sexta-feira, 30 de dezembro de 2005

2006
Feliz Ano Novo




Imagem de homens abraçados em tumba egípcia

Gays ou irmãos: um mistério envolto em um abraço eterno


Quando egiptólogos entraram na tumba pela primeira vez, há mais de quatro décadas, eles esperavam ser surpreendidos. Exploradores de tumbas recém-descobertas sempre esperam isso, e daquela vez eles não ficaram decepcionados - eles ficaram confusos. Era 1964, nos arredores do Cairo, perto da famosa Pirâmide Step, na necrópole de Saqqara e a uma curta distância de carro da Esfinge e das pirâmides de Gizé. A tumba recém-descoberta não continha nenhuma múmia real ou jóias deslumbrantes. Mas os exploradores ficaram imóveis quando a luz de suas lanternas de querosene iluminaram a arte na parede na câmara mais sagrada.

Lá, gravada na pedra, estavam as imagens de dois homens abraçados. Seus nomes estavam inscritos acima: Niankhkhnum e Khnumhotep. Apesar de não serem da nobreza, eles eram altamente estimados no palácio como manicures chefes do rei, por volta de 2380 a 2320 a.C., em um período conhecido como quinta dinastia do Antigo Reinado. Cuidar da aparência do rei era uma ocupação honrada.

Os arqueólogos ficaram espantados. Era extremamente raro no antigo Egito uma tumba da elite ser compartilhada por dois homens de posição igual. A prática habitual era tais templos mortuários serem o local de descanso de um homem proeminente, sua esposa e filhos.

E era quase incomum um casal de mesmo sexo ser retratado em um abraço. Em outras cenas, eles também eram mostrados de mãos dadas e tocando os narizes, a forma preferida de beijo no antigo Egito.

Ao longo dos anos, a arte da parede da tumba tem inspirado uma especulação considerável. Uma interpretação é a de que os dois homens eram irmãos, provavelmente gêmeos idênticos, e que esta podia ser a descrição mais antiga conhecida de gêmeos. Outra é de que os homens mantinham um relacionamento homossexual, uma visão mais recente que tem ganhado apoio entre os defensores gays.

Agora, um egiptólogo da Universidade de Nova York entrou no debate com uma terceira interpretação. Ele reuniu evidências circunstanciais de que os dois homens podiam ser gêmeos unidos, popularmente conhecidos como gêmeos siameses. O especialista, David O'Connor, um professor de arte antiga egípcia do Instituto de Belas Artes da Universidade de Nova York, disse: "Minha sugestão é de que Niankhkhnum e Khnumhotep eram de fato gêmeos, mas de um tipo muito especial. Eles eram gêmeos siameses e era tal peculiaridade física que provocou tantas descrições deles de mãos dadas ou abraçados em sua tumba.

O'Connor elaborou sua hipótese em uma recente palestra e em uma entrevista em Nova York. Ele descreverá mais profundamente e defenderá sua idéia em uma conferência, "Sexo e Gênero no Antigo Egito", nesta semana na Universidade de Gales, em Swansea.

A oposição à sua hipótese promete ser vigorosa. A maioria dos egiptólogos aceita a interpretação de gêmeos normais defendida mais proeminentemente por John Baines, um arqueólogo da Universidade de Oxford, na Inglaterra. "Baines apresenta um argumento muito persuasivo", reconheceu O'Connor.

E ele notou que a hipótese do casal gay se tornou uma idéia popular na última década. Um importante defensor é Greg Reeder, um estudioso independente de San Francisco e um editor colaborador da "KMT", uma revista de arte e história egípcia. A maioria das referências à tumba no Google, disseram os arqueólogos, envolve a idéia homossexual.

quinta-feira, 29 de dezembro de 2005

"Quarentonas" em perigo

Hollywood é "cruel" com mulheres de mais de 40

Halle Berry, David Schwimmer, da série Friends, a modelo Samantha Fox e o radialista britânico Chris Evans, todos fazem 40 anos em 2006. É um aniversário que muitas celebridades prefeririam que passasse despercebido para o mundo.

Desse quarteto, talvez a pessoa mais famosa, a atriz vencedora do Oscar Halle Berry, seja que tem mais a temer.

Hollywood tem experiências deprimentes envolvendo mulheres de 40 anos.

Ainda na flor de sua juventude, estonteantemente bonita e muito requisitada, talvez Berry prove ser a exceção à regra. Porém, Hollywood está cheia de histórias de atrizes de idade que vêem sua carreira despencar depois de passar do grande 4-0.

"Um exemplo perfeito é Michelle Pfeiffer", afirma James Parish, um especialista na história de Hollywood.

A atriz que interpretou papéis em Scarface e Batman - O Retorno não recebe um papel principal há anos.

"Ela faz poucos filmes - não porque não é talentosa, não porque não é bonita de uma forma madura, mas simplesmente porque não existem muitos papéis para mulheres com mais de 40", afirma Parish.

"Especialmente quando você é conhecida por papéis sensuais, é muito difícil atuar neste tipo de papel quando você está nos seus 40."

Arte em madeira - S.Paulo

Celso Renato de Lima (1919-1992) expõe a alma da matéria

A materialidade de veios, rasgos, traços, cores e restos explode em nove obras sobre madeira de Celso Renato que estão reunidas em pequena mostra no Espaço Cultural Vivo, em São Paulo. Servem como uma boa introdução à poética desse artista bastante valorizado em Minas Gerais, mas pouco conhecido fora do Estado.

Mais profunda é a abordagem presente em "Celso Renato", livro de Olívio Tavares de Araújo (Cosacnaify, R$ 65, 256 págs.). Nele, ganha destaque a série de Renato (1919-1992) desenvolvida tardiamente, a partir de 1965, de pinturas-assemblages que utilizam madeiras descartadas como plano.

Celso Renato
»Onde: Espaço Cultural Vivo
Av. Dr. Chucri Zaidan, 860- SP

»Quando: de seg. à sex., das 9h00 às 20h00 até 6/3
dia 30, até 13h00.

»Quanto: entrada franca
»Informacões: (11) 3188-4147

Literatura brasileira chega à Estação da Luz - S.Paulo

Porta de entrada em São Paulo e primeiro contato de muitos imigrantes com o idioma do país, no fim do século 19, a Estação da Luz foi o ponto escolhido para abrigar o Museu da Língua Portuguesa, cuja inauguração acontece em março de 2006. Projeto de R$ 36 milhões que ocupará os três andares do antigo prédio administrativo da gare, o museu tem como locomotiva a literatura brasileira. Ela estará à espera dos visitantes passageiros no terceiro andar, onde começa a viagem.

Lá fica a Praça da Língua, onde o compositor José Miguel Wisnik e o professor da PUC-SP Arthur Nestrovski, articulista da Folha, propõem uma composição de pérolas da poesia e prosa nacionais.
Com cerca de 48 minutos (duração ainda provisória), o espetáculo audiovisual vai promover diálogos entre as vozes de artistas como Chico Buarque, Fernanda Montenegro, Tom Zé, Ferreira Gullar etc., e imagens que ilustram suas récitas, cerca de 99% advindas da literatura brasileira, segundo Nestrovski.

"A apresentação é dividida em 21 módulos, alguns com um texto só, outros com textos unidos por um eixo. Às vezes, a ligação é explícita, como Chico Buarque, que é autor de 'Sabiá', e lê 'Canção do Exílio', de Gonçalves Dias, num módulo que tem ainda poemas de Murilo Mendes e Oswald de Andrade que dialogam com o tema exílio", conta Nestrovski.

No segundo piso, a próxima parada da visita pelo português: na Grande Galeria, uma tela de 120 metros exibe filmes que revelam o idioma nos nossos afazeres, e painéis lembram as influências lingüísticas. Depois, o crítico e historiador da literatura Alfredo Bosi compila cem textos representativos da literatura em língua portuguesa, numa linha do tempo que vai do Brasil colonial ao século 20. Segundo Bosi, o objetivo principal da linha foi a inclusão de obras de autores brasileiros "de nascimento ou adoção, que, nesta data, 2005, já nos deixaram".

O historiador percorreu as letras no país da carta de Pero Vaz de Caminha e José de Anchieta, a quem chama de "primeiras vozes da condição colonial entre nós", até a poesia "rigorosa de João Cabral e as experiências narrativas densamente existenciais de Guimarães Rosa e Clarice Lispector", em que a língua portuguesa apresenta uma riqueza de tons e perspectivas, de ritmos e imagens.

"E causa admiração que tantas diferenças de filiação regional, de classe social, de contingências históricas e de fisionomias individuais tenham alcançado exprimir-se na mesma língua", diz Bosi, no texto oficial para o museu, em que justifica suas escolhas.

