sábado, 21 de janeiro de 2006

Prova de vida

Fantamas vem e vão

Quando se pensa que a última notícia foi a mais descabida nesses dias de mundo globalizado, sempre há uma nova surpresa. E ainda bem, já que a mórbida e cruel monotonia das guerras e entifadas consomem qualquer sentimento ainda um pouco puro e é cansativa a disputa diária de governantes latinos por holofotes.

Essa aconteceu muito longe de meu ponto de referência, no vilarejo de Katra, em Madya Pradesh, mais abaixo tentarei relacionar o nome a coisas conhecidas para elucidar geograficamente os meus leitores.

Aconteceu na Índia, país inundado das mais diversas e maravilhosas tonalidades de cores quentes que se misturam com a cor meio achocolatada do povo, deixando todos misticamente maravilhosos e origem de essências perfumadas que foram cobiça na época dos grandes descobrimentos levando a disputas territoriais e escravidões desumanas.

Raju Raghuvanshi - o fantasma - volta para seu vilarejo, assusta seus familiares e é impedido de entrar em casa.

A confusão começa porque o suposto fantasma adoeceu na cadeia onde estava preso e foi levado de lá para um hospital. Seus únicos parentes sãos os primos - ele não tem irmãos e seus pais já morreram - que antevendo a desgraça da morte, chegaram a realizar cerimônias religiosas fúnebres para seu espírito e provavelmente passaram a confudir realidade com possibilidade.

Quando se recuperou, foi solto e voltou para casa, mas foi recebido como se fosse um "fantasma", aos gritos apavorados de toda a vizinhança.

Como argumento para conseguir entrar em casa,
Raghuvanshi mostra seus estavam virados para a frente, era impossível ser um fantasma.

A crença local associa as assombrações a seres com os pés virados para trás que no folclore brasileiro é representado pelo "Curupira".

Sem poder solucionar a discussão, Raghuvanshi foi morar num vilarejo vizinho e já contratou um advogado para processar a família por difamação.

Seu advogado, Maohar Soni disse em entrevista à BBC que os seus parentes podem estar se recusando a aceitá-lo de volta para ficarem com suas terras.


fonte: BBC Brasil

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.