sexta-feira, 30 de setembro de 2005

Causa Carmim - Participe






VMB 2005 - Ídolo MTV

Pitty é ídolo MTV e vocalista dos sonhos e
CPM é escolha da audiência no VMB 2005




A MTV Brasil anunciou na noite desta quinta, 29, numa premiação que aconteceu em São Paulo, no Credicard Hall, os premiados do VMB 2005. A premiação terminou as 23h50. Ao todo concorreram 54 clipes nacionais e 10 estrangeiros, em 17 categorias.

Mais uma vez, Pitty foi a personalidade mais consagrada na premiação. A cantora baiana foi eleita "ídolo MTV", por indicação da audiência, foi escolhida a vocalista da "Banda dos Sonhos", cujos integrantes foram escolhidos pela Web, e levou um prêmio por melhor performance ao vivo, pelo clipe de "Eu Quero Sempre Mais", com o Ira!.

A banda CPM 22 também voltou pra casa feliz, com o prêmio de escolha da audiência, o mais prestigioso da noite, por "Um Minuto Para o Fim do Mundo", e de melhor vídeo de rock, por "Irreversível".

quinta-feira, 29 de setembro de 2005

"Dom Quixote" é lançado em versão audioliro

"Dom Quixote" - Elizeu Mendes
Para ler o clássico de Miguel de Cervantes, "Dom Quixote de La Mancha", oito atores espanhóis precisaram de 42 horas de gravação, que ocupam 37 CDs, na primeira edição do romance em versão audiolivro, lançado pela editora Turner.

A gravação foi dirigida pelo cineasta espanhol Manuel Gutiérrez Aragón, e o ator Juan Luis Galiardo fez o papel do herói da história, enquanto Carlos Iglesias interpretou Sancho Panza na primeira parte da obra.

A edição, que foi posta à venda na Espanha e na América Latina, foi produzida em razão do IV centenário do Quixote, e contou com o apoio dos ministérios da Cultura e dos Assuntos Exteriores da Espanha.

Porque as mulheres tem mais capacidade em boiar na água do que os homens?


É verdade que em geral as mulheres bóiam mais facilmente do que os homens, porque sua porcentagem de gordura corpórea é maior. A densidade do tecido adiposo (gordura) é menor do que a densidade da água e dos outros tecidos que compõem o organismo; portanto, uma maior porcentagem de gordura implica menor densidade média, o que favorece o boiar.

A maior porcentagem de gordura nas mulheres está ligada à sua função reprodutiva – uma questão fisiológica e normal – e não a reservas dispensáveis. Em homens e mulheres atletas, por exemplo, a porcentagem de gordura fica, respectivamente, abaixo de 10% e 17% em geral. O tecido adiposo nas mulheres é fisiologicamente mais abundante que nos homens, sobretudo nos seios, no quadril e nas coxas; a presença de gordura em outras regiões do corpo é vital para ambos. Claramente, há homens obesos e mulheres magras e, nesse caso, eles bóiam melhor do que elas..

Mês da criança

Evento "Criança Segura" no Ibirapuera
tem show de Toquinho

O cantor e compositor Toquinho faz uma apresentação gratuita no Parque do Ibirapuera, neste sábado (1º), a partir das 12h, durante a abertura da Segunda Semana Criança Segura. O show será no Bolsão da Prodam.
Com repertório vasto voltado para o público infantil, Toquinho relembrará clássicos como 'Aquarela' e 'O Caderno', além de cantar 'A Casa' e 'O Pato', entre outras composições que marcaram sua carreira. De seus 45 discos lançados, três deles, 'A Arca de Noé - volumes 1 e 2' e 'Canção de Todas as Crianças', são inteiramente voltados para as crianças.

Caco, o sapo



O sapo Caco, possivelmente o anfíbio mais famoso do mundo, vai embarcar numa "turnê" global em outubro para comemorar seus 50 anos no show business e relançar a franquia Muppets como parte da Walt Disney Company. O anúncio foi feito na terça-feira.
Sua primeira parada será na pequena cidade de Kermit (nome original de Caco, em inglês), no oeste do Texas, em 14 de outubro. Nos 15 meses seguintes, o sapo vai visitar 50 lugares espalhados pelo mundo, incluindo a Estátua da Liberdade, em Nova York, a Torre Eiffel, em Paris, a Grande Muralha da China e até mesmo um festival de pernas de rã em Fellsmere, Flórida.

Henson, que morreu em 1990, aos 54 anos, de infecção bacteriana, criou Caco em 1955 a partir do tecido de um casaco de sua mãe. No início, em "Sam and Friends", Caco parecia mais um lagarto do que um sapo. Mas quando estreou na televisão nacional, em 1956, no "The Tonight Show," da NBC, com Steve Allen, ele já completara sua evolução e era um sapo.

Quatorze anos mais tarde Henson levou Caco e os outros Muppets para o histórico seriado educativo "Vila Sésamo", no qual se tornaram famosíssimos.

quarta-feira, 28 de setembro de 2005

Mais sobre a "rampa anti-mendigo"

Folha de S.Paulo - Marcelo Coelho

Como embelezar São Paulo (e sair ganhando com isso)
Direitos todo mundo tem: à saúde, à educação, à moradia, à segurança... Verdade é que essas coisas muitas vezes ficam no papel. Mas há um direito humano, lembrado por Anatole France, que até hoje ninguém ousou desrespeitar: o de dormir debaixo da ponte. Eis, frisava o escritor, uma prerrogativa que o Estado assegura "tanto aos mendigos quanto aos milionários".

Já era um espaço bastante exíguo e disputado. O motorista que sai da Doutor Arnaldo e avança por aquela espécie de túnel começa reparando nas pinturas murais que enfeitam o caminho. Vê simpáticos grafites, figurinhas dançantes, uns ETs sorridentes e, à medida que o túnel se aprofunda, toma contato com ótimas reproduções de quadros modernistas: uma praia de Pancetti, uma paisagem de Tarsila, algumas mulheres de Di Cavalcanti ilustram aquele buraco urbano.

Construída como a arquibancada de um imaginário estádio para ratazanas, a obra da prefeitura ocupa esse pedaço do túnel, cuidando de desalojar os mendigos que dormiam por ali. A não ser que eles insistam em se deitar no novo plano inclinado, correndo o risco de rolar até o asfalto, onde terminariam providencialmente atropelados. De todo modo, a rampa ganhou um revestimento de chapisco, desconfortável o bastante para dissuadi-los da imprudência.

