segunda-feira, 19 de setembro de 2005

Corrupção em Benefício do Povo

O Jogo: "Escândalo!"
O tabuleiro é uma pizza, deputados são corruptos e celebridades, pés-de-cana

Imagine um tabuleiro de pizza ao qual deputados corruptos e juízes ladrões tenham trânsito livre. Metáfora da realidade brasileira? Para os publicitários que criaram o jogo "Escândalo!", sim.

De uma rodela de tomate partem os participantes do jogo em que o pior do ser humano pode aparecer. Um caminho de intrigas, acusações, corrupção - moral e financeira - até a vitória. Por bem ou por mal.

-Eu estava com o meu amigo e sócio Marcos Saboya e, ao ler o jornal, sugeri: "É tanta falcatrua que dá para fazer um jogo"- conta o publicitário Renato Gomes, coordenador do projeto.

Marcos Saboya encarou a idéia e começou a rascunhar o que seria um jogo baseado na fartura de escândalos que diariamente tomam conta do noticiário. Há muito tempo, aliás.

- É um jogo inovador e que pretende mostrar como fazer escândalo e ganhar dinheiro com isso - explica Saboya.

O resultado é, de fato, um jogo recheado de armações, intrigas, chantagens. Foram seis meses trabalhando no projeto até definir quais seriam os personagens, as estratégias e regras. Durante os testes, Marcos tentou aproximar ao máximo o jogo da realidade. 'Escândalo!' aborda temas muito conhecidos por parte dos brasileiros, como corrupção, lavagem de dinheiro, pedofilia e outros atos imorais ou ilegais.

O jogo teve tiragem de cinco mil exemplares e pode ser encontrado nas livrarias Letras & Expressões, Livraria da Travessa e Dante, no Rio de Janeiro. Em breve, haverá pontos de venda em São Paulo e Brasília e países como Estados Unidos e Itália já demonstraram interesse em revender o jogo. Se cuida, Bush...

n.r.: enquanto "o acontecimento do ano" não vira uma grande pizza, o "brasileiro" não se descuida e se diverte com a pizza.
E já que falamos em comida:"são 23hs00 e vai tudo bem em algum lugar conhecido como república das bananas".

0 comentários:

Blog Widget by LinkWithin
 
Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.