The End

Rowling diz que começará novo Potter em janeiro

A escritora britânica JK Rowling disse em uma mensagem em seu site oficial que espera começar a escrever o sétimo livro com o personagem Harry Potter no mês que vem.

"Estou fazendo retoques no plano para o (livro) sete há duas semanas para poder começar a escrever em janeiro", disse a escritora.

Rowling explicou que sente "medo e empolgação" quando pensa em escrever aquele que deve ser o último livro com o jovem bruxo.

"Eu contemplo a tarefa com uma mistura de empolgação e medo, porque não posso esperar para começar, para contar a parte final da história e, enfim, responder a todas as questões (será que um dia responderei a todas as perguntas?)", disse.

A escritora também admitiu que não pode "imaginar a vida sem Harry".

Mais de 300 milhões de cópias dos livros da série Harry Potter foram vendidos mundialmente. O mais recente, Harry Potter e o Enigma do Príncipe, foi lançado em julho depois de um intervalo de dois anos.

O livro, publicado no Brasil pela editora Rocco, tornou-se um bestseller global.

Hary Potter pode reduzir fraturas

Harry Potter pode ainda ser incapaz de unir ossos quebrados com um passe de mágica, mas o recordista de vendas nas livrarias aparentemente tem o poder de reduzir fraturas, informaram cientistas britânicos em um estudo publicado nesta semana.

Trabalhando em um palpite, um grupo de cirurgiões especializados em traumatismos do Hospital John Radcliff, de Oxford, criaram um estudo estatístico que correlaciona a incidência de "lesões musculosquelatais" em crianças entre 7 e 15 anos e o lançamento dos novos volumes da popular série escrita pela britânica J.K. Rowling.

Segundo o estudo, nos fins de semana em que foram lançados dois dos livros de aventuras do menino bruxo, "Harry Potter e a Ordem da Fênix" e "Harry Potter e o Enigma do Príncipe", as taxas de atendimento nas emergências relacionadas com as lesões descritas caíram pela metade em comparação com semanas "normais", com 36 e 37 crianças, respectivamente, necessitando atendimento contra uma média de 67.

"Os dois fins de semana ocorreram no meio do verão, com tempo bom. Por isso, cabe a hipótese", concluíram os médicos, em tom de brincadeira, "de que há espaço para a criação de um comitê de segurança, formado por escritores talentosos que produziriam livros de alta qualidade com o propósito de evitar lesões".

quarta-feira, 28 de dezembro de 2005


O verde do Norte

O movimento nas pernas levam neu corpo por caminhos conhecidos. Subir o velho monte em pedra do meu Norte, é absolutamente necessário estar lá em cima e olhar. Olhar! E o cimo me parece tão perto. O tempo distante fez esquecer o tempo da caminhada. É só parar. É apenas por um instante. Olhar...
Passo pela ruína...aquele cinza ainda me fascina, imaginar as estórias do tempo que não vivi. Meus pés param, comandam! O momento exato é esse. Olhar!
Estanco! Fico quieta, olhos fechados, não pensar, é frio... Só. Respirar. Girar o corpo de mansinho. Olhar. E olho e respiro, mesmo que o ar me falte pelo deslumbramento. Rever! Rever na solidão desse monte a imensidão feita de quadrados verdes, várias tonalidades que se alternam num tabuleiro esquisito.
Olhar. Vida. Calmo. Poderoso. No seu lugar. É mesmo o Norte. Confirmo!
Meu grande amor.

Cristina Caetano
"Vista de Auvers-sur-Oise (A Barreira)" - Paul Cézanne


A Central das Frases

...já te disse que são os do primeiro...
...e afinal não pudémos telefonar...
...ai nem queira saber o engenheiro...
...se me dão licença eu vou contar...

...penses nisso era só o que faltava...
...não as outras duas é que são as tais...
...mas o senhor presidente autorizava...
...na avenida centenas de pardais...

...de facto muito inteligente...
...ó filha por aqui fazes favor...
...que veio ontem para falar com a gente...
...é mesmo lá ao fim do corredor...

Alexandre O'Neill
"Mulher, Pássaro e Cobra em Frente ao Sol" - Joan Miró

Metropolitan deve devolver peças saqueadas à Itália

Cálice de Eufrônio, século 6 a.C.

A Itália está próxima de um acordo com o Metropolitan Museum of Art, de Nova York, que encerraria uma longa saga envolvendo o roubo de antiguidades.

O ministro italiano da Cultura, Rocco Buttiglione, disse na sexta-feira passada que as negociações com o diretor do museu haviam dado "um passo adiante" para a devolução de uma antiga jarra e prataria que os italianos dizem ter sido saqueadas. "Um acordo com o Metropolitan é razoavelmente provável", disse Buttiglione em entrevista coletiva. "A direção do museu deve nos dar uma resposta até janeiro."

As negociações são observadas atentamente pelo mercado internacional de arte, já que há acusações de que oito museus, inclusive o de Belas-Artes de Boston e o Getty de Los Angeles, possuem antiguidades roubadas.

Buttiglione revelou ainda que as três últimas obras saqueadas que regressaram dos Estados Unidos: uma cabeça gigante do imperador romano Trajano, datada do século 15, e duas pinturas de Andrea Appiani, do século 18. As peças foram apreendidas por agentes alfandegários norte-americanos na casa de leilões Christie's, em Nova York.

Até agora, o Getty é o mais pressionado pela Itália. Sua ex-curadora Marion True está sendo julgada em Roma por conspiração de cumplicidade na venda de antiguidades roubadas.

Buttiglione disse esperar que o Metropolitan devolva à Itália duas das peças mais valiosas de sua coleção: a prataria do sítio Morgantina (Sicília), do século 3. a.C., e o cálice de Eufrônio, pintado com figuras mitológicas, do século 6. a.C..

Philippe de Montebello, diretor do Metropolitan, disse estar disposto a devolver as obras, caso se conclua que foram realmente saqueadas. Ele havia solicitado provas da proveniência italiana das peças e disse que a diretoria também deve aprovar a decisão.

Para muitas das outras obras disputadas com o Metropolitan, a Itália sugere um empréstimo superior a uma década. "Reconhecemos que os Estados Unidos são pobres em termos de antiguidades", disse Buttiglione.

Saqueadores de tumbas roubaram antiguidades da Itália durante séculos, mas Buttiglione empreendeu uma agressiva campanha pela devolução de peças levadas após 1939. A Itália aprovou naquele ano uma lei declarando que artefatos antigos extraídos de escavações pertencem ao Estado.

As antiguidades descobertas após 1939 só podem deixar o país por empréstimo. A Itália havia recuperado 27 mil artefatos roubados em 2005, um aumento de 50 por cento sobre o ano anterior, o que incluiu três obras do Museu Getty, segundo Buttiglione.

Cresce o número de idosos em Portugal

Os portugueses estão ficando mais velhos, casam mais tarde e têm o primeiro filho com mais idade.

Esses são alguns dos dados do estudo Indicadores Sociais de 2004, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística, um organismo oficial português.

Segundo o estudo, no final de 2004, havia 108,7 idosos (acima de 65 anos) para cada 100 jovens, o que representa um crescimento acentuado em relação aos 106,8 por 100 de 2003 e 102,2 por 100 de 2000.

Com esses dados, Portugal compartilha das preocupações dos países europeus, que enfrentam dificuldades na seguridade social, com menos pessoas pagando e mais beneficiários do sistema.

A natalidade também caiu: menos 2,9% de nascidos vivos em 2004 em relação a 2003. As mulheres estão tendo o primeiro filho em média 1,6 ano mais tarde do que há quatro anos, o que também contribui para o envelhecimento da população.

No entanto, a queda na natalidade não implicou uma diminuição da população, devido à redução da taxa de mortalidade. Em 2004, a taxa de mortalidade foi de 9,7 por mil, menos 6,3% do que no ano anterior.

Outro fator que ajudou a segurar as contas da seguridade social foi o aumento da imigração com o objetivo de conseguir trabalho no país. No final de 2004, 6% das 10,5 milhões de pessoas que moravam em Portugal eram imigrantes – em 2003 eram apenas 5%.

Uma das tendências observadas no estudo é que as famílias ficam cada vez menores. Em 2004, 71% das famílias tinham até 3 pessoas – no ano anterior eram 70%.

O número de casamentos teve uma redução ainda maior, caindo 8,5% de 2003 para 2004. Desde 2000, a queda do número de casamentos foi de 23%.