Por que não usar cacos de garrafa? Tudo ganharia um colorido nostálgico e suburbano, figurando uma São Paulo de outros tempos. Ou então pregos, espetos... Ah, mas aí seria extremismo. Nosso "dispositivo inclinado de afastamento de população indesejável" (diapi) não precisa agredir ninguém. Cumpre apenas, silenciosamente, o que a polícia ou a guarda municipal não poderiam fazer sem empregar um bocado de violência física.

E ninguém é violento por aqui. Só eles, é claro, os que se escondem no subterrâneo.

Mostra de 104 Obras-Primas da Calábria

O diálogo com o colonial brasileiro e a reinvenção de tradições católicas

Mattia Pretti

"Noli me Tangere" - 2º.metade séc.XVII
142x100cm óleo sobre tela

"Sei que sobre mim pesam 2.000 anos de cristianismo: eu construí com meus antepassados as igrejas românicas, e depois as góticas, e depois as barrocas; elas são meu patrimônio", disse o cineasta Pier Paolo Pasolini sobre a influência da Itália antiga, da Renascença ao barroco, em relação à sua obra.

É uma sensação parecida quando se visita "Obras-Primas da Calábria", mostra aberta em 27 de setembro ao público no MAB (Museu de Arte Brasileira), na Faap. Cerca de 700 anos de história são espalhados pelo museu, com 104 notáveis obras que capturam o olhar do visitante e o levam a tesouros da Itália meridional.

"A produção da Calábria está sendo revista pela crítica na própria Itália, cuja qualidade cada vez mais impressiona", afirma o curador-assistente da mostra, Luiz Marques, especialista em arte italiana e professor da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). "É uma rara oportunidade para ter contato com a cultura visual de uma região ainda não tão pesquisada, que dialoga até com a produção artística brasileira."

Ippolito Borghese

"Madonna in Gloria" - déc. 20 do séc.XVII
117x86cm óleo sobre tela

"Hoje é dia de Maria" - CCBB

Peça que inspirou "Hoje é dia de Maria" tem leitura
no CCBB
O teatro nascido da cultura popular (do hip-hop, do circo etc) é o tema da nova fase do projeto Dramaturgias, realizado pelo CCBB (Centro Cultural Banco do Brasil). Assim, nesta quinta, a partir das 20h, será feita a leitura dramática de "A Madrasta", de Carlos Alberto Soffredini (1939 - 2001), que inspirou a minissérie "Hoje É Dia de Maria", da TV Globo.

O texto "A Madrasta" será lido por Neusa Romano, João Bourbonnais, Wilma de Souza, Geraldine Quaglia e Wanderley Piras, com direção de Renata Soffredini, filha do autor.
A peça toma como base o conto "A menina enterrada viva" e seus personagens principais. Na trama, pai, filha e madrasta vão se cruzar com muitas outras histórias infantis e contos populares.

Dramaturgias - A Cultura Popular Como Matriz
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil - Rua Álvares Penteado, 112 - Centro
Quando: 28 de setembro, às 20h
Quanto: Gratuito (retirar senhas 30 minutos antes)

Comida - SP

Do rústico ao contemporâneo

A autoria de um chef se faz, antes de tudo, por sua história pessoal. É com ela que sua cozinha ganha um tempero próprio. Algo tão óbvio quanto essencial para fazer a cozinha brasileira de um Alex Atala ser um tanto diferente, por exemplo, daquela que Mara Salles realiza. Esse traço da arte gastronômica, mais do que sabido, é o conceito que rege a programação da 11ª edição do Boa Mesa, que acontece entre os dias 28 de setembro e 1º de outubro, das 13h às 22h, no ITM Expo.

Seguindo esse conceito, a curadora das aulas e workshops do evento, Betty Kövesi, concebeu uma grade em que uma mesma cozinha regional ganha diversos tratamentos, de acordo com a leitura de cada chef. Enquanto Francesco Carli, do restaurante carioca Cipriani, apresenta (no dia 1º, às 17h) pratos de uma cozinha italiana mais contemporânea, como o camarão marinado com vinho do Porto e gengibre, Hamilton Mellão, chef do Sao, segue uma linha mais tradicional, "rústica", como seu curso é intitulado (e realizado no dia 1º, às 15h15), ensinando sobre clássicos como o Macheroni com le Sarde, prato siciliano à base de sardinha fresca.

"Tenho muitos alunos aqui que querem imitar a cozinha de um grande chef", conta Betty, que é dona da escola de gastronomia Wilma Kövesi. "Mas é preciso conhecer, antes de tudo, a trajetória do chef, que, no caso da Mara [Salles], é uma pesquisadora. Ela fica um mês, por exemplo, numa fazenda em Goiás só para aprender uma buchada de bode."

Olhar estrangeiro

Americano expõe fotos da Rocinha



Foto:Ponce de Leon
O norte-americano Gabriel Ponce de León morava havia três meses na Rocinha (zona sul do Rio de Janeiro) quando, em abril de 2004, estourou a guerra pelo comando do tráfico na favela. Em vez de fugir, ficou mais três meses.
Parte das centenas de fotos que tirou nesse período está na exposição "Vizinhos", que ele inaugura hoje, às 11h30, na estação Siqueira Campos (Copacabana) do metrô carioca.

"Eu me acostumei [com a guerra]. Olhava para os moradores e via que ninguém estava em pânico. Eles encararam a situação com coragem. O clima estava ruim", conta ele.
Ponce de León, 25, nasceu em Nova York, estudou história e relações internacionais, e foi na Rocinha que passou a levar a fotografia a sério. Instalou-se na favela, a convite de um amigo, para dar aulas de inglês na ONG Fundação Dois Irmãos. Escalado como guia e intérprete do fotógrafo francês Guillaume Binet, recebeu dele aulas práticas em abril e maio de 2004.

Durante o conflito, o norte-americano fotografou ruas vazias e outras cenas significativas, mas elas não predominam em "Vizinhos". A maioria das 30 fotos mostra o cotidiano da favela e sua geografia peculiar; os moradores, as casas, as vielas e ruas do morro. "Não estou romantizando a favela, mas também não estou explorando."

