segunda-feira, 9 de janeiro de 2006

Monstro levado à sério

"Sunday Times" revela que em 1985 o monstro de Loch Ness
foi objeto de discussões oficiais


O governo britânico se mobilizou em 1985 para verificar se alguém poderia machucar o monstro de Loch Ness, figura britânica legendária e de existência jamais comprovada.

Loch Ness é um lago da Escócia, com 36 km de comprimento e até 240 metros de profundidade, a maior reserva natural de água doce do Reino Unido.

É antiga a lenda de que nele moraria "Nessie", apelido carinhoso do monstro. A "Enciclopédia Britânica" o menciona como um suposto plesiosauros (versão aquática dos dinossauros), "cuja existência continua a intrigar muita gente".

A informação de que auxiliares da então primeira-ministra Margareth Thatcher se mobilizaram foi publicada ontem pelo jornal "Sunday Times", que obteve na Justiça ao direito de ter acesso aos documentos do caso.

Tudo começou com uma carta do embaixador britânico em Estocolmo ao ministro de Assuntos Escoceses. Ele disse que o governo da Suécia estava preocupado com a possibilidade de alguém maltratar o monstro de Storsjö, "morador" de um lago homônimo e tão incomprovado quanto o de Loch Ness. Os suecos se dispunham a adotar os mesmos mecanismos de proteção que os do monstro britânico.

Seguiram-se reuniões internas de consultas nos ministérios de Assuntos Escoceses e do Exterior. A burocracia do Reino Unido chegou à conclusão, relata o "Sunday Times", que Loch Ness estava protegido pela última legislação sobre a vida selvagem, que datava de 1981.

Um burocrata cometeu o preciosismo de opinar que o governo tinha poderes para "proteger qualquer espécie em extinção".

fonte: Folha de São Paulo

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.