A idade média do casamento também aumentou, subindo de 2003 para 2004 entre os homens de 30,5 para 30,9 anos e entre as mulheres de 28,2 para 28,5 anos. Em relação ao ano 2000, a idade média para os casamentos aumentou 1,6 ano, tanto para homens como para mulheres.

A taxa de divórcios manteve-se estável, nos 2%. No entanto, a idade média do divórcio subiu para 41,7 anos, mais 2,4 anos do que em 2003.

n.r.: esta notícia está também no blog "Lua".

Estudando o "derrière"

Cientistas investigam o que faz o bumbum parecer grande

Pesquisadores de uma universidade da Escócia estão buscando a resposta a uma questão que milhões de mulheres se fazem diariamente: “será que meu bumbum parece grande nesta roupa?”.

A Escola de Têxteis e Design da Universidade Heriot-Watt lançou o que é provavelmente o primeiro estudo mundial sobre como as roupas afetam o bumbum.

Quatro modelos do sexo feminino com nádegas de variados tamanhos vão usar diferentes tipos de roupas como parte da pesquisa.

O estudo vai examinar como os desenhos, as cores, as formas e os tipos de tecido afetam a percepção. A universidade acredita que a pesquisa pode trazer importantes implicações para o comércio de roupas.

As voluntárias que participam do estudo terão seus traseiros fotografados com centenas de diferentes tipos de roupas. Os participantes terão então que olhar para as fotos para analisar o quão grande ou pequeno o bumbum das modelos parece em cada uma das fotos.

Lisa Macintyre, que está chefiando a pesquisa, diz que as quatro modelos foram escolhidas para prover uma amostra o mais representativa possível dos traseiros femininos.

Uma delas tem um bumbum “padrão”, enquanto outra tem nádegas mais “cheias”. A terceira modelo é magra com um pequeno bumbum, e a quarta tem curvas mais acentuadas, no estilo da cantora Jennifer Lopez.

Todas têem olhos puxados.

"Memórias de uma gueixa" cria polêmica

Se existe um filme errado, feito no lugar errado, pelas pessoas erradas, este título parece pertencer a "Memórias de uma Gueixa", que chega ao Brasil em fevereiro. A adaptação do best-seller de Arthur Golden, dirigida pelo norte-americano Rob Marshall, com as chinesas Ziyi Zhang e Gong Li e a malasiana Michelle Yeoh nos papéis principais, estreou no dia 9 de dezembro mundialmente para uma enxurrada de críticas.

Não cinematográficas, embora estas também tenham existido. Críticas ao conceito, principalmente. O longa é dirigido por Rob Marshall, que fez carreira na Broadway, especialmente no elogiado musical "Chicago", o que o levou a ser chamado em 2002 para dirigir a versão cinematográfica do mesmo, com Catherine Zeta-Jones e Renée Zellweger, feito na esteira do renascimento dos filmes do gênero, iniciada por "Moulin Rouge" (2001), de Baz Luhrmann.

"Chicago", o filme, seria um sucesso de público (US$ 300 milhões de bilheteria mundial) e crítica (indicado a um recorde de 13 Oscars, levou seis, incluindo melhor filme). Isso colocou Marshall no páreo para dirigir "Gueixa", depois de Steven Spielberg desistir do projeto.

Em resumo, seu "Memórias de uma Gueixa" conta a vida da jovem Sayuri (Ziyi Zhang), menina de olhos azuis arrancada do convívio dos pais na vila de pescadores em que morava e levada para uma cidade grande, onde será treinada para ser gueixa com a experiente Mameha (Michelle Yeoh) e terá de enfrentar a rivalidade de Hatsumomo (Gong Li), ainda a profissional mais importante, mas claramente em fim de carreira. Ambas disputarão as atenções do Executivo (Ken Watanabe), e Saiyuri se apaixonará por ele, contrariando as regras.

O parágrafo acima esconde mais polêmicas do que exibe palavras. A "elas".

Para a comunidade cinematográfica japonesa e chinesa, é um absurdo o fato de Marshall ter usado as três atrizes mais conhecidas do cinema chinês atual no papel de japonesas em vez de utilizar a mão-de-obra local. Foi criticado até pelo chinês Chen Kaige ("Adeus Minha Concubina"), que afirmou que suas conterrâneas não conseguiam captar as expressões faciais exigidas, "muito enraizados na cultura japonesa para serem interpretados por estrangeiras".

"Fizemos centenas de testes com atrizes em Tóquio e simplesmente não achamos nenhuma boa o suficiente", foi a resposta de Rob Marshall, em entrevista à Folha na época do lançamento do filme, na última semana de novembro, em Nova York. "Al Jolson interpretou um negro no primeiro filme falado da história, "O Cantor de Jazz"; isso diminuiu seu valor histórico?"

Para os chineses, o absurdo foi ver filhas da terra interpretando "prostitutas japonesas", num incidente diplomático que reavivou memórias pouco agradáveis da relação entre os dois países durante a Segunda Guerra Sino-Japonesa (1937-1945), quando milhares de chinesas teriam sido estupradas por soldados japoneses. Pequim ameaçou proibir a exibição do filme em território nacional - o governo depois voltaria atrás e prometeria a estréia para fevereiro, ainda não se sabe se na versão integral ou não.

A matéria na íntegra aqui.

terça-feira, 27 de dezembro de 2005

Exemplo de ética

Achei que com este post seria uma ótima oportunidade para falar e pensar a respeito de ética na blogosfera.
Minha intenção no "nuvens" é de passar a notícia além de manter vivo o passado de artistas e sua arte e tornar conhecida a arte e os artista atuais.
Com o post que se segue publicado no "Globo Online" através do "Blog do Colunista Gravatá" - Luiz Antonio Gravatá - achei que meu objetivo vai aos poucos sendo alcançado.
E sobre a ética; sou solidária aos meus amigos e fiquei muito chateada com o que aconteceu - e acontece a ela e a outros - com a poetisa Encandescente do blog "Eroticidades"; plágios, a total falta de ética.
Portanto, da mesma forma que estou aqui para falar do que acontece de ruim e desonesto, acho que também vale a pena falar do respeito que é possível termos uns com os outros. Chamo a isso, civilidade.
Daqui a dias começa um novo ano que não se altera nada numa passagem de minutos, mas que pode ser alterado ao longo de um ano inteiro.

Conforme o "Blog do Colunista Gravatá", e tem o título "Oxford na crista":


"LiLás do blog “Nuvem sobre o atlântico” anuncia: Jarvis Cocker, vocalista da banda britânica Pulp e o guitarrista Jonny Greenwood da Radiohead (originária de Oxford) serão vistos no filme “Harry Potter e o cálice de fogo” . Tocando na banda que anima um baile na Escola Hogwart. O cenário é o St. John College, de Oxford, onde estudaram Harry Potter e Charles, o Príncipe de Gales.O herdeiro da coroa britânica, que faz aniversário hoje, é fã declarado do bruxinho conterrâneo. Deve estar torcendo para ganhar de presente o DVD do novo filme que estréia, no Brasil, no dia 25."
Em 14/11/2005.

Urgentemente

É urgente o amor.
É urgente um barco no mar.

É urgente destruir certas palavras,
ódio, solidão e crueldade,
alguns lamentos,
muitas espadas.

É urgente inventar alegria,
multiplicar os beijos, as searas,
é urgente descobrir rosas e rios
e manhãs claras.

Cai o silêncio nos ombros e a luz
impura, até doer.
É urgente o amor, é urgente
permanecer.

Eugénio de Andrade
"Dream" - Pablo Picasso

Muito frio

Reservatório de água em Zaragoza, na Espanha, amanhece congelado devido às baixas temperaturas registradas no país.

n.r.: que o verão aqui não seja proporcional ao inverno de lá.

O roubo do pão doce

Pão doce com a imagem de Madre Teresa de Calcutá é roubado

Um pão doce de canela com a imagem da freira católica Madre Teresa foi roubado de um café americano no dia do Natal.

Quando o dono da loja, Bob Bernstein, chegou ao estabelecimento em Nashville, no Tennessee, a famosa massa folhada já tinha desaparecido.

O pão doce atraiu turistas desde que foi preservado e colocado numa redoma de vidro no café, onde foi descoberto por um cliente em 1996.

Assim que a imagem foi descoberta nas dobras da massa, o pão doce virou manchete no noticiário internacional.

O café Bongo Java, vendia camisetas, santinhos e canecas com a imagem do pão-doce até que Madre Teresa escreveu uma carta pedindo para as vendas serem suspensas, antes de sua morte, em 1997.

Bernstein disse que o ladrão foi ao café com a intenção de roubar o pão doce, já que o dinheiro do caixa não foi tocado.

"Infelizmente, acho que é alguém que queria pegá-lo para destrui-lo", afirmou o dono da loja.