Pó contra veneno de cobra

Pesquisadores desenvolvem versão mais resistente
de soro antiofídico




Por ano, quase 28 mil pessoas são picadas por cobras no Brasil. Uma novidade desenvolvida no Instituto Butantan promete tornar mais rápido e eficaz o atendimento às vítimas de espécies venenosas. Trata-se de uma versão em pó dos soros antiofídicos usados no combate ao veneno das serpentes. O produto dispensa a refrigeração e, por isso, pode ser estocado e transportado com mais facilidade e deve alcançar localidades longínquas do Brasil.
A composição e a forma de fabricação do soro em pó é a mesma do convencional, na forma líquida. “A diferença está apenas na forma de apresentação dos dois”, afirma a bioquímica Hisako Higashi, diretora da Divisão de Produção do Instituto Butantan. O soro antiofídico possui ação específica: o veneno de cada cobra tem um soro correspondente. O Instituto Butantan produz cinco tipos diferentes de soros contra veneno de serpentes e estão sendo preparadas versões em pó de todos eles.

Lego Harry Potter


"Castelo de Hogwarts"
"Expresso Hogwarts"

terça-feira, 27 de setembro de 2005



Bilhete

Quebrei o teu prato
Tranquei o meu quarto
Bebí teu licor

Já arrumei a sala
Já fiz tua mala
Pus no corredor
Eu limpei minha vida
Te tirei do meu corpo
Te tirei das entranhas
Fiz um tipo de aborto
E por fim nosso caso acabou
Está morto
Jogue a cópia da chave
Por debaixo da porta
Que é pra não ter motivo
De pensar numa volta
Fique junto dos seus
Boa sorte, Adeus

Ivan Lins/Vitor Martins

Mostra homenageia Pasoline no CCBB


O Centro Cultural Banco do Brasil apresenta a partir desta terça-feira, às 16h, a mostra "Mestres do cinema", dedicada, este mês, ao cineasta, escritor, poeta, roteirista e pintor italiano Pier Paolo Pasolini.
Nascido em Bolonha em 1922, Pasolini foi assassinado em novembro de 1975, em Roma, em um crime que permanece obscuro até hoje. Até 2 de outubro, o público poderá rever alguns filmes do diretor em DVD, como "O evangelho segundo São Mateus", "Medéia", "O decameron" e "Os contos de Canterbury", entre outros.


Centro Cultural Banco do Brasil: Rua Primeiro de Março 66, Centro - 3808-2020. Entrada franca.

Mais:"O Decameron"

Estréia - SP

Diretora do Ballet de Santiago, Marcia Haydée fala de "Carmem"

Haydée assumiu a companhia pela segunda vez em março de 2004. Antes disso, já havia sido diretora de 1993 a 1996, ao mesmo tempo em que dirigia o Ballet de Stuttgart, um mês em cada lugar. "Foi depois disso que parei tudo. Fiquei três anos afastada do teatro e depois fui voltando", diz ela em entrevista à Folha, em Montevidéu, onde o Ballet se apresentou na terça-feira.

No dia 29, estréia em São Paulo "Carmem", coreografia da brasileira Marcia Haydée para o Ballet de Santiago. O espetáculo tem por base a clássica história do escritor francês Prosper Merimée (1803-70), mais conhecida pela ópera de seu contemporâneo Bizet.

Morre o comediante Ronald Golias



Morreu na madrugada desta terça-feira o comediante Ronald Golias, aos 76 anos. Ele estava internado desde o dia 8 de setembro no Hospital São Luiz. Ele morreu de infecção generalizada e falência múltipla de órgãos. Golias ficou conhecido na década de 60 como o Bronco, do seriado 'Família Trapo'.
O hospital informou que o falecimento ocorreu às 5h30m e que Golias tinha quadro grave quando foi internado com infecção pulmonar.

Quatro personagens o consagraram como um dos mais divertidos humoristas brasileiros. Além do Bronco, que brilhou na série "Família Trapo", Golias também se destacou com a Izolda, Bartolomeu Guimarães, e o Pacífico, que dizia "Ô Cride, fala pra mãe", bordão usado pelos Titãs na música 'Televisão', sucesso dos anos 80.
Além da mania de fazer caretas, seja qual for o personagem que esteja interpretando, Ronald Golias era conhecido como o rei do caco (frases ditas fora do roteiro).
Sobre o pequeno número de personagens usados ao longo da carreira, Golias recorria a exemplos de comediantes de sucesso no exterior.

- Não há necessidade de ter muitos personagens. O comediante italiano Totó foi sempre Totó e o mexicano Cantinflas fez o mesmo papel a vida inteira - justifica.

Lançamentos marcam cinco anos sem Baden Powell

Ainda é pouco, mas já é um começo. Nesses cinco anos da morte de Baden Powell, completados nesta segunda-feira (26), alguns relançamentos e novidades trazem um pouco mais da genialidade do violonista que teve tão poucos trabalhos lançados em seu próprio país.

Nascido em Varre-e-Sai, no norte fluminense, Powell morreu aos 63 anos, deixando um vasto registro de sua obra. Mas, até o mês passado, dos seus mais de 80 discos de carreira, apenas 14 haviam sido lançados no Brasil. A conta aumentou para 15 neste mês, com "Baden - Live à Bruxelles", gravação ao vivo de 1999 lançada pela Lua Discos.

O CD tem composições do próprio Powell ("Vento Vadio", a parceria "Samba Triste", com Billy Blanco, e duas belas introduções para "Naquele Tempo", de Pixinguinha e Benedito Lacerda, e "Asa Branca", de Luiz Gonzaga e Humberto Teixeira) e Tom Jobim ("Samba do Avião" e "Garota de Ipanema", com Vinicius de Moraes, que também se faz presente com "Samba da Bênção", Consolação" e Berimbau"), entre outros. É mais uma grande performance do músico ao violão, álbum que vale a pena ter e ouvir. Muito.

segunda-feira, 26 de setembro de 2005

Outro Século


"Meninas de Biquíni"


No final do sec. III d.C., os romanos ao contrário dos gregos, não se exercitavam nus no ginásio, mas usavam roupas sumárias muito semelhantes às "modernas".
Na Villa Romana de Casale, distante 5km de Piazza Armerina, na Sicília - Itália, onde a mais rica coleção de mosaicos romanos pode ser apreciada. A Villa foi construída em cima de restos de uma outra vila, aproximadamente no final do primeiro quarto do sec. IV . Parece uma margem de tempo bastante "precisa".

