assim "atacada". Dia sim, dia não. Nada adianta de nada, nem sinto vontade de fazer alguma coisa. Executo mecanicamente o obrigatório.

É tanta a vontade de chorar, e choro. Senti uma vontade imensa de sumir, mas a falta de capacidade de raciocício é tanta, que eu não saberia nem por onde começar a decidir.

Eu só choro...

quinta-feira, 20 de abril de 2006


Banalidades


Deito a cabeça no teu peito
Enrolada nos teus braços
E desfio com os dedos na tua pele
As banalidades que fizeram o meu dia
E tudo se torna importante
Porque nada é banal
Quando dito na tua pele
Desfiado no teu peito
Enrolada nos teus braços.


Encandescente in "Encandescente", Colecção Polvo - Poesia
foto: Saelon Renkes

Estudando os Homens - II

Brasileiro acima dos 40 'tem satisfação sexual média'

Uma pesquisa realizada pela Universidade de Chicago chegou à conclusão de que a satisfação sexual dos brasileiros com mais de 40 anos se encaixa na classificação "média" em uma lista de 29 países.

Na lista, o Brasil está do lado de países como Itália e nações do Oriente Médio e atrás de nações como Áustria, Espanha, Bélgica e Estados Unidos. O estudo foi feito entre um grupo de 27 mil pessoas, com idades de 40 a 80 anos.

De acordo com o estudo, 59,3% dos brasileiros dizem ter prazer físico com o sexo, contra 39,7% das mulheres. Na Áustria, o país que lidera a lista da população com mais de 40 anos mais bem realizada sexualmente, o índice é de 79,7% para os homens, contra 63% para as mulheres. Na Espanha, a cifra entre os homens é de 72,9%, e entre as mulheres, de 67,5%.

A relação de brasileiros com mais de 40 que diz sentir prazer emocional através do sexo é de 60,8%. A cifra entre as mulheres é de 41,3%. Na Áustria, os mesmos índices são, respectivamente, de 83,4% e 70,6%. Nos Estados Unidos, são de 77% e 68%.

Segundo o especialista que comandou a pesquisa, o desempenho do Brasil - listado entre nações com "níveis médios de satisfação sexual" - foi inesperado.

"O caso brasileiro foi particularmente surpreendente, já que a sexualidade é algo bem visível no Brasil. Você a vê nas praias e nas ruas, mas isso também cria provavelmente muita pressão sobre os homens", disse o sociólogo Edward Laumann, da Universidade de Chicago, em entrevista à BBC Brasil.

Laumann acrescenta, também, que as pressões sociais contribuem para o grau de satisfação sexual entre as mulheres com mais de 40 anos em países que a pesquisa qualifica como centrados na figura masculina.

"Nestes países, a mulher tende a ter uma posição mais passiva, secundária, o que pode contribuir para um menor interesse pelo sexo. Em contrapartida, o homem se sente deprimido em não ser um participante ativo."

De acordo com o sociólogo, o índice positivo de países como Espanha e Áustria se deve ao fato de que estas são sociedades estáveis, homogêneas, com um grupo religioso predominante e que possuem muito respeito pela velhice e pelos laços matrimoniais.

De acordo com Laumann, sociedades homogêneas têm mais chances de apresentar um comportamento igualmente homogêneo em relação a seus hábitos sexuais.

"Na Espanha e na Áustria existem poucas variações em termos de crença religiosa. Nos Estados Unidos, cerca de um terço da população é católica e dois terços, protestante. Deste último grupo, muitos são evangélicos", afirma o sociólogo.

Segundo Laumann, essa diversidade, é uma influência decisiva no comportamento sexual. "Existem mais americanos virgens do que britânicos. Mas ao mesmo tempo há americanos com 21 parceiras sexuais. O Brasil também vive grandes contrastes, não apenas culturais, mas também sociais e étnicos, o que contribui para hábitos sexuais extremos."

Um dos quesitos que melhor reflete os contrastes sexuais entre os homens e mulheres brasileiros de mais de 40 é o que diz respeito à importância do sexo. O índice dos homens foi o mais alto entre todos os países consultados na pequisa: 74,6%. A cifra registrada entre as mulheres ficou muito aquém, 43,1%.


n.r.: não participei da pesquisa, portanto, nada a declarar. Sei que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, mas... desde quando exibir o corpo, seja na praia ou na rua é sinônimo de satisfação sexual? Eu, hein. Pode ser sinônimo de satisfação pessoal.

Quando eu falo que rotulam - o mundo, minha gente - brasileiras e brasileiros só pela aparência, sempre acham que é exagero meu. Continuem fazendo publicidade turística de nossas praias com bundas. Mas depois, não reclamem! Menos hipocrisia, por favor!

Estudando os Homens - I

Prazer sexual depois dos 40 é maior para homens, diz estudo

Homens na meia-idade e na terceira idade são mais satisfeitos sexualmente do que mulheres na mesma faixa etária.

A informação consta de uma pesquisa realizada pela Universidade de Chicago, nos Estados Unidos, divulgada nesta quarta-feira. O estudo foi feito com um grupo de 27 mil pessoas com idades de 40 a 80 anos, em 29 países, incluindo o Brasil.