Médicos apresentam resultado de cirurgia inédita em Pernambuco

Os médicos pernambucanos Rui Ferreira e Mauri Cortez vão apresentar, nesta terça-feira (27), os resultados da primeira cirurgia com o uso de células-tronco para recuperação de nervos periféricos no Norte/Nordeste. A operação foi realizada há oito meses no auxiliar de escritório Redivaldo José da Silva, de 37 anos. A coletiva está marcada para às 14h00 no Hospital SOS Mão Recife, localizado na Rua Minas Gerais, 147, Ilha do Leite..

O paciente, que quase perdeu a mão direita num acidente com uma placa de vidro, já recuperou todos os movimentos dos dedos. Na ocasião, além do depoimento de Redivaldo sobre a recuperação, os médicos vão retirar do paciente um tubo de silicone implantado nele durante a cirurgia ocorrida no dia 21 de abri. O tubo serviu para ligar as duas extremidades do nervo rompido, o que ocasionou a perda de parte dos movimentos e da sensibilidade da mão direita.

Crianças - Hoje os mesmo médicos, Rui Ferreira e Mauri Cortez irão operar uma criança de 13 anos, vítima de acidente de carro, usando o método de células-tronco. A técnica será apresentada ao médico francês, Alain Gilbert, considerado uma dos melhores especialistas em cirurgias de mãos no mundo que está no Recife participando da Missão Humanitária Francesa realizada pelo SOS Mão Recife.

Por serem retiradas do próprio paciente as células-tronco não oferecem riscos de rejeição. Elas são retiradas da medula óssea do próprio paciente e tem capacidade de se diferenciar e constituir diversos tecidos no organismo. Geralmente, esse tipo de cirurgia é destinada a pessoas que não tiveram a oportunidade de serem operadas na urgência e com o passar do tempo, o nervo atrofia e perde um segmento.

Natureza, maravilha e destruição

O vulcão Piton de La Fournaise, nas Ilhas Reunião, no Oceano Índico, entrou em erupção ontem.

Deuses anões no Antigo Egito

Anões tinham status elevado no Antigo Egito, diz estudo

Entalhe de Bes
Os egípcios da Antigüidade respeitavam os anões, e sua estatura não era vista como uma desvantagem física, de acordo com estudo da Universidade de Georgetown, nos Estados Unidos.

Uma equipe do hospital universitário examinou despojos humanos e evidências de manifestações artísticas e constatou que os egípcios adoravam deuses anões.

Muitos anões tinham uma posição de autoridade na família, diz pesquisa publicada no American Journal of Medical Genetics.

Atualmente, os médicos identificaram mais de cem problemas de saúde que podem levar à baixa estatura.

O mais comum é a acondroplasia, que que causa o encurtamento dos membros e afeta 1 em cada 25 mil nascimentos por ano.

Cerca de 75 por cento dos indivíduos com características de limitação de crescimento são filhos de pais de estatura mediana.

Os pesquisadores americanos examinaram o Antigo Egito por causa do clima quente e seco e dos sistemas sofisticados de sepultamento adotados. Graças a eles, muitos despojos humanos ainda estão intactos.

Chahira Kozma, do departmento de pediatria da Universidade de Georgetown disse que foram examinados anões que conquistaram uma posição na "elite" da sociedade, e anões em posição comum.

Os pesquisadores estudaram vestígios biológicos mais antigos de anões de um período que remonta 4500 aC e vários esqueletos do Antigo Império, entre 2700 e 2190 aC.

Eles encontraram várias imagens de nanismo nas paredes de tumbas e pinturas em vasos, além de estátuas e outras manifestações artísticas.

Anões figuravam em pelo menos 50 tumbas, e a repetição de determinadas imagens mostra que eles estavam bastante integrados na sociedade, disseram os pesquisadores.

As imagens indicam que anões eram empregados como secretários particulares, encarregados de jóias, bailarinos e artistas, entre outras atividades. Vários deles eram tão apreciados que tiveram sepultamentos no cemitério real, próximo às pirâmides.

Havia ainda dois deuses anões no Antigo Egito: Bes e Ptah.

Bes era o protetor da sexualidade, parto, mulheres e crianças. Seu templo foi escavado recentemente no oasis de Baharia, na região central do Egito.

Ptah era associado à regeneração e ao rejuvenecimento.

segunda-feira, 26 de dezembro de 2005

Remake "The Producers" , de Mel Brooks

O filme Primavera Para Hitler, levado para os palcos com grande sucesso, está agora voltando à tela grande em um remake que as duas principais estrelas do elenco da Broadway, Matthew Broderick e Nathan Lane.

O filme, que também conta com Uma Thurman e Will Ferrell no elenco, estréia no Brasil no dia 30 de dezembro com o título Os Produtores.

A comédia original, que em inglês recebeu o título de The Producers, foi lançada em 1968 e rendeu o Oscar de melhor roteiro para o diretor e autor Mel Brooks.

Mais de 30 anos depois, Brooks levou a história do filme para a Broadway em formato de musical, e o espetáculo recebeu 12 prêmios Tony, considerado o Oscar do teatro americano.

Ao recriar The Producers novamente no cinema, Brooks deve ganhar uma nova geração de fãs com sua mistura de humor e mau gosto.

A matéria na íntegra aqui

"Brasil em cartaz" , Chaumont - França

Design gráfico brasileiro é destaque em mostra de cartazes

Chaumont, município francês conhecido como "a cidade dos cartazes", recebe até 16 de fevereiro de 2006 a exposição "Brasil em Cartaz". É a primeira vez que essa manifestação do design gráfico brasileiro participa do festival internacional de Chaumont, que está na 17ª edição.

Com curadoria do designer brasileiro Rico Lins, a mostra resgata parte dessa produção artística a partir da segunda metade do século 20, tendo como ponto de partida o cartaz de Antonio Maluf para a 1ª Bienal de São Paulo, de 1951. O apoio é da Panamericana Escola de Arte e Design.

São exibidos na França obras de artistas e designers como Alexandre Wollner, Lina Bo Bardi, Rogério Duarte, Jair de Souza, Luís Stein, Kiko Farkas, Geraldo de Barros e Ziraldo, por exemplo. As criações são exibidas em painéis ou suspensas, montadas em tela e moldura. Ainda há projeções com depoimentos dos artistas gráficos.

Em outubro, a diretora de grafismo do Festival, Christelle Kirchstetter, esteve no Brasil acompanhando o curador Rico Lins para selecionar as peças, escolhidas de acordo com a qualidade gráfica, a importância história e a expressão cultural.

Entre os objetivos da mostra "Brasil em Cartaz" está o de integrar a produção gráfica brasileira ao panorama internacional contemporâneo. A exposição figura como a mais importante de design gráfico no calendário da programação do Ano do Brasil na França - que se encerra ao fim de "Brasil em Cartaz".

"A intenção é estabelecer uma relação mais próxima com a França, assegurando participação regular do Brasil no evento, que inclui exposições, seminários, concursos e workshops para profissionais e estudantes, bem como promover um intercâmbio maior entre os países, com a possibilidade de trazer eventos internacionais para cá", ressalta Rico Lins.

Aliás, já está prevista a realização da versão brasileira da exposição que está sendo realizada na França. A princípio, de setembro a novembro de 2006, será montada mostra com seleção do acervo de cartazes de Chaumont, além das obras selecionadas do Brasil.

Inclusive, o acervo de Chaumont é um capítulo a parte da história. Localizada a sudeste de Paris, na região da Champagne, a cidade recebeu em 1906 doação de 10 mil documentos impressos de um debutado francês. Entre livros e jornais estavam gravuras e cartazes fotográficos, cerca de cinco mil, que incluíam alguns ilustrados por mestres como Toulouse-Lautrec. Hoje, após doações, a coleção de Chaumont tem 30 mil cartazes - à qual, agora, são adicionados os que fazem parte da mostra "Brasil em Cartaz".

Ursinho Puff [ Winnie the Pooh] é octagenário

Ursinho Puff faz 80 anos

O ursinho Puff, o famoso urso amarelo com camisa vermelha, fez 80 anos neste sábado (24/12). Puff nasceu no dia do Natal, em 1925, nas colunas do jornal britânico London Evening News.

O ursinho, cujos direitos pertencem à Disney, nasceu da imaginação do escritor Alan Alexander Milne depois de uma visita que ele fez com seu filho de quatro anos, Christopher, ao jardim zoológico de Londres.

Durante a visita, pai e filho se encantaram com um urso que havia sido doado ao estabelecimento pelo capitão do exército canadense e veterinário Harry Coleburn durante a Primeira Guerra Mundial e que havia sido batizado com o nome de Winnipeg, a cidade natal do capitão.