O local era provavelmente o centro de um imenso latifúndio que cobria toda a área circunvizinha à ele. O complexo se manteve inabitado, não se pode precisar o seu tempo, talvez 150 anos, mas a Villa se expandiu ao seu redor com o nome de Platia, que deriva de palatium.

Foi atacada e destruída em parte, provavelmente no período de dominação dos Vândalos e Visigodos. Mas os edifícios se mantiveram em uso, pelo menos parte deles, durante o período bizantino e árabe. Diz-se, que o lugar foi abandonado para o bem de todos quando um deslizamento de terra cobriu a Villa e os habitantes que sobreviveram se mudaram para o local onde actualmente está localizada a Piazza Armerina.

A sociedade continua a evoluir

McDonalds do Japão troca palhaço por mulher de biquíni

A cadeia de lanchonetes McDonald's do Japão dispensou o palhaço Ronald McDonald, o símbolo mundial da rede, como garoto-propaganda.
Em um novo anúncio da rede, ele foi substituído por uma mulher vestindo biquíni e usando saltos altos, segundo reportagem do jornal britânico The Times.
A mudança faz parte de um esforço global da empresa de promover um estilo de vida mais saudável e enfatizar outros produtos além dos hambúrgueres e batatas fritas. Ronald McDonald, no entanto, continuará aparecendo em campanhas publicitárias em outros países.

Vestindo animais

Harry Whittier Frees


Fotos: Copyright Dewi Lewis Publishing

Um novo livro será lançado no início de outubro na Grã-Bretanha resgata o trabalho do fotógrafo Harry Whittier Frees, reunindo seus trabalhos com animais vestidos.
O artista começou a carreira tirando fotos de animaizinhos para cartões. Em 1905, passou a vesti-los, dando-lhes uma imagem mais semelhante à dos seres humanos.
O trabalho de Frees se tornou muito conhecido nos Estados Unidos no começo do século 20. Suas fotos ilustraram muitos livros infantis.

Jacaré Capturado no Rio....

de Janeiro



Agentes da patrulha ambiental capturaram na manhã de hoje um jacaré de papo amarelo de aproximandamente dois metros, que estava na Avenida das Américas, na Barra, na zona oeste do Rio de Janeiro. Os agentes acreditam que o jacaré tenha saído da Lagoa de Marapendi. O animal foi encaminhado para o Parque Chico Mendes.

"Harry Potter e o Príncipe Mestiço"

Prêmio

O último livro de J.K.Rowling, "Harry Potter e o Príncipe Mestiço", ganhou o troféu Best Seller Award nos EUA por ter sido o livro que mais vendeu. A idéia do evento é premiar o maior best-seller (campeão de vendas) no país entre os dias 1º de agosto de 2004 e 1º de agosto de 2005.

"O Príncipe Mestiço" só chegou às livrarias americanas em 16 de julho deste ano, mas mesmo assim ele vendeu duas vezes mais exemplares do que o segundo colocado, "O Código Da Vinci". Foram 6.397.000 cópias do bruxinho contra 2.261.000 cópidas do livro de Dan Brown.

Os prêmios do Best Seller Award são baseados nas vendas dos livros. Não há júri no concurso. As categorias incluem estilos literários bem específicos, como "Romance: Viagens no Tempo" e "Mistério e Policial: Detetives Mulheres". No total, foram entregues troféus para 100 categorias.

domingo, 25 de setembro de 2005

All that Jazz - Jazz Drama - Jazz Bolerão

just dance... deixe fluir...

I'VE GOT TO SEE YOU

Lines on your face don't bother me
Down in my chair when you dance over me
I can't help myself
I've got to see you again

Late in the night when I'm all alone
And I look at the clock and I know you're not home
I can't help myself
I've got to see you again

I could almost go there
Just to watch you be seen
I could almost go there
Just to live in a dream

But no, I won't go any those things
To not touch your skin is not why I sing
I can't help myself
I've got to see you again

I could almost go there
Just to watch you be seen
I could almost go there
Just to live in a dream

But no, I won't go to share you with them
But all even though
I know where you've been
I can't help myself
I've got to see you again


music:Jesse Harris/singer:Norah Jones


art color edition. Cristina Caetano



Retrato de uma princesa desconhecida

Para que ela tivesse um pescoço tão fino

Para que os seus pulsos tivessem um quebrar de caule

Para que os seus olhos fossem tão frontais e limpos

Para que a sua espinha fosse tão direita

E ela usasse a cabeça tão erguida

Com uma tão simples claridade sobre a testa

Foram necessárias sucessivas gerações de escravos

De corpo dobrado e grossas mãos pacientes

Servindo sucessivas gerações de príncipes

Ainda um pouco toscos e grosseiros

Ávidos cruéis e fraudulentos

Foi um imenso desperdiçar de gente

Para que ela fosse aquela perfeição

Solitária exilada sem destino


Sophia de Mello Breyner Andresen


"as meninas" Velasquez

sábado, 24 de setembro de 2005

Massa

A massa vira o pão. Amassa!
Amassa-me como a massa!
Com carinho, com quentura.
Tuas mãos, entre teus dedos.
Sente a dobra da massa, macia.
No ponto de espera.
O tempo da massa, que espera.
O momento.
Amassa o corpo!
A pele sente.
O amasso.
Amassa-me como massa!
Podia perguntar:"amas-me?"
Mas não.
Ama-me!

Cristina Caetano

Arquitetura da Exclusão

Este post com a notícia logo abaixo, não faz parte do objetivo desse blog.
Mas a hipocrisia é algo que me irrita.

Para quem lê sobre a notícia publicada, logo o primeiro olhar lançado de banda, inevitável - até porque passamos por momentos de descobertas de corrupçao - é político, mas...

De qualquer forma, "nos" chama a atenção qualquer atitude política que criará benefício [ou não] a um caso social, já que como sociedade somos regidos por leis que foram criadas, apenas, para não vivermos num caos absoluto e eu me pergunto - aqui nesta cidade maravilhosa - se não vivemos num caos absoluto. Mas isso é outro assunto.

A grande indignação tem nome: "apartheid social". O interessante é que antes da rampa, denominada de "rampa antimendigo", os mendigos não eram considerados excluídos pela sociedade. Ai, que já antevejo um pensamento atravessado torcendo o nariz:"mas o que se pretende aqui?" Respondo:"nada!"

Poderia ser mais poética - o blog é meu! - e divagar sobre o "nada", mas divagando fugiria da questão, então continuo...