Na grande maioria dos países consultados, os homens sentem mais prazer físico e emocional com o sexo do que as mulheres na mesma faixa etária.

A pesquisa revelou que o percentual de pessoas mais velhas que se dizem mais satisfeitas com a vida sexual é maior em países da Europa, da América do Norte e da Oceania do que nos países que o estudo qualifica como "regimes centrados na figura masculina", o que inclui países como Brasil, Itália, Turquia, Argélia, Coréia do Sul, Marrocos e Israel.

De acordo com o estudo, a Áustria encabeça a lista de países onde a satisfação sexual é maior, mas há contrastes consideráveis nos dados registrados entre os homens e os referentes às mulheres no país.

Entre os austríacos, 79,7% diz sentir prazer físico com o sexo. A proporção entre as mulheres do país é de 63%. Um total de 83,4% dos austríacos afirma que sente prazer emocional com a atividade sexual, enquanto o índice entre as mulheres é de 70,6%.

O sociólogo Edward Laumann, da Universidade de Chicago, que comandou a pesquisa, brinca ao dizer que "até os austríacos se surpreenderam com o resultado".

Mas Laumann acrescenta que o índice positivo de satisfação sexual registrado pela pesquisa em países como Áustria e Espanha se deve ao fato de que "têm populações relativamente homogêneas, com poucas diferenças religiosas, com culturas que valorizam o idoso e os laços matrimoniais".

Os países que registraram os índices mais baixos de satisfação sexual tanto entre a população masculina como entre a feminina são os do Leste Asiático. De acordo com o estudo, o Japão foi o país com a população idosa menos satisfeita sexualmente.

Segundo o estudo, 17,6% dos homens japoneses dizem ter prazer físico com o sexo, contra apenas apenas 9,8% das mulheres.

Em Taiwan, o índice de homens que disse dar importância ao sexo foi de apenas 24,7%, contra 7,3% das mulheres. Os números do Leste Asiático apresentam um contraste considerável com as cifras calculadas no Brasil, por exemplo, onde o índice foi de 74,6% para homens, contra 43% para as mulheres.

"O fato de pessoas de meia-idade no Leste Asiático terem expressado menos interesse por sexo está ligado ao fato que a velhice é vista de uma forma muito puritana nessas sociedades", afirma Laumann. "Até porque o sexo é visto como tendo fins basicamente de procriação."

"As mulheres costumam ver o sexo como algo sujo. Quando elas se tornam mais velhas, sentem que é hora de fugir dessa situação", acrescenta o sociólogo.


n.r.: meninas, corram em busca de homens mais velhos, os garotões não estão com nada!!!

Cenas de denúncias proibidas para eleitores são aprovada pelo Senado

Foram aprovadas pelo Senado um pacote com novas regras eleitorais. Dizem os especialistas que estas novas regras poderão beneficiar a candidatura do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Poderão ser vetadas na campanha de TV, cenas de denúncias e de depoimentos ocorridas nas CPIs que investigaram o mensalão e o valerioduto.

Outra, ainda mais absurda, não responsabiliza criminalmente tesoureiros envolvidos em caixa dois. Significa que a responsabilidade passa a ser do político, sendo que este possui imunidade parlamentar e qualquer tentativa de "punição" será uma grande piada.

Caberá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) decidir como aplicar a proibição. Caso entenda que a proibição de cenas externas se aplica a imagens de arquivo, a oposição - PSDB - não poderá usar as imagens na propaganda eleitoral gratuita - que inicia em agosto - das denúncias e depoimentos feitos nas CPIs contra o governo e o PT.

Mas como por aqui, as leis costumam deixar muitas brechas, ainda não se sabe ao certo se a aplicação desta nova lei eleitoral poderá ser efetivamente aplicada para a eleição deste ano.

A esta altura docampeonato, creio que deixa de ser importante quem possa lucrar com esta nova regra, mais importante é o fato de quem perde com isso. Perde, pela falta de informação. É óbvio que, como sempre, seremos nós, os eleitores.

Os especialistas já criticam as mudanças, dizem que "isso é cercear o direito do eleitor de ter informaçõs", disse o diretor-presidente da ONG Transparência, Cláudio Weber Abramo.

Para Cláudio Abramo, conforme entrevista concedida ao jornal "O Globo", as mudanças, em linhas gerais, estão destinadas a reduzir a informação para o eleitor. Analisando cada uma das questões aprovadas ou reprovadas ontem pelo Senado, ele explica:

"Com as mudanças nas regras para rádio e TV, nenhum dos candidatos poderá mostrar, por exemplo, gráficos sobre uma proposta referente ao Imposto de Renda. Ou mesmo fotos do Lula acendendo o charuto do Delúbio ou o Valério de braços dados com o Eduardo Azevedo. Isso é cercear o direito do eleitor de ter informações sobre o programa do candidato ou seus antecedentes" - argumenta.

Uma das medidas mais polêmicas aprovadas pelo Senado, a de não responsabilizar criminalmente tesoureiros envolvidos com caixa dois, também é criticado por ABRAMO.