As aventuras do ursinho Puff (Winnie the Pooh em inglês) são inspiradas nas histórias que o próprio A. A. Milne contava a seu filho.

Os relatos tem como cenário o bosque dos sonhos azuis onde Puff, não muito astuto mas bastante afetuoso, somente pensa em comer mel. Seus melhores amigos são o alegre Tigrão, o medroso Leitão e o burro pessimista Bizonho.

O ursinho realmente iniciou sua carreira em 1926, com o aparecimento de seu primeiro livro de aventuras, intitulado simplesmente ursinho Puff (Winnie the Pooh) e ilustrado por E. H. Sephard.

Os direitos sobre o personagem foram cedidos a Disney em 1961, depois da morte de Milne, e Puff apareceu pela primeira vez nas telas de cinema em 1966.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2005

Image hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.comImage hosted by Photobucket.com
Ao Braço do Menino Jesus
Quando Aparecido

O todo sem a parte não é todo,
A parte sem o todo não é parte,
Mas se a parte o faz todo,sendo parte,
Não se diga, que é parte, sendo todo.

Em todo o Sacramento está Deus todo,
E todo assiste inteiro em qualquer parte,
E feito em partes todo em toda a parte,
Em qualquer parte sempre fica o todo.

O braço de Jesus não seja parte,
Pois que feito Jesus em partes todo,
Assiste cada parte em sua parte.

Não se sabendo parte deste todo,
Um braço, que lhe acharam, sendo parte,
Nos disse as partes todas deste todo.

Gregório de Matos
Image hosted by Photobucket.com
O guerreiro da luz e seu mundo - V

Acreditando na Lenda Pessoal

Um guerreiro da luz assume por inteiro sua Lenda Pessoal - a razão de sua vida. Seus companheiros comentam: "sua fé é admirável!"
O guerreiro fica orgulhoso por alguns momentos e logo se envergonha do que escutou, porque não tem a fé que demonstra.
Neste momento, seu anjo sussura: "você é apenas um instrumento de luz. Não há motivos para se vangloriar nem se sentir culpado; há motivo apenas para cumprir seu destino".
E o guerreiro da luz, consciente que é um instrumento, fica mais tranquilo e seguro.
Paulo Coelho

quinta-feira, 22 de dezembro de 2005

Desculpas

Me desculpem....

A todos os que passaram por aqui hoje, mil pedidos de desculpas, foi "sem querer", mas não interessa...
Desculpem-me todos! Os que comentaram e os que só passaram por aqui.

Passei ontem pelo site do Haloscan para verificar se tinha alguma novidade, e em algumas horários à noite, mesmo com velocidade, meu "amigo comput" trava, o que é considerado por mim - para que eu não me estresse tanto - uma situação normalíssima.

Só que numa destas "travadas" e com a minha também normalíssima impaciência quando isso acontece, ficou - sim, eu vi! tive que aprovar comentários - selecionado o botão de comentários em pendência, em português: eu teria de aprovar primeiro. Horrível, para mim, é horrível!

Desculpem-me! Foi mal!

Mas nada contra quem prefere aprovar primeiro os comentários antes que eles sejam publicados, mas é que a essência do "nuvens" é ser contra a censura, sempre! E foi exatamente por isso que vim aqui pedir...e lá vou eu de novo...que me desculpem.

Por aqui, não aprovo, nem aprovarei nada. Comentem livremente porque o que possuímos de mais livre é o nosso pensamento, e quando queremos e quando é por livre vontade, podemos transformá-lo em palavra.


de "Jardins e Riachinhos"

Cheiro de de-manhã é tão gostoso! Amanhece tudo molhado,
muito orvalho.Todos os pezinhos de mamão, você olhava, ficavam cintilando.
Talvez porque as folhinhas são recortadas,
nos biquinhos delas param as gotinhas, penduradas.

Guimarães Rosa
"O mamoeiro" - Tarsila do Amaral

Vantagens da azeitona

Empresa espanhola investe em energia de caroço de azeitona

Depois de descobrir as vantagens do azeite de oliva como nutriente, os espanhóis encontraram nos resíduos da planta um recurso energético.

Na Espanha, maior produtor mundial de oliveiras, já funcionam aquecedores movidos a caroços de azeitona. Segundo a empresa que desenvolveu a tecnologia, trata-se de energia 100% limpa, renovável e por um oitavo do preço da convencional. Dos cinco milhões de toneladas de azeitona produzidos por ano no país, quatro milhões eram resíduos que acabavam no lixo. Agora são biomassa.

A idéia surgiu da empresa madrilenha Colordom, de apenas 15 empregados. "É uma fórmula baseada no estilo das caldeiras da idade média, antes que existissem os combustíveis fósseis, misturando a tecnologia atual. O resultado é energia ecológica", disse o diretor-geral da Colordom, Juan Cabello.

O sistema é totalmente informatizado. As caldeiras são alimentadas pelos caroços triturados, que têm tanta capacidade de combustão que não necessitam de nenhum tipo de azeite para queimar.

Ao lado dos aquecedores são colocados pequenos armazéns que abastecem a máquina. A combustão, que chega aos 180 graus, gera a energia. Sem cheiro, sem barulho e sem gás carbônico, um destruidor da camada de ozônio.

As primeiras investigações para criar esse tipo de biomassa também basearam-se nos processos de aquecedores nórdicos, que utilizam serragem como combustível.

"Como a Espanha é o maior produtor do mundo de azeitona, o lógico era pesquisar uma matéria-prima local, o que reduz bastante os gastos", explicou Cabello.

As desvantagens são o investimento incial, já que o preço das caldeiras é 30% maior que as convencionais; e o espaço. Nem todas as casas têm lugar para caldeiras, de 1 m x 1,5 m, mais os armazéns; um litro de combustível líquido equivale a dois quilos de caroços triturados.

A empresa também está começando a trabalhar com outras fontes de energia naturais. Como os caroços de azeitona, já fazem combustíveis de cascas de amêndoas, caroços de uvas ou resíduos de pinheiros.

Pelas estatísticas de Colordom 2,5 milhões de toneladas de caroços de azeitona podem abastecer de energia 1,5 milhão de casas. Somando todos os tipos de resíduos naturais de plantas há biomassa suficiente para 4,5 milhões de residências.

Um exemplo da própria natureza: o sol a cada dia produz um milhão de vezes mais energia do que todas as fontes de combustíveis fósseis juntos. E até agora as plantas são os únicos seres vivos que aproveitam 100% dos recursos solares.

O guerreiro da luz e seu mundo - IV

Acreditando na perseverança

O guerreiro da luz nunca esquece o velho ditado: o bom cabrito não berra.
As injustiças acontecem.Também ele de repente se vê envolvido em situações que não merecia, em momentos que não tem condições de se defender.
Nestas horas, o guerreiro fica em silêncio. Não gasta energia em palavras, porque elas não podem fazer nada; é melhor usar as forças para resistir, ter paciência e saber que Alguém está olhando. Alguém que viu o sofrimento injusto e não se conforma com isso.
Este Alguém dá ao guerreiro o que ele mais precisa:tempo. Cedo ou tarde, tudo voltará a trabalhar a seu favor.
Um guerreiro da luz é sábio; não comenta suas derrotas.
Paulo Coelho

quarta-feira, 21 de dezembro de 2005


Emoção de amor

Emoção de amor... como me trava!
Quanto maior o desejo, maior a fuga das palavras.
E a poesia que transborda da alma
para o papel não passa...
Não se concretiza,
como o beijo sonhado, as carícias, o abraço,
pois diante do amor... me travo.
Desvio olhares, seguro gestos,
Freio desejo... me apago
E a ânsia de amar, assim permanece:
só desejo de amar
pois o amor em si... me assusta
... e escapo.


Cecília Quadros

"Blues Club" - Steve Underwood

O guerreiro da luz e seu mundo - III

Acreditando em negociação

Um guerreiro da luz nem sempre pode escolher o seu campo de batalha. Às vezes é colhido de surpresa, no meio de combates que não desejava; mas não adianta fugir, porque esses combates o seguirão.
Então, no momento em que o conflito é quase inevitável, o guerreiro conversa com seu adversário. Sem demonstrar medo ou covardia, procura saber porque o outro quer a luta; que coisas o fizeram sair de sua aldeia e procurá-lo para um duelo. Sem desembainhar a espada, o guerreiro o convence de que aquele combate não é seu.
Um guerreiro da luz escuta o que seu adversário tem a dizer. E só luta se for necesssário.
Mas, se não tiver outra alternativa, ele não pensa em vitória ou derrota: leva o combate até o final.