Não sei se tive um insigth ou se cheguei à uma brilhante conclusão - aconteceu muito rápido! Mas concluo que: viver na rua, sem amparo social e psicológico, não é exclusão. Ser mendigo, ou estar mendingo [ passando nesse momento, à uma fase otimista, de crer que: há quem tenha sido e já não seja ou, que há quem não tenha gostado de não ser e nas horas vagas - como hobby - se traveste de mendingo, apenas para ter o "gostinho"], é fazer "parte" da sociedade.

Fiquei pensando se eram considerados como "parte da paisagem", daí o incômodo aos maus tratos só vir à luz após a rampa anti-eles, anti-mendigos/paisagem. A classificação é minha!
Mas terei classificado direito, ou alguma outra fatia da sociedade poderá se virar contra mim? Antecipadamente peço desculpas - afinal, como blog - não há grana e se quiserem indenização, com lágrimas ofereço meu patrimônio:este "nuvens" aqui.


Mas brincadeiras à parte, não interessa aqui ser contra algum partido ou político ou a própria sociedade da qual faço parte, mesmo sem ser paulista ou morar em Sampa. Mas fica difícil não reparar que uma rampa mobilizou cabeças pensantes como urbanistas, advogados, integrantes da Igreja Católica e sociólogos. Poderia gastar "letras" comentando sobre o que a Igreja Católica faz pelos mendigos na sua porta...ups...não os tenho visto....?! ?! ?!

Mas o "bacana" é que os direitos dos mendigos passaram a existir. Até que enfim a "sociedade" acordou . Mas quando será que o direito de "pessoas" vai começar a existir? Melhor:"quando será que o direito de "ser humano", incluído na sociedade, vai se tornar prioridade?"

Vivo me enganando, sou muito sonhadora, mas acho que depois da "rampa" pessoas da nossa sociedade aparecerão lutando por esses direitos.

Mas chega do cansativo blá-blá-blá e segue a notícia - parte dela - da Folha de S.Paulo com seu link, para não maçar mais meus 2 leitores. "Cris C."

Obstáculo em passagem subterrânea pode levar a "apartheid social", afirmam especialistas

A decisão do prefeito de São Paulo, José Serra (PSDB), de colocar rampas antimendigo na passagem subterrânea que liga a avenida Paulista à Doutor Arnaldo foi criticada por urbanistas, advogados, integrantes da Igreja Católica e sociólogos. A medida, segundo alguns deles, pode levar a um "apartheid social" na cidade.
Os obstáculos estão sendo colocados em um local onde vive um grupo de cerca de 30 moradores de rua, entre os quais crianças e um bebê de dez meses.
Serra, com a justificativa de reduzir os assaltos na área, iniciou a construção dessas rampas, com piso chapiscado (áspero), que dificultam a tentativa de dormir no local. A obra já começou em um dos lados da passagem. Os sem-teto estão concentrados no outro.
Rubens Adorno, professor da Faculdade de Saúde Pública da USP, disse que a criação das rampas é uma ação "tapa-buraco".

nham, nham, nham

Salsicha vienense completa 200 anos de existência

A salsicha vienense, de Frankfurt ou de Estrasburgo - dependendo da região onde é produzida -, inventada em Viena por um açougueiro alemão, faz 200 anos em 2005.
Em 1805, o alemão Johann Georg Lahner, jovem açougueiro da cidade de Gasseldorf (Alemanha), residente em Viena, ofereceu pela primeira vez a seus fregueses uma salsicha feita com dois tipos de carne, bovina e suína, envolta em intestino de cordeiro.

Ele batizou sua invenção de "Frankfurter Wiener Wurst", ou seja, salsicha vienense e de Frankfurt, nome que depois foi alterado dependendo dos países ou regiões onde passou a ser produzida.
O sucesso desta salsicha de aroma delicado foi imediato e chegou a ser o prato favorito dos músicos Johann Strauss e Franz Schubert.
Em 1893, a inovação atravessou o Atlântico e foi levada para a Exposição Universal de Chicago onde, segundo a lenda, um vendedor ambulante teve a idéia de vendê-la com pão, dando origem ao cachorro-quente.



Hot Dog Francês

Ingredientes:
1 salsicha tipo vienense
150g de queijo gruyère ralado
1 colher (sopa) de manteiga
2 colheres (sopa) de leite
4 colheres (sopa) de creme de leite fresco
2 colheres (sopa) queijo parmesão ralado
1 baguetinha

sexta-feira, 23 de setembro de 2005

Chova ou faça sol

É preciso não esquecer nada

É preciso não esquecer nada:
nem a torneira aberta nem o fogo aceso,
nem o sorriso para os infelizes
nem a oração de cada instante.

É preciso não esquecer de ver a nova borboleta
nem o céu de sempre.

O que é preciso é esquecer o nosso rosto,
o nosso nome, o som da nossa voz, o ritmo do nosso pulso.

O que é preciso esquecer é o dia carregado de atos,
a idéia de recompensa e de glória.

O que é preciso é ser como se já não fôssemos,
vigiados pelos próprios olhos
severos conosco, pois o resto não nos pertence.

Cecília Meirelles



"Pipas e Balões"

Candido Portinari

Roy Liechtenstein - Vida Animada - SP


De 22/09 a 22/11

Instituto Tomie Ohtake
Entrada Franca

Mostra traz pela primeira vez ao país a obra do artista que, ao lado de Andy Warhol, criou a arte pop. A curadora Lisa Phillips selecionou 78 desenhos, colagens e estudos representativos do seu trabalho. Horários: de terça a domingo, das 11h às 20h. O Instituto Tomie Ohtake fica na av. Brigadeiro Faria Lima, 201, Pinheiros (entrada pela r. Coropés). Informações: (11) 6844-1900.

Asterix

Yves Herman/Reuters

Urdezo ao lado da capa
da nova aventura de asterix



Asterix e Obelix viverão uma nova aventura em seu 33º álbum, cuja capa foi apresentada nesta quinta em Bruxelas pelo desenhista e roteirista Albert Uderzo, apesar de o conteúdo ainda ser um segredo guardado a sete chaves.

O novo livro, que se chamará "Le Ciel Lui Tombe sur la Tête" ("O Céu Cai sobre sua Cabeça"), começará a ser vendido no dia 14 de outubro em 27 países e 25 idiomas com uma tiragem de 3,5 milhões de exemplares.