"O candidato não age sozinho numa campanha" - disse ele, criticando aind o fato da nova lei não exigir a identificação dos doadores durante a campanha, pela internet, mas só depois da eleição, como acontece hoje.



fonte: Jornal O Globo

quarta-feira, 19 de abril de 2006

Irresistíveis

Estudo prova que homens perdem a cabeça pelas mulheres

Perdem a cabeça e acrescento que torcem o pescoço.

Que os homens perdem o equilíbrio e torcem o pescoço acompanhando a passagem de uma mulher, todo mundo já está careca de saber. Que as mulheres costumam passar perto de edifícios em construção naqueles dias em que bate alguma tristeza, para levantarem o seu ego com "fiu-fius" e com o conhecido "elogio": gostosa, todo mundo também já sabia. Mas que o hábito masculino de perder a cabeça por uma mulher tinha virado estudo científico, aí já é novidade.

E a idéia de pesquisar cientificamente o assunto foi de um grupo de pesquisadores da Universidade de Leuven, na Bélgica, conforme noticiou hoje a revista britânica "Proceedings of the Royal Society".

Segundo o estudo, os numerosos encantos de uma mulher dificultam a capacidade dos homens para tomar decisões, já que os níveis de testosterona disparam frente aos atrativos femininos. Para chegar a tal conclusão, os pesquisadores analisaram as reações de 44 voluntários - homens de entre 18 e 28 anos.

Pessoalmente, acho que a faixa de idade a ser pesquisada devia ser um pouco mais alargada. Enfim...

Os voluntários eram agrupados em dupla e de tempos em tempos viam imagens de mulheres atrativas e eram perguntados sobre seus gostos a respeito de tecidos.

Resultado: os homens expostos ao que os cientistas chamaram de "insinuações sexuais" caíam mais facilmente na tentação de fazer insinuações do que os que não haviam sido expostos e apresentavam maiores níveis de testosterona.

Embora os homens achem que são seres muito racionais, a pesquisa indica que "os homens com elevados níveis de testosterona são muito vulneráveis às insinuações sexuais", segundo Siegfried Dewitte, um dos responsáveis.

"Se não houver nenhuma insinuação sexual, comportam-se com normalidade, mas se vêem imagens sexuais voltam a ser impulsivos", disse Dewitte. No entanto, o cientista explicou que os resultados só demonstram uma tendência e que os homens podem "aprender" a se controlar.

Agora, os pesquisadores de Leuven estão fazendo testes para averiguar se o mesmo ocorre com as mulheres, embora até agora não tenham descoberto nenhum estímulo visual que as transtorne na hora de tomar uma decisão.

Portanto, como diria o humorista Francisco Milani: "há controvérsias!". Também podiam ter pedido a minha opinião nesse estudo, mesmo sendo uma opinião feminina.

Anos atrás um amigo me confessou uma certa vez, que havia conseguido perder o hábito - irresistível, como ele dizia - de se virar sempre que passava por ele alguma mulher. Ainda bem que a confissão foi depois de perder o hábito. Tadinho, devia ser um sofrimento.


fonte: UOL, Agência EFE.

terça-feira, 18 de abril de 2006


Volúpia

Tenho-te, do meu sangue alongada nos veios,
à tua sensação me alheio a todo o ambiente;
os meus versos estão completamente cheios
do teu veneno forte, invencível e fluente.

Por te trazer em mim, adquiri-os, tomei-os,
o teu modo sutil, o teu gesto indolente.
Por te trazer em mim moldei-me aos teus coleios,
minha íntima, nervosa e rúbida serpente.

Teu veneno letal torna-me os olhos baços,
e a alma pura que trago e que te repudia,
inutilmente anseia esquivar-se aos teus laços.

Teu veneno letal torna-me o corpo langue,
numa circulação longa, lenta, macia,
a subir e a descer, no curso do meu sangue.


Gilka Machado
Paolo Fiammingo (Pauwels Franck) - "Love in the Golden Age"
[pintor holandês (1540-1596), renascimento]

segunda-feira, 17 de abril de 2006

Gengibre pode combater cancêr de ovário

Experiências feitas por cientistas da Universidade de Michigan, nos Estados Unidos, indicaram que o gengibre pode ajudar a combater o câncer de ovário.

Testes feitos em laboratório mostraram que a raiz pode matar células cancerígenas, de acordo com os resultados apresentados na Associação (americana) de Pesquisas sobre o Câncer.

Os pesquisadores usaram um pó de gengibre semelhante ao que é vendido em lojas de comida, dissolveram o produto em uma solução e a aplicaram em células de câncer de ovário.

Embora digam que o gengibre matou as células cancerígenas em todos os testes, os próprios autores do estudo reconhecem que mais exames precisam ser realizados para comprovar o poder anticâncer da raiz.

Cientistas britânicos também advertiram que, embora o estudo ofereça esperanças de que o gengibre seja usado no desenvolvimentos de drogas contra o câncer, ainda é cedo para concluir que o alimento possa de fato ajudar a combater a doença.

"Este estudo não significa que as pessoas devem baixar nos supermercados e estocar gengibre", disse o representante da ONG britânica Cancer Research UK Heney Scowcroft.

Ainda assim, os pesquisadores americanos destacaram as vantagens de um possível tratamento à base de gengibre.

Segundo eles, não só o alimento não tem efeitos colaterais, como seria de fácil administração, possivelmente na forma de cápsulas.