Paulo Coelho

Em 2006, telefone ao seu "melhor amigo"

O celular para cachorros PetsCell é à prova de água, vem equipado com GPS (Global Positioning System), mede 5 cm x 2,5 cm e 9,4 cm e deve ser comercializado no começo de 2006.

Sequestro, paga-se recompensa

Zôo oferece recompensa por devolução de filhote de pingüim

foto: mãe do sequestrado
Um zoológico da Grã-Bretanha está oferecendo uma recompensa de 3 mil libras (cerca de R$ 12 mil) pela devolução de um filhote de pingüim que foi roubado no sábado.

O desaparecimento do filhote, que estava em um zoológico da Ilha de Wight, no sul da Grã-Bretanha, vem provocando comoção no país, com chamadas de capa em alguns dos principais jornais locais nesta quarta-feira.

Uma foto dos pais do pingüim desaparecido ocupa grande parte da capa do jornal The Daily Telegraph.

Com o título "Pais procuram o filhote roubado", o jornal diz que Oscar e Kayla, dois pingüins de pata preta, "consomem-se por sua cria de três meses, Toga, apanhada por ladrões de um zoológico".

Segundo o jornal The Times, os tratadores do zoológico dizem que o filhote, que precisa de uma dieta especial e deve ser mantido em um ambiente frio com muita água fresca, pode morrer se não for devolvido até a noite desta quarta-feira.

Para sobreviver, o pingüim teria de ser mantido perto da mãe, já que não aceita comida oferecida por seres humanos.

Os responsáveis pelo roubo teriam pulado um muro externo de dois metros de altura antes de escalar uma outra barreira de metal e concreto de dois metros e meio de altura para chegar à área onde estão os pingüins.

Segundo o texto de um professor de veterinária publicado pelo The Times, o comportamento dos pais do pingüim, que buscam desesperadamente pelo filhote, indica que eles estão enfrentando o máximo de trauma e sofrimento que um pingüim é capaz de sentir.

Os donos do zoológico acreditam que o roubo pode ter sido motivado pela publicidade em torno do filme A Marcha dos Pingüins.

Segundo o jornal Daily Mail, o dono do zoológico, Derek Curtis, disse estar tão desesperado em ter Toga de volta que o receberia de volta sem fazer perguntas. "Não nos importamos com a polícia nem em levar ninguém aos tribunais", disse.

n.r.: o que será que está acontecendo na GB?! Roubam uma escultura de 2 toneladas de um jardim, agora um filhote de pingüim!

O futuro em retrocesso

Juiz dos EUA proíbe 'desenho inteligente' em escola pública

Um juiz federal americano baniu nesta terça-feira o ensino de uma teoria conhecida como "desenho inteligente" em escolas públicas da cidade de Dover, no Estado da Pensilvânia.

O juiz John Jones chegou à conclusão que o ensino da teoria em escolas públicas fere a Constituição do país.

"Nossa conclusão hoje é que é inconstitucional ensinar desenho inteligente como uma alternativa ao evolucionismo em uma sala de aula pública."

Uma escola da região foi processada por um grupo de 11 pais que argumentavam que o ensino da teoria era inconstitucional e que não poderia ocorrer em uma aula de biologia.

O caso ganhou grande destaque nos Estados Unidos.

Ele é um exemplo de uma disputa que está ocorrendo entre grupos cristãos radicais e laicos em vários Estados do país sobre o ensino da teoria evolucionista.

Para os grupos que defendem o “desenho inteligente”, a vida na Terra é complexa demais para ter evoluído sem nenhuma influência divina, como defende a teoria da evolução de Charles Darwin.

Para os evolucionistas, a teoria da inteligência superior carece de qualquer base científica e não deve ser considerada como ciência, portanto, deve ficar foras das aulas de biologia.

O julgamento na Pensilvânia foi acompanhado por grupos dos dois lados em pelo menos 30 Estados americanos, onde a discussão também tem ocorrido.

Em 2004, a região de Dover se tornou a primeira no país em que a teoria do “desenho inteligente” passou a fazer parte do currículo de Ciência.

Gravuras revelam faceta de Anita Malfatti - S.Paulo


Depois de passar décadas e décadas guardadas, matrizes de 20 gravuras da juventude de Anita Malfatti (1889-1964) atravessam longo projeto de restauração e novamente geram reproduções.

O resultado das impressões póstumas aparece pregado às paredes do Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da USP na exposição "Anita Malfatti Gravadora: Uma Recuperação". É justamente revelar a técnica pouco conhecida dentro da obra da pintora modernista o intuito da mostra.

Uma vez impressas, as gravuras - a maior parte delas da década de 10 - deixam entrever o traço delicado em temas brasileiros (como no panorama sutil de "Paisagem com Coqueiros" e "Bahianas"). Composta a partir de duas placas, "Boneca Japonesa" mostra o cuidado com as cores que permeia sua produção em óleo.

Além das impressões póstumas, o IEB expõe seis obras de Anita que integram a coleção Mário de Andrade: três óleos ("O Homem Amarelo", "O Japonês" e "A Estudante Russa"), uma gravura e dois desenhos em pastel. Para 2006, a Editora 34 e Edusp preparam catálogo de sua obra.


Anita Malfatti Gravadora: Uma Recuperação
» Onde: IEB-USP
Av. Professor Mello Moraes, travessa 8, nº 140, Cidade Universitária

» Quando:de seg. a sex., das 14h00 às 17h00
»Quanto:entrada franca
» Informações: tel.(11) 3091-3247.
O instituto ficará fechado entre os dias 26 e 31/12

terça-feira, 20 de dezembro de 2005

O guerreiro da luz e seu mundo - II

Acreditando em amor

Para o guerreiro, não existe amor impossível. Ele não se deixa intimidar pelo silêncio, pela indiferença ou pela rejeição. Sabe que atrás da máscara de gelo que as pessoas usam existe um coração de fogo.
Por isso o guerreiro arrisca mais que os outros. Busca incessantemente o amor de alguém - mesmo que isto signifique escutar muitas vezes a palavra "não", voltar para casa derrotado, sentir-se rejeitado em corpo e alma.
Um guerreiro não se deixa assustar quando busca o que precisa.
Sem amor, ele não é nada.
Paulo Coelho

Safári entre a cristaleira e o sofá

Era o Grande Caçador de Lagartas. Toda vez que a samambaia da sala amanhecia desfolhada denunciando a presença das predadoras, as mulheres da casa recorriam a ele súplices, para que as livrasse do flagelo.
Assim aconteceu também naquele dia, quando ele, como sempre armado de pinças, lente, e um vidro de boca larga, preparou-se para mais uma demonstração de coragem. Não podia saber que as lagartas haviam convocado sua Grande Caçadora de Homens. A qual, escondida entre as últimas folhas da planta, o abateu com um tiro.

Marina Colasanti


Manias

Desde criança
Emendo e remendo poemas
Como quem faz palavras cruzadas
Ou resolve enigmas e charadas.
Já virei o Pessoa do avesso
(Que sacrilégio o que confesso
Que despautério e ousadia
Tocar assim na poesia
Do sacrossanto Pessoa).
Se todo o lado tem o reverso
Se ao certo se antepõe o contrário
Eu sou de Pessoa o oposto,
Mas dele gosto,
Por isso o viro do avesso
Lhe troco versos e poesia
E ponho o poema ao meu jeito
Imperfeito
Com esta minha mania
De cruzar palavras
Abecedário
Poesia.


Encandescente
"Grupo de meninas" - Candido Portinari

Eu poluo, tu polues, nós continuamos poluindo.

Estudo diz que EUA "transferiu" poluição para a China

Uma pesquisa mostra que os Estados Unidos reduziram ligeiramente as suas emissões de carbono às custas do aumento das importações da China, onde dobrou a liberação de gases do efeito estufa.

Divulgado neste mês nos Estados Unidos pelo NCAR (Centro Nacional para Pesquisa Atmosférica, na sigla em inglês), o estudo mostra que o comércio pode afetar significativamente as emissões de gases do efeito estufa, que provocam o aquecimento do planeta Terra.

Entre 1997 e 2003, os Estados Unidos deixaram de emitir 1,711 milhão de toneladas de dióxido de carbono (CO2) ao importar produtos da China, em vez de fabricá-los em seu território.

Pelos cálculos da pesquisadora Shui Bin, do NCAR, nesse período, a redução nas emissões de carbono dos Estados Unidos foi pouco superior a 3%.

No entanto, essa diminuição nas emissões americanas foi mais que compensada por um aumento nas emissões da China. Em 1997, as exportações chinesas para os Estados Unidos responderam por 7% da geração de CO2 no país asiático. Sete anos depois, o percentual tinha dobrado para 14%.