O título faz referência ao único medo dos gauleses: que o céu caia sobre suas cabeças, como sempre lembra Abracurcix, o chefe da aldeia. O lançamento das novas aventuras dos gauleses está sendo preparado há vários meses em meio a uma grande campanha de marketing.

Até o Manequinho, símbolo da capital belga, aderirá à moda. A estátua do menino urinando localizada no centro de Bruxelas será vestida como Obelix, o forte guerreiro de tranças que caiu no caldeirão de poção mágica quando era pequeno e detesta ser chamado de gordão.

Uderzo escolheu Bruxelas para o lançamento de sua última criação porque considera que "sem a Bélgica, Asterix e Obelix poderiam não ter existido".
Foi no país que, nos anos 50, Uderzo conheceu René Goscinny, roteirista original da série, e eles começaram a trabalhar juntos e a prosperar graças a muitos belgas ativos na indústria dos quadrinhos.

A capa do novo álbum é quase igual à do primeiro, "Asterix, o Gaulês", mas com outro fundo, outro tipo de título e sem legionários romanos.

Primavera dos Livros 2005

23 a 25 de setembro | das 10hs às 22hs00
Jockey Club Brasileiro | Praça Santos Dumont, 31 - Gávea

Entrada R$2,00
Estudantes R$1,00

Entrada Franca
Menores de 12 anos
Maiores de 65 anos
Professores e Bibliotecários

Dez Chamamentos

Ao Amigo

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite
Olhei-me a mim, como se tu me olhasses.
E era como se a água desejasse.

Escapar de sua casa que é o rio
E deslizando apenas, nem tocar a margem.

Te olhei. E há tanto tempo
Entendo que sou terra. Há tanto tempo
Espero.
Que o teu corpo de água mais fraterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta.

Olha-me de novo. Com menos altivez
E mais atento.

[I]
Hilda Hilst

"Rio de Janeiro"

Fotografia: Marc Ferrez

Documentário "Doutores da Alegria"

A história do grupo de palhaços-atores que leva alegria a crianças internadas em hospitais do país pode ser vista a partir de hoje, no cinema. "Doutores da Alegria- O Filme" recebeu o prêmio de melhor filme no "Festival de Cinema Brasileiro de Nova York" e o "Prêmio Especial do Júri" e o "Prêmio do Júri Popular" no Festival de Gramado deste ano.

Os atores que fazem parte da organização Doutores da Alegria atuam em dez hospitais de três estados e já visitaram mais de 350 mil crianças. A direção é de Mara Mourão, com Ângelo Brandini, Juliana Gontijo e Wellington Nogueira.

Documentário "Vinícius"

Sentado no chão, cercado de gente, Baden Powell do lado acariciando as cordas do violão com vigor e aparente displicência, Vinicius de Moraes puxa, com voz ébria e copo na mão, o coro final em ''Canto de Ossanha'': ''Vai, vai, vai, vai amar/ Vai, vai, vai, vai sofrer/ Vai, vai, vai, vai chorar/ Vai, vai, vai, vai viver''.

A cena do maravilhoso documentário "Vinicius - Quem pagará o enterro e as flores se eu morrer de amores?", de Miguel Faria Jr., é síntese do que se passa na tela nas quase duas horas de projeção - a première para convidados é nesta quinta-feira no Odeon BR.

O copo na mão, o sorriso e essas quatro palavras (amar, sofrer, chorar, viver) atravessam o longa-metragem. Apoiado nelas, mostra o filme, Vinicius ergueu - na coerência entre vida e obra - uma escola musical, poética e, por que não?, filosófica que deixou marcas diretas e indiretas em personagens dos mais diversos, de Chico Buarque a Tonia Carrero, de Zeca Pagodinho a Ferreira Gullar.

- Procurei depoimentos de pessoas da minha geração, que foi profundamente influenciada por ele - conta Faria Jr. "Para as canções, peguei uma geração posterior, com artistas de diferentes praias" - diz, referindo-se ao time que inclui nomes como Yamandú Costa, Mônica Salmaso, Zeca Pagodinho, Adriana Calcanhoto e Mart'Nália (o CD com a trilha será lançado pela Biscoito Fino).

Professor e aluno, integralista na juventude e hippie temporão aos 60, diplomata e boêmio... De volta àquela mesma sala da cena do início deste texto, Vinicius canta que "o amor só é bom se doer". O amor, o prazer e a dor, juntos no mesmo verso - outra das sínteses (im)possíveis do homem e artista, presentes em cada fotograma de "Vinicius".

Óleo de dendê ameaça oragontagos

A alta demanda da indústria internacional por óleo de dendê pode levar o orangotango à extinção dentro de doze anos, de acordo com um relatório divulgado nesta sexta-feira pelos grupo Friends of the Earth em conjunto com grupos internacionais de proteção de símios.

O relatório diz que as plantações de dendezeiros se tornaram a principal razão do declínio da espécie na Indonésia e na Malásia.


Especialistas acreditam que cerca de 5.000 orangotangos morrem por ano.

quinta-feira, 22 de setembro de 2005

Primavera


A primavera chegará, mesmo que ninguém mais saiba seu nome, nem acredite no calendário, nem possua jardim para recebê-la. A inclinação do sol vai marcando outras sombras; e os habitantes da mata, essas criaturas naturais que ainda circulam pelo ar e pelo chão, começam a preparar sua vida para a primavera que chega.
Finos clarins que não ouvimos devem soar por dentro da terra, nesse mundo confidencial das raízes, — e arautos sutis acordarão as cores e os perfumes e a alegria de nascer, no espírito das flores.


Há bosques de rododentros que eram verdes e já estão todos cor-de-rosa, como os palácios de Jeipur. Vozes novas de passarinhos começam a ensaiar as árias tradicionais de sua nação. Pequenas borboletas brancas e amarelas apressam-se pelos ares, — e certamente conversam: mas tão baixinho que não se entende.

Oh! Primaveras distantes, depois do branco e deserto inverno, quando as amendoeiras inauguram suas flores, alegremente, e todos os olhos procuram pelo céu o primeiro raio de sol.


Esta é uma primavera diferente, com as matas intactas, as árvores cobertas de folhas, — e só os poetas, entre os humanos, sabem que uma Deusa chega, coroada de flores, com vestidos bordados de flores, com os braços carregados de flores, e vem dançar neste mundo cálido, de incessante luz.