Nos testes, os cientistas observaram que o gengibre levou as células a se "suicidarem" - o que é conhecido como apoptose - e à autofagia - uma espécie de canibalismo.

Segundo os pesquisadores, a forma como o gengibre "mata" as células cancerígenas é especialmente encorajador.

"Se o gengibre pode causar morte autofágica além da apoptose, também pode restringir a resistência à quimioterapia convencional", disse a autora do relatório sobre o estudo, Rebecca Liu.

A raiz já é conhecida por propriedades terapêuticas como a capacidade de aliviar náusea e controlar processos inflamatórios.

n.r.: a procura por cápsulas de gengibre deve aumentar, por isso não custa nada uma conversa com seu médico antes de sair utilizando o remédio. Seu médico é o profissional mais indicado para dizer a quantidade de cápsulas que você pode consumir e por quanto tempo sem que possa afetar de alguma maneira a sua saúde. Sempre que souber de uma nova descoberta científica, antes de mais nada, bata um papo sobre o assunto com seu médico. É seguro e simples!

fonte: BBC Brasil

O desânimo é do tamanho do Brasil

De uns tempos para cá passei a sentir vontade em alterar a descrição deste meu blogue. Muito de vez em quando publico notícias sobre políticos e sobre a nossa vergonhosa política nacional. Já há algum tempinho, venho extravasando a minha mágoa e indignação em blogues amigos, e assim, ia aliviando o meu espírito sem sentir a real necessidade de falar sobre esse tipo de fatos que charfundam na lama que tanto foi o tempo que já correu, provavelmente deve estar seca.

Mas será que é possível apenas escrever sobre o lado bonito da vida e sobre uma exposição ou outra que aparece aqui e ali? Para mim já não dá mais. Esse blogue vai ter de sofrer umas alterações, caso contrário, explodirei!

Acho que o ar que circula neste Brasil foi contaminado, é a única maneira de entender a não-reação do povo brasileiro. Cá entre nós..., para mim, forças ocultas lançaram um pó inodoro anestésico por todas as cidades do país e tenho uma explicação lógica para não ter sido contaminada. Sofro de vários tipos de alergia e num dos muitos espirros que se sucedem diariamente na minha vida, o tal pó não conseguiu me afetar. Existe outra explicação? Acho que não. E por essas e outras é que não consigo "me acostumar" e menos ainda com a violência no Rio de Janeiro.

Todo o mundo sabe que há muitos meses atrás, surgiu a denúncia do mensalão. Uns poucos políticos foram cassados e o que se viu foram outros tantos comprovadamente culpados, e após votação na Câmara, se manterem nos seus cargos. E a vida continuou seu curso.

Passadas outras tantas denúncias, surge um caseiro que denuncia o senhor Ministro da Fazenda. A parte acusada fica um tempo se fingindo de morta até que alguém - outra força oculta - resolve quebrar ilegalmente o sigilo bancário do caseiro. Tempo vai, enrolação vem, mais uma demora aqui e acolá e o senhor Ministro sai do governo. E a vida continuou seu curso.

Antes do caso do caseiro Francenildo, surgia uma denúncia arrepiante em cima do presidente do Sebrae, Paulo Okamoto, mas como várias outras denúncias mais interessantes - creio eu - foram surgindo, colocaram esse assunto ali ao lado, na sala de espera, para quando estivessem com mais tempo voltar à análise da questão. Me parece que agora o assunto deve andar. Mas a vida continou.

O que para mim é mais degradante - não encontrei palavra melhor - é acompanhar diariamente notícias sobre casos de corrupção que brotam rápido, feito feijão de experiência escolar e espacial neste Brasil. Uma das últimas e velhas novidades li no "O Globo" deste domingo. Tinha em seu título e subtítulo o seguinte: "O homem-bomba vira escudo" e "Amigo de Lula, Okamoto tenta negociar acordo sobre abertura de sigilo bancário". Para mim, bastam os títulos da reportagem para expressar o quanto me sinto infeliz.

Conclui que o mesmo sistema, que quebra ilegalmente o sigilo bancário de um caseiro e que o transforma de acusador em acusado a partir do momento em que a PF decide investigá-lo, é o mesmo que "permite" já há muito tempo, que não haja a abertura do sigilo bancário do presidente do Sebrae e agora, surge a hipótese de que haja alguma negociação pela abertura do mesmo. E a vida, como se nada estivesse acontecendo, continuará. Sinto vergonha em ser brasileira.

Todos os domingos, concordo facilmente com o que escreve o escritor João Ubaldo Ribeiro na sua coluna do "O Globo" e transcrevo aqui um trecho do que foi por ele escrito, já que tem muito a ver com a comparação que costumo fazer em conversas triviais sobre o Brasil e o resto do mundo.