Fábricas nos países em desenvolvimento tendem a usar mais energia que nos países desenvolvidos.

“Os Estados Unidos possuem o maior déficit comercial do mundo, o que nos levou a suspeitar que suas emissões de poluentes fossem maiores do que as que normalmente são consideradas”, contou Shui à BBC.

Os números podem ser ainda mais elevados, pois a análise exclui o combustível usado para transportar os produtos importados pelos Estados Unidos.

Os pesquisadores usam o conceito de “vazamento de carbono” para explicar a relação entre comércio e emissões.

Um país desenvolvido pode, em tese, cumprir metas de redução de carbono ao elevar suas importações de países que não precisam seguir compromissos obrigatórios de corte nas emissões, como é o caso da China.

É como se a geração de carbono fosse transferida ("vazada") de um país a outro via comércio. Há quem argumente que os países ocidentais deveriam ser responsáveis por todas as emissões dos produtos que consomem, sejam eles fabricados domesticamente ou importados.

Michael Grubb, do Imperial College, de Londres, acredita que as taxas de “vazamento de carbono” provavelmente são pequenas.

Grubb assinala que é difícil medir e calcular as emissões de acordo com o usuário final em vez do produtor.

n.r.: não é muito o tipo de notícia que encaixa neste nuvens, mas coincidentemente fui obrigada a pensar neste assunto há alguns minutos atrás, aí: resistir?! Quem há de?

Estudos sobre o fumo passivo

Fumo passivo eleva risco de cegueira

O fumo passivo aumenta o risco de se desenvolver uma das causas mais comuns de cegueira, a chamada degeneração macular ligada ao avanço da idade, de acordo com estudo da Universidade de Cambridge, na Inglaterra.

A pesquisa, divulgada na última edição do British Journal of Ophthalmology, revelou que viver com um fumante por cinco anos dobrou o risco de se contrair a doença e fumar regularmente triplicou esse risco.

Ativistas contra o tabagismo disseram que este estudo reforça a necessidade de se proibir o fumo em locais públicos confinados e ambientes de trabalho.

Outros trabalhos científicos já mostraram que fumar leva a um aumento do risco de se desenvolver problemas de visão, mas este estudo apresentou as evidências mais claras de que simplesmente respirar a fumaça de cigarro pode ter um impacto semelhante.

A degeneração macular costuma se desenvolver quando uma pessoa chega aos 50 anos de idade. Ela afeta a parte central da retina, que é chave para a leitura e a condução de veículos, deixando apenas a visão periférica intacta. Nem sempre o problema leva à cegueira.

Os pesquisadores estudaram 435 casos de pessoas com a doença e 285 sem o problema, examinando sua relação com o fumo e o desenvolvimento da degeneração macular.

Fumar regularmente um maço de cigarros ou mais pro dia por 40 anos quase triplicou o risco, segundo os especialistas.

Mas os pesquisadores constataram que pessoas que abandonaram o vício por 20 anos ou mais tiveram o risco de desenvolver a doença reduzido para nível comparável ao de não-fumantes.

Salão dos Espelhos de Versalles mostra seu resplendor


A metade do Salão dos Espelhos do Palácio de Versalles, nos arredores de Paris, recuperou hoje todo seu esplendor após passar por uma grande restauração para recuperar o brilho que tinha quando foi construído, em 1678.

Após dois anos de trabalhos, os visitantes de um dos monumentos mais emblemáticos da França podem admirar a partir de hoje a metade norte do Salão dos Espelhos, das forma como foi concebida pelo arquiteto Jules Hardouin-Mansart e pelo pintor Charles Le Brun.

Os restauradores, que demoraram um ano e meio para realizar a tarefa, começaram o trabalho de restauração na outra metade do salão, que deve abrir ao público em março de 2007. Com um custo de 12 milhões de euros, a restauração do Salão dos Espelhos é considerada a maior operação de investimento cultural da França.

O Salão dos Espelhos está cheio de história. Foi palco da proclamação do império alemão em 1871, após a derrota de Napoleão III, e da assinatura do Tratado de Versalles, em 28 de junho de 1919, que fixou os termos da derrota alemã na Primeira Guerra Mundial.

Construído entre 1678 e 1684 pelo arquiteto Hardouin-Mansart, o Salão, de 73 metros de comprimento, deve seu nome aos 357 espelhos que tem em suas paredes, enfeitados por obras de Le Brun, primeiro pintor de Luis XIV.

Para preservar o patrimônio de Versalles, os administradores do monumento analisam a possibilidade de obrigar os turistas a reservar as entradas para visitá-lo a partir de 2007.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2005

O guerreiro da luz e seu mundo - I

Acreditando em sinais

O guerreiro da luz conhece a importância da sua intuição.
No meio da batalha, ele não tem tempo para pensar nos golpes do inimigo - então usa seu instinto e obedece ao seu anjo. Nos tempos de paz, ele decifra os sinais que Deus lhe envia.
As pessoas dizem: "Está louco".
Ou então: "Vive num mundo de fantasia".
Ou ainda: "Como pode confiar em coisas que não tem lógica?"
Mas o guerreiro sabe que a intuição é o alfabeto de Deus e continua escutando o vento e falando com as estrelas.

Paulo Coelho

n.r.: e se parece poético demais alguém ser chamado de "guerreiro da luz", transforme para "uma pessoa que busca a maturidade espiritual" ou que "uma pessoa que busca por seu crescimento interior".

Tinha vindo de tão longe

Enfrentando difícil viagem, foi consultar o oráculo sagrado, embora sabendo que há anos mantinha-se mudo. "Comigo falará", pensou cheio de fé, prostrando-se no templo, sob o olhar vigilante dos sacerdotes.
Mas por mais que implorasse, o silêncio foi o único eco à sua pergunta, nenhum som varando os vapores que envolviam o oráculo.
Pago o tributo, saiu na praça ensolarada. Uma nova alegria parecia explodir em cada canto, transbordando risos e brindes pelas ruas, escorrendo dança até o mercado. E ao indagar o porquê de tão súbita felicidade, soube que enfim, consultado por um estrangeiro, o oráculo havia falado.
Só ele, o estrangeiro, nada ouvira.

Marina Colasanti

Escultura de Henry Moore é roubada

A escultura em bronze com mais de 2 toneladas
foi roubada na Grã-Bretanha

Uma escultura em bronze do britânico Henry Moore, no valor de US$ 5,3 milhões, foi roubada dos jardins de um museu dedicado ao artista, no interior da Grã-Bretanha.

O roubo ocorreu na noite da última quinta-feira, mas a notícia veio a público neste sábado.

A polícia afirmou que imagens gravadas por câmeras de circuito interno de TV mostram três homens colocando a escultura em um caminhão.

A obra tem mais de 3 metros de comprimento e pesa mais de 2 toneladas.

A Fundação Henry Moore ofereceu uma recompensa "substanciosa" para que a estátua retorne intacta.

A polícia, no entanto, acredita que a obra tenha sido roubada pelo valor que pode ter no mercado de sucata.

Moore, morto em 1986, é tido como o maior escultor mais famoso da Grã-Bretanha.

Ele ganhou reconhecimento internacional por suas enormes figuras abstratas, nas quais explora formas côncavas e convexas.

King Kong já era?!

Bilheteria de King Kong decepciona nos EUA

A nova versão de "King Kong", dirigida por Peter Jackson, arrecadou US$ 50,1 milhões nas bilheterias americanas em seu fim-de-semana de estréia, no que a indústria cinematográfica está considerando um começo devagar.

Após um dos maiores lançamentos da história do cinema americano, os analistas dizem que esperavam que o filme arrecadasse perto de US$ 90 milhões em sua estréia.

Mas o estúdio Universal, responsável pelo lançamento, disse estar vibrando com a estréia global do filme.

O filme, que custou US$ 200 milhões, liderou as bilheterias internacionais, arrecadando US$ 80,1 milhões em cinco dias em 55 territórios não-americanos.

"King Kong" estreou como filme líder de bilheteria em 53 mercados ao redor do mundo, a melhor estréia da Universal e na nona melhor da indústria cinematográfica em todos os tempos.

Especialistas sobre o assunto nos Estados Unidos disseram que alguns fatores pesaram contra o filme, incluindo o fato de as crianças ainda estarem em aulas e o fato de que ele não é uma seqüência de um campeão de bilheteria como os filmes do "Senhor dos Anéis" ou de "Harry Potter".

