quarta-feira, 7 de setembro de 2005

Será Arte? Por toda parte?


Traduzir-se

Uma parte de mim é todo mundo
outra parte é ninguém: fundo sem fundo
Uma parte de mim é multidão
Outra parte estranheza e solidão.
Uma parte de mim, pesa pondera
outra parte delira.

Uma parte de mim, almoça e janta
outra parte se espanta.
Uma parte de mim é permanente
outra parte se sabe de repente.

Uma parte de mim é só vertigem
outra parte, é linguagem.

Traduzir uma parte na outra parte
- que é uma questão de vida ou morte -
será arte?



"Poema de Ferreira Gullar, música de Fagner. Mãos que trabalham a arte: Anna Maria Maiolino"

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.