"Não posso conceber país nenhum em que, com a caneta do poder, um presidente ou premier prendesse o dinheiro de todo mundo, como fez o ex-presidente Collor e ficasse tudo por isso mesmo. Não ficava.(...) Na França, então, meu Deus do céu, seriam capazes até de retirar a a guilhotina da aposentadoria(...) Em relação à lei do primeiro emprego que o governo da França promulgou e o povo revogou, acredito que a nossa reação principal seria no Rio mesmo, com um grupo de uns 500 caras-pintadas carregando faixas e abraçando o edifício do Tribunal do Trabalho. Bem, talvez não 500, mas pelo menos 200, contando o pessoal que aparece para paquerar(...)
Toda a bandidagem que temos testemunhado e tudo o que se fez de mal ao povo, não só neste governo como nos anteriores (o atual acha que a grande solução social é dar esmolas com nomes artísticos e o dinheiro da classe média e dos próprios pobres), não nos move a nada, a não ser a resmungos e uns eventuais gritinhos."

E como diz muito bem o Ubaldo: "Nós somos é do bé-bé-bé".



fonte: a charge é do blogue Beco dos Bytes.

quarta-feira, 12 de abril de 2006












Os poemas


Os poemas são pássaros que chegam
não se sabe de onde e pousam
no livro que lês.
Quando fechas o livro, eles alçam vôo
como de um alçapão.
Eles não têm pouso
nem porto
alimentam-se um instante em cada par de mãos
e partem.
E olhas, então, essas tuas mãos vazias,
no maravilhoso espanto de saberes
que o alimento deles já estava em ti...


Mário Quintana
foto: Dennis Stock

Arte feita por crianças do mundo - S.Paulo

Desenhos da mostra "Ciranda da Arte: Linguagem sem Fronteiras" ficarão expostos até o dia 13 de abril. São 81 quadros premiados de crianças e adolescentes do mundo todo, que têm entre 6 e 15 anos de idade, incluindo crianças brasileiras.

As obras expostas foram premiadas no 12º Annual World Children's, realizado em 2004, com a participação de mais de 42 mil trabalhos produzidos por crianças de 57 países.

Vinte quadros receberam medalhas de ouro, 40 ganharam medalhas de prata, 60 levaram medalhas de bronze e 87 foram homenageados com menções honrosas. O Brasil participou com 325 obras, sendo que uma delas foi premiada com a medalha de ouro (imagem ao lado), uma com bronze e duas tiveram menções honrosas.


Ciranda da Arte: Linguagem sem Fronteiras
»Onde: Salão Nobre da Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa
r. São Joaquim, 381, 2º andar - Liberdade - São Paulo
»Quando: Até quinta, 13/4, das 12h às 18h
»Quanto: grátis
»Informações: www.bunkyo.org.br

fonte: UOL

terça-feira, 11 de abril de 2006

"Antes tarde do que nunca" ou

"Ano de eleição é ano de muito trabalho"; que quer dizer:

Repressão ao turismo sexual no Brasil

Para um país que recebe apenas 5 milhões de turistas por ano, acabar com as viagens para europeus com sexo incluído transformou-se em prioridade máxima. Só em uma semana ocorreram quase 200 detenções, entre elas a de vários espanhóis

Bernardo Gutiérrez

Homem, europeu, solteiro, de meia idade, calvo e/ou acima do peso. Esse é o perfil do visitante menos desejado nas terras de Lula -- o turista que chega ao Brasil em busca de sexo. As últimas operações da Polícia Federal, que terminaram com quase 200 detidos na última semana nas praias do nordeste, confirmam que depois do tsunami asiático o Brasil se transformou em um dos principais receptores de turismo sexual do mundo.

No último dia 31 de março, 70 policiais federais invadiram a discoteca Hollywood na cidade de Natal, Rio Grande do Norte, e detiveram 110 estrangeiros, entre eles vários espanhóis, acusados de incentivar a prostituição infantil. Durante a semana foram registradas mais de 500 intervenções e outros 78 detidos nos locais próximos à praia em Natal,
um dos epicentros do turismo sexual.

Mas essas ações policiais não são algo excepcional. Fazem parte de um plano ambicioso para erradicar o turismo sexual das terras brasileiras. "A polícia é treinada para mostrar ao mundo que a exploração de crianças e adolescentes no Brasil é crime. E que não é tão fácil praticar sexo pago aqui", afirmou depois das operações policiais o coordenador do Programa de Combate ao Turismo Sexual do Ministério do Turismo, Sidney Costa.

Para um país que recebe apenas 5 milhões de turistas por ano e que continua buscando sua posição no mercado, acabar com os "sexual tours" -- que oferecem viagens com sexo incluído -- das operadoras turísticas européias se transformou em prioridade máxima. O governo Lula lançou há um ano sua primeira grande iniciativa ao apresentar um plano de ação de turismo sustentável e infância. O plano, além de apresentar um quadro jurídico punitivo para os infratores, atua na sensibilização da opinião pública através de campanhas de divulgação. O próprio ministro do Turismo, Walfrido dos Mares Guias, é taxativo ao definir o espírito do plano: "Onde existir um bar, um restaurante, um hotel, todos os trabalhadores deverão se conscientizar. Queremos turistas que respeitem nosso país".

Além disso, o ministério está terminando o Código Nacional de Conduta no Turismo, que será divulgado entre os profissionais do setor e que é inspirado na experiência pioneira do estado do Rio Grande do Norte, onde uma centena de empresas do setor já participam de seu próprio código ético.

O resultado dessa cruzada antiturismo sexual é que em muitos lugares, restaurantes, aeroportos e estações de ônibus do Brasil já se podem ver cartazes convidando à denúncia: "A exploração sexual de crianças e adolescentes é delito! Denuncie! Ligue para 0800-713032".