Para o vice-presidente da Universal, Marc Schmuger, as estimativas dos especialistas estavam “baseadas em ignorância” e há poucos termos de comparação para King Kong, que não é nem parte de uma seqüência nem uma adaptação de obra literária.

Alguns dos mais populares filmes de Hollywood na história também tiveram inícios abaixo das expectativas nos Estados Unidos.

Quando "Titanic" e "O Amanhã Nunca Morre" estrearam na mesma semana, em dezembro de 1997, eles arrecadaram US$ 28 milhões e US$ 25 milhões, respectivamente.

domingo, 18 de dezembro de 2005

"Fotoportátil", livro de bolso

Forma, imagem e palavra, em abordagem crítica, integram coleção que pretende capturar a história da fotografia brasileira



Com a idéia de inovar e ampliar o olhar nacional para a fotografia contemporânea, a editora CosacNaify, de São Paulo, lançou os seis primeiros livros de bolso da série Fotoportátil. O projeto tem como base o formato econômico de coleções como a francesa Photo Poche e a 55 da Phaidon.

Eder Chiodetto, coordenador do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) e idealizador do projeto e a design gráfica Elaine Ramos concretizaram a idéia de Augusto Massi, da CosacNaify, ao unirem ousadia gráfica e editorial nessa coleção. Segundo Chiodetto, a série começou pelo final, “mostrando o estágio atual da fotografia brasileira apoiada em contemporâneos que possuem trabalho representativo em diversas áreas, mas com um olhar que filosofa sobre o ato fotográfico... a idéia é fazer incursões até o século 19.”

Diferentemente da maioria das publicações do gênero, a Fotoportátil tem uma abordagem ensaística ao oferecer fotos em seqüência intencional ao formato do livro, e não uma reunião de fotos esparsas. Um texto, no final do livro, abre novas perspectivas que “podem levar a fotografia para conexões com a literatura”, proporcionando ao mercado uma abordagem crítica.

A retrospectiva histórica da coleção pretende vasculhar o passado, “sempre mantendo o pé no que há de novo”, selecionando “a fase dos cartões postais do século 19, os primeiros fotógrafos imigrantes, o início do fotojornalismo e da fotografia de publicidade, o modernismo dos 1940/1950, a fotografia da ditadura, a inserção nas artes plásticas, a interação com outras linguagens...”, segundo Chiodetto, até o que possibilitou a fotografia no Brasil ter suas características próprias.

Os primeiros livros publicados são de artistas reconhecidos, mas que ainda não tinham um livro pessoal (exceto Ângela Rennó), para além dos motivos de serem representativos, o projeto procura romper com a pobreza editorial de livros de fotografia: escassos, caros e com raras produções de reflexão.

O suporte da obra também inova e oferece mais leituras. O formato pocket poderia engessar a apresentação das fotos, cortadas pela lombada ou com tamanhos pequenos, mas Elaine desenvolveu um suporte contínuo (além de barato), a sanfona, onde é possível “ter fotos grandes em um livro pequeno com uma interferência sutil, apenas a dobra”. Com a experiência dos primeiros volumes publicados, a design explica que a diversidade de ocupação do suporte tem sido impressionante, “nesse formato a seqüência entre as fotos fica mais evidenciada, o que leva a edição a construir uma narrativa, e não incluir um pouco de cada coisa que o fotógrafo fez”.

O formato, que possibilita uma narrativa ao artista, também convida o leitor a criar outras seqüências, ao manusear a sanfona, esticando-a e comprimindo-a, para diferentes combinações e leituras, tornando-o agente tátil que interfere na obra. As sanfonas inauguram-se com dois pólos contemporâneos, de maneira a balancear a representatividade fotográfica, como conta Elaine.

Com diferentes enfoques, o filosofar a fotografia agrega cada livro, criando narrativas além das que são propostas em cada um. Chiodetto, ao traçar a proposta do projeto, o insere na história que a coleção vai a busca: “Propomos um mosaico onde cada um deverá se mover pelos seus próprios olhos, pela sua sensibilidade... A história da fotografia brasileira é feita de sobressaltos e de muitas influências externas...[que] foram devoradas, canabalizadas e transformadas em linguagem original e provocadora, como manda o receituário da antropofagia... o objetivo é deixar que a coleção absorva essas histórias de subversão que geram sua linha evolutiva.”

Foto:Deborah Bregantino


"E pur si muove"

E contudo... O corpo move-se
Apesar do cansaço
Alagado em suor
O desejo reaceso
Que julgavas saciado
A vontade e o querer
Que julgavas satisfeitos.
Despertam os sentidos
Que julgavas adormecidos
Quando na tua a minha boca diz:
- Quero mais e mais de ti.

Encandescente
Foto: Joanna N.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2005


Encantamento

Vi as mulheres
azuis do equinócio
voarem como pássaros cegos; e os seus corpos
sem asas afogarem-se, devagar, nos lagos
vulcânicos. Os seus lábios vomitavam o fogo
que traziam de uma infância de magma
calcinado. A água ficava negra, à sua volta;
e os ramos das plantas submersas pelas chuvas
primaveris abraçavam-nas, puxando-as num
estertor de imagens. Tapei-as com o cobertor
do verso; estendi-as na areia grossa
da margem, vendo as cobras de água fugirem
por entre os canaviais. Espreitei-lhes
o sexo por onde escorria o líquido branco
de um início. Pude dizer-lhes que as amava,
abraçando-as, como se estivessem vivas; e
ouvi um restolhar de crianças por entre
os arbustos, repetindo-me as frases com uma
entoação de riso. Onde estão essas mulheres?
Em que leito de rio dormem os seus corpos,
que os meus dedos procuram num gesto
vago de inquietação? Navego contra a corrente;
procuro a fonte, o silêncio frio de uma génese.


Nuno Júdice

"Alegoria de seda" - Salvador Dalí

A física do susto

O espelho caiu da parede.
Caiu com ele o meu rosto.
Com o meu rosto a minha sede.
Com a minha sede eu desgosto.
O meu desgosto de olhar,
no espelho caído, o meu rosto.


Cassiano Ricardo
"Gala contemplando o Mediterrâneo" - Salvador Dalí


A espera

Amado... Por que tardas tanto?
As primeiras sombras se avizinham
E as estrelas iniciam a noite.
Vem...
Pois a esperança que se acolheu em meu coração
Vai deixá-lo como um ninho abandonado nos penhascos.
Vem... Amado...
desce a tua boca sobre a minha boca
Para a tua alma levar a minha alma
Pesada de sofrimento!
Vem...
Para que, beijando a minha boca
Eu receba a sensação de uma janela aberta.
Amado meu...
Por que tardas tanto?
Vem...
E serás como um ramo de rosas brancas
Pousando no túmulo da minha vida...
Vem amado meu.
Por que tardas tanto?


Adalgisa Nery
"Pessoa à janela"
- Salvador Dalí

Big Maçã Caramelada - S.Paulo



Obra do Projeto Árvore Show no viaduto do Chá, em São Paulo; elaboradas por artistas plásticos, as árvores vão ficar espalhadas pela cidade até o Natal.


Aposentadoria para cobaias humanas

Direitos trabalhistas

Os amapaenses que participaram da pesquisa sobre mosquitos transmissores de malária podem obter na Justiça o reconhecimento de vínculo empregatício. Para que seja caracterizado o vínculo, é necessária a existência de prestação de serviço mediante pagamento, habitualidade e subordinação do empregado.

Os moradores da comunidade ribeirinha no Amapá recebiam diárias que variavam entre R$ 8,00 e R$ 12,00 para expor braços e pernas, atraindo mosquitos transmissores de malária. O intuito da Universidade da Flórida, que realizou o projeto, era capturar estes insetos.

Para a advogada especialista em direito do trabalho e direito sindical Cristiana Sarcedo, no caso das cobaias humanas no Amapá não há uma relação de emprego típica. O caso poderia ser enquadrado como prestação de serviço autônoma (com rotatividade entre os prestadores) ou até mesmo emprego, desde que comprovadas as premissas trabalhistas, especialmente a habitualidade.

É um trabalho informal, comparável ao dos homem-sanduíche que trabalham como outdoor ambulante no centro de São Paulo. No caso dos paulistanos, pode haver reconhecimento de vínculo desde que o homem-sanduíche preste serviço há um tempo considerável para um mesmo anunciante.

Quanto a possíveis indenizações, elas podem ser pedidas pelos amapaenses tanto no âmbito cível quanto no trabalhista, caso o vínculo ou prestação de serviço venham a ser reconhecidos. Cristiana Sarcedo afirma que um dos argumentos trabalhistas a serem usados pode ser o do trabalho degradante, que embasaria pedidos de reparações por danos morais e materiais.

n.r.: Brasil!

Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.