Mas é certo que a primavera chega. É certo que a vida não se esquece, e a terra maternalmente se enfeita para as festas da sua perpetuação.

Algum dia, talvez, nada mais vai ser assim. Algum dia, talvez, os homens terão a primavera que desejarem, no momento que quiserem, independentes deste ritmo, desta ordem, deste movimento do céu. E os pássaros serão outros, com outros cantos e outros hábitos, — e os ouvi­dos que por acaso os ouvirem não terão nada mais com tudo aquilo que, outrora se entendeu e amou.

Enquanto há primavera, esta primavera natural, prestemos atenção ao sussurro dos passarinhos novos, que dão beijinhos para o ar azul. Escutemos estas vozes que andam nas árvores, caminhemos por estas estradas que ainda conservam seus sentimentos antigos: lentamente estão sendo tecidos os manacás roxos e brancos; e a eufórbia se vai tornando pulquérrima, em cada coroa vermelha que desdobra. Os casulos brancos das gardênias ainda estão sendo enrolados em redor do perfume. E flores agrestes acordam com suas roupas de chita multicor.

Tudo isto para brilhar um instante, apenas, para ser lançado ao vento, — por fidelidade à obscura semente, ao que vem, na rotação da eternidade. Saudemos a primavera, dona da vida — e efêmera.

Cecília Meirelles
Nosso

Do amor,
Diz-me
Se te amas.

Cristina Caetano

Bienal de Arquitetura de SP



Treze países participarão da Sexta Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, que será aberta ao público no dia 22 outubro, informam os organizadores.

A Bienal abordará a vida urbana por uma visão da arquitetura como ponto de conexão entre a realidade e a utopia, disse Pedro Cury, um dos organizadores da exposição.

A mostra, que será realizada na sede da Fundação Bienal de São Paulo de 22 de outubro a 11 de dezembro, será dividida em sete áreas nas quais o público poderá conferir das tradicionais representações de países até mostras especiais de arquitetos convidados.

Na área de convidados estrangeiros, integrada por nomes representativos da arquitetura mundial, merecem destaque o espanhol Alberto Campos Baeza, o chileno José Cruz Ovalle, o mexicano Ricardo Legorreta, o francês Henri Ciriani e os portugueses Eduardo Souto de Moura e Gonzalo Byrne.

Proteína de gambá pode combater veneno de cobras

Pesquisadores desvendam mecanismos da imunidade de marsupiais
à picadas de serpentes

Gambás e outros marsupiais caçadores de cobras são naturalmente resistentes ao veneno das
serpentes.

Aos poucos, uma equipe de pesquisadores do Instituto Oswaldo Cruz começa a entender o mecanismo por trás dessa imunidade.

Em 2002, os cientistas identificaram e isolaram do sangue do gambá sul-americano (Didelphis marsupialis) duas proteínas que inibem toxinas presentes no veneno das cobras.

O grupo acaba de clonar e seqüenciar os fragmentos de DNA responsáveis pela síntese dessas moléculas.


No futuro, as proteínas podem dar origem a um novo soro para o tratamento dos acidentes com cobras, tanto no homem como nos animais. Os resultados se mostram ainda extremamente promissores para o tratamento de doenças como o câncer de mama.

quarta-feira, 21 de setembro de 2005

Poética


De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.

Outros que contem
Passo por passo:
Eu morro ontem

Nasço amanhã
Ando onde há espaço:
- Meu tempo é quando.


Vinícius de Moraes




Kandinsky

Free Free

Como diria o "grande filósofo": "... de graça, até injeção na veia...do olho!"

Cinema é bom. Se for de graça, então... Além de nas areias de Copacabana, também há filmes com entrada franca no British Council, no Instituto Cervantes e nas Lonas Culturais.

No British Council, passam filmes da mostra Brasil com Z, como "Favela rising", que acompanha a trajetória de Anderson Sá, que abandonou o crime organizado e se tornou líder do AfroReggae; "Favela Shakespeare", documentário que acompanha os últimos dias de montagem de uma leitura de "Antonio e Cleópatra" na Faixa de Gaza, na fronteira entre as favelas de Vigário Geral e Parada de Lucas, e "Samba no pé", documentário sobre samba narrado por Haroldo Costa.

Já o Instituto Cervantes abrigará sessões da mostra Cine en Construcción, com filmes como o equatoriano "Fuera de juego" e os argentinos "Otra vuelta", "Próxima saída" e "Cidade pequena", além de uma seleção de 20 documentários do Festival de Albacete, na Espanha, que tratam de temas relacionados à América Latina contemporânea.

E sucessos do cinema, como "Fábio Fabuloso", "Tainá 2 - A aventura continua", "Mais uma vez amor" e animações que fizeram a felicidade das crianças, como "Mamãe virei um peixe" vão ocupar as Lonas Culturais


n.r.: e por favor, tenham compreensão se ao chegar a lotação estiver esgotada, não briguem e nem quebrem nada. Numa cidade com a população do RIO , tentem imaginar que realmente é possível que várias pessoas tenham chagado antes de "você" e por isso já não cabe mais ninguém.
Não repitam a "bagunça" do Theatro Municipal à "um real"...sejamos civilizados, ou pelo menos, tentem!
"Nem preciso dizer que tenho pavor de qualquer "coisa" de graça".

Nirvana lança nova compilação com três inéditas




Chega ao mercado americano em novembro uma nova compilação do Nirvana.

Sliver vai trazer 22 faixas da banda, incluindo 3 inéditas, além de material que apareceu na caixa With the Lights Out, lançada no ano passado.

A imagem da capa foi criada por Courtney Love e a filha, Frances Bean Cobain. A menina de 13 anos tem estado envolvida nas decisões relacionadas à obra do pai, de acordo com o advogado da família.

O projeto também contou com a colaboração e aprovação de Dave Grohl e Krist Novoselic.

Ernesto Varela Ressuscita


Marcelo Tas de volta aos palcos


O jornalista Marcelo Tas vai entrar em cena nesta quinta-feira, 22, na pele de seu personagem cara-de-pau, o repórter Ernesto Varela, simultaneamente no teatro e na Internet.
A comédia "Como Chegamos Aqui? - A História do Brasil Segundo Ernesto Varela" será mostrada no Centro Cultural Telemar, no Rio de Janeiro, terá sua estréia transmitida ao vivo na Internet pela TV UOL a partir das 19h30 desta quinta-feira.
A peça nasceu da experiência de Tas com a Web. "O 'Tas na Zona' e especialmente o 'Blog do Tas', que mantenho no UOL há dois anos, são a grande inspiração e estímulo para esta volta do Varela. Agradeço imensamente aos deuses que criaram a Internet. Eles são responsáveis pela volta do Varela e por minha volta aos palcos do teatro."