O restante da notícia aqui.

fonte: La Vanguardia

Doce cura

Britânicos querem testar chocolate em cardíacos agudos

Cardiologistas do Instituto de Pesquisas William Harvey, em Londres, pediram autorização para testar o uso de chocolate amargo em 40 portadores de doenças coronárias agudas.

O pedido se segue à divulgação recente de vários estudos que sugerem que os chamados flavonóides, encontrados em alguns tipos de chocolate, podem combater males do coração, hipertensão e derrames.

Mas segundo o coordenador da pesquisa, Roger Corder, a maioria desses estudos se baseia na avaliação de voluntários com nenhum ou poucos sintomas moderados de doenças cardíacas.

Segundo os estudos anteriores, os flavonóides podem reduzir o chamado mau colesterol, que provoca o enrijecimento das artérias, aumentando as chances de enfartes e derrames.

Mas alguns especialistas lembram que os possíveis benefícios do chocolate não compensam os malefícios provocados pelo alto conteúdo de gordura e açúcar presentes no alimento. "O chocolate costuma ser mais parte do problema do que solução", disse Charmaine Griffiths, porta-voz da Fundação Britânica para o Coração.

Ela reconhece, porém, que existem algumas provas de que pequenas quantidades de chocolate amargo podem provocar efeitos benéficos de curta duração sobre a circulação sangüínea.

O próprio Roger Corder reconhece os problemas apresentados pelo alimento. "Ainda serão necessários de seis a 12 meses para indicar quais as melhores marcas para o consumo pelos pacientes cardíacos", explicou.

Os flavonóides também podem ser encontrados em frutas e legumes, além do vinho tinto e de alguns tipos de chá.

Corder já realizou um estudo que relaciona a longevidade ao consumo de um vinho tinto produzido com um certo tipo de uvas da ilha italiana da Sardenha.


fonte: BBC Brasil

A dialética do mundo me abraça


A dialética do mundo me abraça.
Não alcanço a razão do dia,
nem o mistério da noite.



Do pó da criação ao pó que na terra deitará
tudo se transforma e se justifica.
Somos um só corpo a respirar
o breve sopro da existência eterna.
Só o destino nos une ao futuro.
E nosso destino é viver o presente,
síntese do que foi e do que será.



A escuridão e a luz movem,
como alavancas indissociáveis,
esse imenso ser em contínuo duelo.
O preto e o branco
O quente e o frio
O mais e o menos
O céu e a terra
O tudo e o nada
O som e o silêncio
O nascer e morrer
Olhar e não ver
Estar e não ser
São instâncias da mesma realidade.
A harmonia se impõe na superação dos limites.



Laeticia Jensen Eble
Renè Magritte

Alfredo Volpi, "A Música da Cor" - S.Paulo

MAM-SP celebra 110 anos de Alfredo Volpi

Alfredo Volpi fez sua primeira mostra individual no MAM-SP em 1956. Passados 50 anos, retorna ao Museu de Arte Moderna de São Paulo para comemorar os 110 anos de seu nascimento. A retrospectiva "Volpi: A Música da Cor" apresenta, 135 pinturas do artista, sendo que 20 delas são inéditas.
"Fachada festiva (década de 50)"

Alfredo Volpi nasceu em 14 de abril de 1896, na cidade de Lucca, na Itália. Mas logo no ano seguinte sua família se muda para o Brasil, escolhendo o bairro do Ipiranga, na capital paulista, como morada. Começa como pintor-decorador nas casas das famílias ricas de São Paulo, trabalho que mantém até a década de 40 - já que não era possível viver através do mercado da arte, então incipiente no Brasil.

Participa da primeira exposição em 1925, na 2ª Exposição Geral de Belas-Artes. Recebe críticas negativas, mas vende um quadro, o suficiente para motivá-lo. Em 1928, recebe medalha de ouro no Salão de Belas Artes Muse Italiche. Na década de 30, passa a integrar o Grupo Santa Helena, junto de Fulvio Pennacchi e Francisco Rebolo, por exemplo.

"Casario" (década de 50)

A primeira mostra individual vem apenas em 1944. Em 1951, participa da 1ª Bienal de São Paulo, que lhe rende o convite para a Bienal de Veneza de 1952. Impulsionado, volta a expor nas duas Bienais logo na sequência, nos anos de 1953 e 1954. Nova exposição individual vem em 1956, no próprio MAM-SP (que segue em 1957 para o MAM-RJ).

Em 1961, na 6ª Bienal de São Paulo, Alfredo Volpi ganhou sala especial. Retornou à Bienal paulistana em 1979, depois de duas retrospectivas (em 1972 e 1975). Morreu no dia 28 de maio de 1988.


VOLPI: A MÚSICA DA COR
» Onde: MAM-SP - Grande Sala
Parque do Ibirapuera, s/nº - Portão 3
» Quando: de 6 de abril a 2 de julho
terças a domingos e feriados, das 10h às 18h
» Quanto: R$ 5,50
» Informações: (11) 5549-9688 e www.mam.org.br

fonte: UOL

segunda-feira, 10 de abril de 2006

Poemas

Riqueza

Veio ao meu quarto um besouro
de asas verdes e ouro,
e fez do meu quarto uma joalharia...


Medo da felicidade

Estremecemos juntos...
Que potêcia má será a soberana
desse vento frio que passou?...


Mal entendido

Na boda de um camarão com uma lagosta,
levantaram um brinde ao transatlântico
que passou por cima para os cumprimentar...


Justificação

Ponham o Amazonas ao pé do Himalaia ,
e ali nascerá, depressa,
uma raça de homens pequeninos...



Guimarães Rosa

Arquiteto Paulo Mendes da Rocha


Paulo Archias Mendes da Rocha nasceu em 25 de Outubro de 1928 em Vitória - Espírito Santo, é um arquiteto e urbanista brasileiro. Pertencente à geração de arquitetos modernistas liderada por João Batista Vilanova Artigas, Paulo Mendes da Rocha assumiu nas últimas décadas uma posição de destaque na arquitetura brasileira contemporânea, o arquiteto brasileiro recebeu a maior distinção mundial da Arquitetura, o Prêmio Pritzker, anunciou nesta segunda-feira a Fundação Hyatt, responsável pela concessão do prêmio.

Paulo Mendes da Rocha, de 78 anos, se tornou assim o segundo agraciado do Brasil. Oscar Niemeyer foi o primeiro brasileiro a receber o Pritzker, em 1988.

Ao anunciar a decisão do júri, Thomas Pritzker, presidente da Fundação Hyatt, destacou o caráter universal da obra de Paulo Mendes.

O prêmio, que já foi concedido aos arquitetos Kenzo Tange (Japão), Sir Norman Foster (Grã-Bretanha), Aldo Rossi (Itália) e Álvaro Siza (Portugal), foi concedido apenas a três latino-americanos desde sua criação em 1979, entre eles, o arquiteto mexicano Luis Barragán.

É autor de projetos como o do Museu Brasileiro da Escultura (MuBE) em 1988. Em 2002, ele revitalizou a Praça do Patriarca no coração do centro deteriorado de São Paulo, erguendo um gigantesco pórtico de aço que parece flutuar sobre a praça. É nesta cidade também que o arquiteto passou a maior parte da vida.

Paulo Mendes da Rocha, falando de São Paulo, descreveu o prêmio como uma honraria para os arquitetos brasileiros e latino-americanos.

"Fiquei muito emocionado (com o prêmio) e posso dizer que considero essa atenção com a minha obra uma forma de considerar de extrema importância o trabalho da arquitetura na América Latina, um espaço novo, recentíssimo", disse Mendes da Rocha à Reuters, em entrevista na quarta-feira.

"Paulo Mendes da Rocha põe o alegre ritmo do Brasil em seu trabalho, e ao fazer isso levanta o espírito de todos cujas vidas são tocadas por ele", disse o presidente do júri, Lord Palumbo.

Recentemente ele projetou casas financiadas pelo governo em Madri, na Espanha, e está trabalhando na Galícia, no noroeste da Espanha, integrando novos prédios no campus da Universidade de Vigo.

O prêmio, concebido pela família Pritzker de Chicago, os donos da cadeia de hotel Hyatt, será dado a Mendes da Rocha em uma cerimônia em 30 de maio em Istambul, na Turquia.


fonte: Wikipédia e Reuters

Como é difícil ser loira e brasileira

"lé com lé, cré com cré, um sapato em cada pé" (Juca Chaves)

Notícia de primeira página de hoje num site na internet (Folha de São Paulo): "paulistanos não sabem o nome do prefeito".

Daí, resolvi pensar e ia concluindo que, o prefeito eleito (pela maioria, lógico) por São Paulo foi José Serra. Serra deixa a prefeitura para ser candidato ao Governo do Estado de São Paulo. Por enquanto tudo compreendido. O então ex-prefeito e atual candidato possuía um vice, e acompanhando meu racicínio com alguma lógica, concluo que esse vice seria o vice-prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, que depois da estória que contei da saída do Serra, se tornou o atual prefeito da cidade de São Paulo.

A partir daqui começa a minha falta de entendimento. Se elegeram o Serra como prefeito, deveriam saber o nome dele ou será que não é mais necessário porque agora votamos em maquininhas de alta tecnologia? Mas sabiam. Até aqui vou indo bem. Além disso, quem vota consciente e resolve eleger, nesse caso, José Serra para prefeito de uma cidade, é porque acredita em seu programa de governo. E como todo chefe carrega um vice atrás de si, provavelmente sei quem é e a qual partido pertence.

Ora, já sai fumaça dos meus miolinhos...

Então se o vice do Serra era o Kassab e o Serra saiu e o vice entrou... (já estou doida), o prefeito agora é o Kassab. (Acertei?! Sério?!) Pelo menos consegui concluir meu raciocínio.

José Serra à esquerda e Gilberto Kassab à direita

Então como é possível que 65% dos paulistanos não saibam quem é o prefeito? Não entendi. Querem saber? Cansei! 2006 é ano de eleições para presidente da república, governador de estado, senador e deputado federal. Vai ser lindo!