"Ernesto Varela"

segunda-feira, 19 de setembro de 2005

Meu

Segunda-feira e não precisa fazer sentido, ter senso, direção ou objetivo.
Porque tudo sempre tem de servir pra alguma coisa?
Pra quê explicar? Deixa só estar e ser.
Não quero pensar, gastar neurônios, criar rugas, não quero ter intenção.
Não quero nada!
Como é bom não querer!
Basta estar viva, se perceber e se observar.
Não pensar! Não!
Basta a noção do corpo como invólucro, como capa.
Noção de presença.
Mesmo que o espelho não identifique, que faça perguntas.
Não estou a fim de responder.
Não respondo, não quero pensar!
Basta ser. Basta sentir. Basta estar.
É seguro, macio.
Basta a serenidade da cabeça vazia com a sensação de cabeça no lugar.
E continuo sentindo, sem me incomodar, sem noção de espaço.
O momento é meu e por isso ele é tão bom.
Não quero que rime.
O momento é o meu lugar.

Cristina Caetano

Corrupção em Benefício do Povo

O Jogo: "Escândalo!"
O tabuleiro é uma pizza, deputados são corruptos e celebridades, pés-de-cana

Imagine um tabuleiro de pizza ao qual deputados corruptos e juízes ladrões tenham trânsito livre. Metáfora da realidade brasileira? Para os publicitários que criaram o jogo "Escândalo!", sim.

De uma rodela de tomate partem os participantes do jogo em que o pior do ser humano pode aparecer. Um caminho de intrigas, acusações, corrupção - moral e financeira - até a vitória. Por bem ou por mal.

-Eu estava com o meu amigo e sócio Marcos Saboya e, ao ler o jornal, sugeri: "É tanta falcatrua que dá para fazer um jogo"- conta o publicitário Renato Gomes, coordenador do projeto.

Marcos Saboya encarou a idéia e começou a rascunhar o que seria um jogo baseado na fartura de escândalos que diariamente tomam conta do noticiário. Há muito tempo, aliás.

- É um jogo inovador e que pretende mostrar como fazer escândalo e ganhar dinheiro com isso - explica Saboya.

O resultado é, de fato, um jogo recheado de armações, intrigas, chantagens. Foram seis meses trabalhando no projeto até definir quais seriam os personagens, as estratégias e regras. Durante os testes, Marcos tentou aproximar ao máximo o jogo da realidade. 'Escândalo!' aborda temas muito conhecidos por parte dos brasileiros, como corrupção, lavagem de dinheiro, pedofilia e outros atos imorais ou ilegais.

O jogo teve tiragem de cinco mil exemplares e pode ser encontrado nas livrarias Letras & Expressões, Livraria da Travessa e Dante, no Rio de Janeiro. Em breve, haverá pontos de venda em São Paulo e Brasília e países como Estados Unidos e Itália já demonstraram interesse em revender o jogo. Se cuida, Bush...

n.r.: enquanto "o acontecimento do ano" não vira uma grande pizza, o "brasileiro" não se descuida e se diverte com a pizza.
E já que falamos em comida:"são 23hs00 e vai tudo bem em algum lugar conhecido como república das bananas".

DOE SANGUE


Hemorio precisa de mais doadores de sangue

O Hemorio informou nesta segunda-feira que ainda não há sangue suficiente para o mutirão de cirurgias. Desde a semana passada, a entidade está chamando os doadores para reforçar o estoque de sangue. Segundo a diretora técnica do Hemorio, Clarisse Lobo, serão operadas mais 80 pessoas por semana.

"Precisamos de quatro novos doadores para cada um desses pacientes. Para esta semana, ainda precisamos de um terço de doações a mais do que costumamos ter. Acreditamos que isso representa cerca de 150 doações necessárias nesta semana, além daquelas que a gente já recebe normalmente".

A diretora informou ainda que empresários e pessoas interessadas em mobilizar doadores de sangue podem entrar em contato pelo Disque-Sangue (0800-2820708). A entidade disponibilizou uma van para transportar grupos interessados em doar sangue.

Pipoca D.O.C.

Pipoqueiros do Rio terão selo de qualidade



Prêmio "Pipoca de Ouro - 2006"


Marcela Alves Gomes Pereira tem só 2 anos e ainda está aprendendo a falar, mas não hesita em apontar e dizer para a mãe que quer pipoca quando se aproxima da carrocinha de José Pinto Aguiar, o Paulista, de 65 anos, que todas as tardes trabalha em frente ao prédio 66 da Praia do Flamengo.

Apesar do advento da pipoca de microondas, pipoqueiros como Paulista não perderam espaço e freguesia. E agora vão se tornar os primeiros ambulantes a receber um selo de qualidade da prefeitura. Antes disso, vão fazer adaptações nas carrocinhas e cursos de manipulação de alimentos, segurança e primeiros socorros, com a Vigilância Sanitária e a Defesa Civil.

"Os pipoqueiros fazem parte da tradição da cidade. Nossa idéia é requalificá-los", diz João Pedro Figueira, secretário municipal de Governo.

Tamanha tradição muitas vezes passa de pai para filho. O cearense Mascilom Torres Pontes, de 75 anos, saiu de Ipu em 1960 para morar no Rio. Tentou ganhar a vida como sapateiro, mas foi vendendo pipoca que conseguiu sustentar a família a partir de 1971. Em 1995 se aposentou, mas a carrocinha e o ponto na Praça Quinze passaram para o sobrinho Antônio.

Duas Mulheres


Convite


Não sou a areia
onde se desenha um par de asas
ou grades diante de uma janela.
Não sou apenas a pedra que rola
nas marés do mundo,
em cada praia renascendo outra.
Sou a orelha encostada na concha
da vida, sou construção e desmoronamento,
servo e senhor, e sou
mistério

A quatro mãos escrevemos este roteiro
para o palco de meu tempo:
o meu destino e eu.
Nem sempre estamos afinados,
nem sempre nos levamos
a sério.


Lya Luft




Tomie Ohtake
Ocorreu um erro neste gadget
Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.