Cosac Naify publica raridade de Joaquim Nabuco

Uma narrativa de Adolfo Bioy Casares, um ensaio de Joaquim Nabuco e as impressões de um embaixador mexicano sobre a culinária brasileira. Com uma lista que seguirá refletindo essa diversidade, a editora Cosac Naify inaugura coleção que tem o ousado propósito de articular a produção cultural de primeira linha da América Latina. Trata-se de Prosa do Observatório, que abre com o clássico "A Invenção de Morel", de Casares.

Ela é "misturada e aberta", segundo Paulo Werneck, um dos editores da Cosac Naify, e vai incluir textos raros, antigos, e outros contemporâneos, encomendados exclusivamente para a coleção. Serão publicados também livros de correspondências e ensaios sobre arte, arquitetura, gastronomia e personagens políticos, escritos por autores brasileiros e hispano-americanos. "Um dos propósitos da coleção é preencher lacunas no mercado brasileiro", diz Werneck.

"De um lado, a coleção fará o resgate dos cânones, ao mesmo tempo que quer articular culturalmente a arte na América Latina, agrupando vários campos da cultura com textos que tenham qualidade literária", explica o editor.

"A Invenção de Morel", escrito em 1940, é um dos clássicos do chamado "realismo fantástico". No Brasil, já havia sido publicado em 1974, pelo Círculo do Livro, com o título de "A máquina fantástica", e em 1986, pela editora Rocco, com tradução de Vera Neves Pedros e título que obedecia o original, "La Invención de Morel". Esgotado desde então, o título ganha nova tradução, de Samuel Titan Jr. O prefácio é de Jorge Luis Borges, muito amigo de Casares, e o posfácio é de Otto Maria Carpeaux (crítico austríaco, radicado no Brasil, que, em 1956, escreveu sobre o livro para o jornal O Estado de S.Paulo).

O próximo lançamento da coleção Prosa do Observatório, que ocorrerá em junho, será "O Cavalo Perdido e Outros Contos", do uruguaio Felisberto Hernández. O prefácio é de Julio Cortázar ("padrinho" da coleção, já que o nome é retirado de um de seus livros) e o posfácio é de Davi Arrigucci Jr., coordenador editorial da série.

A previsão é que sejam lançados quatro títulos por ano dentro da Prosa do Observatório. Entre os lançamentos que estão por vir encontra-se, por exemplo, "Balmaceda", ensaio sobre a guerra civil no Chile, escrito pelo jornalista, diplomata e político brasileiro Joaquim Nabuco.

Outro autor que será publicados dentro da coleção Prosa do Observatório é peruano Julio Ramon Ribeyro, que, assim como Felisberto Hernández, só foi publicado no Brasil na coletânea "Os Cem Melhores Contos de Humor", da editora Record. Ensaio do mexicano Alfonso Reyes sobre a culinária brasileira, escrito na década de 1930, quando era embaixador no Brasil, é outro que está no gatilho, assim como biografia do militar argentino Facundo Sarmiento, publicado pela Bibliotheca Militar brasileira em 1938.


domingo, 9 de abril de 2006

sábado, 8 de abril de 2006

E o resto é silêncio


E então ficamos os dois em silêncio, tão quietos
como dois pássaros na sombra, recolhidos
ao mesmo ninho,
como dois caminhos na noite, dois caminhos
que se juntam
num mesmo caminho...

Já não ouso... já não coras...
E o silêncio é tão nosso, e a quietude tamanha
que qualquer palavra bateria estranha
como um viajante, altas horas...

Nada há mais a dizer, depois que as próprias mãos
silenciaram seus carinhos...

Estamos um no outro
como se estivéssemos sózinhos...


J.G. de Araújo Jorge
foto: Mattew Adam

sexta-feira, 7 de abril de 2006

Fundação Iberê Camargo oferece bolsas no exterior

O Instituto Iberê Camargo recebe, até o dia 10 de julho, inscrições para a Bolsa, que vai oferecer a dois artistas a oportunidade de manter residência em instituições estrangeiras renomadas no meio artístico. Nesta 6ª edição, os destinos para os interessados podem ser tanto o Art Institute of Chicago, nos EUA, quanto o espaço El Basilisco, na Argentina.

Aqueles que desejam concorrer a uma das vagas (o intercâmbio tem duração de três meses nos EUA ou dois meses na Argentina) podem fazer a inscrição através do site oficial da Fundação Iberê Camargo. A instituição de preferência do participante deve ser escolhida já no ato de se inscrever.

O ganhador da bolsa do Art Institute of Chicago terá direito a um quarto individual na escola e também poderá escolher em qual ateliê deseja trabalhar. Além disso, terá acesso ao museu da instituição e aos cursos e seminários que a serão oferecidos no período do intercâmbio (no 2º semestre de 2006).

Já no espaço El Basilisco, próximo a Buenos Aires, o programa de residências para artistas visuais faz com que os artistas participem de período de trabalho intensivo, que inclui eventos de distintas formas de interação com os artistas em residência, estudantes locais e público em geral.

Na hora de se inscrever, o candidato deve anexar o projeto descritivo do trabalho que pretende desenvolver e enviar, pelo correio, portifólio, textos críticos inéditos ou publicados, currículo atualizado e comprovação da participação de pelo menos três exposições (individuais ou coletivas). O resultado será divulgado no dia 28 de julho.


Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.